Pular para o conteúdo principal

MANAUS, AMAZONAS - Eh bom que o visitante de primeira viagem saiba: apesar de ser uma das principais portas de entrada da Amazônia, Manaus é um centro urbano agitado, bem diferente do ambiente bucólico da floresta. A cidade é um polo industrial com ritmo intenso, muita gente, concreto e trânsito de veículos. Mas a floresta está lá, marcante na personalidade da cidade, nas frutas e peixes que caracterizam fortemente a culinária local, na riqueza do ciclo da borracha, que permitiu erguer o patrimônio histórico no século 19 e 20, nos traços indígenas de boa parte da população, nas chuvas torrenciais. Animado para desvendar o melhor de Manaus? Então, siga nosso roteiro!




CONHEÇA A CIDADE DE "MANAUS", CAPITAL DO AMAZONAS, BRASIL - DA JANELA DO TREM
É bom que o visitante de primeira viagem saiba: apesar de ser uma das principais portas de entrada da Amazônia, Manaus é um centro urbano agitado, bem diferente do ambiente bucólico da floresta. A cidade é um polo industrial com ritmo intenso, muita gente, concreto e trânsito de veículos. Mas a floresta está lá, marcante na personalidade da cidade, nas frutas e peixes que caracterizam fortemente a culinária local, na riqueza do ciclo da borracha, que permitiu erguer o patrimônio histórico no século 19 e 20, nos traços indígenas de boa parte da população, nas chuvas torrenciais. Animado para desvendar o melhor de Manaus? Então, siga nosso roteiro!
VISTA AÉREA DO RIO NEGRO, EM MANAUS (AM)
O Rio Negro tem 4 quilômetros entre as margens, apenas um sexto da distância na região de Anavilhanas. Mas se impressionar com o volume do Negro não é prerrogativa apenas das crianças. Durante o indefectível – e imperdível – passeio de barco até o encontro das águas dos rios Negro e Solimões, que formam o Amazonas, os turistas que visitam Manaus soltam, meio sem perceber, interjeições de admiração. Muita gente conhece o fenômeno por fotos, pelo Amaral Netto e por ouvir dizer. Mas ver in loco o barrento Solimões guerrear por espaço com o Negro é um deslumbre. Como Omar e Yaqub, os gêmeos de Dois Irmãos, premiado romance do escritor amazonense Milton Hatoum, os rios não se entendem, não se misturam. Parece lenda amazônica, só mais uma das muitas que existem. Pelas diferenças de velocidade, densidade e temperatura, as águas dos dois rios correm lado a lado por 6 quilômetros, até virarem o Amazonas, o maior do mundo.
PRAIA DE PONTA NEGRA AS MARGENS DO RIO NEGRO EM MANAUS, AM
VISTA AÉREA DA CIDADE DE MANAUS (AM), CAPITAL DE QUASE 2 MILHÕES DE HABITANTES
Manaus não é uma cidade pacata no meio da selva. A metrópole, de 2 milhões de habitantes, já mostra os sintomas de um centro urbano que cresceu muito rapidamente (prepare-se para o trânsito carregado). No lugar da floresta, ergueu-se uma capital de concreto, marcada pela chegada das indústrias após a criação da zona franca.
TEATRO AMAZONAS EM MANAUS (AM)
Mas, é claro, a natureza está ali pertinho, seja nos parques que foram preservados, como a Reserva Florestal Adolpho Ducke e o Bosque da Ciência, seja no calçadão revitalizado da Ponta Negra, onde o belíssimo Rio Negro abraça a cidade convidando para um passeio na orla. Além disso, os inúmeros hotéis de selva localizados nos arredores de Manaus tornaram-na uma das principais portas de entrada para explorar a Amazônia. Dos tempos áureos da borracha restou o esplendor de construções históricas como o impressionante Teatro Amazonas e o Mercado Municipal, reaberto após sete anos de reforma.
PRAIA DA PONTA NEGRA, O BAIRRO MAIS BONITO DE MANAUS (AM). A FAIXA DE AREIA SÓ APARECE ENTRE JULHO E NOVEMBRO, PERÍODO DE CHEIA, MAS A ORLA TEM VIDA INDEPENDENTE COM BARES, SHOWS E PISTA DE CAMINHADA
UM DIA PERFEITO 
Comece o dia com o café da manhã no Café Regional Priscila – e não deixe de provar o sanduíche de tucumã, a comidinha mais famosa da cidade. Depois, você pode passear a pé pelo Centro e visitar o Teatro Amazonas, o Palacete Provincial e o Palácio Rio Negro, todos próximos. À tarde, pegue um barco até o passeio mais clássico de Manaus, o encontro das águas dos Rios Negro e Solimões. À noite, experimente a culinária local no Banzeiro, o melhor da especialidade.
RESTAURANTE CHOUPANA, EM MANAUS (AM), INDICADO NA CATEGORIA REGIONAL DO GUIA BRASIL 2012
O GUIA RECOMENDA 
Você pode gastar mais dois dias na cidade e visitar o Seringal Vila Paraíso, que mostra como era a vida dos seringueiros na época da borracha, ou programar uma visita ao Museu da Amazônia, parque com exposições sobre fauna e flora. Programe refeições nos restaurantes amazonenses ou de pescados, para provar os deliciosos peixes da região, como o tambaqui e o matrinxã. Escolha um dos passeios de um dia, como o que leva às Cachoeiras de Presidente Figueiredo ou o que segue pelo Rio Negro até Anavilhanas. Depois, dedique ao menos três dias para ficar em alguma hospedagem na selva, e conheça mais de perto a maior floresta tropical do mundo.
FILHOTE DE JAGUATIRICA NA REGIÃO DO AMAZON ECOPARK LODGE, EM MANAUS (AM), HOSPEDAGEM NA SELVA INDICADA PELO GUIA BRASIL 2012
Dica
Enquanto estiver na capital, verifique se há algum espetáculo no Teatro Amazonas, para que você possa vê-lo em funcionamento e com todo o seu esplendor artístico.
PISCINA DO HOTEL TROPICAL, QUE TEM ATÉ ZOOLÓGICO, EM MANAUS (AM). É INDICADO COMO O MELHOR DA CIDADE PELO GUIA BRASIL 2012: À BEIRA DO RIO NEGRO E AFASTADO DO CENTRO, É O HOTEL URBANO MAIS PRÓXIMO À SELVA
COMO CHEGAR EM MANAUS, AM
A melhor maneira de chegar à capital é de avião – o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, parcialmente reformado para a Copa (e ainda não entregue totalmente até setembro de 2014), recebe voos das principais regiões brasileiras. De táxi, o trajeto de 14 km até o Centro custa R$ 65.
AEROPORTO DE MANAUS (AM)
Duas rodovias conectam outras capitais a Manaus: a BR-174 faz a ligação a partir de Boa Vista (RR), passando pelo território indígena Waimiri Atroari (o tráfego dentro da reserva é interrompido entre 18h e 6h); e a BR-319 vai de Porto Velho (RO) a Manaus depois de uma travessia por balsa – os quase 900 km da estrada apresentam trechos precários, interrompidos nos períodos de chuva. De barco, a viagem desde Belém (PA) pelo Rio Amazonas pode levar cinco dias.
COMO CIRCULAR EM MANAUS, AM
O trânsito pesado e o sistema viário confuso tornam os deslocamentos muito difíceis para quem não conhece Manaus. Ruas bloqueadas e retornos fechados complicam ainda mais a situação. E não basta confiar no GPS, pois há ruas com mesmo nome em bairros diferentes e numeração irregular nos imóveis. A solução é usar o táxi, mas até os motoristas às vezes ficam confusos, pois muitas ruas tiveram seus nomes trocados recentemente. No Centro Histórico, vale caminhar. A turística Praia de Ponta Negra e o Distrito Industrial distam 16 km e 10 km, respectivamente, do Centro da capital.
ONDE FICAR EM MANAUS, AM
Nos últimos anos, a rede hoteleira de Manaus recebeu 1 800 apartamentos, parte por ser uma das sedes da Copa de 2014. Durante o evento, a ocupação teve picos de 84%, mas, passada a competição, havia superoferta de quartos.
PISCINA NATURAL DO AMAZON ECOPARK LODGE, ATRAÇÃO ÚNICA ENTRE AS HOSPEDAGENS NA SELVA DE MANAUS (AM). O HOTEL FICA NO IRARAPÉ DO TARUMÃ-AÇU, ÀS MARGENS DO RIO TARUMÃ
Fique atento: 
tarifas podem cair. Para ficar mais perto das melhores atrações, hospede-se no Centro. E quem reserva hotel em Vieiralves ou Adrianópolis está próximo de shoppings e restaurantes.
BARRACAS NO LARGO DE SÃO SEBASTIÃO, CENTRO HISTÓRICO DA CIDADE, MANAUS (AM)
Cuidado com as pousadas muito simples, localizadas na selva. Elas oferecem preços baixos para compensar a infraestrutura precária. Nos hotéis de selva indicados no GUIA BRASIL 2015 há diferenciais: boa estrutura para passeios, maior conforto e baixo impacto na natureza.
ONDE COMER EM MANAUS, AM
Adrianópolis e Vieiralves, próximos ao Centro, reúnem a maior parte dos restaurantes, mas alguns estão escondidos em bairros residenciais, como os italianos Cantina Dom Domenico e Trattoria da Margô. A cidade tem boas opções de cozinha amazonense – aproveite para provar a costela de tambaqui na brasa e o matrinxã.
COMIDA TÍPICA DE MANAUS, AM
Farinha de Uarini -- É conhecida também como "farinha ovinha" devido à semelhança com as ovas de peixes locais. A matéria-prima é a mandioca amarela, colocada na água por até sete dias, quando se transforma em uma massa chamada puba. Ela é então espremida, moída e peneirada em formas com grandes orifícios. Ao fim do processo, os grãos são secos e depois hidratados. Onde comer: Nos restaurantes de cozinha amazonense.
Guaraná -- O que se bebe aqui não é refrigerante: guaraná em Manaus é sinônimo de um suco de água com o amargo pó – feito da semente da frutinha, torrada e moída em processo similar ao do café – ou com seu xarope, bem adocicado. As marcas regionais mais conhecidas são Baré, Regente, Tuchaua e Real. Onde beber: Casa do Guaraná Saterê, Ponto do Guaraná, Café Regional Joelza, Café Regional Priscila e nos bares e lanchonetes da cidade.
O BOTO HABITA O RIO AMAZONAS E FAZ PARTE DO NOSSO FOLCLORE, EM MANAUS, AM
Peixes do Rio Amazonas -- Nos rios da Amazônia há cerca de 2 mil espécies de peixes. E pelo menos dez delas podem ser provadas nos restaurantes da cidade. Entre as receitas mais conhecidas estão a costela de tambaqui na brasa, a caldeirada de tucunaré, clássicos locais, e o pirarucu de casaca, em que o peixe é servido entre camadas de farofa – de preferência, feita com a típica farinha ovinha. Neste prato, o peixe é preparado em sua versão ''bacalhau da Amazônia''. Matrinxã, jaraqui e acari (que, quando assado e socado, se transforma numa farinha de base para receitas de bolinhos e caldos) também são facilmente encontrados nos menus manauaras, quase sempre acompanhados por tucupi, farofa e um molhinho de pimenta – a amarela, feita de murupi, é bem típica. Onde comer: Nos restaurantes de cozinha amazonense.
OS BOTOS DO RIO NEGRO, EM MANAUS, AMAZONAS
Sanduíche de Tucumã -- Em qualquer lanchonete, é fácil encontrar o tal x-caboclinho – em Manaus, aliás, os mais regionalistas leem "x-caboquinho''. A receita não tem segredo: no meio de um pão francês colocam-se lascas de tucumã, fruto de uma palmeira amazônica. Oleoso, o ingrediente funciona como uma espécie de manteiga (com sabor totalmente diferente) e pode vir acompanhado de queijo coalho ou banana. Onde comer: Waku Sese, Café Regional Joelza, Café Regional Priscila, Café Regional Tapiri e em lanchonetes ao redor do Teatro Amazonas.
MANAUS (AM)
O QUE FAZER EM MANAUS, AM
As principais atrações da capital ficam na região central. Ali, a força econômica do período da borracha (1880-1914) deu origem a construções imponentes - o melhor exemplo é o belo Teatro Amazonas. Para conhecer os palácios e centros culturais de Manaus, programe um dia para caminhar sem pressa pelo bairro, que também concentra as melhores compras, como a Galeria Amazônica, que vende peças indígenas.
TEATRO AMAZONAS EM MANAUS (AM)
As agências Amazon Explorers e Fontur levam para atrações mais distantes, como as Cachoeiras de Presidente Figueiredo, o Encontro das Águas e o Seringal Vila Paraíso - os dois últimos podem ser feitos com a associação de barqueiros Acamdaf (3658-6159), a preços mais baixos (e com economia de tempo). Quem viaja para a selva pode realizar o ecoturismo da Amazônia.
TEATRO AMAZONAS, EM MANAUS (AM), INAUGURADO EM 1896. DE QUALQUER LUGAR DA PLATEIA, EM FORMATO DE LIRA E DE ACÚSTICA PERFEITA, AO OLHAR PARA AS PINTURAS NO TETO, VOCÊ TEM A IMPRESSÃO DE ESTAR EMBAIXO DA TORRE EIFFEL. OURO, CRISTAIS DE VENEZA E MÁRMORE DE CARRARA FORAM USADOS NA DECORAÇÃO
NOITE EM MANAUS, AM
Um dos programas mais clássicos de Manaus é o Bar do Armando, que, por ser na Praça do Teatro Amazonas, reúne turistas e locais. Para dançar, há o All Night Pub, com pop rock e country, e o Copacabana Chopperia (Avenida do Turismo, sem número, Tarumã, 3584-4569/9274-6400), com sertanejo e pagode. No Jack’n’Blues Snooker Pub, as atrações são as bandas de blues e rock. Onde a madrugada também vai longe, ao som de rock, é o Porão do Alemão (Estrada da Ponta Negra, 1986, São Jorge, 3239-2976).
VISÃO DAS CADEIRAS E CAMAROTES DO BELO TEATRO AMAZONAS,MANAUS, AM
FOTOGRAFIA 
O Museu da Amazônia, na Reserva Florestal Adolpho Ducke, inaugurou em 2014 uma torre de observação com três plataformas. A mais alta tem 42 metros de altura e fica acima do nível das copas das árvores, com ótima vista para a floresta e parte da cidade.
ESTÁDIO ARENA AMAZÔNIA. EM MANAUS (AM). TEM CAPACIDADE PARA MAIS DE 42 MIL PESSOAS.
HISTÓRIA 
O piso de pedras portuguesas do Largo São Sebastião, onde fica o Teatro Amazonas, lembra o calçadão de Copacabana (RJ). Mas foi Manaus que inspirou o Rio, já que o famoso desenho do piso, em forma de ondas pretas e brancas, surgiu primeiro aqui, em 1901.
ESTÁDIO ARENA AMAZÔNIA. EM MANAUS (AM).
QUANDO IR 
Prepare-se para sentir muito calor durante o ano todo. No inverno amazônico (dezembro a junho) chove bastante e é quando os rios ficam cheios e a floresta alaga. Na seca (julho a novembro), praias formam-se na selva e nas proximidades da cidade. 
ESTÁDIO ARENA AMAZÔNIA. EM MANAUS (AM).
SAIBA MAIS 
Como faço para me hospedar? 
Os telefones e e-mails funcionam bem nos hotéis. Os pacotes variam de um a sete dias, e as tarifas caem de modo inversamente proporcional ao número de noites.
ESTÁDIO ARENA AMAZÔNIA. EM MANAUS (AM).
O que levo na mala?
Na Amazônia, o sol é inclemente. Protetor solar, óculos escuros e bonés são imprescindíveis. Para aproveitar as atrações, reserve roupas leves.
MANAUS (AM)
Há muitos mosquitos? 
Nos arredores do Rio Negro, repelentes simples funcionam para espantá-los. No Rio Solimões, procure protetores potentes.
RIO AMAZONAS, MANAUS (AM)
Preciso tomar vacina? 
É recomendável tomar vacina contra a febre amarela dez dias antes do embarque.
Como ocorre o traslado a partir de Manaus? 
Na reserva você combina o horário do traslado, que ocorre a partir do aeroporto ou do seu hotel em Manaus. O transporte é feito em vans e, no rio, em lanchas.
PRESENCIAR O ENCONTRO DAS ÁGUAS DO RIO NEGRO COM O RIO SOLIMÕES (AM) É UMA ATRAÇÃO OFERECIDA POR AGÊNCIAS DE VIAGEM.
Dá para viajar com as crianças? 
Sim, e alguns hotéis têm boa área de lazer e quartos amplos. Mas alguns trajetos de barco para os hotéis levam até três horas.
OS RIOS NEGRO E SOLIMÕES CORREM LADO A LADO POR SEIS QUILÔMETROS ATÉ VIRAREM O MAIOR DO MUNDO, O RIO AMAZONAS (AM), NA FOTO
Qual o perfil dos hotéis? 
Há os com conforto parecido aos dos resorts. Outros focam na experiência de imersão na floresta – neste caso, os mais indicados são o Juma Amazon Lodge, o Malocas Lodge e o Amazon Tupana Lodge.
RIO NEGRO (AM)
Quais as restrições nos hotéis mais selvagens? 
Há restrição de energia elétrica e banhos quentes, mas não o tempo todo.
FACHADA DO AEROPORTO DE MANAUS (AM)
Como são as refeições nas hospedagens? 
Tambaquis e pirarucus são servidos frescos. Acompanham feijão, arroz e farinha de mandioca uarini, típica do Amazonas. No café da manhã há frutas locais.
Por Luana Lila
Os atrativos naturais, históricos e arquitetônicos de Manaus agradam turistas nacionais e estrangeiros
Complexo Turístico Ponta Negra em manaus, am
Recém revitalizado, o local é um dos mais visitados da capital. De acordo com turistas entrevistados pelo G1, o espaço também é um dos mais preservados e preparados para receber estrangeiros. Com quadras de esportes, quiosques e bares, a orla possui vista privilegiada do Rio Negro.
Paço Municipal da Liberdade
A beleza do Centro Histórico de Manaus pode ser vista no local. Casas, ruas de pedras e uma bela praça compõem um cenário ideal para o turismo.
Largo São Sebastião
Rodeado por grandes árvores, o largo é apontado como um dos lugares mais agradáveis para passear, principalmente ao fim da tarde em Manaus. Seja turista ou manauense, o consagrado Teatro Amazonas chama atenção de quem passa pelo local. Além dele, diversos outros monumentos como, a Igreja São Sebastião, o Palácio da Justiça e o Monumento de Abertura dos Portos podem ser apreciados. Bares, restaurantes e pequenos museus completam a visita. Nenhum ponto negativo foi apontado por turistas no local.
Galerias de arte localizadas no largo e o Teatro Amazonas têm programação permanente de terça até domingo. Os espaços serão ocupados por atividades artísticas e culturais.
AQUI A PRAÇA DA SAUDADE EM MANAUS, AM
imagem - PMM
AQUI MANAUS, AM VISTA NO HORIZONTE DO RIO AMAZONAS.
imagem - Wikipédia
MANAUS EH O DÉCIMO DESTINO TURÍSTICO DO BRASIL
AEROPORTO INTERNACIONAL DE MANAUS, AM
imagem - Wikipédia
ENTORNO DA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Wikipédia
AQUI O CENTRO SUL DA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Wikipédia
CENTRO CULTURAL PALÁCIO RIO NEGRO EM MANAUS, AM
POR MUITOS ANOS, FOI SEDE DO GOVERNO ESTADUAL. ATUALMENTE É PALCO DE EXPOSIÇÕES, SHOWS MUSICAIS E TEATRO.
imagem - Roberta Soriano
OLHE QUE BELOS CASARÕES DE MANAUS, AM
imagem - Roberta Soriano
imagem - Roberta Soriano
imagem - Henrique de Borba
TEATRO DA INSTALAÇÃO EM MANAUS, AM
imagem - Roberta Soriano
ALFÂNDEGA DA CIDADE DE MANAUS, AM
INAUGURADO EM 1906 E UTILIZANDO MATÉRIA-PRIMA DA INGLATERRA, FOI UM DOS PRIMEIROS PRÉDIOS A SER CONSTRUÍDO NO BRASIL COM BLOCOS EM PEDRA.
imagem - Roberta Soriano
BAIRRO DA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Wikipédia
VITÓRIA RÉGIA
imagem - Wikipédia
PALÁCIO DA JUSTIÇA EM MANAUS, AM
PRÉDIO ONDE FUNCIONA O TRIBUNAL DA JUSTIÇA DO ESTADO, TAMBÉM CONSTRUÍDO EM ESTILO NEOCLÁSSICO, FOI INAUGURADO EM 1900, E SUAS CARACTERÍSTICAS ARQUITETÔNICAS LEMBRAM AS CONSTRUÇÕES DO 2º IMPÉRIO BRASILEIRO.
imagem - Henrique de Borba
ARQUIPÉLAGO DE ANAVILHANAS DE MANAUS, AM
LOCALIZADO A 100 KM DE DISTÂNCIA DE MANAUS, UM DOS MAIORES ARQUIPÉLAGOS DE ILHAS FLUVIAIS DO MUNDO.
LOCALIZADO A 100 KM DE DISTÂNCIA DE MANAUS, ÀS PROXIMIDADES DO MUNICÍPIO DE NOVO AIRÃO, NO RIO NEGRO, ESTÁ O ARQUIPÉLAGO DE ANAVILHANAS, UM DOS MAIORES ARQUIPÉLAGOS DE ILHAS FLUVIAIS DO MUNDO.
CERCA DE 400 ILHAS COBERTAS DE FLORESTA VIRGEM FORMAM UM VERDADEIRO LABIRINTO NATURAL, UM DOS MAIS BELOS EXEMPLOS DE PAISAGEM NATURAL AMAZÔNICA.
NO PERÍODO DE SECA, A DESCIDA DAS ÁGUAS REVELA INÚMERAS PRAIAS DE AREIAS BRANCAS E INTERESSANTES FORMAÇÕES NATURAIS DE RAÍZES E TRONCOS.
imagem - G1
imagem - ?
imagem - ?
AVENIDA EDUARDO RIBEIRO NA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Paulo Targino Moreira Lima
PONTE DO BAIRRO CACHOEIRINHA EM MANAUS, AM
imagem - Henrique de Borba
BIBLIOTECA PÚBLICA DE MANAUS, AM
imagem - Henrique de Borba
BENEFICÊNCIA PORTUGUESA DA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Roberta Soriano
IGREJA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA CIDADE DE MANAUS, AM
FOI A PRIMEIRA IGREJA CONSTRUÍDA NA CIDADE DE MANAUS, NO ANO DE 1695, É A PRIMEIRA IGREJA CONSTRUÍDA EM MANAUS. EM 1850 SOFREU UM INCÊNDIO E EM 1878 TEVE FINALMENTE SUA CONCLUSÃO. POSSUI 6 SINOS DE ORIGEM PORTUGUESA.
imagem - Roberta Soriano
INTERIOR DA MATRIZ DE NSª DA CONCEIÇÃO
imagem - Roberta Soriano
IGREJA DE SÃO SEBASTIÃO DA CIDADE DE MANAUS, AM
CONSTRUÍDA EM 1888, FAZ PARTE DA PRAÇA SÃO SEBASTIÃO E DO TEATRO AMAZONAS.
imagem - ?
IGREJA DE NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS EM MANAUS, AM
imagem - Henrique de Borba
CENTRO DA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Henrique de Borba
ENCONTRO DAS ÁGUAS EM MANAUS, AM
O RIO AMAZONAS É FORMADO DO ENCONTRO ENTRE OS RIOS SOLIMÕES (UMA ÁGUA BARRENTA) E NEGRO (ÁGUA ESCURA).
A EXPLICAÇÃO PARA O FENÔMENO, QUE GERA ESSE BELO ESPETÁCULO, PODE ESTAR NOS FATORES DE DENSIDADE, TEMPERATURA E VELOCIDADE MUITO DIFERENCIADOS ENTRE OS DOIS RIOS.
OS DOIS RIOS CAMINHAM LADO A LADO POR QUILÔMETROS, SEM SE MISTURAREM
imagem - ?
imagem - ?
imagem - ?
VISÃO GERAL DA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Geraldo Campos Neto
CENTRO HISTÓRICO DA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Laura Sayalero
CENTRO CULTURAL DOS POVOS DA AMAZÔNIA EM MANAUS, AM
ÁREA DESTINADA AO CONHECIMENTO, EXPOSIÇÕES, ARTES, PEÇAS TEATRAIS, REUNIÕES, FESTIVAIS.
imagem - Roberta Soriano
imagem - Roberta Soriano
imagem - Roberta Soriano
ZOOLÓGICO DO CIGS – CENTRO DE INSTRUÇÕES DE GUERRA NA SELVA DA CIDADE DE MANAUS, AM
MANTIDO E ADMINISTRADO PELO EXÉRCITO BRASILEIRO, O ZOOLÓGICO FOI CONSTRUÍDO EM 1967, COM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR INFORMAÇÕES SOBRE A FAUNA AMAZÔNICA AOS ALUNOS DO CURSO DE OPERAÇÕES NA SELVA.
ATUALMENTE, POSSUI CERCA DE 171 ANIMAIS DE 58 ESPÉCIES. ALÉM DE PALESTRAS E ATIVIDADES PRÁTICAS RELATIVAS À PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE E FAUNA, O ZOOLÓGICO TAMBÉM INVESTE NA RECUPERAÇÃO DE ANIMAIS VITIMIZADOS PARA DEVOLUÇÃO AOS SEUS HABITATS NATURAIS.
imagem - Luiz rabelo
imagem - Luiz Rabelo
imagem - ?
imagem - Luiz Rabelo
JARDIM BOTÂNICO “ADOLPHO DUCKE” DA CIDADE DE MANAUS, AM
O LOCAL É UM DOS MAIS IMPORTANTES ESPAÇOS NATURAIS OFERECIDO PELA CIDADE AOS SEUS HABITANTES E TURISTAS NACIONAIS E ESTRANGEIROS, TORNANDO REALIDADE O DESEJO DOS QUE BUSCAM A EMOÇÃO DE DESVENDAR AS MARAVILHAS DA BIODIVERSIDADE AMAZÔNICA. LOGO À ENTRADA, ERGUE-SE UM COMPLEXO BÁSICO DE EDIFICAÇÕES, COMPOSTO POR UM MONUMENTO ALUSIVO ÀS MADEIRAS NOBRES DA AMAZÔNIA, UM PAVILHÃO DE EVENTOS, UMA CANTINA, UMA BIBLIOTECA, SALAS ADMINISTRATIVAS, SALAS DE SERVIÇOS GERAIS, BANHEIROS E VIVEIROS DE MUDAS.
EM SEGUIDA, O VISITANTE DEFRONTA-SE COM AS TRILHAS INTERPRETATIVAS, EM AMBIENTE ALTERADO APENAS PARA A ABERTURA DOS CAMINHOS QUE LEVAM ÀS FLORESTAS DE PLATÔ E DE TERRA FIRME. AO LONGO DOS SÉCULOS, OS JARDINS BOTÂNICOS TÊM SIDO INSTRUMENTOS INDISPENSÁVEIS PARA O DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO-CULTURAL, BERÇO DE CONSIDERÁVEL PATRIMÔNIO FLORÍSTICO, PROPORCIONANDO MATERIAL PARA ESTUDOS E PESQUISAS, PROMOVENDO A CONSERVAÇÃO DA FLORA E A PROTEÇÃO DE ESPÉCIES AMEAÇADAS DE EXTINÇÃO. O JARDIM BOTÂNICO “ADOLPHO DUCKE” É UM DOS POUCOS NO MUNDO A NASCER COM FORTE APELO AMBIENTAL E SOCIAL NO PROCESSO DE URBANISMO DA CIDADE.
imagem - Ada Coelho
imagem - Ada Coelho
imagem - Ada Coelho
imagem - Ada Coelho
ÍNDIOS DA ALDEIA DOS TUKANOS EM MANAUS, AM
imagem - Roberta Soriano
 imagem - Roberta Soriano
BOSQUE DA CIÊNCIA DA CIDADE DE MANAUS, AM
LOCALIZADO NA SEDE INPA, POSSUI UMA GRANDE ÁREA RICA EM VEGETAÇÃO E ANIMAIS DA AMAZÔNIA.
imagem - ?
PONTE SOBRE O RIO NEGRO. MAIOR PONTE ESTAIADA DO MUNDO, EM MANAUS, AM
imagem - Wikipédia
ESTAÇÃO HIDROVIÁRIA DE MANAUS, AM
imagem - Roberta Soriano
PARQUE MUNICIPAL DO MINDU DA CIDADE DE MANAUS, AM
PRINCIPAL PONTO JOVEM DE MANAUS. NO CALÇADÃO É POSSÍVEL CAMINHAR, PRATICAR ESPORTES DIVERSOS, VER APRESENTAÇÕES DA DANÇA LOCAL (BOI) EM BARES ESPECIAIS.
imagem - ?
imagem -?
imagem - G1
PARQUE DAS PALAFITAS EM MANAUS, AM
imagem - ?
CORETO DA PRAÇA HELIODORO BALBI EM MANAUS, AM
imagem - Roberta Soriano
CENTRO DE ARTESANATO BRANCO E SILVA EM MANAUS, AM
QUALQUER PRODUTO TIPICAMENTE REGIONAL PODERÁ SER ENCONTRADO NESTE CENTRO. É POSSÍVEL ACOMPANHAR A PRODUÇÃO DE PEÇAS, BEM COMO ADQUIRIR QUALQUER PRODUTO. NÃO ESQUEÇA DE PROVAR DA DELICIOSA CULINÁRIA LOCAL.
imagem - Jander Cabral
TEATRO AMAZONAS EM MANAUS, AM
CONSTRUÍDO EM PLENA FLORESTA AMAZÔNICA, NA ÉPOCA DO CICLO DA BORRACHA, O TEATRO AMAZONAS É UMA DAS MAIS BELAS OBRAS E REFERÊNCIA DA CULTURA NO ESTADO DO AMAZONAS.
imagem - Luciano Passos Cruz
PRAÇA DO TEATRO NA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Henrique de Borba
TEATRO A NOITE EM MANAUS, AM
imagem - Paulo Targino Moreira Lima
PARCIAL DA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Wikipédia
PRAÇA DO TEATRO AMAZONAS EM MANAUS, AM
imagem - Wikipédia
PRAÇA DO RELÓGIO DE MANAUS, AM
imagem - Henrique de Borba
PRAÇA DO CONGRESSO DA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Henrique de Borba
MUSEU DO HOMEM DO NORTE NA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Roberta Soriano
CENTRO DE ARTES CHAMINÉ EM MANAUS, AM
NO PASSADO FOI UMA IMPORTANTE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS, RESPONSÁVEL POR TODA A CIDADE. HOJE, REPRESENTA UM IMPORTANTE ESPAÇO PARA APRESENTAÇÕES /EXPOSIÇÕES DE ARTE.
imagem - ?
CENTRO CULTURAL PALACETE PROVINCIAL EM MANAUS, AM
O PALACETE PROVINCIAL, CONHECIDO POR MAIS DE CEM ANOS COMO QUARTEL DA POLÍCIA MILITAR, E QUE AGORA RETOMA SUA DENOMINAÇÃO ORIGINAL, ACOMPANHOU O EVOLUIR DA SOCIEDADE AMAZONENSE.
QUANDO DA CONCLUSÃO DAS OBRAS DO PRÉDIO, A 25 DE MARÇO DE 1874, O ENTÃO DENOMINADO PALACETE PROVINCIAL PASSOU A ABRIGAR, SIMULTANEAMENTE, VÁRIAS REPARTIÇÕES PÚBLICAS: A ASSEMBLÉIA PROVINCIAL, A REPARTIÇÃO DE OBRAS PÚBLICAS, A BIBLIOTECA PÚBLICA E O LICEU PROVINCIAL – ATUAL COLÉGIO AMAZONENSE D. PEDRO II. A INAUGURAÇÃO OFICIAL SÓ SE DEU EM 28 DE FEVEREIRO DE 1875, PRATICAMENTE UM ANO DEPOIS DA CONCLUSÃO DA OBRA.
NO LOCAL É POSSÍVEL ENCONTRAR O MUSEU DE NUMISMÁTICA, MUSEU DA IMAGEM E DO SOM DO AMAZONAS, PINACOTECA DO ESTADO, MUSEU DE ARQUEOLOGIA E MUSEU TIRADENTES.
imagem - Roberta Soriano
PRAÇA HELIODORO BALBI EM MANAUS, AM
imagem - Paulo Targino Moreira Lima
PRAIA DO TUPÉ NO RIO NEGRO EM MANAUS, AM
imagem - Josué Ferreira
PORTO FLUTUANTE DA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Geraldo Campos Neto
MONUMENTO COMEMORATIVO A ABERTURA DOS PORTOS EM MANAUS, AM
imagem - Thiago han
PALÁCIO DO GOVERNO DE MANAUS, AM
imagem - Laura Sayalero
O BARCO NO RIO AMAZONAS EM MANAUS, AM
imagem - Henrique de Borba
PARQUE JEFFERSON PEREZ EM MANAUS, AM
imagem - Roberta Soriano
LAGO NO PARQUE JEFFERSON PEREZ EM MANAUS, AM
imagem - Wikipédia
imagem - Roberta Soriano
MUSEU DO ÍNDIO EM MANAUS, AM
imagem - Roberta Soriano
ENGANA-SE QUEM IMAGINA MANAUS UMA CIDADE COMUM. LOCALIZADA NA REGIÃO NORTE DO BRASIL, À MARGEM ESQUERDA DO RIO NEGRO, MANAUS É O PORTÃO DE ENTRADA PARA A MAIOR FLORESTA TROPICAL DO PLANETA: A FLORESTA AMAZÔNICA. CONVIVE COM UM EXTRAORDINÁRIO ESTOQUE DE RECURSOS NATURAIS, REPRESENTADO POR 20% DA RESERVA DE ÁGUA DOCE DO MUNDO, UM BANCO GENÉTICO DE INESTIMÁVEL VALOR E GRANDES JAZIDAS DE MINÉRIOS, GÁS E PETRÓLEO
AQUI UM HOTEL DA CIDADE DE MANAUS, AM
imagem - Roberta Soriano
População estimada 2016 (1) - 2.094.391
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 11.401,092
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 158,06
Código do Município 1302603
Gentílico - manauara
ORIGEM DO NOME DA CIDADE DE MANAUS, AM
O TOPÔNIMO MANAUS ORIGINOU-SE DO NOME DE UMA TRIBO INDÍGENA QUE PRIMITIVAMENTE DOMINAVA O VALE DO RIO NEGRO, À QUAL PERTENCEU O LEGENDÁRIO GUERREIRO AJURICABA.
Gentílico: manauara
HISTÓRICO DO MUNICÍPIO DE MANAUS, AM
Manaus foi criada no século XVII para demonstrar a presença lusitana e fixar domínio português na região amazônica, que na época já era considerada posição estratégica em território brasileiro. O núcleo urbano, localizado à margem esquerda do Rio Negro, teve início com a construção do Forte da Barra de São José, idealizado pelo capitão de artilharia, Francisco da Mota Falcão, em 1669, data que foi convencionada a usar como o nascimento da cidade.
A Amazônia, de posse espanhola pelo Tratado de Tordesilhas, em 1494, manteve-se inexplorada até o século XVI, quando se tornou alvo de interesse de holandeses, franceses, ingleses, irlandeses e, principalmente, de portugueses, que saíram em 25 de dezembro de 1615 de São Luís do Maranhão e chegaram ao Pará, onde em 1616, instalaram na baía do Guajará o Forte do Presépio, nome que fazia referência ao dia da saída do Maranhão.
Desta forma, ocuparam a hoje cidade de Belém e a denominaram de Santa Maria de Belém, cuja função era controlar toda a região da bacia amazônica e ocupar as terras de propriedade espanhola. O Estado do Grão-Pará e Maranhão, criado em 31 de junho de 1751, pelo Marquês de Pombal, com sede em Belém, tinha o objetivo de demarcar as fronteiras portuguesas, efetivando o acordo feito com a coroa espanhola em 1750, o Tratado de Madri. Que diferentemente do Tratado de Tordesilhas, que dividia o hoje território brasileiro, fundamentava-se no princípio jurídico de uti possidetis, em que “cada parte há de ficar com o que atualmente possui”.
Ao redor do Forte de São José do Rio Negro se desenvolveu o povoado do Lugar da Barra, que por conta da sua posição geográfica passou a ser sede da Comarca do São José do Rio Negro. Em 1755, por meio de Carta régia, a antiga missão de Mariuá foi escolhida como capital, passando a se chamar vila de Barcelos, anos mais tarde a sede foi transferida para o Lugar da Barra, que em 1832 tornou-se Vila da Barra, e em 24 de outubro de 1848, a Cidade da Barra de São José do Rio Negro. No entanto, com a elevação da Comarca à categoria de Província, em 1850, a Cidade da Barra, passou a se chamar em 04 de setembro de 1856, Cidade de Manaus, tornando-se independente do Estado do Grão-Pará. O nome lembra a tribo indígena dos Manáos, que habitavam a região onde hoje é Manaus antes de serem extintos por conta da civilização portuguesa, e seu significado é “mãe dos deuses”.
A partir de 1870, Manaus viveu o surto da economia gomífera, encerrando-se em 1913, em virtude da perda do mercado mundial para a borracha asiática, fazendo com que a cidade retornasse a um novo período de isolamento até o advento da Zona Franca de Manaus, em 1970.
AQUI O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS (AM)
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE MANAUS, AMAZONAS

VALEU PELA VISITA. ATÉ A PRÓXIMA


fonte dos textos e fotos: Wikipédia / Thymonthy Becker / Portal do Governo Amazonense / IBGE / viajeaqui.abril.com.br / Divulgação / Prefeitura Municipal de manaus / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Baependi é um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade. Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares. A religiosidade ocupa lugar de destaque como um dos fatores que mais atraem os visitantes, uma vez que Baependi foi o lugar onde a serva de Deus, Nhá Chica, concedeu suas graças, hoje em dia inúmeras romarias de diversas partes do país têm como destino o Santuário de Nhá Chica, onde também se encontram seus restos mortais.

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Será que tem gremista em Colorado? Claro que tem. Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O município tem como base da economia a produção agrícola. Cenários de belezas, cores e aromas que seduzem os turistas. Cenários de belezas, cores e aromas que seduzem os turistas

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas. Destes, Capitólio se destaca por oferecer as melhores opções de serviços e infraestrutura turística. Os passeios náuticos, os esportes aquáticos, a pesca esportiva e a exuberância natural são pontos fortes da região, que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra, onde nasce o Rio São Francisco, o "Velho Chico". O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias. Desses, surgiram os “brasilienses”, o gentílico usado para quem nasceu aqui e adotado por quem veio de fora e assumiu a cidade como sua.

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras. De frente para a Baía da Guanabara, Niterói mostra que a vista para a cidade do Rio não é o único atrativo. Além de oferecer, na sua face voltada para o alto mar, trechos de areia ideais para quem quiser fugir do agito de Ipanema e Copacabana, o município começa a explorar o legado das construções assinadas por Oscar Niemeyer, entre elas o famoso Museu de Arte Contemporânea.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.