Pular para o conteúdo principal

EMBU DAS ARTES, SÃO PAULO - Marcada por intensa atividade cultural e artística, com uma rica e importante herança de seus antepassados. O apelido "das Artes", oficialmente incorporado ao nome da cidade em 2011, faz jus à sua principal atração: as peças de artesanato e antiguidades, vendidas nas lojinhas do Centro Histórico e na feira de domingo.




CONHEÇA A CIDADE DE "EMBU DAS ARTES", SÃO PAULO, BRASIL - DA JANELA DO TREM

Bar Buenos Aires, no centro histórico
O apelido "das Artes", oficialmente incorporado ao nome da cidade em 2011, faz jus à sua principal atração: as peças de artesanato e antiguidades, vendidas nas lojinhas do Centro Histórico e na feira de domingo.
Na loja Engenho Velho encontram-se esculturas do Divino Espírito Santo, quadro com flores de ferro e luminárias de vitral, importadas do Marrocos e da Índia

SEJA BEM VINDO A BELA CIDADE DE EMBU DAS ARTES. AQUI PODEMOS VER MESTRES EXPONDO SUAS ARTES NA PRAÇA
imagem - Wikipédia
Escultura feita com papel maché na Oficina da Cor

Prato do restaurante O Garimpo, em Embu das Artes
Loja Engenho Velho
Interior do antiquário no centro histórico
Prato do restaurante Empório São pedro
Objetos de decoração do antiquário O Casarão
Empanadas do bar Buenos Aires
Loja de Artesanato Oficina da Cor
Nos finais de semana, milhares de turistas vão para Embu das Artes atrás de objetos de decoração, artesanato, peças de antiguidade e móveis rústicos
MEMORIAL SAKAI
O MEMORIAL SAKAI DO EMBU, INAUGURADO EM 2003, TEM EM SEU ACERVO PEÇAS DO ARTISTA TADAKIYO SAKAI, UM DOS MAIORES TERRACOTISTAS DO PAÍS. O CONJUNTO ARQUITETÔNICO INCLUI A CAPELA DE SANTA CRUZ, INAUGURADA EM 2008, O CRUZEIRO DA PAZ E UM PÁTIO ONDE SÃO REALIZADOS EVENTOS. ALÉM DE UMA AMPLA GALERIA DE PEÇAS DE SAKAI E DE OUTROS ARTISTAS, O MUSEU CONTÉM ESCOLA DE TERRACOTA, COM CURSOS REGULARES E OFICINAS GRATUITOS.
imagem - PMEDA

imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
CAPELA DE SANTA CRUZ
INAUGURADA EM 2008 A CAPELA DE SANTA CRUZ TEM 50 M². POSSUI NO ALTAR UMA CRUZ DE MADEIRA LADEADA POR DOIS ANJOS DE TERRACOTA COM SUAS VIOLAS, DE AUTORIA DE HELAINE MALCA. A DECORAÇÃO DA CAPELA FOI FEITA PELO ARTISTA PLÁSTICO JOSÉ LUIZ ALEMÃN.
imagem - PMEDA
INTERIOR DA CAPELA DE SANTA CRUZ
imagem - PMEDA
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO
A igreja N. S. do Rosário (1690) abriga um dos melhores acervos de barroco paulista do estado. São imagens, altares e oratórios produzidos entre os séculos 17 e 19 por grandes artesãos. Entre os destaques da coleção estão um altar do século 17, folhado a ouro e com a imagem de N. S. do Rosário, e um órgão do século 18 feito por índios. Vale também ver a série de santos de roca - imagens talhadas apenas nas mãos, pés e cabeça (os troncos eram substituídos por tiras de madeira, para deixar os santos mais leves durante o transporte nas procissões).

CAPELA DE SÃO LÁZARO
CAPELA CONSTRUÍDA EM 1934 PELA COMUNIDADE EMBUENSE, ESTILIZADA EM 1969 PARA FICAR EM HARMONIA COM A ARQUITETURA COLONIAL DO CONJUNTO JESUÍTICO. O PRINCIPAL ATRATIVO É A IMAGEM DE SÃO LÁZARO, DE AUTORIA DO ARTISTA CÁSSIO M'BOY, E O SANTO CRISTO, ENTALHADO POR ZÉ SANTEIRO.
imagem - Enio Prado
INTERIOR DA CAPELA DE SÃO LÁZARO
imagem - PMEDA
ENTRADA DA CAPELA DE SÃO LÁZARO
imagem - PMEDA
CASA TÍPICA DA CIDADE
imagem - Wikipédia
CENTRO HISTÓRICO
A ARTE SEMPRE FEZ PARTE DA VIDA EM EMBU DAS ARTES. OS PADRES JESUÍTAS QUE COLONIZARAM A ANTIGA ALDEIA DE M'BOY JÁ SE EXPRESSAVAM PELA ARTE, NAS PINTURAS E ESCULTURAS QUE USAVAM PARA CATEQUIZAR OS ÍNDIOS. UMA MOSTRA DESSE LEGADO ESTÁ NO MUSEU JESUÍTA DE ARTE SACRA, CONSTRUÍDO ENTRE OS SÉCULOS 17 E 18.
CAMINHANDO PELAS RUAS DE PARALELEPÍPEDO É POSSÍVEL PERCEBER QUE ESSE CARÁTER HISTÓRICO, LEGITIMAMENTE BRASILEIRO, FOI SE CONSOLIDANDO COM O PASSAR DO TEMPO, ATÉ QUE AQUI SE INSTALOU O MOVIMENTO ARTÍSTICO, NO INÍCIO DA DÉCADA DE 1960.
A ESTÂNCIA TURÍSTICA DE EMBU REPRESENTA UM IMPORTANTE RECANTO DA REGIÃO DA GRANDE SÃO PAULO, DEDICADO À PRESERVAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS, POIS ABRIGA MANANCIAIS NA MAIOR PARTE DO TERRITÓRIO. QUEM VISITA A CIDADE TEM MUITO MAIS DO QUE UM LUGAR AGRADÁVEL PARA PASSEAR NO FIM DE SEMANA, COM BOM CLIMA E ATRATIVOS DA CULINÁRIA DE NORTE A SUL DO BRASIL.
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
GALERIAS DE ARTE
imagem - GRGM
imagem - GRGM
PARQUE DO LAGO FRANCISCO RIZZO
COM MAIS DE 217 MIL METROS QUADRADOS, A ANTIGA ÁREA DE EXTRAÇÃO DE AREIA DEU LUGAR A UM ESPAÇO VERDE E A UM GRANDE LAGO DE 56.000 M², POVOADO POR DEZENAS DE ESPÉCIES DE PEIXES. POSSUI PISTAS DE COOPER, BRINQUEDOTECA, BIBLIOTECA SOBRE MEIO AMBIENTE E VIVEIRO DE MUDAS, QUE OFERECE VARIEDADE DE PLANTAS E ÁRVORES, ALGUMAS NATIVAS DA REGIÃO, PARA RETIRADA E PLANTIO.
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
O TRADICIONAL CORETO DA PRAÇA
imagem - GRGM
FONTE DOS JESUÍTAS
LOCALIZADA NO CENTRO DE EMBU DAS ARTES, A FONTE DOS JESUÍTAS, DESCOBERTA EM 1944, É UMA DAS MAIS ANTIGAS DO BRASIL. É ABERTA AOS VISITANTES DE SEGUNDA A SÁBADO, DAS 8 ÀS 17H. A SOCIEDADE ECOLÓGICA AMIGOS DE EMBU COORDENA PASSEIOS DE DUAS HORAS E MEIA, DAS 8H30 ÀS 11H E DAS 13H30 ÀS 16H, PARA GRUPOS, COM PERCURSO POR TRILHA, INFORMAÇÕES SOBRE ECOLOGIA E OFICINA. A ENTRADA É GRATUITA PARA VISITAS DIÁRIAS E GRUPOS DE ESCOLAS PÚBLICAS.
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
ARTE NA PRAÇA
imagem - GRGM
CENTRO CULTURAL MESTRE ASSIS DE EMBU
OFERECE AO PÚBLICO, GRATUITAMENTE, ACESSO À ARTE, À CULTURA E AO CONHECIMENTO. HÁ TRÊS SALAS PARA EXPOSIÇÕES (JOSEFINA AZTECA, ANA MOYSÉS E JALDO JONES), E O AUDITÓRIO CÁSSIO M'BOY, COM CAPACIDADE PARA 150 PESSOAS, DESTINADO A PALESTRAS, RECITAIS, ESPETÁCULOS MUSICAIS E TEATRAIS.
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
TRILHA PARA A FONTE
imagem - PMEDA
FEIRA DE ARTESANATO
EM 1920, EMBU RECEBEU UM DE SEUS MAIORES EXPOENTES, O PINTOR CÁSSIO M´BOY. NOS ANOS SEGUINTES, MAIS ARTISTAS CHEGARAM À CIDADE: ASSIS DO EMBU, MESTRES SAKAI E GAMA, SOLANO TRINDADE E ANA MOYSÉS, ENTRE VÁRIOS OUTROS. ELES AJUDARAM A FUNDAR, EM 1969, A FEIRA DE EMBU DAS ARTES, CONHECIDA NACIONAL E INTERNACIONALMENTE.
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
MUSEU DO ÍNDIO
PLANEJADO PELO ARTISTA PLÁSTICO, PESQUISADOR DA CULTURA INDÍGENA E ESCRITOR, WALDE-MAR DE ANDRADE E SILVA. TRATA-SE DE UM ESPAÇO DE PESQUISA E DEBATE DE TEMAS RELACIONADOS ÀS QUESTÕES INDÍGENAS – GRUPOS ÉTNICOS, COSTUMES, HÁBITOS ALIMENTARES, ARTE (PLÁSTICA, MUSICAL, DANÇA, ORATÓRIA E ORNAMENTAL), IDIOMAS, CRENÇAS, RITUAIS, VIDA COMUNITÁRIA E RELAÇÃO COM A NATUREZA E MEIO AMBIENTE.
imagem - Enio Prado
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
CONJUNTO JESUÍTICO / MUSEU DE ARTE SACRA
O CONJUNTO JESUÍTICO NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO É FORMADO PELA IGREJA E PELA ANTIGA RESIDÊNCIA DOS PADRES, CONJUGADAS NUMA MESMA EDIFICAÇÃO. O DESENHO DAS PORTAS E JANELAS CRIA UMA DELICADA MOVIMENTAÇÃO DA FACHADA. TRATA-SE DE UM DOS MAIS IMPORTANTES E PRESERVADOS REMANESCENTES DAS CONSTRUÇÕES JESUÍTAS EM SÃO PAULO, CARACTERIZADAS PELA SIMPLICIDADE DAS LINHAS RETAS. A IGREJA COMEÇOU A SER CONSTRUÍDA POR VOLTA DE 1700 PELO PADRE BELCHIOR DE PONTES EM SUBSTITUIÇÃO À ANTIGA CAPELA DA FAZENDA DE CATARINA CAMACHO SITUADA NÃO MUITO LONGE DALI, TAMBÉM DEDICADA A NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO. A NOVA IGREJA TERIA SUFICIENTE CAPACIDADE PARA QUE OS ÍNDIOS E VIZINHOS PUDESSEM COMODAMENTE OBSERVAR OS PRECEITOS A QUE ESTÃO OBRIGADOS, COMO REGISTROU O PADRE MANUEL DA FONSECA NO LIVRO 'A VIDA DO VENERÁVEL PADRE BELCHIOR DE PONTES'.
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO
JÁ ESTÁ FUNCIONANDO A PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO EMBU DAS ARTES. INAUGURADA EM 24/9, ELA AMPLIA A INFRA-ESTRUTURA TURÍSTICA DA CIDADE, COM SERVIÇOS DE QUALIDADE, DENTRO DO PADRÃO EXIGIDO PARA A COMERCIALIZAÇÃO DE ALIMENTOS, AUMENTA A OFERTA DE TRABALHO E ABRE CAMINHO PARA Os EMPREENDEDORISMOS DE EXPOSITORES QUE SE TORNAM COMERCIANTES.
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
imagem - PMEDA
LADEIRA
imagem - ?
ARTES NO PASSEIO
imagem - Enio Prado
RUA
imagem - GRGM
QUADRO DE JOSEFINA AZTECA
imagem - PMEDA
PRAÇA
imagem - GRGM
População estimada 2016 (1) - 264.448
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 70,398
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 3.412,89
Código do Município 3515004
Gentílico - embuense
ORIGEM DO NOME
M'BOY QUE TUPI SIGNIFICA COBRA ORIGINOU A CORRUPTELA EMBU, ASSIM DENOMINADO A ALDEIA QUE, SEGUNDO VERSÃO POPULAR, SURGIU DEVIDO A QUANTIDADE DE COBRAS EXISTENTES.
Gentílico: embuense
HISTÓRICO
Situada em terras de uma fazenda que pertencera a Fernão Dias Paes Leme, o povoado inicial de Embu das Artes só começou a se desenvolver a partir do século XVII. 
Em 1624, Fernão Dias e sua mulher Catarina Camacho, grandes proprietários da região, doaram à igreja uma quadra de terras para construção da Capela de Nossa Senhora do Rosário, iniciada em 1628, pelo Padre Belchior de Pontes que transferiu para suas proximidades a aldeia de M'Boy.
Contou, nessa época com o importante impulso oferecido pelo cultivo do algodão em grande escala, cuja produção manufaturada costumava ser enviada para grandes centros como Rio de Janeiro e Bahia. No entanto, seu prestígio junto à corte portuguesa perdeu forças em meados do século XVIII, com a expulsão dos jesuítas.
Nesse período de declínio, a vida do lugarejo passou a girar em torno de uma pequena atividade agrícola e da exploração de lenha e de carvão. O início de seu desenvolvimento administrativo foi marcado pela criação da freguesia, em 19 de julho de 1869, pertencente ao município de São Paulo, quando possuía a denominação de Nossa Senhora do Rosário de M?Boi.
Suas terras, no entanto, eram impróprias para a cafeicultura, principal atividade econômica da época. Assim, Embu das Artes entrou noutro período de retração que durou até meados do século XX, quando a capela e convento foram tombados pelo estado que procedeu às devidas restaurações. À partir disso, a comunidade local, liderada por Annis Neme Bassith, começou a desenvolver as atividades artísticas, explorando o turismo como fonte de renda do município.
ESTA EH A ABANDEIRA DA CIDADE DE EMBU DAS ARTES, SP
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE EMBU DAS ARTES, SP


fonte / fotos - Wikipédia / viajeaqui.abril.com.br  / Thymonthy Becker / portal da Prefeitura / IBGE / 


fonte dos textos e fotos: Wikipédia / viajeaqui.abril.com.br  / Thymonthy Becker / portal da Prefeitura / IBGE / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem