Pular para o conteúdo principal

TEÓFILO OTONI, MINAS GERAIS - Imagine um lugar que recebe todo o brilho e a beleza que vem da terra… Bem vindo a Teófilo Otoni, “ A Capital Mundial das Pedras Preciosas”. Principal pólo do Nordeste de Minas Gerais e centro da maior província gemológica do mundo, este lugar de gente simpática e acolhedora consagra-se também como o destino das inúmeras gemas extraídas de uma imensa região do território nacional, tornado-se, assim, o mais importante local de lapidação e comercialização de pedras preciosas e semi-preciosas do Brasil. E como se não bastassem tantas peculiaridades, Teófilo Otoni também guarda riquezas históricas, culturais e naturais únicas, que encantam visitantes de todas as partes do planeta. O bicho-preguiça na praça, as montanhas, os rios e as cachoeiras da região, a gastronomia, o artesanato diferenciado, os eventos, além da própria história do município, são apenas algumas das preciosidades que fazem de Teófilo Otoni um lugar especial e imperdível de ser visitado




CONHEÇA A CIDADE DE "TEÓFILO OTONI", MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
Foto - Renato Freitas Martins
BEM VINDO A CIDADE DE TEÓFILO OTONI. A CIDADE DAS PEDRAS PRECIOSAS. A CIDADE COM PAISAGENS DE CINEMA.
imagem - ?
Imagine um lugar que recebe todo o brilho e a beleza que vem da terra… Bem vindo a Teófilo Otoni, “ A Capital Mundial das Pedras Preciosas” .
Principal pólo do Nordeste de Minas Gerais e centro da maior província gemológica do mundo, este lugar de gente simpática e acolhedora consagra-se também como o destino das inúmeras gemas extraídas de uma imensa região do território nacional, tornado-se, assim, o mais importante local de lapidação e comercialização de pedras preciosas e semi-preciosas do Brasil. E como se não bastassem tantas peculiaridades, Teófilo Otoni também guarda riquezas históricas, culturais e naturais únicas, que encantam visitantes de todas as partes do planeta.
O bicho-preguiça na praça, as montanhas, os rios e as cachoeiras da região, a gastronomia, o artesanato diferenciado, os eventos, além da própria história do município, são apenas algumas das preciosidades que fazem de Teófilo Otoni um lugar especial e imperdível de ser visitado!!! (Prefeitura Municipal)
imagem -Scarparo
CATEDRAL DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO
imagem - Vicente A. Queiroz 
No riquíssimo subsolo de Teófilo Otoni, formaram-se, há milhões de anos, águas marinhas, topázios, berilos, turmalinas, crisoberilo, alexandrita, ametistas, quartzo róseo, olho-de-gato e outras gemas. A razão para a diversidade e a riqueza é o município estar localizado na província pegmatítica Oriental do Brasil, uma das mais ricas áreas mundiais de produção de pedras preciosas. Além da exploração das gemas, a cidade é um importante centro de lapidação. São cerca de 250 pequenas empresas de lapidação e comercialização, 2.700 lapidações informais, 200 corretores autônomos e empresas de exportação. Anualmente, em julho, acontece a Feira Internacional de Pedras Preciosas (FIPP). Por tudo isso, Teófilo Otoni passou a ser conhecida como a "capital das pedras preciosas". (Descubra Minas)
CENTRO DA CIDADE
imagem - Jotalu
ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DO DISTRITO DE MANGALÔ - DA EXTINTA ESTRADA DE FERRO BAHIA-MINAS
imagem - Ganzilotomich
ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DO DISTRITO DE VALLÃO. DA EXTINTA EFBM
imagem - Montanha
AQUI A ESTAÇÃO RODOVIÁRIA
imagem - Luiz Augusto Barroso
MONUMENTO AO IMIGRANTE
imagem - JMF Carvalho
AQUI O MORRO KALADÃO
imagem - Baixaki
Uma pedra no caminho. Mas a estrada a contorna. Esta beleza rara fica no trecho entre a cidade de Teófilo Otoni e a cidade de Carlos Chagas
imagem - Thymonthy Becker / 2011
Esta pedra fica no trecho entre a cidade de Teófilo Otoni e a cidade de Pedra Azul
imagem - Thymonthy Becker / 2011
VISTA PARCIAL
imagem - JMF Carvalho
Em Teófilo Otoni, cidade das pedras semi-preciosas, você pode comprá-las em praça pública, como estas que você vê na imagem.
Compradores do mundo inteiro veem a Teófilo Otoni para adquiri-las.
imagem - Ganzilotomich
PRAÇA TIRADENTES
imagem - Ganzilotomich
RUA DA CATEDRAL
imagem - Montanha
SEDE DO SENAT
imagem - ?
TEÓFILO OTONI - FUNDADOR DA CIDADE
imagem - JMF Carvalho
RIO TODOS OS SANTOS
imagem - Sérgio Guimarães
SEDE DO PODER LEGISLATIVO - CÂMARA DE VEREADORES -
imagem - Sérgio Guimarães
CAMPOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL
imagem - Sérgio Guimarães
CENTRAL DE INTEGRAÇÃO
imagem - Sérgio Guimarães
PRIMEIRA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DA CIDADE
imagem - PMTO
A ESTAÇÃO EH DA EXTINTA ESTRADA DE FERRO BAHIA / MINAS
imagem - PMTO
FONTE LUMINOSA NA PRAÇA TIRADENTES
imagem - Sérgio Guimarães
IGREJA DO BOM JESUS
imagem - Sérgio Guimarães
AQUI A PAMPULHINHA
imagem - Douglas Fernandes
PRAÇA GERMÂNICA
imagem - Sérgio Guimarães
SEDE DO PODER EXECUTIVO - PREFEITURA -
imagem - Sérgio Guimarães
VISÃO GERAL
imagem - Sérgio Guimarães
VISTA PARCIAL 
imagem - Sérgio Guimarães
ZPEL
imagem - Sérgio Guimarães
População estimada 2016 (1) - 141.502
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.242,270
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 41,56
Código do Município 3168606
Gentílico - teófilo-otonense
Prefeito 2017 / DANIEL BATISTA SUCUPIRA
ORIGEM DO NOME
Uma homenagem ao seu fundador. O deputado “Theophilo Benedicto Ottoni”, que renunciou ao seu mandato para iniciar a colonização do vale do mucuri.

Gentílico: teófilo-otonense
HISTÓRICO
A região que compreende o território do município de Teófilo Otoni começou a despertar a atenção dos portugueses, logo após o descobrimento do Brasil por Pedro Álvares Cabral, em 1500.
A preocupação maior era constatarem a existência do ouro e do diamante na terra desconhecida. De indagação em indagação, vieram a ter notícias, por intermédio dos silvícolas, de uma “Serra das Esmeraldas”, situada no nordeste de Minas Gerais
D. João III, pensando nos milhões que poderia adquirir o seu reino se tal fato viesse a se confirmar, organizou expedições para visitarem essas terras. A primeira data de 1550, tendo sido chefiada por Martim Carvalho. Devido aos inúmeros obstáculos, essa expedição regressou, sem ter conseguido alcançar o seu objetivo, que era positivar a realidade da “Serra das Esmeraldas”.
Seguiram-se as de Sebastião Fernandes Tourinho, em 1573, e Antônio Dias Adorno, em 1580. Ambas limitaram-se ao conhecimento da região. Data de 1752 a fixação do ambiente mais antigo da região: Mestre de Campo João da Silva Guimarães. Em seguida, surge a Fazenda Mestre Campo, aberta pelo Sr. Antônio José Coelho. Hoje, essa fazenda é sede da Colônia Francisco Sá, que é habitada por colonos nacionais, alemães, austríacos e outros.
Em 1836, o engenheiro Victor Renault, em demorada excursão, percorreu os vales dos rios Todos os Santos e Mucuri e, tendo atingido a foz do último no Oceano, no Estado da Bahia, regressou. Felizmente, nascera na cidade do Serro, neste Estado, em 27 de novembro de 1807, Teófilo B. Otoni.
Desejando desbravar e colonizar a região do Mucuri, ele organizou, em 1847, a Companhia de Comércio e Navegação do Mucuri, que imediatamente entrou no plano das realizações. Entre as suas aspirações, incluía-se a fundação de uma cidade que se tornasse o centro propulsor e distribuidor do progresso no norte de Minas Gerais. No ano de 1847, Theophilo B. Ottoni projetou ligar o nordeste mineiro com o litoral de Brasil, através da densa floresta, dos chapados e serras que acompanham a costa brasileira de norte a sul. Para esse fim organizou duas grandes expedições. Uma delas partiria de Santa Cruz do Rio Preto e a outra avançaria Mucuri acima.
Em 1851, Theophilo B. Ottoni fundou no Rio de Janeiro a “Companhia Mucuri”, a qual haveria de organizar o transporte fluvial e terrestre, bem como explorar a região. Como em 1847, ele combina o encontro de duas expedições: uma saindo do Alto dos Bois, levando a incumbência de localizar o rio Todos os Santos - que tinha a fama de ser prodígio em ouro e diamantes - e segui-lo até sua desembocadura no Mucuri; e outra que, partindo de Santa Clara, se dirigia para o mesmo local. A primeira era chefiada por seu primo Dr. Manuel Esteves Ottoni. A segunda era dirigida por ele mesmo e por um cunhado, Joaquim José de Araújo Maia.
Um dia, num ponto a cerca de 200 km de distância de Santa Clara, avistaram uma planície com bom clima e terra fértil. Theophilo B. Ottoni diz: “Aqui farei a minha Filadélfia!” - nome que ocorreu a Theophilo B. Ottoni em virtude da grande e rápida prosperidade alcançada pela cidade norte-americana que leva ainda hoje o mesmo nome. No aniversário da Independência, no dia 7 de setembro de 1853, Theophilo B. Ottoni faz a inauguração de Filadélfia como centro das colônias do Mucuri. Ele escolhera a data de propósito, na intenção de brindar o grande dia com uma nova cidade. 
Na pequena capela, futura matriz, foi realizada a primeira missa em Filadélfia. As imagens sagradas são as do antigo oratório de Manuel Vieira Ottoni, o fundador de Vila do Príncipe. Os primeiros habitantes das terras de Teófilo Otoni foram indígenas descendentes dos Tapuias. Em 1922 havia ainda uma derradeira taba de índios Machacalis, localizada nas nascentes do ribeirão Imburanas, habitada por 15 a 18 famílias. A partir daí o estadista colonizador abraçou com entusiasmo a ideia de estabelecer núcleos coloniais, que seriam confiados a imigrantes europeus, particularmente germânicos.
Um dos passos decisivos nesse sentido foi o apoio que o Governo Imperial assegurou ao empreendimento. Já em 1854, erguiam-se grandes armazéns em Filadélfia e Santa Clara, e procedia-se à abertura da estrada, que quatro anos mais tarde acabaria de ligar esses dois povoados.
Em 1856, chegavam os primeiros colonos suíços e alemães como conseqüência de anúncio que Theophilo B. Ottoni mandou publicar em jornais da Alemanha, pela firma Scholobach e Morgenster, convidando colonizadores, que teriam aqui amparo em todos os sentidos por parte da “Companhia Mucuri”. 
Mal chegados os primeiros imigrantes, a companhia lhes confiou empreendimento comum: trabalhar na estrada que ligaria Filadélfia à Santa Clara. Só depois de acabada esta obra, em 1858, cada qual poderia tomar posse de sua cota de terras. A estrada de Santa Clara - Filadélfia, primeira rodovia do interior do Brasil, foi inaugurada em agosto de 1857 e era a via ápia do Mucuri. Por ela trafegava, em 1859, mais de 40 carros particulares puxados por bestas, 200 carros de boi e 400 lotes de burros.
A estrada tinha uma extensão de cerca de 170km. Naquela época, 1858, Filadélfia já acusava uma população de 600 habitantes, 129 casas residenciais e 12 estabelecimentos comerciais. Naquele tempo, a florescente Filadélfia sofria rude golpe com o êxodo de grande parte de seus primitivos habitantes, assustados com as epidemias tropicais e desiludidos com os poucos resultados de seu labor. Consta que aproximadamente a metade de todos os moradores abandonou a região. 
Em 1857, Filadélfia fora elevada a distrito e freguesia da comarca de Minas Novas. Em 1876, a freguesia foi elevada à categoria de cidade, com o nome de Teófilo Otoni, em homenagem a seu fundador, vindo a ser instalada oficialmente em 1881.
AQUI A BANDEIRA DA CIDADE DE TEÓFILO OTONI, MINAS GERAIS 
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE TEÓFILO OTONI, MINAS GERAIS 


Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Portal do Governo de Teófilo Otoni / Wikipédia / descubraminas.com.br / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem