sábado, 14 de janeiro de 2017

VATICANO, ROMA - De monumentos históricos a obras-primas da Renascença talhados por mestres como Michelangelo, Rafael e Bernini, de joias arquitetônicas à chance de ser recebido pelo Papa em pessoa




CONHEÇA A "CIDADE DO VATICANO", ROMA, ITÁLIA
Vaticano ou Cidade do Vaticano, oficialmente Estado da Cidade do Vaticano (em italiano: Stato della Città del Vaticano é a sede da Igreja Católica e uma cidade-Estado soberana sem costa marítima cujo território consiste de um enclave murado dentro da cidade de Roma, capital da Itália. Com aproximadamente 44 hectares (0,44 km²) e com uma população de pouco mais de 800 habitantes, é a menor entidade territorial do mundo administrada por um Estado. 
A Cidade do Vaticano é uma cidade-Estado que existe desde 1929. É distinta da Santa Sé, que remonta ao cristianismo primitivo sendo a principal sé episcopal de 1,490 bilhão de católicos romanos (latinos e orientais) de todo o mundo. Ordenanças da Cidade do Vaticano são publicadas em italiano; documentos oficiais da Santa Sé são emitidos principalmente em latim. As duas entidades ainda têm passaportes distintos: a Santa Sé, como não é um país, apenas trata de questões de passaportes diplomáticos e de serviço; o estado da Cidade do Vaticano cuida dos passaportes comuns. Em ambos os casos, os passaportes emitidos são muito poucos. 
Palácio do Governo do vaticano
A cidade é servida por um sistema de telefone moderno e independente, pela Farmácia do Vaticano e correios. O sistema postal foi fundado em 11 de fevereiro de 1929, e dois dias mais tarde tornou-se operacional. Em 1 de agosto, o estado começou a liberar seus próprios selos postais, sob a autoridade do Gabinete Filatélico e Numismático da Cidade do Vaticano. O serviço postal da cidade é, por vezes, reconhecido como "o melhor do mundo", e as cartas chegam ao seu destino antes do serviço postal de Roma. O Vaticano também controla seu próprio domínio de Internet, que está registrado como (.va). O serviço de banda larga é amplamente fornecido na Cidade do Vaticano. À Cidade do Vaticano foi também atribuído um prefixo de rádio, HV, e às vezes é usada por operadores de rádio amador. 
Soldados da Guarda Suíça 
A Rádio Vaticano, que foi organizada por Guglielmo Marconi, faz transmissões em frequências de ondas curtas, ondas médias e FM e na Internet. Suas principais antenas de transmissão estão localizados em território italiano. Serviços de televisão são fornecidos através de uma outra entidade, o Centro Televisivo do Vaticano. 
Máquina de selos do serviço postal do Vaticano
L'Osservatore Romano é o jornal oficial semi-multilingue da Santa Sé. É publicado por uma empresa privada, sob a direção de leigos católicos, mas como relatórios sobre as informações oficiais. No entanto, os textos oficiais de documentos estão na Acta Apostolicae Sedis, o jornal oficial da Santa Sé, que tem um apêndice para documentos da Cidade do Vaticano. 
O obelisco do Vaticano foi originalmente trazido do Egito por Calígula.
Rádio Vaticano, o Centro Televisivo Vaticano, L'Osservatore Romano não são órgãos de Estado do Vaticano, mas da Santa Sé, e estão listadas como tal no Anuário Pontifício, que coloca-os na seção "Instituições ligadas com a Santa Sé.", à frente das secções de serviço diplomático da Santa Sé no estrangeiro e ao Corpo Diplomático acreditado junto à Santa Sé, após o que é colocado na seção sobre o Estado da Cidade do Vaticano. 
Estação ferroviária do Vaticano
A Biblioteca Apostólica Vaticana e as coleções dos Museus Vaticanos são da mais alta importância histórica, científica e cultural. Em 1984, o Vaticano foi adicionado pela UNESCO para a lista do Patrimônios Mundiais; é o único que consiste em um Estado inteiro. [Além disso, é o único local registrado na UNESCO como um centro monumental no "Registo Internacional dos Bens Culturais sob Proteção Especial" de acordo com a Convenção para a Proteção dos Bens Culturais em Caso de Conflito Armado de Haia, assinada em 1954.] 
No território do Vaticano existem vários edifícios de origem muito antiga. Contudo, existem propriedades que não estão na Cidade do Vaticano, mas que, em virtude do Tratado de Latrão assinado entre a Santa Sé e a Itália, estão sujeitas à extraterritorialidade com isenção de impostos e expropriação.
AS ATRAÇÕES IMPERDÍVEIS DO VATICANO 
Obras de arte atemporais, monumentos arquitetônicos, ficar cara a cara com o papa 
Conheça os passeios e atrações obrigatórios no Vaticano, em Roma. De monumentos históricos a obras-primas da Renascença talhados por mestres como Michelangelo, Rafael e Bernini, de joias arquitetônicas à chance de ser recebido pelo papa em pessoa, a Viagem e Turismo fez uma seleção com alguns dos principais destaques do menor estado do mundo.
VER O PAPA
Não é nada difícil ir a Roma e ver o Santo Padre. As celebrações litúrgicas, na Basílica de São Pedro, necessitam de convites e acontecem de duas a quatro vezes ao mês, em intervalos irregulares. Já o Angelus, aberto ao público, é promovido todos os domingos e em algumas ocasiões especiais, na Praça de São Pedro. Mais detalhes no verbete Audiência Papal. (Franco Origlia/Stringer)
PIETÀ, DE MICHELANGELO
A maioria dos visitantes que vai à Basílica de São Pedro segue direto em busca da Pietà. A comovente estátua de Maria com o Cristo morto é de poderosa plasticidade. Obra de um jovem Michelangelo, após um atentado a estátua passou a ser protegida por uma parede de vidro. Fica logo à direita da entrada. (Averain Creative Commons)
GUARDA SUÍÇA, VATICANO
BIBLIOTECA DO VATICANO
Com mais de 150 mil volumes, a Biblioteca Apostólica guarda alguns dos mais preciosos livros, documentos, cartas e registros escritos do Ocidente. Após uma extensa reforma para modernização, melhoria das condições de conservação e segurança e recuperação dos afrescos da Sala Sistina (foto; não confundir com a Capela Sistina, ambas construídas sob ordens do papa Sisto IV), ela está novamente aberta ao público. Ao menos, em termos. A rigorosa permissão de acesso à biblioteca de Nicolau V, inaugurada no século 15, só é dada, na maioria das vezes, a acadêmicos e pesquisadores. (Gazza H Creative Commons)
TETO DA CAPELA SISTINA
Simplesmente arrebatador. O Adão letárgico, com seu dedo frouxo, é puro contraste quando comparado ao Deus enérgico e impetuoso. Entre eles, o mais belo intervalo da história da arte, o quase-tocar que separa o humano do divino. Mesmo cercado de afrescos de Ghirlandaio, Botticelli e Perugino, que seriam o destaque em qualquer igreja do mundo, todos os turistas aqui têm suas atenções voltados ao teto. Dá um torcicolo danado, mas compensa pela poderosa beleza, as cores originais ressurgidas e a atmosfera litúrgica (tente esquecer a multidão). É sob este teto que acontece o conclave, a eleição dos papas.
GALERIA DE MAPAS
Ao adentrar o segundo andar dos Museus do Vaticano, um dos primeiros salões a serem visitados é um grande corredor, com tetos e paredes tomados por afrescos de mapas e momentos históricos da Igreja. Por suas janelas é possível espiar parte dos jardins. (J-Fish Creative Commons)
BALDAQUINO DE BERNINI
No encontro da nave com o transepto da Basílica de São Pedro, exatamente sob a massiva cúpula de Michelangelo, um elegante dossel de bronze cobre o altar papal. Ainda mais importante, ele marca o túmulo onde está sepultado Pedro, o pescador da Galileia que tornou-se o primeiro papa. Projetado por Bernini sob encomenda de Urbano VIII, ele utilizou bronze vindo das portas do Panteão em sua fundição. Não deixe de ver os belos efeitos de luz que atravessam as colunas salomônicas. (james_gordon_losangeles Creative Commons)
CÚPULA DE MICHELANGELO
O magistral domo que cobre o Baldaquino é obra de Michelangelo, seguindo técnicas utilizadas no Panteão de Roma e na Catedral de Florença, de Brunelleschi. A lanterna superior é de inigualável leveza, enquanto sua escala é simplesmente monumental. Note os mosaicos que representam os evangelistas, sobre as gigantescas colunas: somente a pena na mão de São Lucas tem cerca de 1,5 metro. O domo é iluminado por 16 janelas e uma lanterna central sobre o óculo. (james_gordon_losangeles Creative Commons)
ESCOLA DE ATENAS, NAS SALAS DE RAFAEL
Sem querer, muita gente deixou de ver esta obra-prima. Tal é a profusão de afrescos, quadros, esculturas e objetos históricos nos Museus do Vaticano que a Escola de Atenas, de Rafael, pode passar despercebida. Ela está na Stanza della Segnatura, um dos quatro cômodos encomendados pelo papa Júlio II com pinturas do mestre renascentista, originalmente utilizada como sua biblioteca. A pintura retrata alguns personagens-chave da filosofia e pensamento clássico gregos: Platão, Sócrates, Pitágoras, Diógenes e Aristóteles, entre outros. O próprio Rafael se incluiu na obra. Na mesma sala também está outra obra marcante, A Discussão do Santíssimo Sacramento, produzida entre 1508 e 1511. (jaybergesen/Creative Commons)
COLUNATA DE BERNINI, PRAÇA DE SÃO PEDRO
Abraçando a Praça de São Pedro, onde um obelisco egípcio pousa em seu centro, há duas séries semicirculares de imensas colunas dóricas. São 284 no total, acompanhadas por 140 estátuas instaladas no topo dos longos corredores. Além da monumentalidade do conjunto, o mais interessante por aqui é observar o vai e vem de pessoas. Sacerdotes e noviços apressados, turistas embasbacados, todos se apequenam na grande praça. (MrHistory Creative Commons)
ESCADARIAS DE GIUSEPPE MORMO
Muito antes de Frank Lloyd Wright conceber sua galeria em rampa no icônico museu Solomon R. Guggenheim de Nova York, Giuseppe Mormo desenhou esta escadaria estupenda em espiral, nos Museus do Vaticano. Na realidade, são duas escadas: uma que sobe e outra que desce, feito uma molécula de DNA. A forma orgânica e funcional é uma das últimas adições ao Vaticano, levantada na década de 1930. (Sebastian Bergman CC)
JUÍZO FINAL, DE MICHELANGELO
O afresco que cobre a grande parede ao fundo da Capela Sistina é singular. Aqui está um Jesus musculoso, poderoso, sem a barba. Uma imagem iconoclasta que Michelangelo produziu em sua maturidade, vinte anos após o teto da Capela Sistina. Ela reflete muito da atmosfera de incerteza de seu tempo, após o saque de Roma de 1527. Apocalíptico, severo, um tanto sombrio. (Zach Hale Creative Commons)
Por Eduardo Jun Marubayashi
ESTA EH A BANDEIRA DO ESTADO DO VATICANO, ROMA
ESTE EH O BRASÃO DO ESTADO DO VATICANO, ROMA

VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE


Fonte / Fotos = viagemeturismo.abril.com.br / Wikipédia / Thymonthy Becker / Divulgação /


Gostou das dicas? Se quiser mais sugestões na Cidade Eterna, confira em viagemeturismo.abril.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os lugares por onde o Trem mais passou esta semana