Pular para o conteúdo principal

BANANAL, SÃO PAULO - Uma das cidades mais ricas do Ciclo do Café, é hoje uma das bases para conhecer a bela região da Serra da Bocaina. A estrada que leva à Serra tem trechos asfaltados e, dependendo da época, pode ser percorrida por carros de passeio. As condições da via são informadas pela associação de turismo local, a Abatur, que tem sede no sobrado Aguiar Valim, no Centro Histórico. Do rico período impulsionado pela economia do café sobraram poucos edifícios preservados na cidade. O passeio a pé pode começar na Praça da Matriz, que reúne a Igreja do Senhor Bom Jesus do Livramento, do início do século 19, um charmoso coreto e um chafariz europeu de ferro, instalado em 1880




CONHEÇA A CIDADE DE "BANANAL", SÃO PAULO, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
Uma das cidades mais ricas do Ciclo do Café, é hoje uma das bases para conhecer a bela região da Serra da Bocaina. A estrada que leva à Serra tem trechos asfaltados e, dependendo da época, pode ser percorrida por carros de passeio. As condições da via são informadas pela associação de turismo local, a Abatur, que tem sede no sobrado Aguiar Valim, no Centro Histórico.
Do rico período impulsionado pela economia do café sobraram poucos edifícios preservados na cidade. O passeio a pé pode começar na Praça da Matriz, que reúne a Igreja do Senhor Bom Jesus do Livramento, do início do século 19, um charmoso coreto e um chafariz europeu de ferro, instalado em 1880. Na mesma praça estão o Solar da Matriz, de 1811 (apenas visita externa), e o sobrado Aguiar Vallim, de 1860 - no térreo fica a Casa do Artesão, com produtos como o típico crochê de barbante. A poucas quadras, a antiga estação ferroviária é de 1889, com bela estrutura metálica importada da Bélgica.
A Casa do Artesão funciona de segunda-feira a quinta-feira e aos domingo, das 9h às 17h; sexta-feira e sábado, das 9h às 19h. Telefone: (21) 3116-1602.
SEJA VINDO A HISTÓRICA E TURÍSTICA CIDADE DE BANANAL
foto - João BC Reis
AQUI O TRADICIONAL CORETO DA PRAÇA
foto - J. Augusto
MATRIZ DO SENHOR BOM JESUS DO LIVRAMENTO
Erguida em 1785 por João Barbosa de Camargo sua esposa, como forma de pagamento de uma promessa, a capela foi o marco inicial da cidade de Bananal. Para o melhor acesso dos fieis foi doada o terreno para a construção da nova igreja da matriz.
A nova igreja da Matriz foi construída em 1811, em estilo colonial. Em 1834 a igreja encontrava-se em péssimo estado, uma reforma foi iniciada sem o auxilio da iniciativa pública. Em 1836, a Lei Provincial nº. 9 aprovou a provisão de recursos para o arremate das terras do patrimônio da Matriz e a aplicação do dinheiro na reforma.
foto - Vicente A. Queiroz
foto - ?
IGREJA DE NOSSA SENHORA DA GLÓRIA
foto - Altemiro Olinto Cristo
IGREJA DO ROSÁRIO
foto - Altemiro Olinto Cristo
CHAFARIZ
A inauguração do Chafariz é datada em 1º de janeiro de 1880, graças à iniciativa de Alfredo Campos da Paz. Seus encanamentos e reservatórios ficaram conhecidos como “Água do Marcos”.
O Chafariz é de ferro, fornecido pela Fundição Central de Alegria & Cia., seu formato é de coluna e com adornos barrocos. Como na época Bananal não tinha água encanada, o Chafariz servia para abastecer a população da cidade.
foto - MS Romelo
ESTAÇÃO FERROVIÁRIA
Toda a estrutura da estação foi criada na Bélgica e trazida para o Brasil em parte para serem montadas na cidade. Tem cerca de 400m², é toda feita de metal, placas de aço pré-fabricadas, almofadadas, duplas, parafusadas, com dois andares, assoalho de pinho de Riga, sala de visitas e outras dependências.
A via férrea de bitola estreita foi concluída apenas no ultimo quartel do século XIX, pelos fazendeiros preocupados em ligar Bananal a Barra Mansa e Rio de Janeiro. Através da Estrada de Ferro Pedro II, eles promoveram os escoamento rápido do café de suas fazendas até o porto carioca.
Tanto a fabricação como o transporte foi financiado pelos Barões do café, vendo a necessidade de maior agilidade para o envio da produção de suas fazendas para os portos do Rio.
Eis como a estrutura foi descrita na época: “A estação a ser montada é elegantíssima e já se acha na estação do Rialto. Na verdade, e seja dito de passagem, não temos conhecimento de edifício no gênero. É ela totalmente metálica, inclusive o telhado, de chapas almofadadas duplas com acabamento delicado, e seus assoalhos são de autênticos Pinho de Riga”.
foto - Kazoberto
foto - Jorge A. Ferreira Jr
foto - ?
SEDE DO PODER LEGISLATIVO - CÂMARA DE VEREADORES -
foto - Kazoberto
SEDE DO PODER JUDICIÁRIO - FÓRUM DE JUSTIÇA -
foto - ?
CASARÕES DE FAZENDAS
foto - ?
FAZENDA RESGATE
A Fazenda Resgate foi adquirida inicialmente pelo brigadeiro Gabriel Monteiro de Barros, filho do visconde de Congonhas do Campo.casado com a bananalense Alda Romana de Oliveira Arruda. No Inicio do século XIX foi vendida para José de Aguiar Toledo e herdada por Manoel de Aguiar Valim.
Com o passar dos tempos a fazenda foi crescendo a partir do momento em que Aguiar Valim comprava outras terras ao redor. Manoel trouxe para refinar os ambientes artesãos europeus, tornando-se uma das fazendas mais suntuosas da região.
A data de construção da casa da fazenda eh desconhecida, estima-se que foi construída em 1818 e seu nome é uma referência ao resgate dos negros escravizados na guerra. Conforme informação de descendentes de Avalim, a construção ou reforma teria sido obra do arquiteto Mr. Bruce de nacionalidade inglesa.
foto - ?
FAZENDA BOA VISTA
Uma linda fazenda datada de 1840, que foi sede de um grande fazendeiro do ciclo cafeeiro e que teve o maior número de escravos da região, um casarão estilo neoclássico em forma de U, e que também é muito assediada por novelas globais assim como: Sinhá Moça, Um Só Coração, Cabocla entre outras. Vale á pena conhecer essa fazenda. Custo de visitação de R$ 6,00 por pessoa, mas almoçando ou tomando o café da manhã na fazenda não tem custo de visitação.
foto - ?
foto - Gerson Brasil
SOLAR
foto - Luciano Jose de Almeida
foto - Luciano José de Almeida
foto - Sandra Cheminand
FAZENDA
foto - ?
HOTEL
foto - Sandra Cheminand
foto - RTO
CASARÃO E SEU INTERIOR
foto - Jorge A. Ferreira Jr
foto - ?
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA BONITA E HISTÓRICA CIDADE DE BANANAL
foto - Gerson Brazil
foto - ?
foto - Sandra Cheminand
foto - Edson Walter cavalari
foto - Kazoberto
foto - Edson Walter cavalari
foto - ?
foto - Kazoberto
foto - ?
foto - Jorge A. Ferreira Jr
foto - Edson Walter Cavalari
foto - Jorge A. Ferreira Jr
foto - ?
UMA DAS MUITAS CACHOEIRAS DE REGIÃO
foto - IC Motta
REPRESA
foto - Fernando e Sabino
foto - Sandra Cheminand
foto - Edu Campos
SERRA BOCAINA
Bananal fica localizado na Serra da Bocaina, no meio do caminho do Rio - São Paulo. Essa parte da serra é formada por paisagens deslumbrantes, composta de muitos rios, montanhas, cachoeiras, tanques de criações de truta e mirantes onde pode ser visto tanto a cidade de Bananal como Angra dos Reis.
Na Serra da Bocaina você encontra a Estação Ecológica de Bananal localizada a 25 km do centro da cidade na Rodovia SP – 247, com entrada no km 15. A estação é integrada à Unidade de Conservação através do Instituto Florestal, que é administrada pela Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo.
A Serra da Bocaina abriga parte da Mata Atlântica com uma vegetação diversificada que já cobriu todo o litoral brasileiro e hoje é Patrimônio da Humanidade declarada pela UNESCO.
Na Serra você encontra temperaturas entre 20°C e 30°C podendo chegar no inverno a 0°C e uma alta pluviosidade. Com essas características climáticas, você pode encontrar espécie de plantas como por exemplos bromélias e raros animais como o sagüi-da-serra-escuro, o bugio, a onça-parda e o cachorro-do-mato, entre outros.
foto - Sandra Cheminand
foto - Moacir Nunes de Castro

foto - Edu Campos
foto - Sandra Cheminand
foto - Sandra Cheminand
População estimada 2016 (1) - 10.821
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 616,426
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 16,58
Código do Município 3504909
Gentílico - bananalense
ORIGEM DO NOME
Bananal eh de origem indígena que vem de Banani e significa "rio sinuoso".
Gentílico: bananalense
Histórico
BANANAL SÃO PAULO 
HISTÓRICO 
Em meados do século XVII, a região era ocupada por remanescentes de tribos indígenas, semi­civilizadas, que atrairam povoadores diversos, aos quais foram concedidas sesmarias. Numa destas, seu donatário, João Barbosa de Camargo, construiu, em 1783, a primeira capela dedicada ao Senhor Bom Jesus do Livramento, doando-lhe um terreno de meia légua em quadra. 
Entre os primeiros residentes da localidade, destacou-se o Comendador Antônio Barbosa da Silva que promoveu o desenvolvimento de Bananal, cujo nome de origem indígena vem de Banani e significa "rio sinuoso". 
Alguns anos depois, a cafeicultura fortaleceu a economia da região, fazendo surgir grandes fazendas e melhoramentos públicos no núcleo urbano, tais como a implantação de um ramal e estação da Estrada de Ferro Central do Brasil. O prestígio da Câmara Municipal chegou a endossar um empréstimo do Governo Imperial junto aos banqueiros londrinos, por exigência destes. 
Com a queda do café, as lavouras foram substituídas por algodão e principalmente, a criação de gado leiteiro, principais fontes de renda atualmente.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE BANANAL, SÃO PAULO
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE BANANAL, SÃO PAULO

VALEU PELA VISITA

fonte dos textos e fotos: Wikipédia / viajeaqui.abril.com.br / Thymonthy Becker / Portal da Prefeitura de bananal / IBGE / 


Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem