Pular para o conteúdo principal

PEQUI, MINAS GERAIS - Em Pequi você desce de tobogã em cachoeira numa belíssima vista da cidade e cidades vizinhas, como Onça do Pitangui, Pará de Minas e Acensão. Com existência de grutas, grotas e rica vegetação natural no topo da Serra do Rio do Peixe.




CONHEÇA A CIDADE DE "PEQUI", MINAS GERAIS, BRASIL - DA JANELA DO TREM
foto (acima) Thymonthy Becker
BEM VINDO A CIDADE DE PEQUI. AOS PÉS DA SERRA DO RIO DO PEIXE.
Pórtico da estrada da cidade de Pequi, Minas Gerais
foto - Thymonthy Becker
Rodovia de acesso à cidade de Pequi, Minas gerais, depois que se passa pelo Pórtico de entrada
foto - Thymonthy Becker
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO / TURISMO RELIGIOSO
Em estilo barroco, tombada pelo Patrimônio Histórico, motivo de orgulho dos pequienses e a “Cruz do Monte”, também tombada pelo Patrimônio Histórico, que constitui num cruzeiro situado num monte na entrada da cidade, construída a anos atrás por escravos trabalhadores de fazendas próximas do local.
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
ESTA EH A MATRIZ DE SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA
foto - Thymonthy Becker
UM BELO CASARÃO NO CENTRO DA CIDADE
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
SALÃO DO REINO DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ.
foto - Thymonthy Becker
HOTEL
foto - Thymonthy Becker
CONHEÇA UM POUCO MAIS DE PEQUI. UM PONTO CHIC
foto - Thymonthy Becker
A principal avenida da cidade eh bem arborizada, em Pequi, Minas gerais
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
A praça da Igreja Matriz eh ampla e bem arborizada em Pequi, Minas Gerais
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
O comércio da cidade fica em sua maioria na Praça da Igreja Matriz ou próximo a esta, em Pequi, Minas Gerais
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
O CARRO DO BATENTE. ENGEQUISA SEMPRE PRESENTE.
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
NA CASA DE DONA ROMA, TIA DO BASÍLIO
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
ECOTURISMO / CACHOEIRA DO MATO CAMPING CLUBE
Cachoeira de água sobre pedras, localizada a 6 km aproximadamente da cidade, no local denominado Cachoeira do Mato. É formada pelas águas do Rio Vermelho que passam por cima de uma pedra, formando um Tobogã e uma piscina natural no final da queda. O turismo no local é explorado pela família proprietária do terreno com a denominação de "Cachoeira do Mato Camping Clube".
foto - Câmara Municipal
foto - Câmara Municipal
foto - Câmara Municipal
ECOTURISMO / PONTO CHIC
Ponto Chic, localizado no topo da Serra do Rio do Peixe, que divisa os municípios de Pequi e Onça do Pitangui, possui uma belíssima vista de toda a cidade e das cidades vizinhas como Onça do Pitangui, Pará de Minas e Acensão. Com existência de grutas, grotas, e ainda, rica em vegetação natural.
foto - PMP
 foto - PMP
foto - Thymonthy Becker
População estimada 2016 (1) - 4.369
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 203,991
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 19,98
Código do Município 3149606
Gentílico - pequiense
ORIGEM DO NOME
O termo significa, em tupi, "coxa áspera", e origina-se de um velho e frondoso pequizeiro, que existiu em frente a uma venda no largo da igreja, cuja sombra abrigava a população que ali se reunia
Gentílico: pequiense
Histórico
Pequi 
Minas Gerais - MG
HISTÓRICO
A fixação da povoação do atual município deve-se, principalmente, aos solos férteis e ao grande número de córregos e riachos que cortam a região. Pequi foi criada em 1841, quando o distrito de Santo Antônio de São Joanico, no município de Pitangui, foi dividido em dois: Pequi e Maravilha. 
O distrito foi elevado a freguesia, já no município de Pará de Minas, em 1882, com o nome de Santo Antônio do Pequi. Em 1911, o nome foi reduzido para Pequi.
ÁRVORE DO PEQUI
Árvore com geralmente 10 metros de altura, tronco de casca áspera e rugosa. Folhas pilosas, compostas, formadas por três folíolos com as bordas recortadas. Grandes flores amarelas, vistosas. Madeira de ótima qualidade, por isso é tão importante a preservação desta árvore símbolo do cerrado.
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE PEQUI, MINAS GERAIS
A árvore de Pequi, que deu nome à cidade de Pequi, eh o símbolo Municipal e de preservação nacional, em Pequi, Minas gerais
foto - Câmara Municipal
A FLOR DE PEQUI
O pequizeiro é arvore protegida por lei (Portaria no. 54 de 03.03.87 - IBDF) que impede seu corte e comercialização em todo o Território Nacional. Visando a sua preservação, o Governo de Minas Gerais criou a Lei 13.965,que instituiu o Programa Mineiro de Incentivo ao Cultivo, ao Consumo, à Comercialização e à Transformação do Pequi e Demais Frutos de Produtos
foto - Câmara Municipal
O FRUTO "Pequi" COM A CASCA
foto - Câmara Municipal
O FRUTO "pequi" SEM A CASCA
Esta eh a parte do fruto de Pequi que eh usada na culinária mineira. Dentro deste miolo do fruto de Pequi tem muitos espinhos, a parte consumida eh só a que envolve o miolo. Não se pode morder neste fruto, pois sua linguá ficará cheia de espinhos, bem como toda a boca.
Uma receita muito comum em Minas Gerais consiste em cozinhar o Pequi sem a casca, como este da foto, juntamente com o arroz. O arroz irá adquirir uma cor amarelada, mas ficará mais saboroso, segundo a gastronomia mineira.
foto - Câmara Municipal



VALEU PELA VISITA. ESPERO QUE SEMPRE VOLTE.

fonte dos textos e fotos: Thymonthy Becker / Wikipédia / Governo de Pequi, MG / Divulgação / IBGE / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem