Pular para o conteúdo principal

RIBEIRÃO DAS NEVES, MINAS GERAIS - A maior Heterogeneidade Religiosa do Brasil. Edificada num panorama de simples atrativos arquitetônicos a cidade conserva uma heterogeneidade religiosa, abrigando igrejas de distintas denominações religiosas, que ao longo de sua história vem constituindo um panorâmico patrimônio histórico e cultural. Os principais pontos turísticos são: Praça das Neves, avenida dos Nogueiras, 7 Centro, Praça da Matriz, rua Denise Cristina da Rocha, Centro Comercial do Distrito de Justinópolis, Casa de Cabeça Para Baixo, rua Cardeal Arcoverde, Bairro Fortaleza, Cidade dos Meninos de São Vicente de Paulo, A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário de Justinópolis, reúne há mais de cem anos as tradições do Candombe, Congo, Moçambique, Folia de Reis, entre outras




CONHEÇA A CIDADE DE "RIBEIRÃO DAS NEVES", MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
BEM VINDO A CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG. A MAIOR HETEROGENEIDADE RELIGIOSA DO BRASIL
imagem  - Reo 06
A maior Heterogeneidade Religiosa do Brasil. Edificada num panorama de simples atrativos arquitetônicos a cidade conserva uma heterogeneidade religiosa, abrigando igrejas de distintas denominações religiosas, que ao longo de sua história vem constituindo um panorâmico patrimônio histórico e cultural. Os principais pontos turísticos são: Praça das Neves, avenida dos Nogueiras, 7 Centro, Praça da Matriz, rua Denise Cristina da Rocha, Centro Comercial do Distrito de Justinópolis, Casa de Cabeça Para Baixo, rua Cardeal Arcoverde, Bairro Fortaleza, Cidade dos Meninos de São Vicente de Paulo, A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário de Justinópolis, reúne há mais de cem anos as tradições do Candombe, Congo, Moçambique, Folia de Reis, entre outras
VISTA PARCIAL DA CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
imagem - Wikipédia
Edificada num panorama de simples atrativos arquitetônicos a cidade conserva uma heterogeneidade religiosa, abrigando igrejas de distintas denominações religiosas, que ao longo de sua história vem constituindo um panorâmico patrimônio histórico e cultural.
CONHEÇA UM POUCO DA CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
imagem - Jairo Nunes
imagem - Jairo Nunes
imagem - Jairo Nunes
imagem - Jairo Nunes
imagem - Jairo Nunes
imagem - Jairo Nunes
imagem - Reo 06
imagem - Reo 06
imagem - Reo 06
imagem - Reo 06
imagem - Jairo Nunes
imagem - Jairo Nunes
imagem - Reo 06
imagem - Reo 06
imagem - Jairo Nunes
imagem - Reo 06
VOCÊ SABIA?
Ribeirão das Neves é considerado um município dormitório, pois a maior parte de seus moradores trabalha na capital mineira, ou nos municípios vizinhos que também fazem parte da Região Metropolitana de Belo Horizonte.
imagem -  Reo 06
imagem - Reo 06
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO NA CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
imagem - Jairo Nunes
MATRIZ DE NOSSA SENHORA DAS NEVES EM RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
imagem - Jairo Nunes
imagem - Jairo Nunes
ANTIGO CASARÃO DA CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
imagem - Reo 06
ORATÓRIO DO ANTIGO CASARÃO DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
imagem - Reo 06
SEDE DO PODER LEGISLATIVO - CÂMARA DE VEREADORES DA CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
imagem - Jairo Nunes
CIDADE DOS MENINOS EM RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
imagem - Jairo Nunes
VILA MILITAR DA CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
imagem - Jairo Nunes
CAPELA DA VILA MILITAR EM RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
imagem - Jairo Nunes
CAMPO DA VILA MILITAR
imagem - Jairo Nunes
ÁRVORE
imagem - Jairo Nunes
ENTORNO DA CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
imagem - Reo 06
imagem - Rafael Sguizzato
imagem - Reo 06
imagem - Jairo Nunes
imagem - Rafael Sguizzato
QUADRA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
 imagem - Alberto Luiz Teixeira
CAMPINHO
imagem - Alberto Luiz Teixeira
imagem - Jairo Nunes
imagem - Jairo Nunes
População estimada 2016 (1) - 325.846
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 155,454
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 1.905,07
Código do Município 3154606
Gentílico - nevense
Prefeito 2017 / MOACIR MARTINS DA COSTA JUNIOR
ORIGEM DO NOME DA CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
Muito se fala sobre o nome Ribeirão das Neves, mas pouco sabemos oficialmente sobre este nome. Temos duas versões:
Primeira versão: Advém do córrego que passa cortando o centro da cidade. Segundo a lenda, este pequeno córrego que nasce no Morro do Anil, próximo ao Bairro Várzea Alegre, em épocas de frio, ficava com uma temperatura bem abaixo, a ponto de esfriar o suficiente para ocasionar gelo. Dai o nome RIBEIRÃO DAS NEVES.
Segunda versão: Advém da Padroeira do Município, Nossa Senhora das Neves, que segundo a lenda, apareceu para alguns fiéis, no alto do morro central que separa o centro comercial do Bairro Santa Martinha. Hoje, próximo ao Cemitério Senhor da Paz, cuja imagem demonstrava beleza e altivez. Seus pés estavam cobertos de uma neve extremamente branca, semelhante ao gelo e seu pedido era para rezarem muito pelo povo da cidade. Daí surgiu a Padroeira do Município Nossa Senhora das Neves e o nome do Município, RIBEIRÃO DAS NEVES.

Gentílico: nevense
HISTÓRICO DA CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MG
As primeiras referências sobre o município de Ribeirão das Neves são do início do século XVIII, o qual denominava-se "Matas de Bento Pires".
Em 1745, o mestre-de-campo Jacintho Vieira da Costa obtém o título de sesmaria de uma porção de terra na região central e dois anos mais tarde, constrói uma Capela dedicada a Nossa Senhora das Neves, o que dá origem ao nome "Fazenda das Neves". Em 1746, foi construído o engenho da Fazenda das Neves.
Em 1760, morre Jacintho Vieira da Costa e tendo oito filhos ilegítimos, lega seus bens ao filho Antonio Vieira da Costa. Isso gerou um conflito que durou até 1796 quando este falece, sem ter herdeiros legítimos.
Os bens foram levados à leilão, e as fazendas das Neves e Carijós foram arrematadas pelo Capitão José Luis de Andrade, português, morador da Vila do Sabará, iniciando um novo período na história do município. José Luis casou-se em 1799 com D. Francisca Antônia da Costa, com a qual teve dois filhos: O Guarda-mor Joaquim José de Andrade e o Padre José Maria de Andrade. Joaquim José de Andrade, nascido em 1781, veio para Neves em 1818 para morar na Fazenda dos Carijós (hoje bairros Santa Marta, Santa Martinha, Porto Seguro e Nova União) e a comprou de seu pai em 1825. Casou-se em 1826 com Dona Úrsula Maria Nogueira de Alvarenga com a qual teve 8 filhos, deixando grande descendência em Ribeirão das Neves e Pedro Leopoldo. José Maria de Andrade, segundo filho do Capitão, nasceu em 1794, ordenou-se padre em 1818, vindo para a Fazenda das Neves neste período onde ficou até sua morte. Com a vinda do Padre, a Capela já existente desde 1747 passou a ter mais importância.
Em 1820, foi criada uma Guarda-Moria nas Capelas de Nossa Senhora das Neves e Santo Antônio da Venda Nova. A lei Providencial de 15 de setembro de 1827, reforçada pelo Decreto de 11 de setembro de 1830, eleva Neves a Distrito de Paz, com uma população aproximada de 1.241 habitantes.
Neves perdeu sua condição de distrito em 1846 através do pedido do então vereador, Padre José Maria de Andrade, visto as condições precárias da capela e o aumento da população. É criado então, o distrito de Venda Nova, ao qual Neves é anexado. 
Após a morte do padre, Neves foi anexada ao distrito de Pindahybas (Lei n.º 2.041 de 01/12/1873), atual Vera Cruz de Minas (Pedro Leopoldo) com a qual permaneceu até 1911, quando ambas foram anexadas ao recém município de Contagem.
Em 1927, o Estado de Minas Gerais adquire as fazendas do Mato Grosso e parte da Fazenda de Neves para construção de uma Penitenciária Agrícola que impulsiona o crescimento populacional. Em 1938, Contagem perde sua autonomia de município e é anexada à Betim juntamente com todos os seus distritos, incluindo Neves e Campanha. Neste mesmo ano, foi inaugurada a Penitenciária Agrícola de Neves.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MINAS GERAIS
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRÃO DAS NEVES, MINAS GERAIS
VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE


Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Governo de Ribeirão das Neves, MG / Wikipédia 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem