Pular para o conteúdo principal

PASSO FUNDO, RIO GRANDE DO SUL - A capital Nacional da Literatura eh um destino certo para os amantes da leitura, da escrita, do ecoturismo, num palco com mais de 156 anos de história. Fica num importante entroncamento rodoviário que liga o Rio Grande do Sul a Santa Catarina. Por causa disso, durante o verão, é quase parada obrigatória dos argentinos que vêm de carro para o litoral brasileiro.




CONHEÇA A CIDADE DE "PASSO FUNDO", RIO GRANDE DO SUL, BRASIL - DA JANELA DO TREM
Fica num importante entroncamento rodoviário que liga o Rio Grande do Sul a Santa Catarina. Por causa disso, durante o verão, é quase parada obrigatória dos argentinos que vêm de carro para o litoral brasileiro.
JORNADA NACIONAL DA LITERATURA
Nos anos ímpares, em agosto, reúne palestras, teatro, dança e mostras de filmes. Paralelos ao evento, ocorrem a Jornadinha (literatura infantojuvenil) e a Jornight, com shows musicais e exposição de cartunistas. 3316-8368.
A CIDADE DE PASSO FUNDO, RS
Educação, Trabalho e Empreendedorismo constituem a base do desenvolvimento de Passo Fundo, município com 194.432 habitantes e mais de 156 anos de história, localizado ao noroeste do Rio Grande do Sul.
Nas últimas décadas, a cidade afirmou-se como a capital do Planalto Médio gaúcho, por ser polo universitário, referência de atendimento em saúde e contar com dinâmica atividade no setor de serviços, no comércio, na indústria e no agronegócio.
Aos que são da terra, somam-se todos os que, aqui, encontram oportunidades de crescimento profissional e pessoal em um ambiente acolhedor, plural e privilegiado pela paisagem natural.
Passo Fundo conta com uma boa infraestrutura em hotéis, shopping center, boates, restaurantes, cinemas, livrarias e teatros. Passo Fundo é considerado polo em saúde. Capital Nacional da Literatura, e sedia, bienalmente, a Jornada Nacional de Literatura. O evento foi ganhando proporções e foi sancionada a lei que confere à cidade gaúcha o título de Capital Nacional da Literatura.
O Festival Internacional do Folclore, realizado em todos os anos pares, o Festival apresenta espetáculos artísticos com a presença de grupos de diversos países e estados brasileiros, com o objetivo de integração cultural. A Estátua de Teixeirinha na Praça onde se encontra o monumento em homenagem ao conhecido cancioneiro tradicionalista Victor Mateus Teixeira, o Teixeirinha. 
O Complexo Turístico de Roselândia, o local possui uma área com mais de 200 hectares, abrangendo cerca de 20 entidades, entre a sede campestre de clubes, CTG, kartódromo, escola de equitação e Parque de rodeios, sendo que somente este possui uma área de 75 mil metros de mata nativa. Chafariz da Mãe Preta - Construído em terra doada pelo Capitão Manoel José das Neves. No princípio servia para abastecer a vila de Passo Fundo. De acordo com a lenda, quem beber da água da fonte retornará a Passo Fundo. Monumento das Missões - Monumento em homenagem à Redução de Santa Tereza de Igaí. Belvedere localizada no bairro Petrópolis, de onde se tem uma vista completa da cidade.
CONHEÇA PASSO FUNDO, RS
Palco de grandes revoluções gaúchas, Passo Fundo, localizada no interior do estado do Rio Grande do Sul, é hoje o destino turístico mais procurado pelos amantes da leitura e escrita. Um dos principais atrativos da cidade é a Jornada Nacional de Literatura, evento que ganhou tanta força e fez com a região ficasse conhecida como a “Capital Nacional da Literatura”.
Reconhecida também como a maior cidade do norte do estado, ela possui uma das infraestruturas mais exemplares do país, se tratando de hotéis, lojas de vestuário e eletrodomésticos, shopping centers, casas noturnas, restaurantes e cinemas. Outro grande espaço turístico da região é o Parque da Gare, atrativo para inúmeros circos, parques, teatros e shows.
Sétimo Céu
Belvedere onde se tem uma vista completa da cidade. Muitas pessoas sobem ao local para apreciar o pôr-do-sol. O lugar já rendeu até composições musicais e literárias.
BEM VINDO A PASSO FUNDO, RS - LUGAR DE SER FELIZ.
imagem -  ?
AQUI O BATALHÃO AMBIENTAL DE PASSO FUNDO, RS
imagem - Fredy Silva
CATEDRAL NOSSA SENHORA APARECIDA NA CIDADE DE PASSO FUNDO, RS
A Catedral Nossa Senhora Aparecida, na época capela, foi construída no topo de uma coxilha em 23 de agosto de 1834. Em 1885 encontrava-se em ruínas, sendo então reconstruída e reinaugurada em 10 de setembro de 1949, passando a se chamar Catedral Nossa Senhora Aparecida. Em 1955, a antiga catedral foi ampliada e hoje conta com 2787m² de área construída. Sua decoração interior possui quatorze mosaicos de vidro colorido que retrata as passagens da Via Dolorosa. O artista polonês Arysyarch Kaszrwicz executou os painéis que representam o nascimento e a ressurreição de Cristo e o Pentecostes. A fachada externa possui quatro estátuas, esculpidas em cimento pelo artista plástico, passo-fundense Ernesto Delvaux, representando os quatro evangelistas Mateus, Marcos, Lucas e João. Suas torres são inspiradas em estilo grego-coríntio/romano e guardam quatro sinos.
imagem - Edilson V. Benvenutti
IGREJA DE SANTO ANTÔNIO EM PASSO FUNDO, RS
imagem - Fredy Silva
SANTUÁRIO DA ROMARIA À NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA EM PASSO FUNDO, RS
imagem - Fredy Silva
PARQUE DO RODEIO EM PASSO FUNDO, RS
imagem - Wikipédia
INSTITUTO MENINO DEUS DA CIDADE DE PASSO FUNDO, RS
imagem - Fredy Silva
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE PASSO FUNDO, RS
imagem - ?
imagem - Wikipédia
imagem - ?
imagem - ?
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Thiago Dambros
imagem - Thiago Dambros
imagem - ?
imagem - Caleffi
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
HOMENAGEM A TEIXEIRINHA EM PASSO FUNDO, RS
imagem - Wikipédia
MONUMENTO AO CHIMARRÃO EM PASSO FUNDO, RS
imagem - Fredy Silva
TREVO DA UNIVERSIDADE
imagem - Darlan Corral
ESTAÇÃO RODOVIÁRIA DE PASSO FUNDO, RS
imagem - Wikipédia
HARAS
imagem - Fredy Silva
ENTORNO DA CIDADE DE PASSO FUNDO, RS
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
FEIRA DE LITERATURA DE PASSO FUNDO, RS
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
imagem - Fredy Silva
TREVO CHEGADA / SAÍDA
imagem - Darlan Corral
População estimada 2016 (1) - 197.798
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 783,421
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 235,92
Código do Município 4314100
Gentílico - passo-fundense
ORIGEM DO NOME DA CIDADE DE PASSO FUNDO, RS
Passo Fundo Leva esse nome em razão de um rio de mesmo nome utilizado pelos tropeiros desde o século XVIII
Gentílico: passo-fundense
Histórico
PASSO FUNDO RIO GRANDE DO SUL 
Monografia - nº 618 Ano: 1982 
ASPECTOS HISTÓRICOS DA CIDADE DE PASSO FUNDO, RS
O território era habitado pelas tribos indígenas Tapes e Caingangs. Sustentavam-se da caça, de mel, frutas e do cultivo do milho e do feijão. Os caingangs usavam o corte de cabelo à moda dos padres franciscanos, sendo conhecidos pelo nome de coroados e bugres. Em cada aldeia havia um "Chefe-Pai", bem como um Cacique-Geral. Esses chefes eram hereditários ou elegíveis. Possuíam uma lenda sobre o dilúvio que cobriu a terra e do qual se salvou o Caingang subindo a serra. 
Segundo alguns, o território de Passo Fundo foi penetrado a princípio por jesuítas das Missões Orientais do Uruguai, que fundaram a redução de Santa Teresa, para fins de catequese. 
O povoado começou nas primeiras décadas do século XIX, quando os colonizadores penetraram a região e os tropeiros, vindos da fronteira sul, em demanda à então Província de São Paulo, o maior mercado consumidor de muares, passaram a fazer pousada obrigatória no "passo fundo", como medida de segurança. Tornou-se, assim, parte do chamado "Caminho dos Paulistas". 
A região era infestada por índios hostis que atacavam as tropas de mulas, principalmente no lugar denominado "Mato Castelhano", que era muito denso. 
Os tropeiros preferiam cruzar a zona do matagal, durante o dia e por isto pernoitavam no chamado "passo fundo", um lugar alto, do qual descortinavam a região onde dispunham de boa aguada. 
A partir de 1827, vindos da Província de São Paulo, estabeleceram-se na região alguns colonizadores luso-brasileiros. Em Pinheiro Marcado o primeiro morador efetivo, o alferes Rodrigo Félix Martins e, na atual Sede de Passo Fundo, Manoel José das Neves, conhecido como Cabo Neves que posteriormente, recebeu a graduação de Capitão por ter servido na campanha do Prata. Na mesma época, estabeleceram-se no Município, Alexandre da Mota e Bernardo Paz. 
Em 1831, o Capitão requereu a posse das terras através de carta fornecida pelo Comando Militar de São Borja. 
A primeira capela, erigida sob o orago de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, foi requerida por Joaquim Fagundes dos Reis e outros moradores em 1834, e concluída, em fins de 1835, em área doada pelo Capitão José Manoel das Neves. 
Na campanha abolicionista havia, desde 1871 uma sociedade presidida pelo Dr. Cândido Lopes de Oliveira, que visava a emancipação de crianças do sexo feminino, antes mesmo da Lei do Ventre Livre. 
Antecipando-se à Lei Áurea, a Câmara Municipal de Passo Fundo, a 28 de setembro de 1882, proclamava a libertação de 300 cativos. A moção foi apresentada pelo secretário da sociedade Major Antônio Ferreira Prestes Guimarães, eleito vereador. 
A idéia republicana também estava enraizada no Município, mas o silêncio pairou sobre os princípios republicanos, quando irrompeu a Revolução Farroupilha. 
Anos depois, Francisco Prestes, Manoel Araújo Schell, Pedro Pereira dos Santos, Afonso Caetano de Souza, Fidêncio Pinheiro, Fernando Zimmermann, Irineu Lewis, José Savinhone, Marques Sobrinho e Lúcio Martins de Morais reuniam-se a luz de velas, sendo conhecidos como membros do "Clube do Toco de Vela". 
A 16 de novembro de 1889, o povo de Passo Fundo soube da Proclamação da República, através de uma mensagem telegráfica recebida por engenheiros militares. 
No mesmo ano, por intermédio de Tomás Canfild, criador da "Colônia Canfild", chegaram os primeiros colonos, 3 famílias de agricultores italianos, sendo seus chefes Trinco Joseph, João e Silvestre Bucco. 
Por ocasião da Revolução Federalista travaram-se, em Passo Fundo, em 1893 e 1894, diversas batalhas que bem comprovam a importante participação principal nos destinos políticos do Estado. 
Cessada a lute, o progresso começou a ser estruturado com a construção da estrada de ferro, em 1897, e a organização de diversas empresas colonizadoras; sendo empreendida a colonização do Alto Jacuhy, pela firma Schmitt e Cia. Oppitiz, seguindo-se a de Saldanha Marinho, iniciada em 1898 pela empresa Costa e Silva, e a de Dona Ernestina, do Coronel Ernesto Carneiro da Fontoura em 1899. Surgiram mais tarde, as colônias de Marau, Teixeira, Sertão, Sarandi, Santa Cecília, Weidlich, Varzinha, Erechim, 7 de Setembro, Tamandaré, Selbach e Boa Esperança. 
Em 1923, quando o País, e muito particularmente o Rio Grande do Sul, era palco de focos de agitações que culminaram com os acontecimentos de 1930, o Município teve de travar novas e sangrentas batalhas para romper o cerco do seu território. 
Voltando a paz, Passo Fundo transformou-se num dos grandes municípios brasileiros.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE PASSO FUNDO , RS
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO, RS

VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE



fonte dos textos e fotos: Wikipédia / Thymonthy Becker / Prefeitura Municipal de Passo Fundo, RS / espacoturismo.com / guiadoturismobrasil.com / viajeaqui.abril.com.br / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Baependi é um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade. Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares. A religiosidade ocupa lugar de destaque como um dos fatores que mais atraem os visitantes, uma vez que Baependi foi o lugar onde a serva de Deus, Nhá Chica, concedeu suas graças, hoje em dia inúmeras romarias de diversas partes do país têm como destino o Santuário de Nhá Chica, onde também se encontram seus restos mortais.

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Será que tem gremista em Colorado? Claro que tem. Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O município tem como base da economia a produção agrícola. Cenários de belezas, cores e aromas que seduzem os turistas. Cenários de belezas, cores e aromas que seduzem os turistas

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas. Destes, Capitólio se destaca por oferecer as melhores opções de serviços e infraestrutura turística. Os passeios náuticos, os esportes aquáticos, a pesca esportiva e a exuberância natural são pontos fortes da região, que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra, onde nasce o Rio São Francisco, o "Velho Chico". O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias. Desses, surgiram os “brasilienses”, o gentílico usado para quem nasceu aqui e adotado por quem veio de fora e assumiu a cidade como sua.

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras. De frente para a Baía da Guanabara, Niterói mostra que a vista para a cidade do Rio não é o único atrativo. Além de oferecer, na sua face voltada para o alto mar, trechos de areia ideais para quem quiser fugir do agito de Ipanema e Copacabana, o município começa a explorar o legado das construções assinadas por Oscar Niemeyer, entre elas o famoso Museu de Arte Contemporânea.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.