Pular para o conteúdo principal

KIRIMATI, TARAWA, KIRIBATI - Viajando para o futuro chegamos primeiro no novo ano, mas sabíamos que o passado nos esperava




MINHA VIAGEM PARA "BAIRIKI" / "KIRITIMATI" / TARAWA / KIRIBATI / OCEANIA
Veja os micos que paguei enquanto estive em Kiribati

Uma das viagens mais legais que já fiz, sem dúvidas foi para a República de Kiribati na Oceania, mais precisamente para a pequena cidade de Bairiki e Kiritimati.
Havia muitos motivos para nós fazermos esta viagem e passar o réveillon neste pequeno, mas extraordinário país da Oceania, que eh composto de 24 ilhas, mas somente 8 delas eh habitada.

Primeiro, porque os cientistas dizem que este país, com pouco mais de cem mil habitantes  irá desaparecer em no máximo 60 anos, devido ao aquecimento global e consequente subida dos níveis dos oceanos. Então, quem puder, vá conhecê-lo, porque ele poderá, num futuro bem próximo, fazer parte somente dos livros de história. E você só poderá conhecê-lo nas bibliotecas ou em algum documentário na tv.

Segundo, porque eh o único lugar da terra onde você pode estar em quatro lugares diferentes ao mesmo tempo. Bem, teoricamente sim, porque as ilhas que forma o país estão nos quatro hemisférios da terra, mas não podemos estar nas quatro ilhas ao mesmo tempo. Mas isso não diminui a sensação de estar em quatro lugares diferentes, teoricamente, ao mesmo tempo. 

Terceiro, porque podemos viajar para o futuro, sem precisar de máquina do tempo e sem precisar de ir para o espaço ficar viajando anos e anos. Isto porque a pequena cidade de Kiritimati, que tem cerca de 5 mil habitantes, tudo chega primeiro. Eh o primeiro lugar da terra onde o ano novo chega. Assim na virada do ano que passamos lá, entramos no ano novo enquanto todo o resto da terra estava no ano velho. Teoricamente então, estávamos no futuro e todo o restante do planeta estava no passado. Eh uma sensação muito legal saber que você chegou na frente e os outros seguem apenas suas pegadas.
Quarto, porque podemos conhecer um pouco da cultura, dos sabores, do cotidiano deste povo sorridente, receptivo, acolhedor e esperançoso com a possível mudança de seu país para um local seguro.
Visitamos um museu muito show de bola onde retrata um pouco da história de Kiribati, assim você vai entender melhor a história deste Atol. Soubemos inclusive que neste país, antes de 1995, devido a linha Internacional de Data, o Oeste do país era Domingo de manhã e o Leste era sábado de manhã. Interessante, o pais vivia em dois dias diferentes. Muito show de bola isso. Mas em 1995 realinharam a Linha Internacional de Data e acabaram com essa peculiaridade de Kiribati. 
Nesta onda de estar no futuro, fomos até o extremo de Kiritimati, onde o dia chega primeiro e consequentemente o ano. Claro, até onde nos permitiam ir. Depois da euforia da virada do ano fomos para nossa pousada dormir e esperar o resto do mundo entrar no ano novo.
No dia seguinte, com um guia turístico fomos aproveitar o que de bom tem em Kiritimati. Passeio de barco pelas ilhas, mergulho nestas águas super claras (eu nem pensar em fazer isso), praia e pescar em alto mar.
Meus amigos gostaram da ideia de pescar em alto mar e lá fomos nós. Alugaram tudo para esta pescaria com o próprio guia. Eu não curto pescaria, mas não gostaram da ideia de me deixar sozinho na vila (diziam que tinha medo que eu provocasse o sumiço da ilha antes mesmo do nível do mar subir). Eles sempre gostam de lembrar os fatos inusitados que aconteceram comigo, como se estas coisas acontecessem só comigo. Mas enfim, fui para a tal pescaria.
A ideia era ir para alto mar, mas como a turma ficou meio que com medo do alto mar, o barco não parecia tão seguro assim e me zoavam dizendo que eu podia afundar o barco, embora o guia sabia muito bem o que estava fazendo, decidiram pescar no "baixo" mar mesmo. 
Pareciam que nunca tinham participado de uma pescaria antes, embora no mar nunca tinham pescado mesmo. Estavam fazendo uma bagunça com as linhas, com os os anzóis, deixando o guia meio desorientado por nunca ter visto tantos amadores num barco só.
Quando conseguiam desembraçar as linhas e tentavam lançar a isca no mar, fazia o lançamento com a vara, mas o anzol nem saia do barco. Eu ria muito daquilo tudo, porque se fosse comigo diriam que eu sou desastrado e lerdo. Mas eram com meus amigos e então tratei de rir muito da situação, afinal, não era todo dia que tinha motivos para zoar deles, então aproveitei.
Diante de tanta confusão de linhas e anzóis, fui ajudar o guia a desembaraçar as linhas. Quando fazia isso, um de meus amigos com a vara na mão lançou a isca ao mar. Mas era justamente a linha que eu estava desembaraçando. Ao fazer isso, o anzol entrou na minha mão na parte de dentro do dedão. Doeu muito e eu comecei a gritar e espernear gritando por socorro, pedindo para tirarem logo o anzol. Meus amigos pediam para eu parar de gritar senão iam achar que eu estava afogando. Mas doía muito, muito mesmo, no que eu comecei a não me sentir muito bem. O anzol tinha entrado com a fisga para dentro da minha mão e não tinha como puxá-lo. Teria que ir para um hospital para fazerem isso. Cortaram a linha próximo ao anzol e fomos nós para o atendimento médico mais próximo. O médico retirou o anzol, enfaixou minha mão que assim ficou por um bom tempo. 
Depois que saímos do atendimento médico, falei com meus amigos que a culpa daquela vez, de ter acontecido alguma coisa, não era minha. Mas eles disseram que eu não precisava fazer nada, só de estar em algum lugar já era um risco total. (Não achei graça nenhuma)
No fim, voltamos para o passado, quero dizer, seguimos nossa viagem para darmos a volta ao mundo.
Este destino foi o mais inesquecível de todos, porque pude viajar no tempo, começar o ano novo primeiro que todo o planeta, num país que eh um verdadeiro paraíso na terra e que futuramente não poderá existir mais. 
Foi muito show de bola, foi pra nunca esquecer.


 VALEU PELA VISTA / ATÉ A PRÓXIMA

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

5 ESTRADAS BRASILEIRAS QUE VALE A PENA DIRIGIR POR ELAS - Viajar de carro pode ser muito bom, se for por uma dessas estradas. Confira cinco trechos que agradam tanto quanto o destino final de suas férias

CONHEÇA 05 ESTRADAS QUE VALE A PENA VOCÊ VIAJAR DE CARRO POR ELAS. Há quem diga que o importante não é o destino final, e sim o caminho até lá. Em uma viagem de carro, não costuma ser bem assim, considerando o péssimo estado do asfalto de nossas estradas, além do custos do pedágio, motoristas ruins e a falta de uma boa paisagem. Mesmo com todos esses problemas, é possível aproveitar um passeio automotivo pelo Brasil em uma das cinco estradas escolhidas pela Hertz, empresa especializada em aluguel de veículos: Confira ESTRADA REAL / MINAS GERAIS / RIO DE JANEIRO / SÃO PAULO  Também conhecida como Caminho Real, é uma das estradas mais famosas do Brasil, por ser um dos principais pontos turísticos do País. Tem 1.630 quilômetros de extensão, passando por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Motivos não faltam para visita-la, com um circuito de 179 cidades históricas, passando por belas paisagens formadas pelos trechos de mata atlântica. Tem até atividades fora do carro, como caminhada…

VIRGINÓPOLIS, MINAS GERAIS - Alem da festa da Jabuticaba que acontece anualmente, a cidade possui uma das maiores escadarias de igreja do mundo, com mais de 500 degraus

CONHEÇA A CIDADE DE "VIRGINÓPOLIS", MINAS GERAIS, BRASIL A cidade é regionalmente conhecida pela tradicional Festa da Jabuticaba, que ocorre anualmente em setembro. Um aspecto interessante é que, apesar da festa, a cidade não se configura como grande produtor da fruta.  Outro aspecto cultural interessante é a presença da Capela de Nossa Senhora do Patrocínio, que possui uma das maiores escadarias de igreja do mundo, com mais de 500 degraus, construídos pelos próprios moradores da cidade em mutirões realizados no fim da década de 1980.  CASARÃO NA CIDADE DE VIRGINÓPOLIS, MG(asminasgerais.com.br) CASARÃO EM VIRGINÓPOLIS, MG (asminasgerais.com.br) CENTRO DA CIDADE DE VIRGINÓPOLIS, MG (asminasgerais.com.br) PRAÇA EM VIRGINÓPOLIS, MG (asminasgerais.com.br) VIRGINÓPOLIS, MG(asminasgerais.com.br)
CASARÃO EM VIRGINÓPOLIS, MG(asminasgerais.com.br)
PRAÇA EM VIRGINÓPOLIS, MG(asminasgerais.com.br)
RUA CENTRAL DA CIDADE DE VIRGINÓPOLIS, MG(asminasgerais.com.br)
UMA DAS MAIORES ESCADARIAS …

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - Em 1963 fecharam o túnel que criou praias, formou cânions, inundou vilarejos mudando para sempre a história de 34 cidades mineira e formando o espetacular “Mar de Minas”

CONHEÇA A "REPRESA DE FURNAS", SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS, BRASIL foto - Thymonthy Becker No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas. (Thymonthy Becker) A sede do município de Guapé ficou praticamente submersa, o que levou à construção de uma nova sede em local definido pela população. O distrito de São José da Barra, então pertencente a Alpinópolis e emancipado em 1994, ficou integralmente debaixo das águas e deu lugar à "Nova Barra", que a pedido do padre Ubirajara Cabral, pároco local, foi construída pela Central Elétrica de Furnas na forma de um banjo. (Thymonthy Becker) A maioria dos municípios possuía vocação agropecuária, mas com o alagamento das ár…

ITUIUTABA, MINAS GERAIS - Com vários atrativos turísticos como cachoeiras, trilhas, museu, parques. artesanato regional e a famosa cachaça artesanal

CONHEÇA A CIDADE DE "ITUIUTABA", MINAS GERAIS, BRASIL BEM VINDO A CIDADE DE ITUIUTABA, MG. PORTAL DO TRIÂNGULO MINEIRO foto - ? População estimada 2016 (1) - 103.945 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 2.598,046 Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 37,40 Código do Município 3134202 Gentílico - ituiutabano Prefeito 2017 / FUED JOSE DIB ORIGEM DO NOME O nome da cidade eh de origem indígena: I - rio, TUIU ­barrento; TABA - povoação, cidade. “Cidade do rio barrento”
Gentílico: ituiutabano HISTÓRICO Ituiutaba é uma fusão de vocábulos tupis que significa "povoação do rio Tijuco". Os primitivos habitantes do município eram ameríndios, pertencentes ao grupo Gê, também chamados caiapós. Uma das tribos que deixaram fama na região foi a dos panariás, muito bem estudada por Alexandre Barbosa, de Uberaba. Por fim ela foi aldeada na atual povoação de São Francisco de Sales, às margens do Rio Grande, no vizinho município de Campina Verde. Os panariás - assinala o his…

MONUMENTO HOLGER DANSKE, DINAMARCA - A tradição diz que a estátua ganhará vida quando a Dinamarca se encontrar em grande perigo e salvará a nação

CONHEÇA O "HERÓI LENDÁRIO DA DINAMARCA - HOLGER DANSKE ", DINAMARCA 
Explorar as criptas e catacumbas do Castelo de Kronborg é uma grande experiência. Escondido no porão do castelo, você vai conhecer o dinamarquês Holger (Holger Dansk), uma imponente estátua de pedra. Holger o dinamarquês, é uma figura lendária na cultura dinamarquesa. Se a Dinamarca se encontrar em apuros, ele vai acordar e defendê-la! HOLGER DANSKE, OU HOLGER, O DINAMARQUÊS, É UM HERÓI LENDÁRIO DA DINAMARCA. A PRIMEIRA REFERÊNCIA QUE TEMOS SOBRE A SUA EXISTÊNCIA APARECE EM ANTIGOS POEMAS FRANCESES, DE MEADOS DO SÉCULO XI. DE ACORDO COM A LENDA, ERA FILHO DE GODOFREDO, REI DA DINAMARCA. O SEU FILHO FOI MORTO POR CARLOS, O JOVEM, FILHO DE CARLOS MAGNO; EM BUSCA DE VINGANÇA, PROCUROU-O E MATOU-O. SÓ POR POUCO O IMPEDIRAM DE MATAR O PRÓPRIO CARLOS MAGNO. RESISTIU A CARLOS MAGNO DURANTE SETE ANOS, MAS FEZ A PAZ PARA LUTAR AO LADO DELE CONTRA OS SARRACENOS. DURANTE ESSA BATALHA MATOU O GIGANTE BREHUS. OS BARALHOS …

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

CONHEÇA A CIDADE DE "SERRA DO NAVIO", AMAPÁ, BRASIL CONHEÇA A FAMOSA "LAGOA AZUL" DE SERRA DO NAVIO, AP A história da Lagoa Azul se mistura à criação da Serra do Navio e à atividade de exploração na década de 1950 A Amazônia é conhecida pelos rios, igarapés e cachoeiras. Mas, a maioria das pessoas nem imaginam que aqui existam lagoas de águas azul turquesa. A 208 quilômetros de Macapá, capital do Amapá, fica a Lagoa Azul, um paraíso que nasceu de uma mina abandonada. O lugar fica próximo à Vila Serra do Navio, cidade criada na década de 1950 para abrigar os trabalhadores de uma empresa de mineração. A lagoa azul e o passado da história da Serra do Navio estão entrelaçados. De acordo com a prefeitura da cidade, a cor marcante da lagoa, em tom azul anil, acontece por conta dos minérios da região especialmente o carbonato de manganês. O lugar era uma mineração. Hoje é possível chegar até lá através de trilhas ou de carro. A região é cercada por uma floresta tropical. O…

MONJOLOS, MINAS GERAIS - O município possui alto potencial de ecoturismo, pois conta com diversas cachoeiras, corredeiras, grutas e trilhas, todas cercadas por uma vasta e bela vegetação e que proporcionam deliciosos passeios de bike, motos, jipes ou até mesmo simples caminhadas.

CONHEÇA A CIDADE DE "MONJOLOS", MINAS GERAIS, BRASIL Situada na região central mineira, na Bacia do Rio das Velhas em um vale da Serra do Cabral, Monjolos integra, além da Estrada Real, o Circuito dos Diamantes.  A 265 km da capital mineira, o município possui alto potencial de ecoturismo, pois conta com diversas cachoeiras, corredeiras, grutas e trilhas, todas cercadas por uma vasta e bela vegetação e que proporcionam deliciosos passeios de bike, motos, jipes ou até mesmo simples caminhadas.
Rio Pardinho em Monjolos, MG(Instituto estrada Real)  A Área de Preservação Ambiental do Vale do Fundo apresenta uma densa mata virgem banhada por deleitáveis nascentes e cascatas. Ainda pouco explorada, a Gruta do Pau-Ferro possui grandes galerias com estalactites e estalagmites.  A cidade ainda possui um Centro de Artesanato, onde é exposto e vendido todo o artesanato da região. A Igreja Matriz Nossa Senhora do Livramento, a Ponte Férrea do Rio Pardo e o Monumento a Monjolos também aju…

CARRANCAS, MINAS GERAIS - Um pequeno paraíso conhecido como Terra das Cachoeiras pois possui mais de 120 quedas d'água na Estrada Real. Considerada um dos novos pólos de Ecoturismo, é um lugar ideal para a prática de Montain Bike, Trekking e outros esportes que lhe propiciam o contato com a natureza. Tem o grande poço da esmeralda, além das grutas da toca e da cortina, ainda pode-se observar pinturas rupestres e um escorregador com cerca de dez metros que termina com um divertido mergulho.

CONHEÇA A CIDADE DE "CARRANCAS", MINAS GERAIS, BRASIL

MUITO BEM VINDO AO PARAÍSO. BEM VINDO A CARRANCAS. MINAS EH ISTO E MUITO MAIS. imagem "?" Com mais de 50 cachoeiras, a cidade está voltada para o ecoturismo – suas belas paisagens frequentemente servem de cenário para novelas. Há quedas d’água de fácil acesso, mas as mais bonitas ficam escondidas na mata fechada, aonde só se chega por trilhas (que devem ser percorridas com a ajuda de guia). Entre novembro e março, a chuva torna as cachoeiras perigosas. A maioria das pousadas está próxima de grutas e cachoeiras, e muitas têm piscinas naturais. Foto - ?
POÇO DO CORAÇÃO
O acesso é tranquilo: pegue a Estrada para Itutinga, entre à esquerda após a primeira ponte para chegar ao Complexo da Toca. O carro fica na portaria, e você segue a trilha até o para o escorregador (é bom ponto para banho, ao lado da Gruta da Toca). A partir dele, suba margeando o rio: há vários poços e pequenas quedas até a principal atração local, a …

BOM JARDIM DE MINAS, MINAS GERAIS - Típica cidade mineira, com povo hospitaleiro, de clima ameno e muito aconchegante, traz no bojo de sua historia uma origem bucólica e religiosa com inúmeras atrações turísticas

CONHEÇA A CIDADE DE "BOM JARDIM DE MINAS", MINAS GERAIS, BRASIL Foto - Thymonthy Becker  BEM VINDO A CIDADE DE BOM JARDIM DE MINAS. PORTAL DA SERRA DA MANTIQUEIRA foto - Thymonthy Becker População estimada 2016 (1) - 6.648 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 412,021 Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 15,78 Código do Município 3107505 Gentílico - bom-jardinense Prefeito 2017 / SERGIO MARTINS ORIGEM DO NOME O TOPÔNIMO ORIGINOU-SE DO NOME DA FAZENDA BOM JARDIM, PIONEIRA DA COMUNIDADE, E DO BELO "JARDIM" NELA CONSTRUÍDO PELOS SEUS PROPRIETÁRIOS. Bom Jardim de Minas Minas Gerais - MG HISTÓRICO O território onde se acha localizado o município, foi habitado por silvícolas de diversas tribos não identificados devidamente. Em 1770, Manoel Arriaga de Oliveira, sua mulher e seis filhos, chegaram à região, fundaram uma colônia que chamaram Campo Vermelho, tornando-se os primeiros moradores do lugar. O núcleo sofreu vários ataques dos índiso, sendo morto o filho do fundad…

AIMORÉS, MINAS GERAIS - Apesar de ser pequena, a cidade conta com belas paisagens e ótimos lugares para turismo como o Parque Botânico, Instituto terra e a barragem da Usina Hidroelétrica

CONHEÇA A CIDADE DE "AIMORÉS", MINAS GERAIS, BRASIL BEM VINDO A CIDADE DE AIMORÉS, MG. A TERRA DO SOL ETERNO. A PRINCESINHA DO LESTE MINEIRO. imagem - ? População estimada 2016 (1) - 25.703 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 1.348,913 Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 18,50 Código do Município 3101102 Gentílico - aimorense Prefeito 2017 / MARCELO MARQUES ORIGEM DO NOME DA CIDADE DE AIMORÉS, MG Em 1915 passou a chamar-se Aimorés, em homenagem aos primitivos habitantes da terra, os índios botocudos do grupo "aimure/guimaré" (aimoré).
Gentílico: aimorense Histórico Aimorés Minas Gerais - MG HISTÓRICO DA CIDADE DE AIMORÉS, MG O DESBRAVAMENTO da região onde fica o Município de Aimorés data de 1856 a 1860, quando os primeiros posseiros, os irmãos João e Luís de Aguiar e um cunhado de nome Inácio Mançores, vindos da Paraíba do Sul (RJ), chegaram a propriedade do Tenente Francisco Ferreira da Silva, no Município de Manhuaçu, ganharam as cabeceiras do rio P…