Pular para o conteúdo principal

BELFAST, IRLANDA DO NORTE - Para muitas pessoas, viajar pela Irlanda e Irlanda do Norte é sinônimo de conhecer paisagens naturais, casinhas de interior e ovelhas por todos os lados. Realmente esse é o tipo de paisagem mais frequente pelas estradas desses dois países. Mas o que muitos turistas não sabem ou até esquecem, é que a região tem uma história marcada por grandes conflitos e algumas das principais atrações estão nas ruas das grandes cidades.






CONHEÇA "BELFAST", O LADO HISTÓRICO DA IRLANDA DO NORTE - OLHANDO DA JANELA DO TREM
Para muitas pessoas, viajar pela Irlanda e Irlanda do Norte é sinônimo de conhecer paisagens naturais, casinhas de interior e ovelhas por todos os lados. Realmente esse é o tipo de paisagem mais frequente pelas estradas desses dois países. Mas o que muitos turistas não sabem ou até esquecem, é que a região tem uma história marcada por grandes conflitos e algumas das principais atrações estão nas ruas das grandes cidades. 
É o caso de Belfast, capital da Irlanda do Norte. Se estiver pela ilha esmeralda, não deixe de passar pelo menos dois dias na cidade. O local se tornou capital do país quando a Irlanda se dividiu em duas, em 1920. Foi nessa época que ocorreu uma longa guerra política e religiosa entre protestantes a favor do Reino Unido e católicos separatistas. Depois de anos sangrentos, os cidadãos tentam levar uma vida normal, mas as marcas dessa disputa ainda estão por toda parte. 
Apesar de ser marcada e conhecida pelos conflitos, Belfast tem atrações para todos os gostos. O RoadTrio conferiu os principais passeios da cidade e fez uma lista de locais para você aproveitar. 
ARTE E GUERRA SE MISTURAM 
Um pouco afastado do centro histórico, a região de Falls Rd (lar de católicos) e Shankill Rd (protestantes) foi palco de grandes confrontos entre os religiosos. No final dos anos 1960, os problemas religiosos/políticos se agravaram tanto a ponto de o exército britânico intervir nas ruas. Foi nesse período que a cidade viveu momentos de muita violência com imagens chocantes de atentados terroristas. 
Apesar de atualmente ser uma região pacífica, não é aconselhável ir a pé ou sozinho. O ideal é pegar um ônibus de turismo (os famosos Hop On Hop Off) ou um black taxi – que normalmente fecham um valor para fazer tour em determinadas partes da cidade. 
O passeio deve incluir uma visita ao chamado Wall Murals. Lá foram construídos portões e uma espécie de muro que tinham a função de separar parcialmente católicos e protestantes. Ainda hoje é possível ver fragmentos dessa época: os portões continuam lá, abertos durante o dia e fechados ao entardecer. Parte dessa história estão nos muros que dividiam a cidade, conhecidos como Peace Lines (Linhas da Paz), que têm até 4 quilômetros de extensão e se tornaram uma galeria de arte a céu aberto. No local, diversas pessoas, entre artistas e personalidades como Dalai Lama, deixaram registradas suas mensagens de paz e esperança.
Até o Dalai Lama já deixou sua mensagem nos muros da Peace Lines (Foto: RoadTrio)
MAIOR NAVIO DA HISTÓRIA 
Outro personagem importante na história da cidade é o Titanic, o transatlântico mais famoso do mundo. Apesar de sua viagem inaugural ter partido da Inglaterra, o navio foi construído em Belfast. O Titanic é tão querido por lá que ganhou não apenas um museu, mas um quarteirão inteiro destinado a ele, chamado de Titanic Quarter.
Os portões que dividem a cidade abrem durante o dia e fecham à noite (Foto: RoadTrio)
Esse complexo abriga o estaleiro onde o transatlântico nasceu e o museu Titanic Belfast, inaugurado em 2012. O museu tem uma arquitetura impressionante e interessante: o formato lembra o casco do Titanic, mas um revestimento diferente faz referência ao iceberg que o transatlântico colidiu. 
Uma curiosidade é que o prédio tem a mesma capacidade para visitantes que o navio tinha para passageiros: 2 mil pessoas. Entre e aproveite cada uma das nove galerias do museu, que contam a sua história de forma cronológica. A exposição é super interativa e você irá perder horas lá dentro.
Por todas as partes é possível ver traços da guerra entre católicos e protestantes (Foto: RoadTrio)
A visita começa mostrando a cidade na época em que o navio foi construído. Depois parte para a história da própria embarcação. Para dar a dimensão do projeto, uma espécie de montanha-russa explora uma réplica do Titanic no período de sua construção. Já a terceira galeria é dedicada ao lançamento do barco e segue para a parte da mobília, onde é possível ver como eram os quartos de todas as classes. A quinta traz histórias sobre sua única viagem e, finalmente, o naufrágio com as primeiras e últimas mensagens de socorro emitidas pelo capitão. As três últimas galerias abordam os dias seguintes à tragédia.
O prédio lembra o casco do navio, já a textura faz referência a um iceberg (Foto: RoadTrio)
Continuando a volta no quarteirão, você encontrará os estaleiros Harland & Wolff – responsável pela construção – e seus guindastes amarelos, Sansão e Golias. Existe também uma trilha sinalizada com placas para conhecer mais a região. Vá ao Centro de Informação ao Turista e pegue um audioguia para caminhar pela Titanic Trail. Se ainda assim sua curiosidade pelo navio não estiver saciada, pegue um barco da companhia Lagan e faça o Titanic Tour.
O museu Titanic fica no exato local onde o navio foi construído (Foto: RoadTrio)
WINTER IS COMING 
Recentemente, a cidade foi invadida pelos turistas que são apaixonados pela série Game of Thrones. Ambientado em uma época fictícia, o seriado é filmado em diversos países, mas a Irlanda do Norte é sem dúvidas uma das principais locações. Saindo de Belfast, é possível pegar um ônibus de turismo que irá te levar para locais que qualquer fã reconhece facilmente. O Castelo Ward, localizado ao sul de Belfast, é mais conhecido como Winterfell. Para percorrer os caminhos da família Stark, por exemplo, vá para a região de Downpatrick.
Fãs de Game of Thrones podem visitar Winterfell (Foto: Reprodução/site)
LOCOMOÇÃO 
A cidade é tão pequena que os principais pontos turísticos podem ser conhecidos caminhando. Além de ser a forma mais barata, sempre é possível desviar a rota e conhecer outros cantinhos interessantes. Para os que preferem o transporte público, Belfast tem ônibus com tickets variando de acordo com a distância a ser percorrida ou ticket de um dia inteiro. Outra opção utilizada pelos turistas é o famoso ônibus para turista, chamado de City Sightseeing Belfast Hop On Hop Off. 
Um pouco mais inusitado, mas comum no país, são os Black Taxi Tours. Os taxis correm diariamente, basta ligar para agendar um horário. O tour pelos principais pontos históricos leva normalmente 90 minutos. Existem duas opções mais confiáveis: o Official Black Taxi Tours ou o Original Belfast Black Taxi Tours (taxitours@live.co.uk).
O ônibus Hop On Hop Off é uma boa opção para conhecer a cidade (Foto: RoadTrio)
ONDE COMER 
A cidade é repleta de restaurantes e pubs que servem deliciosos pratos. Entre os mais tradicionais, assim como em toda a Irlanda, está o Fish and Chips (peixe com fritas). Essa, aliás, pode ser uma boa opção para gastar pouco e conhecer a culinária da região. Se quiser ter diversas opções, vá próximo ao City Hall (prefeitura da cidade), onde se encontram ruelas com restaurantes requintados. Já os mais baratos ficam próximos à Queen’s University, também no centro.

VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE



Fonte dos textos e fotos: msn.com / Becker Thymonthy / RoadTrio / 

Comentários

  1. Depois de ler e ver as fotos aumentou minha vontade de viajar para a Irlanda
    Excelenteeeeeee

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza você vai querer voltar várias vezes. Eh apaixonante a Irlanda. Valeu Menina. Abração

      Excluir

Postar um comentário

VALEU POR VIAJAR COM A GENTE

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem