Pular para o conteúdo principal

FIGUEIRÃO, MATO GROSSO DO SUL - Com rios límpidos, cachoeiras com grande volume de água, grutas e cavernas, paisagens de raríssima beleza e a famosa Pedra Bonita, que eh sem dúvida a mais tradicional referência de beleza de Figueirão. Localizada a apenas 5 km da cidade, ela, a Pedra Bonita, é a mais requisitada e visitada dos pontos naturais do Município.




CONHEÇA A CIDADE DE FIGUEIRÃO, MATO GROSSO DO SUL, BRASIL - DA JANELA DO TREM
PRINCIPAIS PONTOS TURÍSTICOS:
PEDRA BONITA DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MS
É sem dúvida a mais tradicional referência de beleza de Figueirão. Localizada a apenas 5 km da cidade, ela, a Pedra Bonita, é a mais requisitada e visitada dos pontos naturais do Município, sendo até mesmo frequentada constantemente pelos munícipes, tamanho é o fascínio que exerce sobre todos.   (Prefeitura de Figueirão)


CACHOEIRA DO RONCADOR EM FIGUEIRÃO, MS
Roncador é um rio de águas límpidas e possui formação rochosa em suas margens e leito, por isso em toda a sua extensão pode-se encontrar belíssimas cachoeiras, rodeadas de densa vegetação, formando paisagem de raríssima beleza, motivo de orgulho dos Figueirãoenses.  (Prefeitura de Figueirão)
CRISTO DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MS
Foi construído no alto da Serra das Araras no ano de 2004, pelo proprietário da Fazenda Rancho Figueirão, o Senhor Roberto Meireles Breves. 
Fica a 5 Km da cidade e é local de muita paz, silêncio e oração. 
A paisagem natural é composta de capim nativo, algumas árvores típicas de cerrado e lindas pedras. Além é claro, da exuberante visão da cidade de Figueirão que cresce aos pés da linda Serra das Araras.  (Prefeitura de Figueirão)
CAVERNA/GRUTA 
Descrição: Em 1901 os Caiapós eram os moradores nômades do território, hoje ocupado pelo mais novo Município do Estado de Mato Grosso do Sul. Estes aborígines deixaram na região pinturas e inscrições rupestres em grutas, cavernas e encostas de serras.  (Prefeitura de Figueirão)
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
CAPELA DO DIVINO ESPÍRITO SANTO NA COMUNIDADE DE SANTA TEREZA EM FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
CENTRO CULTURAL DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
PREFEITURA MUNICIPAL DE FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DE FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E MEIO AMBIENTE DE FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
VISTA AÉREA DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
VISTA AÉREA DE FIGUEIRÃO, MS  (Prefeitura de Figueirão)
CAMPO DE FUTEBOL DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
FIGUEIRÃO, MS (G1.com)
PARCIAL DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
RUA DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MS  (vtb)
PARCIAL DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
COMUNIDADE DE SANTA TEREZA EM FIGUEIRÃO, MS (Prefeitura de Figueirão)
População estimada 2016 (1) - 3.020 
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 4.882,873 
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 0,60 
Código do Município 5003900 
Gentílico - figueirãoense 
Prefeito 2017 / ROGÉRIO RODRIGUES ROSALIN 
ORIGEM DO NOME DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MS 
Origem do nome foi devido a uma figueira situada no ″Vau da Jesuína″ ou ″Vau da Figueira″ à margem direita do Córrego Figueirão, praticamente extinto pelo assoreamento mortal. 
Gentílico: figueirãoense 
Histórico 
Figueirão 
Mato Grosso do Sul - MS 
HISTÓRICO DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MS 
A partir de 1901 começou a ocupação territorial da área onde está localizado o Município de Figueirão, antes habitadas pelos Caiapós. As famílias pioneiras que se afazendaram são procedentes de Goiás e das Minas Gerais: foram os Custódios, Rodovalho, Fernandes, Malaquias, Furtado, Amorim, Berço, Geraldino, Felisbino, Santana e Albino. 
Em agosto de 1935 chegou o casal Moisés de Araújo Galvão e Leontina Geraldino Galvão, jovens recém casados em Coxim. Ele, goiano de Porto Nacional, ela sul-mato-grossense da Corrutela do Jaurú. Moisés veio lecionar, contratado pela família Albino. 
Em 1949 procurando solucionar algumas dificuldades, principalmente referentes à Educação, Moisés e Leontina iniciaram a fundação de Figueirão com a construção de um colégio Estadual que recebeu o nome de ″Escola Rural Mixta de Figueirão″, inaugurado em 1950 pelo Prefeito Municipal de Camapuã Ernesto Sólon Borges. O primeiro morador foi Antônio de Souza, o pedreiro que construiu o colégio e que no final de 1950, após o término da obra vendeu sua casa a Antônio Nunes Ferreira (Boa Vida) que instalou a primeira casa comercial de Figueirão. 
Em 20 de dezembro de 1963 conforme Lei Estadual de n° 2087, o Governador do Estado de Mato Grosso, Dr. Fernando Corrêa da Costa, criou o Distrito de Paz de Figueirão. 
Em 1967 o prefeito municipal de Camapuã, Joaquim Faustino Rosa construiu o prédio onde por muitos anos funcionou a Escola Estadual Doutor ″Arnaldo Estevão de Figueiredo″, transferida em 1997 para outro local situado à Rua Custódio. Em 1972 sob a direção do Professor Nilton França foi autorizado o curso ginasial e, em 1984 na gestão escolar do Professor João Milton Laurindo, o curso de Magistério. Em 1980 o Prefeito Joaquim Rosa realizou mais duas importantes obras: o Posto de Saúde Municipal e a energia elétrica, aposentando para sempre as complicadas lamparinas à querosene. 
Em 1984 o Prefeito Municipal de Camapuã Eraldo Holosback de Azambuja criou a Escola Municipal Altamira — Pólo, sala ″Pequeno Polegar″ para atender a Educação Infantil. Ainda em 1984 foi instalada em Figueirão uma Agência do Banco Itaú que permaneceu até 1987, em 1989 uma agência do Bamerindus, num período de menos de dois anos. O motivo principal destas agências em nossa cidade foi a exigência do Banco Central na modernização tecnológica, investimento sem retorno em localidades de pequena economia. Continuando em 84, o Governador em exercício do Estado de Mato Grosso do Sul, Ramez Tebet inaugurou o Posto de Saúde Estadual, em 15 de setembro de 1985 o casal de médicos Dr. Naldo Luza Nascentes Guimarães e Dra. Zita Bezerra Guimarães inauguraram o Hospital Municipal Dr. Naldo Luza Nascente Guimarães, médicos já residentes aqui desde 18 de julho de 1979. Aos 15 de março de 1985 tivemos acesso a TV Globo e aos 25 de março de 1988 a um posto telefônico, realizações do Prefeito Municipal de Camapuã Eraldo Holosback de Azambuja e, em junho de 1987 por meio de poços artesianos a Sanesul garantiu o abastecimento de água encanada. 
Em 29 de setembro de 2003 o Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, José Orcírio Miranda dos Santos através da Lei Estadual de n° 2680 criou o Município de Figueirão, desmembrando do Município de Camapuã, graças a um trabalho árduo e inteligente dos Vereadores Ildo Furtado de Oliveira e Gilson Pereira de Faria e o autor do projeto, o Deputado Estadual Akira Otsubo e Cícero de Souza. O plebiscito aconteceu no dia 14 de setembro de 2003 e a primeira eleição municipal ocorreu em 3 de outubro de 2004 tendo sido eleito o primeiro prefeito Ildo Furtado de Oliveira e o Vice-Prefeito Benício Custódio Furtado.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE FIGUEIRÃO, MATO GROSSO DO SUL
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE FIGUEIRÃO, MATO GROSSO DO SUL


VALEU POR VIAJAR COM A GENTE


Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Governo de Figueirão, MS / ferias.tur.br / Wikipédia / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem