Pular para o conteúdo principal

ITURAMA, MINAS GERAIS - Com uma rica diversidade cultural como artesanatos, peças de teatro, danças, apresentações e shows musicais, gastronomia, pinturas, exposições de tecidos, roupas e calçados feitos por pessoas da cidade, adquirida ao longo dos séculos de ocupação indígena, acrescidos de alguns costumes africanos, europeus e norte americano




CONHEÇA A CIDADE DE "ITURAMA", MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
BEM VINDO A CIDADE DE ITURAMA, MG. TERRA DAS CACHOEIRAS.
foto - Renan M. S.
AQUI O CENTRO DE REFERÊNCIA EM ITURAMA, MG
foto -  José Bento Chimello
HOTEL EM ITURAMA, MG
foto - Montanha
POLIESPORTIVO DE ITURAMA, MG
foto - José Bento Chimello
PARQUE DE EXPOSIÇÕES DE ITURAMA, MG
foto - Daniel Vilela
SEDE DO PODER EXECUTIVO - PREFEITURA DE ITURAMA, MG
foto - Daniel Vilela
SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA EM ITURAMA, MG
foto - Daniel Vilela
PRAÇA DO SANTUÁRIO DE FÁTIMA EM ITURAMA, MG
foto - ?
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE ITURAMA, MG
foto - ?
foto - Fernando Cunha
foto - Wikipédia
foto - ?
foto - Fernanda Carla
foto - Fernanda Carla
foto - José Bento Chimello
foto - Fernanda Carla
foto - Fernanda Carla
foto - Fernanda Carla
foto - Renan M. S.
CULTURA DA CIDADE DE ITURAMA, MG
Iturama conta também com uma rica diversidade de culturas e projetos culturais, sendo que, no dia 1º de Maio (Dia do Trabalho) de todo ano é realizada uma feira cultural na principal praça da cidade, onde são apresentadas muitas manifestações de suas culturas, incluindo: artesanatos, peças de teatro, danças, apresentações e shows musicais, gastronomia, pinturas, exposições de tecidos, roupas e calçados feitos por pessoas da cidade. Há um grande potencial cultural que Iturama adquiriu ao longo dos séculos de ocupação indígena. E acrescidos de alguns costumes africanos, europeus e norte americano nos últimos 100 anos. A cada feira, novas e exuberantes culturas são expostas, dando aos expositores crédito para continuarem em frente, sempre adquirindo novos conhecimentos e cada vez mais excelência e orgulho em dizerem que são responsáveis pela cultura Ituramense. (Wikipédia)
AQUI A SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE ITURAMA, MG
foto -  Daniel Vilela
TREVO CHEGADA / SAÍDA DE ITURAMA, MG
foto - José Bento Chimello
NOITE AZULADA DE UMA PRIMAVERA EM ITURAMA, MG
foto - Wikipédia
USINA ELÉTRICA "ÁGUA VERMELHA" DE ITURAMA, MG
foto - Érico Christmann
foto - ?
O ENTORNO DA CIDADE DE ITURAMA, MG
foto - Érico Christmann
foto - Fernanda Carla
ALGUMAS DAS MUITAS CACHOEIRAS DA CIDADE DE ITURAMA, MG
foto - Érico Christmann
foto - Érico Christmann
População estimada 2016 (1) - 38.102
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 1.404,663
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 24,53
Código do Município 3134400
Gentílico - ituramense
Prefeito 2017 / ANDERSON BERNARDES DE OLIVEIRA
ORIGEM DO NOME DA CIDADE DE ITURAMA, MG
Há hoje várias traduções para o nome de Iturama. Alguns acham que o nome significa "Cidade das Cachoeiras", outros garantem que é "Região das Cachoeiras". Mas quem explica realmente o significado da palavra é seu criador, José Carvalho, descendente de bugre (índio), como ele mesmo conta: "I" diz ele - é água, "TU" tombo, queda, e "RAMA" - latada; muitas; várias. Ou seja, existiam muitas Cachoeiras na Região e o nome se adaptou imediatamente a esta realidade.

Gentílico: ituramense
HISTÓRICO DA CIDADE DE ITURAMA, MG
Os primeiros habitantes na Região onde está situado o Município do Iturama foram os índios Caiapós, nas proximidades da Cachoeira dos Índio, a 20 Km da Sede do Município, onde atualmente funciona a Usina Hidroelétrica de Água Vermelha. O local onde os indígenas fizeram seu aldeamento, no passado era denominado "Aldeia dos Índios", desapareceu com barragem feita pela CESP. O povoamento foi desenvolvido paulatinamente, com origem desconhecida, permanecendo anônimos, mesmo esquecidos, os primeiros desbravadores.
Nos fins do século passado vivia aqui Dona Francisca Justiniana de Andrade, viúva de Antonio Paula Diniz. Dona Francisca possuidora de enorme latifúndio, cuja sede denominava-se Fazenda Santa Rosa, planejou formar um povoado, conferindo para isso uma escritura de doação de 189 alqueires da terra, à Diocese de Uberaba, em honra ao Sagrado Coração de Jesus. Essa escritura foi em São Francisco de Sales, em 24 de março de 1897.
Em 1905 construiu-se a almejada Capela por iniciativa do Senhor Laudemiro da Silva Rosa.
Iniciou-se a venda da área a terceiros e foram surgindo se primeiras casa, resultando um povoado que recebeu o nome de Santa Rosa, em homenagem a Dona Francisca; cuja Fazenda-Sede de sua propriedade levava este nome.
A Igreja que é hoje a atual matriz, na Praça Santa Rosa, foi mandada construir por Dona Maria Petronília de Freitas e seu marido senhor Odilon Antonio de Freitas, no ano de 1931. Também o primeiro cemitério de tijolos foi construído em 1931, por Arthur Peaguda da Loma. O povoado pertencia ao Município de Frutal.
O senhor Odilon Antonio de Freitas, vindo de Campina Verde, trabalhou incansávelmete e conseguiu que o povoado fosse elevado a Distrito, conforme decreto nº 148 de 17 de dezembro de 1938, criou-se o Distrito de Santa Rosa, passando a pertencer ao Município de Campina Verde e foi instalado em 1º de agosto de 1939, sendo o primeiro oficial de registro o Sr. Filadelfo Rodrigues de Lima. O primeiro médico a residir no Distrito foi Dr. Luiz Altafim Neto. O Distrito de Santa Rosa passou a chamar-se Camélia em 31 de dezembro de 1943.
Em 1948 iniciou-se uma campanha com uma comissão objetivando a emancipação do Distrito de Camélia, para elevá-lo a município de Iturama. Membros dessa comissão foram diversas vezes a Belo Horizonte, afim de acompanhar de perto o processo de emancipação levando em mãos aos membros da comissão Estadual os documentos complementares. Acompanhou o processo o causídio Dr. Tomáz neves. 
No dia 1º de janeiro de 1949, em Sessão Solene, presidida pelo primeiro Juiz de Paz do município, Sr. Palmério Ursedo de Queiroz, instalou-se o município de Iturama.
Foi nomeado pelo Governo do Estado para intendente o Sr. Heliodoro Gonçalves da Maia, que instalou a prefeitura em 22 de março de 1949.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE ITURAMA, MINAS GERAIS 
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE ITURAMA, MINAS GERAIS

VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem