Pular para o conteúdo principal

ABAÍRA, BAHIA - Recursos naturais de valor inestimável com trilhas antigas de garimpeiros, mountain byke, cavalgadas e off-road. Para os que adoram um desafio, pode-se fazer ainda trecking, rapel e escaladas entre os vales e montanhas.




CONHEÇA A CIDADE DE "ABAÍRA", BAHIA, BRASIL
Foto - facebook.com/abairabahia
BEM VINDO A CIDADE DE ABAÍRA, BAHIA - CAPITAL BAIANA DA CACHAÇA
População estimada 2016 (1) - 9.212
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 538,677
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 15,68
Código do Município  2900108
Gentílico - abairense
Prefeito 2017 / EDVAL LUZ SILVA
ORIGEM DO NOME
Abaíra é um termo originário da língua tupi antiga: significa "abundância de mel", pela junção de abá (abundância) e a'yra (mel).

Gentílico: abairense 
Histórico 
Abaíra 
Bahia - BA 
HISTÓRICO 
Através da história do Brasil, tomamos conhecimento de que o que evidenciava a fundação de uma cidade no período colonial era um marco simbólico, como a implantação de um pelourinho ou a celebração de uma missa. 
Em Abaíra, o único testemunho que prova sua origem é a Igreja Matriz datada de 1879, hoje bastante descaracterizada de sua arquitetura inicial. 
No final do século XIX, o cidadão José Joaquim de Azevedo, morador do Curralinho, recebeu, de herança, uma fazenda, onde passou a residir. Tal fazenda era chamada “Capoeira de Cana”, devido à grande quantidade de cana ali existente. José Joaquim de Azevedo, vendo a necessidade daqueles que o procuravam, achou-se na obrigação de abrir um comércio de gêneros alimentícios para atender aos mineradores que se deslocavam do Bom Jesus do Rio de Contas para Mucugê e também o pessoal dos arredores. Com o passar do tempo, tornou-se um hábito aos domingos as pessoas procurarem a “Venda” para tomar uma boa cachaça que ali era fabricada. Foi por isso que José Joaquim de Azevedo recebeu o apelido de “Zé da Venda”. 
Com o passar dos tempos, muitos daqueles frequentadores da “venda” e mesmo os que passavam em busca de minérios, ficaram desejosos de se estabelecerem na cidade. Zé da Venda começou, então, a doar terras para que eles construíssem ao redor da igreja. Assim, foi crescendo um povoado com o nome de “Venda” num lugar conhecido como Capoeira de Cana. 
Zé da Venda era um homem muito religioso e, com o crescimento dos frequentadores da venda, sentiu a necessidade de construir uma igreja. No início, os atos religiosos eram celebrados numa palhoça, até que a igreja ficasse pronta. Não esquecendo que, naquela época, se sepultavam os mortos junto à igreja, sob a proteção do Senhor, conforme era na tradição dos colonizadores portugueses. 
Zé da Venda mandou construir uma igreja, que logo ficou pronta no ano de 1879. Ele mandou buscar uma imagem para ser a padroeira da cidade. No dia da chegada da imagem, organizou uma festa que aconteceu no dia 2 de fevereiro de 1879. Para esta festa, foram convidados várias pessoas de outras localidades. A recepção da padroeira Nossa Senhora da Saúde ocorreu num lugar chamado Gajé. 
Todos esses acontecimentos tiveram, como principal patrocinador, Zé da Venda. Foi realizada a 1ª missa pelo padre da cidade de Bom Jesus do Rio de Contas, atual Piatã, o reverendíssimo padre José de Souza Barbosa, conhecido como padre Souza. 
A igreja foi construída um pouco virada para o lado esquerdo. Isto é, com a frente virada para a casa de Zé da venda, de onde, caso adoecesse, poderia assistir à missa de sua janela. Ele era possuidor de muitos escravos, os quais ajudaram na construção da igreja. 
José Joaquim de Azevedo se apaixonou por uma jovem de nome Ana Vitória que morava próximo dali. Todavia, essa jovem gostava de um moço que residia num lugar denominado Fernando, chamado Antônio Precasso, moço que viajava com tropa e gostava de tocar violão. E com ela se casou, tendo três filhos: Antônia Amélia, Augusta e Maria Etelemina. 
Zé da Venda, por sua vez, contraiu matrimônio com Maria Rosa, com quem teve um filho de nome Antônio Vitorino Azevedo. Este seu filho casou-se com Melânia Rosa de Oliveira e ambos tiveram três filhos: Agripino Augusto de Azevedo, Simpliciana Azevedo e Agemiro Azevedo. O último faleceu aos oito anos de idade. Já os outros Agripino e Simpliciana foram criados por seu avô paterno, Zé da Venda. 
Quis o destino que o seu sonho realizasse. Zé da Venda ficou viúvo e Precasso também faleceu depois de ter contraído uma febre em uma de suas viagens com tropa, deixando Ana Vitória viúva com três filhos. Então Zé da venda desposou sua amada Ana Vitória. 
Com a igreja construída e a expansão do povoado, foi criado o distrito de Tabocas, devido à grande quantidade de uma espécie de bambu que existia às margens do rio Taboquinha. 
Em 9 de agosto de 1916, o distrito de Tabocas teve seu nome alterado para Abaíra. Esse nome foi tirado de uma obra do romancista Lindolfo Rocha dos termos da língua tupi que havia neste livro: Aba: Abundância + Íra: Mel = Abaíra: Abundância de Mel (tal etimologia, no entanto, é contestada pelo dicionário de tupi de Eduardo de Almeida Navarro). 
Gentílico: abairense
Foto - facebook.com/abairabahia
A CIDADE DE ABAÍRA, BAHIA 
Apesar de ser conhecida como a terra da cachaça, Abaíra tem diversas outras maravilhas a oferecer ao visitante. Localizada a 592 km de Salvador, a cidade também orgulha de seus recursos naturais e de um rico acervo arquitetônico que guarda a história dos tempos dos coronéis e da passagem da Coluna Prestes pela Bahia. Situado no coração da Chapada Diamantina, o município, que no vocabulário indígena quer dizer abundância de mel, encontra-se em uma região de rochas cristalinas, possui um relevo bastante montanhoso, seu clima é tropical sub-úmido do tipo seco, atualmente, a localidade conta com uma população de 9.212 mil habitantes.
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - ?
Foto - ?
Além do patrimônio histórico e cultural, a cidade também tem potencial para o turismo ecológico, sendo uma boa alternativa para suas férias neste verão ou somente um final de semana com muito sossego, ar puro e cultura. Como todos os municípios da Chapada, Abaíra oferece ao turista lugares de rara beleza e opções de lazer que não acabam mais. Aqui, é possível escalar o Pico do Barbado, o maior do Nordeste, com mais de dois mil metros de altura, há ainda as cachoeiras da Samambaia e Antônio João, o rio subterrâneo, as pinturas rupestres e o Casarão da Água Suja. Aliás, casarões e sítios do século 18 são uma excelente pedida para o turista que deseja se hospedar num cenário bem diferente do habitual.
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
Cidade simples, mas bem cuidada, Abaíra atualmente vem experimentando forte crescimento diante da atividade canavieira. O município passou a ser referência nordestina na produção da cachaça de boa qualidade. Localizados a cerca de 40 km da sede do município, os casarões em estilo colonial, da época do ciclo do ouro e do diamante, dispõem de vários cômodos e são cercados por áreas verdes e montanhosas, além de engenhos e cavernas que compõem ainda mais a maravilhosa paisagem. São cerca de 23 casarões prontos para receber visitantes, essa idéia é um projeto desenvolvido pela prefeitura municipal em parceira com o Programa de Turismo Rural da Secretaria da Cultura e Turismo. O turismo rural é um dos segmentos que mais têm se desenvolvido nos últimos anos na Bahia, oferecendo diversas alternativas em diferentes cenários para turistas nacionais e estrangeiros.
MONUMENTO AO PRODUTOR DE CACHAÇA NA CIDADE DE ABAÍRA, BAHIA
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
Além de oferecer hospedagem em lugares históricos e rústicos, Abaíra tem várias opções de lazer tanto para o dia como a noite, como trilhas e caminhadas, que têm no percurso engenhos, pequenos povoados, cachoeiras, rios e plantações e estão entre os programas mais procurados. Os bares e as festas de praça, com apresentação de bandas locais é outra ótima pedida para as noites frias do lugar. 
Foto - Heckel Junior
Foto - ?
CACHOEIRA DAS SAMAMBAIAS NA CIDADE DE ABAÍRA, BAHIA
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
CACHOEIRA ANTÔNIO JOÃO EM ABAÍRA, BAHIA
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - ?
AVENTURA EM ABAÍRA, BAHIA
Em Abaíra encontra-se o Pico do Barbado, ponto culminante da Bahia com 2.033 metros de altitude. É também na localidade que se encontram recursos naturais de valor inestimável e um rico acerco arquitetônico que guarda a história dos tempos dos coronéis e da passagem da Coluna Prestes pela Bahia. Para quem gosta de aventura em contato com a natureza, as trilhas antigas de garimpeiros na mata sugerem longas caminhadas, mountain byke, cavalgadas e off-road. Para os que adoram um desafio, pode-se fazer ainda trecking, rapel e escaladas entre os vales e montanhas. 
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - ?
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
Foto - facebook.com/abairabahia
Outro local muito visitado é o distrito de Catolés, que possui um sítio histórico com construções do século XVIII e foi cenário do filme “O Cascalho”, de Tuna Espinheira. A localidade fica em uma área acidentada, mas a vila apresenta um traçado regular e tipo urbano simples. A arquitetura é espontânea, formada por grutas naturais, está despertando para o ecoturismo e a habitação de antigos garimpeiros foi revitalizada para abrigar museu e galeria que resgatam a cultura do diamante. 
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO BOM SUCESSO NO DISTRITO DE CATOLÉS, ABAÍRA, BAHIA
Foto - facebook.com/abairabahia
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO BOM SUCESSO NO DISTRITO DE CATOLÉS, ABAÍRA, BAHIA
Foto - facebook.com/abairabahia
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO BOM SUCESSO NO DISTRITO DE CATOLÉS, ABAÍRA, BAHIA
Foto - facebook.com/abairabahia
MONUMENTO AO GARIMPEIRO NO DISTRITO DE CATOLÉS, ABAÍRA, BAHIA
 Foto - ?
ESTRADA REAL NO MORRO DO BARBADO NA CIDADE DE ABAÍRA, BAHIA
Foto - Rui Rezende
Como se pode ver, Abaíra tem muito mais do que uma boa cachaça, tem turismo ecológico e de aventura de qualidade, num lugar bonito por natureza, cheio de histórias e encantos a serem descobertos. Os que desejam conhecer a cidade, saindo de carro da capital pela BR-324 é preciso chegar em Itaberaba, a partir daí, há duas opções: ir até Mucugê, por Andaraí, passar por uma estrada de 20km sentido Barra da Estiva, onde há placas de sinalização indicando a reta final; ou seguir sentido Seabra, após 18km virar a esquerda, seguir até Piatã e depois mais 23km, enfim Abaíra. Essa opção aumenta o percurso em 100km, mas a estrada é asfaltada e oferece mais segurança. (Fonte: Ascom da UPB. Gutemberg Cruz)
Foto - Alex Uchoa
Foto - facebook.com/abairabahia
PICO DO BARBADO E PICO DO ITOBIRA EM ABAÍRA, BAHIA
O Pico do Barbado localiza-se no povoado de Catolés de Cima no município de Abaíra. Ponto culminante do Nordeste com 2.033 metros de altura. Eh uma formação geológica de rara beleza e se encontra em uma área de proteção ambiental devido a sua exuberante riqueza botânica. A APA (Área de Proteção Ambiental) Serra do Barbado é constituída por um conjunto de de serras altas onde se encontra o Pico do Barbado com 2.033 metros de altitude, além do Pico do Itobira, o segundo mais alto com 1.930 metros.
Foto - Rui Rezende
Foto - Rui Rezende
Foto - ?
Foto - ?
Foto - ?
Para se chegar até o Pico do Barbado, saindo de Abaíra de carro ou de moto em direção ao distrito de Catolés e de lá se dirigindo até o povoado de Catolés de Cima. A estrada é de terra com ladeiras pavimentadas de pedras. Do alto do pico se avista outros picos, como o do Itobira e também o Pico das Almas no município vizinho de Rio de Contas, e a Serra da Tromba, em Abaíra e Piatã.
Foto - ?
ESTE EH O BRASÃO DA CIDADE DE ABAÍRA, BAHIA 


VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE



Fonte / Fotos = IBGE / Thymonthy Becker / Wikipédia / facebook.com/abairabahia / Governo de Abaíra, BA / União dos Municípios da Bahia / 


Comentários

  1. Como faço para descobrir algo sobre a loja Maçônica de Abaíra?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Renato. Blz? Este site (http://www.maconariaonline.com/loja/2292) pode de dar alguma informação ou você conseguir através dele. "E se algum de nossos leitores souberem, por favor deixe a informação nos comentários".
      Valeu parceiro. Abraços e tudo de bom

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

5 ESTRADAS BRASILEIRAS QUE VALE A PENA DIRIGIR POR ELAS - Viajar de carro pode ser muito bom, se for por uma dessas estradas. Confira cinco trechos que agradam tanto quanto o destino final de suas férias

CONHEÇA 05 ESTRADAS QUE VALE A PENA VOCÊ VIAJAR DE CARRO POR ELAS. Há quem diga que o importante não é o destino final, e sim o caminho até lá. Em uma viagem de carro, não costuma ser bem assim, considerando o péssimo estado do asfalto de nossas estradas, além do custos do pedágio, motoristas ruins e a falta de uma boa paisagem. Mesmo com todos esses problemas, é possível aproveitar um passeio automotivo pelo Brasil em uma das cinco estradas escolhidas pela Hertz, empresa especializada em aluguel de veículos: Confira ESTRADA REAL / MINAS GERAIS / RIO DE JANEIRO / SÃO PAULO  Também conhecida como Caminho Real, é uma das estradas mais famosas do Brasil, por ser um dos principais pontos turísticos do País. Tem 1.630 quilômetros de extensão, passando por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Motivos não faltam para visita-la, com um circuito de 179 cidades históricas, passando por belas paisagens formadas pelos trechos de mata atlântica. Tem até atividades fora do carro, como caminhada…

VIRGINÓPOLIS, MINAS GERAIS - Alem da festa da Jabuticaba que acontece anualmente, a cidade possui uma das maiores escadarias de igreja do mundo, com mais de 500 degraus

CONHEÇA A CIDADE DE "VIRGINÓPOLIS", MINAS GERAIS, BRASIL A cidade é regionalmente conhecida pela tradicional Festa da Jabuticaba, que ocorre anualmente em setembro. Um aspecto interessante é que, apesar da festa, a cidade não se configura como grande produtor da fruta.  Outro aspecto cultural interessante é a presença da Capela de Nossa Senhora do Patrocínio, que possui uma das maiores escadarias de igreja do mundo, com mais de 500 degraus, construídos pelos próprios moradores da cidade em mutirões realizados no fim da década de 1980.  CASARÃO NA CIDADE DE VIRGINÓPOLIS, MG(asminasgerais.com.br) CASARÃO EM VIRGINÓPOLIS, MG (asminasgerais.com.br) CENTRO DA CIDADE DE VIRGINÓPOLIS, MG (asminasgerais.com.br) PRAÇA EM VIRGINÓPOLIS, MG (asminasgerais.com.br) VIRGINÓPOLIS, MG(asminasgerais.com.br)
CASARÃO EM VIRGINÓPOLIS, MG(asminasgerais.com.br)
PRAÇA EM VIRGINÓPOLIS, MG(asminasgerais.com.br)
RUA CENTRAL DA CIDADE DE VIRGINÓPOLIS, MG(asminasgerais.com.br)
UMA DAS MAIORES ESCADARIAS …

ITUIUTABA, MINAS GERAIS - Com vários atrativos turísticos como cachoeiras, trilhas, museu, parques. artesanato regional e a famosa cachaça artesanal

CONHEÇA A CIDADE DE "ITUIUTABA", MINAS GERAIS, BRASIL BEM VINDO A CIDADE DE ITUIUTABA, MG. PORTAL DO TRIÂNGULO MINEIRO foto - ? População estimada 2016 (1) - 103.945 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 2.598,046 Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 37,40 Código do Município 3134202 Gentílico - ituiutabano Prefeito 2017 / FUED JOSE DIB ORIGEM DO NOME O nome da cidade eh de origem indígena: I - rio, TUIU ­barrento; TABA - povoação, cidade. “Cidade do rio barrento”
Gentílico: ituiutabano HISTÓRICO Ituiutaba é uma fusão de vocábulos tupis que significa "povoação do rio Tijuco". Os primitivos habitantes do município eram ameríndios, pertencentes ao grupo Gê, também chamados caiapós. Uma das tribos que deixaram fama na região foi a dos panariás, muito bem estudada por Alexandre Barbosa, de Uberaba. Por fim ela foi aldeada na atual povoação de São Francisco de Sales, às margens do Rio Grande, no vizinho município de Campina Verde. Os panariás - assinala o his…

MONUMENTO HOLGER DANSKE, DINAMARCA - A tradição diz que a estátua ganhará vida quando a Dinamarca se encontrar em grande perigo e salvará a nação

CONHEÇA O "HERÓI LENDÁRIO DA DINAMARCA - HOLGER DANSKE ", DINAMARCA 
Explorar as criptas e catacumbas do Castelo de Kronborg é uma grande experiência. Escondido no porão do castelo, você vai conhecer o dinamarquês Holger (Holger Dansk), uma imponente estátua de pedra. Holger o dinamarquês, é uma figura lendária na cultura dinamarquesa. Se a Dinamarca se encontrar em apuros, ele vai acordar e defendê-la! HOLGER DANSKE, OU HOLGER, O DINAMARQUÊS, É UM HERÓI LENDÁRIO DA DINAMARCA. A PRIMEIRA REFERÊNCIA QUE TEMOS SOBRE A SUA EXISTÊNCIA APARECE EM ANTIGOS POEMAS FRANCESES, DE MEADOS DO SÉCULO XI. DE ACORDO COM A LENDA, ERA FILHO DE GODOFREDO, REI DA DINAMARCA. O SEU FILHO FOI MORTO POR CARLOS, O JOVEM, FILHO DE CARLOS MAGNO; EM BUSCA DE VINGANÇA, PROCUROU-O E MATOU-O. SÓ POR POUCO O IMPEDIRAM DE MATAR O PRÓPRIO CARLOS MAGNO. RESISTIU A CARLOS MAGNO DURANTE SETE ANOS, MAS FEZ A PAZ PARA LUTAR AO LADO DELE CONTRA OS SARRACENOS. DURANTE ESSA BATALHA MATOU O GIGANTE BREHUS. OS BARALHOS …

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

CONHEÇA A CIDADE DE "SERRA DO NAVIO", AMAPÁ, BRASIL CONHEÇA A FAMOSA "LAGOA AZUL" DE SERRA DO NAVIO, AP A história da Lagoa Azul se mistura à criação da Serra do Navio e à atividade de exploração na década de 1950 A Amazônia é conhecida pelos rios, igarapés e cachoeiras. Mas, a maioria das pessoas nem imaginam que aqui existam lagoas de águas azul turquesa. A 208 quilômetros de Macapá, capital do Amapá, fica a Lagoa Azul, um paraíso que nasceu de uma mina abandonada. O lugar fica próximo à Vila Serra do Navio, cidade criada na década de 1950 para abrigar os trabalhadores de uma empresa de mineração. A lagoa azul e o passado da história da Serra do Navio estão entrelaçados. De acordo com a prefeitura da cidade, a cor marcante da lagoa, em tom azul anil, acontece por conta dos minérios da região especialmente o carbonato de manganês. O lugar era uma mineração. Hoje é possível chegar até lá através de trilhas ou de carro. A região é cercada por uma floresta tropical. O…

IGUATAMA, MINAS GERAIS - Belo, pacato, acolhedor e cheio de histórias este Porto Real

CONHEÇA A CIDADE DE "IGUATAMA", MINAS GERAIS, BRASIL
Foto - Thymonthy Becker SEJA VOCÊ BEM VINDO A CIDADE DO PORTO REAL. SEJA BEM VINDO A TRANQUILA IGUATAMA. foto - Thymonthy Becker População estimada 2016 (1) - 8.182 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 628,200
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 12,78
Código do Município 3130309
Gentílico - iguatamense
Prefeito 2017 / IVONE RODRIGUES LEITE
ORIGEM DO NOME
IGUATAMA É UM NOME DE ORIGEM INDÍGENA "IGUATERAMA" - E SIGNIFICA "ENSEADA DA MINHA TERRA", NUMA CLARA ALUSÃO À CURVA DO RIO SÃO FRANCISCO QUE FICA EM FRENTE À CIDADE.
HISTÓRICO NO INICIO DO SÉCULO PASSADO, O GOVERNO IMPERIAL DETERMINOU A ABERTURA DE UMA ESTRADA QUE LIGASSE OS SERTÕES DE GOIÁS, TRIÂNGULO E OESTE DE MINAS ÀS CAPITAIS DA PROVÍNCIA E DO IMPÉRIO. NO LOCAL ONDE A MESMA CRUZOU O SÃO FRANCISCO, MANDOU INSTALAR UMA BALSA E JÁ EM 1830, HAVIA ALI TAMBÉM UM POSTO FISCAL. OS VIAJANTES PERNOITARAM AS MARGENS DO SÃO FRANCISCO, ONDE MUITOS …

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - Em 1963 fecharam o túnel que criou praias, formou cânions, inundou vilarejos mudando para sempre a história de 34 cidades mineira e formando o espetacular “Mar de Minas”

CONHEÇA A "REPRESA DE FURNAS", SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS, BRASIL foto - Thymonthy Becker No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas. (Thymonthy Becker) A sede do município de Guapé ficou praticamente submersa, o que levou à construção de uma nova sede em local definido pela população. O distrito de São José da Barra, então pertencente a Alpinópolis e emancipado em 1994, ficou integralmente debaixo das águas e deu lugar à "Nova Barra", que a pedido do padre Ubirajara Cabral, pároco local, foi construída pela Central Elétrica de Furnas na forma de um banjo. (Thymonthy Becker) A maioria dos municípios possuía vocação agropecuária, mas com o alagamento das ár…

CARRANCAS, MINAS GERAIS - Um pequeno paraíso conhecido como Terra das Cachoeiras pois possui mais de 120 quedas d'água na Estrada Real. Considerada um dos novos pólos de Ecoturismo, é um lugar ideal para a prática de Montain Bike, Trekking e outros esportes que lhe propiciam o contato com a natureza. Tem o grande poço da esmeralda, além das grutas da toca e da cortina, ainda pode-se observar pinturas rupestres e um escorregador com cerca de dez metros que termina com um divertido mergulho.

CONHEÇA A CIDADE DE "CARRANCAS", MINAS GERAIS, BRASIL

MUITO BEM VINDO AO PARAÍSO. BEM VINDO A CARRANCAS. MINAS EH ISTO E MUITO MAIS. imagem "?" Com mais de 50 cachoeiras, a cidade está voltada para o ecoturismo – suas belas paisagens frequentemente servem de cenário para novelas. Há quedas d’água de fácil acesso, mas as mais bonitas ficam escondidas na mata fechada, aonde só se chega por trilhas (que devem ser percorridas com a ajuda de guia). Entre novembro e março, a chuva torna as cachoeiras perigosas. A maioria das pousadas está próxima de grutas e cachoeiras, e muitas têm piscinas naturais. Foto - ?
POÇO DO CORAÇÃO
O acesso é tranquilo: pegue a Estrada para Itutinga, entre à esquerda após a primeira ponte para chegar ao Complexo da Toca. O carro fica na portaria, e você segue a trilha até o para o escorregador (é bom ponto para banho, ao lado da Gruta da Toca). A partir dele, suba margeando o rio: há vários poços e pequenas quedas até a principal atração local, a …

MONJOLOS, MINAS GERAIS - O município possui alto potencial de ecoturismo, pois conta com diversas cachoeiras, corredeiras, grutas e trilhas, todas cercadas por uma vasta e bela vegetação e que proporcionam deliciosos passeios de bike, motos, jipes ou até mesmo simples caminhadas.

CONHEÇA A CIDADE DE "MONJOLOS", MINAS GERAIS, BRASIL Situada na região central mineira, na Bacia do Rio das Velhas em um vale da Serra do Cabral, Monjolos integra, além da Estrada Real, o Circuito dos Diamantes.  A 265 km da capital mineira, o município possui alto potencial de ecoturismo, pois conta com diversas cachoeiras, corredeiras, grutas e trilhas, todas cercadas por uma vasta e bela vegetação e que proporcionam deliciosos passeios de bike, motos, jipes ou até mesmo simples caminhadas.
Rio Pardinho em Monjolos, MG(Instituto estrada Real)  A Área de Preservação Ambiental do Vale do Fundo apresenta uma densa mata virgem banhada por deleitáveis nascentes e cascatas. Ainda pouco explorada, a Gruta do Pau-Ferro possui grandes galerias com estalactites e estalagmites.  A cidade ainda possui um Centro de Artesanato, onde é exposto e vendido todo o artesanato da região. A Igreja Matriz Nossa Senhora do Livramento, a Ponte Férrea do Rio Pardo e o Monumento a Monjolos também aju…

LEOPOLDINA, MINAS GERAIS - Cachoeiras e trilhas nas Montanhas Mágicas das Minas Gerais

CONHEÇA A CIDADE DE "LEOPOLDINA", MINAS GERAIS, BRASIL  BEM VINDO A CIDADE DE LEOPOLDINA, MG. TERRA DA PALETADA foto - SG Trangel População estimada 2016 (1) - 53.252 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 943,076 Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 54,22 Código do Município 3138401 Gentílico - leopoldinense Prefeito 2017 / JOSE ROBERTO DE OLIVEIRA ORIGEM DO NOME Ao ser criado o Município, teve o nome de Leopoldina, em homenagem à, Leopoldina de Bragança e Bourbon, segunda filha de D. Pedro II
Gentílico: leopoldinense HISTÓRICO O topônimo foi uma homenagem à segunda filha de Pedro II, princesa Leopoldina, em substituição ao antigo de "Feijão Cru", quando da criação do município. A primitiva denominação viera dos primórdios do desbravamento, quando os primeiros brancos, em busca de terras fáceis e ótimas, acamparam à margem de um ribeirão; na manhã seguinte, verificaram não ter o cozinheiro da comitiva prestado a devida atenção ao fogo, que se improvisara para af…