Pular para o conteúdo principal

SABARÁ, MINAS GERAIS - O primeiro povoamento das Minas Gerais eh a terra do Eldorado perdido. Importante centro comercial estratégico ligado à Estrada Real, a vila de Sabará abrigava gente de várias origens e habilidades de expressão, o que fez com que a vila se destacasse tanto na arquitetura religiosa, quanto na ourivesaria com peças de qualidade e beleza admirável. Com dezenas de construções barrocas com seus belos casarões e belas igrejas, o Centro Histórico de Sabará se tornou um dos principais atrativos turísticos. O Centro Histórico da cidade de Sabará é considerado um dos conjuntos arquitetônicos mais preservados, passando por pouquíssimas intervenções ao longo dos anos, mantendo toda a beleza dos antigos casarões por suas ruas e vias estreitas.




CONHEÇA A CIDADE DE SABARÁ, MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM

copyrigth "Borbosa"
CAPELA DO SENHOR BOM JESUS
copyrigth "Luis Macedo"
CASA BORBA GATO
No antigo casarão do século XVIII, com dois pavimentos, foi construído em barro e madeira, e atualmente abriga o Núcleo Cultural do Museu do Ouro de Sabará e um acervo literário e um arquivo histórico sobre o Ciclo do Ouro no Brasil.
A Casa Borba Gato está localizada na Rua Borba Gato, 7, e é aberta a visitação de terça a sexta, das 12:00 às 17:00h. Não há taxa de visitação. (Pelas Estradas de Minas)
MUSEU DO OURO
O Museu do Ouro de Sabará funciona na antiga Casa de Intendência e Fundição do Ouro de Sabará, estabelecimento que controlava a produção de ouro e era responsável pela cobrança do Quinto (imposto destinado à Coroa Portuguesa).
Casas como o casarão foram construídas durante o ciclo do ouro em Minas Gerais em cidades estratégicas como Sabará, Ouro Preto, Serro e São João Del Rey, onde em seu térreo funcionava a administração e o segundo piso funcionava como residência do intendente.
O museu foi montado seguindo essas características, onde no seu térreo com chão calçado com pedras redondas estão expostos objetos, equipamento e maquetes que contam a história da mineração, como peças relacionadas à extração, processo de fundição, cunhagem e controle do ouro.
No segundo piso, que serviu de residência para o Intendente, estão expostas peças do mobiliário e arte sacra.
O museus está aberto para visitação de terça a domingo, das 12:00 às 17:30h. É cobrando uma taxa de visitação no valor de R$1,00.
Não é permitido fotos na parte interna do museu. (Pelas Estradas de Minas)
Interior do Museu de Ouro (Pelas Estradas de Minas)
Prefeitura Municipal (Pelas Estradas de Minas)
Rua Borba Gato (Pelas Estradas de Minas)
TEATRO MUNICIPAL E CASA DE ÓPERA 
Segundo teatro mais antigo do Brasil ainda em atividade, o Teatro Municipal de Sabará é uma das principais atrações turísticas da cidade, é considerado uma das Sete Maravilhas da Estrada Real.
Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o teatro que era conhecido como Casa de Ópera de Sabará, tem uma estrutura simples na sua fachada e seu interior segue o modelo de teatro italiano com galerias de madeira em três níveis.
No dia de nossa visita à Sabará não conseguimos visitar seu interior pois estava passando por reformas. Uma pena, pois pelas fotos parece espetacular… Mas não tem problema, a gente volta (Pelas Estradas de Minas)
UM DOS MUITOS CASARÕES DE SABARÁ
copyrigth "Fernando Bezerra"
REGIÃO CENTRAL
copyrigth "Jairo Nunes"
SABARÁ PRESERVA MUITOS DO CHAFARIZ QUE ALI EXISTEM. ESTE EH O CHAFARIZ DA PRAÇA GETÚLIO VARGAS
copyrigth "SgTrangel"
PONTE COBERTA
copyrigth "?"
FAMOSO CHAFARIZ DA RUA KAQUENDE
copyrigth "Luzia Cruz Frata"
SABARÁ ENTRE AS MONTANHAS DAS MINAS GERAIS
copyrigth "?"
ANTIGA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA
copyrigth "Jairo Nunes"
BELÍSSIMA ARQUITETURA DA IGREJA DO "Ó"
Por fora parece apenas mais uma simples igrejinha, mas do lado de dentro trás uma das mais belas e representativas obras do barroco mineiro.
A Igreja de Nossa Senhora do Ó destaca-se pela influência chinesa em sua arquitetura com um altar rico em detalhes de encher os olhos, e com belos painéis com traços orientais.
A igreja é aberta para visitação diariamente das 8h às 17hs, com uma taxa de visitação de R$ 2,00 (Pelas Estradas de Minas)
copyrigth "Luis Macedo"
INACABADA IGREJA DO ROSÁRIO
Localizada na Praça Melo Viana, a Igreja Nossa Senhora do Rosário que foi iniciada em 1768 pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos.
A igreja, mesmo inacabada, retrata toda a fé e força do negro africano, que decidiram construir sua própria igreja, mas sofreu diversas paralisações durante a construção por falta de recursos, sendo a construção abandonada com a abolição da escravidão em 1988. (Pelas Estradas de Minas)
copyrigth "Luzia Cruz Frata"

MATRIZ DE NOSSA SENHORA DO CARMO
Localizada na Rua do Carmo, a Igreja Matriz Nossa Senhora do Carmo foi construída por volta de 1763, é administrada pela Ordem Terceira do Carmo (Ordem dos Homens Brancos), e é tombada pelo IPHAN.
A igreja com características da terceira fase do barroco mineiro e do estilo Rococó, tem a assinatura do Mestre Aleijadinho, com destaques para as imagens de São João da Cruz e de São Simão Stock, e conta também com obras de outros artistas como Francisco Vieira Servas, Joaquim Gonçalves da Rocha e Thiago Moreira.
As visitas podem ser realizadas de terça a sábado de 9:00 às 11:30 e 13:00 às 18:00, aos domingos e feriados de 13:00 às 18:00. É cobrado uma taxa de contribuição de R$ 3,00 para visitação. (Pelas Estradas de Minas)
copyrigth "Laura Sayalero"
IGREJINHA DE SANTO ANTONIO DE POMPEU
copyrigth "Luis Macedo"
BELA "TOMADA" DA IGREJA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO
Localizada na praça Getúlio Vargas, a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição foi erguida por volta de 1710, é uma das mais antigas igrejas do estado de Minas Gerais.
Com exuberantes talhas da arte barroca mineira, é considerada uma das mais ricas matrizes do século XVIII. Sua obras retratam três fases do barroco (do estilo nacional português ao rococó) com talhas douradas nos altares, nas colunas e nos arcos.
A igreja também traz traços orientais e belas imagens, com destaque para imagem em tamanho real de Cristo rica em detalhes, além da pia batismal, de pedra-sabão, atribuída ao Mestre Aleijadinho. (Pelas Estradas de Minas)
copyrigth "Diogo Cabral"
VISTA PARCIAL DA CIDADE
copyrigth "Pedro rezende"
VISÃO DA REGIÃO CENTRAL
copyrigth "?"
PIRÂMIDE ENERGÉTICA. ACREDITA-SE QUE AQUI, HA UMA GRANDE CONCENTRAÇÃO DE ENERGIA.
copyrigth "Betto Fernandes"
PONTE SOBRE O RIBEIRÃO GAIA
copyrigth "Pedro rezende"
PRAÇA SANTA RITA
copyrigth "Fernando Bezerra"
BAIRRO RESIDENCIAL MANGUEIRAS
copyrigth "Jairo Nunes"
RIO DAS VELHAS (NA REGIÃO DE SABARÁ)
copyrigth "Samuel Marcos"
RUA CLARCK
copyrigth "Luis Macedo"
FAMOSA RUA DOM PEDRO II - SÓ CASARÕES DE RARA BELEZA. (Pelas Estradas de Minas)


copyrigth "Barbosa"
UMA DAS LADEIRAS DA CIDADE
copyrigth "?"
SANTA CASA DE SABARÁ
copyrigth "Fernando Bezerra"
ARTESANATOS E COMPRAS EM SABARÁ
Os visitantes podem aproveitar a visita a Sabará para fazer algumas comprinhas de artesanatos e produtos típicos da região. Abaixo algumas sugestões para quem deseja levar algumas lembranças da cidade. (Pelas Estradas de Minas)
LOJINHAS PRÓXIMO A IGREJA DE NOSSA SENHORA DO Ó
Próximo a Igreja de Nossa Senhora do Ó há uma lojinha onde os visitantes encontram itens do artesanato local, e várias opções de lembrancinhas para presentes.
Ao lado da lojinha os visitantes podem saborear um excelente pastel na Casa do Pastel, com várias opções de sabores. (Pelas Estradas de Minas)
SERRA DA PIEDADE (NA REGIÃO DE SABARÁ)
copyrigth "Jairo Nunes"
TOTEM NA ESTRADA REAL
copyrigth "Luk-Boh"
RIACHO NA ZONA RURAL
copyrigth "Jairo Nunes"
ZONA RURAL DA CIDADE
copyrigth "Jairo Nunes"
COLUNAS DE UMA EX FUTURA CONSTRUÇÃO
copyrigth "By Thymonthy Becker"
AS COLUNAS QUE NUNCA FORAM
copyrigth "By Thymonthy Becker"
CHAMINÉ DA INDUSTRIA LAVANDER
copyrigth "By Thymonthy Becker"
População estimada 2016 (1) - 135.196
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 302,419
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 417,87
Código do Município 3156700
Gentílico - sabaraense
Prefeito 2017 / WANDER JOSÉ GODDARD BORGES
Gentílico: sabaraense
HISTÓRICO
"Sabará" é oriundo do termo tupi itá'berab'uçú ("pedra grande brilhante"), que designava a mítica "serra das esmeraldas" procurada pelos bandeirantes.
Tão logo os portugueses chegaram ao Brasil, em 1500, tímidas expedições começaram a explorar o território. Já em 1503, Américo Vespúcio organizou a primeira incursão conhecida, partindo da cidade de Cabo Frio, no Estado do Rio de Janeiro. Várias outras se sucederam, aumentando a frequência no decorrer dos tempos. Não se sabe ao certo quando os primeiros exploradores alcançaram a região de Sabará. 
Muitos foram os personagens na corrida pelas riquezas que os rincões do Brasil escondiam. A "bandeira" organizada por Fernão Dias partiu de São Paulo em 1674 e tinha como finalidade alcançar Sabarabuçu, o eldorado. Fernão Dias morreu em 1681, nas proximidades de Caeté, cidade vizinha. Seu genro, Borba Gato, continuaria seu trabalho e se tornaria uma das figuras mais importantes da história de Sabará e da descoberta do ouro em Minas Gerais.
As incursões seguiam a orientação dos índios, grandes conhecedores dos recantos brasileiros. Eles contavam sobre uma terra distante, rica em pedras preciosas e ouro. A mais fabulosa serra estava lá, em algum lugar e se chamava Sabarabuçu. Era ela a maior justificativa para o imenso sacrifício de desbravar a natureza hostil. Mais que orientadores, os índios transportavam cargas e serviam de interlocutores entre os exploradores e as várias tribos encontradas no caminho.
Embora fracassada em seu objetivo específico, encontrar grandes veios de ouro e pedras preciosas, a "bandeira" de Fernão Dias foi importantíssima, pois criou pousos e revelou grande parte do imenso território de Minas. Seu trabalho possibilitou que as riquezas enfim fossem descobertas poucos anos depois, trazendo levas de trabalhadores à região.
Há indícios de que Borba Gato, quando chegou a Sabará, assistiu uma missa numa pequena capela existente. Segundo os historiadores, o capitão Matias Cardoso de Albuquerque teria atingido as margens do rio das Velhas anteriormente, uma vez que era líder da equipe de Vanguarda da Bandeira das Esmeraldas. Tinha como objetivo abrir caminho e preparar terreno para os demais exploradores do grupo. Cardoso de Albuquerque chegou a uma encosta fértil, abastecida por fontes de água pura.
O lugar, batizado Roça Grande, se tornou pouso obrigatório na travessia para o sertão. É um dos mais antigos de Minas Gerais e tem importância indiscutível no surgimento de Sabará. Coube a denominação de arraial de Santo Antônio do Bom Retiro da Roça Grande até ser instituída a freguesia em 1707. O patrimônio foi doado por Manoel de Borba Gato.
A abundância de ouro alimentou a ganância e consequentemente gerou muitos conflitos. As densas florestas forneciam madeira para a construção de igrejas, sobrados, pontes. Os espaços abertos na mata se transformavam em lavouras diversas. Já em 1702 o arraial da Barra do Sabará, próximo à Roça Grande, era um movimentado centro de comércio de gado, cavalos, escravos e mantimentos, além de ser o mais populoso das Minas Gerais.
Os imigrantes que chegavam iam se estabelecendo por toda parte, formando novos povoados, dentre eles o arraial do Pompeu e o arraial do Raposo. Este último foi desmembrado em três freguesias: Santo Antônio do Rio Acima, Rio das Pedras e Congonhas do Sabará (hoje município de Nova Lima). A prosperidade fez com que o arraial de Sabará fosse elevado à Villa Real em 1711, absorvendo muitos arraiais vizinhos. A Comarca do Rio das Velhas foi instalada em 1714, com sede na vila. Sua imensa área fazia limite com Pernambuco, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Goiás. A posição estratégica fez da Villa Real do Sabará o mais importante empório comercial de Minas Gerais no século XVIII e em mais da metade do século XIX. Além disso, era o maior centro de ourivesaria do Brasil, possuindo o melhor artesanato não só de alfaias sacras, como de jóias de todo gênero".
Sabará tem origem num arraial de bandeirantes que apareceu no fim do século XVII. O povoado cresceu e foi criada a freguesia em 1707, que foi elevada à vila e município em 1711, com o nome de Vila Real de Nossa Senhora da Conceição do Sabará. É cidade desde 1838.
AQUI, A BANDEIRA DA CIDADE DE SABARÁ, MINAS GERAIS
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE SABARÁ, MINAS GERAIS

Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Portal do Governo de Sabará / Wikipédia / pelasestradasdeminas.com.br /


Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem