segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

A CURA - O poder dos Beija-Flores




A CURA PELOS BEIJA-FLORES
TODOS OS DIAS, AO ENTARDECER, VOU CAMINHANDO MEIO QUE APRESSADAMENTE PELO LARGO E LONGO PASSEIO QUE VAI DA IGREJA MATRIZ, NO CENTRO DA CIDADE, ATÉ O BAIRRO ESPLANADA.
E COMO QUASE SEMPRE ACONTECE, COMERCIANTES AO LONGO DESTE PASSEIO JOGAM CANJIQUINHA PARA QUE AS ROLINHAS POSSAM SE ALIMENTAR NAS PROXIMIDADES DE SEU COMÉRCIO.
AS VEZES SÃO CENTENAS DELAS SE ALIMENTANDO ALI.
QUANDO QUALQUER PESSOA SE APROXIMA, AS ROLINHAS SAEM VOANDO E RETORNAM ASSIM QUE A PESSOA TENHA PASSADO.
ISTO TAMBÉM ACONTECE QUANDO VOU PASSANDO POR ESTE LONGO PASSEIO.
MAS HOJE TINHA ALGO DIFERENTE. O POR DO SOL ESTAVA MAIS ALARANJADO, A BRISA SOPRAVA CALMA E FRIA ANUNCIANDO QUE A NOITE SERIA MAIS FRIA QUE A ANTERIOR, AS ÁRVORES TINHAM DEIXADO CAIR MAIS FOLHAS QUE DE COSTUME, O BARULHO DOS CARROS PASSANDO PARECIA QUE ESTAVA MAIS DISTANTES, AS VOZES DAS PESSOAS CONVERSANDO PARECIAM DISTANTES OU ERA EU QUE ESTAVA PERDIDO EM MEUS PENSAMENTOS.
QUANDO FUI ME APROXIMANDO DAS CENTENAS DE ROLINHAS QUE SE ALIMENTAVAM ALI, PERCEBI ALGO DIFERENTE, POIS ELAS NÃO SE IMPORTARAM COM A MINHA CHEGADA.
CONTINUEI CAMINHANDO NORMALMENTE E QUANDO FUI PASSANDO, ELAS SE LIMITAVAM A SAIR APENAS DA FRENTE DE MEUS PASSOS, ISTO SEM SEQUER VOAR. E NÃO IMPORTAVA A DIREÇÃO QUE EU TOMASSEM, ELAS SAIM DA FRENTE COM PRECISÃO.
ASSIM SENDO, NÃO ATINGIA NENHUMA DELAS.
MAS, SEM VER ONDE ESTAVA PISANDO, ACABEI POR PISAR EM UM PEQUENO BURACO DESPE PASSEIO, ONDE MEU PÉ VEIO A TORCER. OUVI APENAS UM ESTALO.
A DOR FOI TERRÍVEL. GRITEI E AINDA ASSIM AS ROLINHAS CONTINUAVAM IGNORANDO MINHA PRESENÇA.
LEVEI AS MÃOS AO PÉ, COM AS ROLINHAS EM VOLTA COMENDO E QUASE NÃO ME DEIXANDO VÊ-LO. MAS PODE VER QUE O MESMO TINHA FICADO ROXO NO LOCAL E QUE POSSIVELMENTE TINHA ACONTECIDO UMA TORÇÃO FORTE.
ESFREGANDO O PÉ DEVIDO A DOR MUITO FORTE, VI QUE UM BEIJA-FLOR CHEGOU E COMEÇOU A VOAR EM MINHA VOLTA. DEPOIS VEIO OUTRO E MAIS OUTRO ATÉ QUE HAVIA UNS 10 BEIJA-FLORES APROXIMADAMENTE.
UM A UM ELES FORAM POUSANDO NO MEU OMBRO E NA MINHA CABEÇA.
A MEDIDA QUE IA POUSANDO EM MIM, A DOR DO MEU PÉ IA SUMINDO ATÉ QUE SUMIU TOTALMENTE QUANDO TODOS ESTAVAM POUSADOS SOBRE MIM. OLHEI PARA O PÉ E NÃO VI NADA ROXO, PARECENDO NÃO TER ACONTECIDO ABSOLUTAMENTE NADA. ENDIREITEI O CORPO VAGAROSAMENTE PARA NÃO ESPANTAR OS BEIJA-FLORES, MAS ELES SAÍRAM VOANDO E FORAM EMBORA.
NÃO SENTIA NADA MAIS NO PÉ E AO SAIR ANDANDO NORMALMENTE, AS ROLINHAS SAÍRAM VOANDO, COMO SE ESTIVESSEM ME VISTO SÓ NAQUELE MOMENTO. 
CONTINUEI POR AQUELE PASSEIO TENTANDO ENTENDER O QUE HAVIA ACONTECIDO. CHEGUEI EM CASA SEM ENTENDER MUITO BEM TUDO AQUILO.
VEZES OU OUTRA, QUANDO VEJO UM BEIJA-FLOR FICO ME PERGUNTANDO SE AQUELE NÃO SERIA UM DOS QUE CURARAM MEU PÉ QUANDO EU MACHUQUEI.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os lugares por onde o Trem mais passou esta semana