Pular para o conteúdo principal

SÃO LUIZ DO PARAITINGA, SÃO PAULO - Em um cenário de ladeiras, ruas, praças, casarões antigos, acontece o carnaval de marchinhas que atrai milhares de turistas anualmente. A parte central da área urbana foi tombada em 1982 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat). A Igreja das Mercês foi reerguida com êxito e inaugurada com grande festa no fim de 2011. Paralelamente, surgem novas atrações, como é o caso do Instituto Elpídio dos Santos, um casarão reformado que conta a trajetória do músico nascido na cidade (e traz um memorial sobre as dificuldades enfrentadas nas enchentes).




CONHEÇA A CIDADE DE "SÃO LUIZ DO PARAITINGA", SÃO PAULO, BRASIL - DA JANELA DO TREM
A parte central da área urbana foi tombada em 1982 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat)
A Igreja das Mercês foi reerguida com êxito e inaugurada com grande festa no fim de 2011. Paralelamente, surgem novas atrações, como é o caso do Instituto Elpídio dos Santos, um casarão reformado que conta a trajetória do músico nascido na cidade (e traz um memorial sobre as dificuldades enfrentadas nas enchentes).
São Luiz do Paraitinga, São Paulo

COMO CHEGAR
Quem vem de São Paulo deve seguir pelo Complexo Ayrton Senna/Carvalho Pinto até o final e entrar na Via Dutra. Depois de 10 km, em Taubaté, vire à direita na Rod. Oswaldo Cruz (SP-125), seguindo até a cidade. Quem vem do Rio de Janeiro e outros estados ao Norte, deve pegar a Via Dutra até Taubaté.
São Luiz é a cidade paulista com o maior número de imóveis tombados Patrimônio Histórico

COMO CIRCULAR
Além de bater pernas pelas atrações do Centro Histórico, São Luiz do Paraitinga tem atrativos naturais em que o carro é indispensável. Com acesso pela Rod. Oswaldo Cruz, no sentido de Ubatuba, o distrito de Catuçaba (a 20 km) abriga a Trilha das Sete Cachoeiras. Na mesma direção o Núcleo Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar (a 40 km) tem trilhas e rafting
Construções históricas em São Luiz do Paraitinga, no interior de São Paulo

ONDE COMER
Comida típica - Herança dos tropeiros, é um prato forte e vigoroso que, segundo a tradição do Vale do Paraíba, deve ser provado com uma boa cachaça. Originalmente, era preparado com partes menos nobres do boi, e o tutano engrossava o caldo. Hoje, utiliza-se o músculo e, no lugar do mocotó, toucinho de porco. O conjunto é cozido por mais de duas horas - na versão tropeira o prato pode permanecer entre oito e dez horas em fogo brando. O molho normalmente leva alho, cebola, um pouco de cominho, urucum, cebolinha, salsinha e pimenta. Misturado à farinha de mandioca, forma um saboroso pirão. O prato é um dos pontos altos da festa do Divino Espírito Santo, quando milhares de pessoas consomem a receita. 
Onde comer: Cantinho dos Amigos
O QUE FAZER
Carnaval em São Luiz do Paraitinga
CARNAVAL
São Luiz do Paraitinga se acostumou a ver suas ruas cheias de gente pulando atrás dos blocos durante o Carnaval. As tradicionais marchinhas, selecionadas entre composições locais num festival que antecede o evento, são perfeitas para quem quer fugir do circuito do axé. A folia ocorre no Centro Histórico e em outros pontos da cidade, como a recém-inaugurada praça de eventos. Programação: 12/3671-1672 (Secretaria de Turismo).
São Luiz do Paraitinga se acostumou a ver suas ruas cheias de gente no Carnaval

Bonecões gigantes do Bloco Juca Teles desfilam em São Luiz do Paraitinga
PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO MAR
O Núcleo Santa Virgínia tem duas bases e várias trilhas, feitas sempre com guia. Na base administrativa, as principais caminhadas são longas e repletas de atrativos naturais. A da Pirapitinga (5,5 km de extensão, 4h o circuito) tem formato de ferradura e leva às cachoeiras das Andorinhas, Salto Grande e Saltinho. A Poço do Pito (8 km, cinco horas ida e volta) margeia o Rio Paraibuna e passa pelas quedas do Lajeado, recortada por nascentes d'água. A mais longa, a trilha do Ipiranga (14 km, seis horas ida e volta), acompanha o rio e leva à Cachoeira do Ipiranga (no caminho há rios menores que cortam o Ipiranga e boa variedade de aves e mamíferos). A base de Vargem Grande, que pertence ao município de Natividade da Serra, concentra outras três trilhas. A Trilha do Garcez (6 km, cinco horas, ida e volta); a do Rio Grande (13 km, seis horas, ida e volta); e o difícil trajeto da trilha do Corcovado (17 km, dez horas, ida e volta), que é compensado pela vista do litoral de Ubatuba, São Sebastião e Ilhabela, do alto de um mirante de 1 168 m.
O rafting no Rio Paraibuna, em São Luiz do Paraitinga, está no cardápio de aventura da região

Rafting no Rio Paraibuna, em São Luiz do Paraitinga, São Paulo
A cidade de São Luiz do Paraitinga também é muito procurada por praticantes de esportes de aventura
Em São Luiz do Paraitinga, o Carnaval havia sido banido pela Igreja Católica durante 50 anos, até ser liberada em 1981
MELHOR ÉPOCA
No Carnaval, em fevereiro, as ruas ficam lotadas de foliões. Quem pretende visitar o Parque Estadual da Serra do Mar para fazer a trilha do Corcovado, na base Vargem Grande, prefira os meses de maio a outubro - chove menos e dá para aproveitar melhor a vista do mirante. As trilhas da base administrativa podem ser percorridas em qualquer época.
O Carnaval em São Luiz do Paraitinga ocorre no Centro Histórico e em outros pontos da cidade

BEM VINDO A CIDADE HISTÓRICA DE SÃO LUIZ DO PARAITINGA.
Em São Luiz do Paraitinga, as marchinhas são perfeitas para quem quer fugir do circuito do axé, durante o Carnaval
AQUI UM CASARÃO DA ESQUINA
imagem - ?
A IGREJA NA SERRA DO MAR
imagem - Kem Badgley
OLHE QUE BELOS CASARÕES / NESTE NASCEU OSWALDO CRUZ
imagem - Wikipédia
imagem - Vilma Borges
ESTA EH A PADARIA
imagem - Vilma Borges
imagem - Vilma Borges
AQUI O CURSINO
imagem - Vilma Borges
VISTA PARCIAL
imagem -  ?
AS JANELAS
imagem - ?
MIRANTE DA TORRE
foto/fonte: www.paraitinga.com
Este é o ponto mais alto da cidade, entrando por uma ruazinha bem em frente ao Mirante do Cruzeiro, basta seguir em frente, a rua é bem estreita e com depressões. De lá se tem um vista incrível da cidade e da região montanhosa.
No meio do caminho, uma parada no Mirante do Alto do Cruzeiro:
A cidade tem em um, dos seus muitos morros, uma cruz. Era lá a marcação inicial do caminho para Ubatuba, conhecido por “Alto de São Sebastião”. Os jesuítas que passaram por esse caminho, em 1881, batizaram com nome atual, “Alto do Cruzeiro”.
Recomendações:
O local é bem ingrime, requer atenção para os motoristas quando for de carro, principalmente pelas ruas estreitas lá em cima do morro.
Estrutura do Local:
Não possui estrutura, o local é aberto e ideal para boas fotos panorâmicas. Pelo caminho existem os comércios locais.
foto/fonte: www.paraitinga.com
HOMENS TRABALHANDO
imagem - ?
CENTRO HISTÓRICO
COM ARQUITETURA EM ESTILO COLONIAL, A CIDADE PRESERVA CARACTERÍSTICAS DA ÉPOCA DOS BARÕES DO CAFÉ. ANDANDO PELO CENTRO, PODEMOS VER LINDOS CASARÕES, LADEIRAS, CAPELAS, PRAÇAS, CORETOS E FONTES.
PASSEAR PELO CENTRO HISTÓRICO É COMO VIAJAR NO TEMPO
imagem - Consuelo
imagem - Eduardo M. Rocha
imagem - Nilson Kabuki
imagem - Eduardo M. Rocha
imagem - Eduardo M. Rocha
imagem - Kem Badgley
imagem - Kem Badgley
imagem - Kem Badgley
imagem - Kem Badgley
imagem - Eduardo M. Rocha
MATRIZ DE SÃO LUIZ DE TOLOSA
imagem - ?
PRAÇA DA MATRIZ COM O CORETO
imagem - Wikipédia
IGREJA DE NOSSA SENHORA DAS MERCÊS
imagem - Antônio J. Vidal
OUTRO CASARÃO
imagem -  Eduardo M. Rocha
PRAÇA DOS CASARÕES
imagem - ?
CORREDEIRAS
imagem - Fábio Vicentin Diniz
CACHOEIRA ARCO
imagem - ?
CACHOEIRA DAS BROMÉLIAS
imagem - ?
CACHOEIRA DO RENÓ MARTINS
MUITO BONITA É UMA DAS MAIS VISITADAS DA REGIÃO, POSSUI UM BAR E ESTACIONAMENTO. OUTRO PONTO POSITIVO É A LOCALIZAÇÃO AO LADO DA ESTRADA QUE LEVA AO PARQUE ESTADUAL DA SERRA DO MAR E NÚCLEO SANTA VIRGÍNIA.
A VISITAÇÃO É LIVRE E NÃO É COBRADA TAXA DE VISITAÇÃO POREM SEMPRE É BOM PRESTIGIAR O COMERCIO LOCAL.
A CACHOEIRA É MUITO BEM CUIDADA E COM BOA MANUTENÇÃO PARA OS VISITANTES.
NÃO É NECESSÁRIO PERCORRER TRILHA, POIS A CACHOEIRA FICA BEM AO LADO DA ESTRADA.
imagem - ?
CACHOEIRA GRANDE
LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE LAGOINHA É MUITO VISITADA TAMBÉM PELOS VISITANTES DE SÃO LUIZ DO PARAITINGA POIS FICA ENTRE OS DOIS MUNICÍPIOS. A CACHOEIRA É A MAIS CONHECIDA DE TODA A REGIÃO E CENÁRIO DE VÁRIOS COMERCIAIS DE TV, A CACHOEIRA GRANDE POSSUI UMA GRANDE QUEDA D´ÁGUA COM 40 METROS DE ALTURA.
SUAS ÁGUAS DESAGUAM EM UM GRANDE POÇO COM FUNDO DE AREIA.
O LOCAL TAMBÉM É REFERENCIA PARA PRÁTICA DO CASCADING (DESCIDA DE RAPEL PELA QUEDA DA CACHOEIRA). PARA QUEM PRETENDE PRATICAR O ESPORTE NOS FINAIS DE SEMANA EXISTE UMA AGÊNCIA ESPECIALIZADA QUE POSSUI QUALIFICAÇÃO E EQUIPAMENTOS QUE GARANTE UMA AVENTURA INESQUECÍVEL COM MUITA SEGURANÇA.
imagem - ?
CACHOEIRA E CORREDEIRA DOS BANCOS
AS CORREDEIRAS DOS BANCOS OU CACHOEIRA DOS BANCOS COMO TAMBÉM É CONHECIDA É MUITO VISITADA, POIS POSSUI ÁGUAS CRISTALINAS E MUITO REFRESCANTES. O LOCAL É A MELHOR OPÇÃO PARA BANHO, POIS POSSUI BONS POÇOS TANTO PARA CRIANÇAS E PESSOAS QUE NÃO SABEM NADAR QUANTO PONTOS MAIS PROFUNDOS. PARA OS MAIS AVENTUREIROS É POSSÍVEL DESCER AS CORREDEIRAS COM BOIAS OU BOTES.
SUA LOCALIZAÇÃO É MUITO BOA, FICA AO LADO DA RODOVIA OSWALDO CRUZ.
imagem - ?
CACHOEIRA DO CHAPÉU
Local muito bonito na região de Catuçaba. Possui grande declividade e várias quedas d'água, tem esse nome por causa de sua localização, no bairro do Chapéu grande. É muito visitada, possui águas refrescantes do Rio do Chapéu. O local é uma ótima opção para banho pois possui bons poços tanto para crianças e pessoas que não sabem nadar quanto pontos mais profundos. Destaque para a pedra em formato de coração.
foto/ paraitinga.com
Recomendações
Todo cuidado é pouco! o local é bem íngrime, oferece riscos de escorregamento e quedas altas. Não abusar nas corredeiras, fendas de pedras e em locais profundos. O risco de afogamento é constante se não tomar as devidas precauções.
foto/ paraitinga.com
Estrutura do Local:
Não possui estrutura, porém as trilhas apesar de ser ingrime são abertas. O local é ideal para um bom piquenique, pois tem boa área com sombra. Estacione às margens da estrada de terra.
RAFTING NÚCLEO SANTA VIRGÍNIA
foto/ paraitinga.com
Dentro do Parque Estadual da Serra do Mar esse roteiro é o mais completo, sempre dentro da mata fechada, com grande potencial para avistamentos de pássaros e mamíferos. Muitas pedras e grandes desníveis com muitas corredeiras, este trajeto possui três corredeiras classe IV, várias corredeiras classe II e III, além de uma corredeira classe V e duas corredeiras classe VI onde é feito portagem. Uma parada para lanche e descanso no meio do percurso.
foto/ paraitinga.com
Percurso:
A atividade tem trecho de 8 Km de rafting no rio Paraibuna.
Tempo de atividade:
6h00 com parada para lanche no meio do percurso.
O que está incluso:
Transporte, alimentação (sucos, lanche, frutas, chocolate, biscoitos doces e salgados e água), equipamentos, seguro aventura e fotos da expedição.
foto/ paraitinga.com
Horário e ponto de encontro:
às 8h30 no Camping Bicho D'água
Valor por pessoa:
R$ 200,00
Forma de Pagamento:
2x com depósito de 50% para confirmação do agendamento e 50% no dia da atividade.
foto paraitinga.com
IMPORTANTE:
Atividade ocorre com agendamento prévio.
PARA AGENDAMENTO ENTRAR EM CONTATO:
Montana Rafting e Expedições:
email: gutoslp@yahoo.com.br 
(12) 99637-7931 watts
Recomendações:
Dormir bem, não ingerir bebidas alcoólicas, trazer roupa extra, vestir roupas leves e utilizar o protetor solar.
foto/ paraitinga.com
A BELA ARQUITETURA
imagem - ?
imagem - ?
VISTA CENTRAL DA CIDADE
imagem - ?
CASARÃO DA FAZENDA
imagem - Eduardo M. Rocha
A CIDADE NA SERRA DO MAR
imagem - Kem Badgley
PARCIAL
imagem - Nilson Kabuki
RUA
imagem - Eduardo M. Rocha
OUTRA PARCIAL
imagem - ?
OPÇÕES DE HOSPEDAGEM / SUGESTÃO 
foto - Divulgação
HOTEL FAZENDA CATUÇABA 
Recria a vida no campo com charme. Boa parte dos alimentos consumidos é produzida ali. Generosas vistas para rios, lagos e montanhas surgem pela área verde – nela, são incentivados piqueniques, cavalgadas e caminhadas. Não há internet na fazenda, nem TVs nos quartos – por outro lado, as suítes exibem camas grandes, vestidas por lençóis de fios egípcios. As casas, mais simples, primam pela localização, ao lado de uma cachoeira ou de um lago. 
foto - Divulgação
foto - Divulgação
foto - Divulgação
Estrada Municipal, km 5, 20 km (5 km de terra) 
Pinga, distrito de Catuçaba 
(12) 3836-9105 (Reservas) 
(12) 3671-6158 (Fone) 
www.catucaba.com
foto - Divulgação
foto - Divulgação
foto - Divulgação
DIA NUBLADO
imagem - ?
População estimada 2016 (1) - 10.735
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 617,315
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 16,84
Código do Município 3550001
Gentílico - luisense
ORIGEM DO NOME
DESDE SEUS PRIMÓRDIOS, O POVOADO TOMOU O NOME DE SÃO LUiz DO PARAITINGA EM HOMENAGEM AO CAPITÃO-GENERAL DA PROVÍNCIA, QUE ORDENOU SUA FUNDAÇÃO, ACRESCIDO DO NOME DO RIO PARAITINGA, EM CUJAS MARGENS ESTÁ LOCALIZADO O MUNICÍPIO.
PARAITINGA É TERMO TUPI " PARAHY-TINGA" QUE SIGNIFICA RIO DE ÁGUAS CLARAS, ASSIM DENOMINADO PELOS INDÍGENAS QUE COMPUNHAM AS PRIMEIRAS EXPEDIÇÕES DO RIO.
Gentílico: luisense
Histórico
SÃO LUIZ DO PARAITINGA SÃO PAULO 
HISTÓRICO 
Os tropeiros que, partindo de Taubaté, desciam a encostas da Serra do Mar em direção ao Porto de Parati, costumavam parar às margens do rio Paraitinga, onde desde os tempos dos bandeirantes, havia um Porto avançado. 
Visando colonizar esta região, o Capitão-general da Província de São Paulo, D. Luís Antônio de Souza Botelho Mourão, nomeou para Juiz das Demarcações das Sesmarias, o Sargento Manoel Antônio de Carvalho que, logo após a demarcação, em 1769, fundou um povoado. 
Construída a Capela de Nossa Senhora dos Prazeres, após 1800, esboçou-se um pequeno povoado, mais tarde São Luís do Paraitinga, que se desenvolveu, a partir de então, devido à exploração de minérios, os engenhos de cana e à produção leiteira. 
Desde seus primórdios, o povoado tomou o nome de São Luís do Paraitinga em homenagem ao Capitão-general da Província, que ordenou sua fundação, acrescido do nome do rio Paraitinga, em cujas margens está localizado. Paraitinga é termo tupi ? parahy-tinga? que significa rio de águas claras, assim denominado pelos indígenas que compunham as primeiras expedições do rio. 
GENTÍLICO: LUISENSE
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE SÃO LUIZ DO PARAITINGA / SP
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO LUIZ DO PARAITINGA / SP

VALEU POR VIAJAR COM A GENTE


fonte dos textos e fotos: Wikipédia / Thymonthy Becker / Montana Rafting e Expedições / IBGE / viajeaqui.abril.com.br / paraitinga.com / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem