Pular para o conteúdo principal

SALINAS, MINAS GERAIS - Capital mundial da cachaça com museu da cachaça que te permite conhecer todas as etapas da produção, inclusive uma experiência sensorial. É uma das Cidades com maior produção de cachaça per capita do mundo, com uma produção de cerca de dois milhões de litros.




CONHEÇA A CIDADE DE "SALINAS", MINAS GERAIS, BRASIL - DA JANELA DO TREM
BEM VINDO A CIDADE DE SALINAS. TERRA DO REQUEIJÃO E CARNE DE SOL. CAPITAL MUNDIAL DA CACHAÇA.
imagem - Arthur Henrique
AQUI O AEROPORTO
imagem - Arthur Henrique
RIO SALINAS
imagem - Jotalu
imagem - Arthur Henrique
BARRAGEM
imagem - Jotalu
imagem - Jotalu
imagem - Arthur Henrique
CASARÕES
imagem - Jotalu
imagem - Jotalu
SEDE DA CEMIG
imagem - Arthur Henrique
AGÊNCIA DA CAIXA E. FEDERAL
imagem - Jotalu
ESCOLA ESTADUAL
imagem - Arthur Henrique
SEDE DO PODER JUDICIÁRIO - FÓRUM
imagem - Arthur Henrique
SEDE DO PODER EXECUTIVO - PREFEITURA - 
imagem - Arthur Henrique
BIBLIOTECA PÚBLICA
imagem - Arthur Henrique
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE SALINAS
imagem - Arthur Henrique
imagem - Jotalu
imagem - Arthur Henrique
imagem - Jotalu
imagem - Arthur Henrique
imagem - Jotalu
imagem - Jotalu
imagem - Jotalu
imagem - Arthur Henrique
imagem - Arthur Henrique
imagem - Jotalu
imagem - Jotalu
imagem - Arthur Henrique
imagem - Arthur Henrique
TURISMO / CACHAÇA / MUSEU DA CACHAÇA
Atualmente, a cachaça é uma importante atividade econômica do município e, recentemente, também tem sido adotada como elemento de identificação para a estruturação turística. O Museu da cachaça eh formado por oito salas que incluem um acervo de garrafas e um moinho montado a partir de temas como sociedade do açúcar, engenhos antigos e atuais, plantação, colheita e moagem da cana e história da cachaça em Salinas.
Salinas eh conhecida como a Capital da Cachaça. É uma das Cidades com maior produção de cachaça per capita do mundo, com uma produção de cerca de dois milhões de litros.
Instalação de 9 metros, com as 1.750 garrafas no Museu da Cachaça, em Salinas (MG)
MUSEU DA CACHAÇA
Museu da Cachaça, na cidade de Salinas, no Norte de Minas Gerais. A iniciativa surgiu de uma parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Salinas, que é a maior fabricante brasileira de cachaça. 
O museu conta com salas de exposição sobre a cadeia produtiva e as características da cachaça artesanal, com painéis fotográficos, áudios, vídeos e uma instalação de 9 metros de alturas com 1.750 garrafas de cachaça produzidas na cidade mineira. O espaço também dispõe de cozinha, restaurante e estrutura para realização de negócios, além de shows e eventos. 
Museu da Cachaça, em Salinas (MG), tem um moinho do século 19 em uma de suas salas
Museu da Cachaça, em Salinas (MG). Na Sala do Engenho há um carro de boi, carretão, moinho de ferro e alambique de cobre
Os visitantes poderão passar por uma experiência sensorial na Sala do Aroma, onde as bebidas percorrem calhas e podem ser distinguidas pelo seu cheiro. O acervo da instituição retrata todo ciclo de produção da aguardente, desde o cultivo da cana de açúcar, a produção artesanal da cachaça de alambique até sua comercialização no Brasil e no mundo. 
Museu da Cachaça, em Salinas (MG). Na Sala do Engenho há um carro de boi, carretão, moinho de ferro e alambique de cobre
Museu da Cachaça 
Onde: Av. Antônio Carlos, 1.250, Salinas/MG 
Quando: de quarta a domingo - das 09h às 19h 
Quanto: grátis 
Mais informações: (38) 3841-4778
Museu da Cachaça, em Salinas (MG)
CONHEÇA UM POUCO MAIS DE SALINAS, MINAS GERAIS, BRASIL
imagem - Arthur Henrique
CAMPINHO DE FUTEBOL
imagem - Arthur Henrique
CERÂMICA
imagem - Arthur Henrique
CIDADE DAS CRIANÇAS
imagem - Arthur Henrique
MERCADO MUNICIPAL
imagem - Arthur Henrique
CORETO DA PRAÇA
imagem - Jotalu
MATRIZ DE SANTO ANTÔNIO
imagem - Arthur Henrique
LATERAL DA MATRIZ
imagem - Arthur Henrique
FRENTE DA MATRIZ
imagem - Arthur Henrique
PARQUE DE EXPOSIÇÕES
imagem - Arthur Henrique
PRAÇAS
imagem - Arthur Henrique
imagem - Jotalu
imagem - Arthur Henrique
imagem - Arthur Henrique
imagem - Arthur Henrique
RESTAURANTE SABOR DE MINAS
imagem - Arthur Henrique
PRAÇA
imagem - Arthur Henrique
HOTEL MINAS BRASIL
O hotel Minas Brasil está na região central da cidade. Os quartos standard são bons, com espaço bem legal, banheiro muito bom e banho quente mesmo. As camas são um pouco mais estreitas que no geral. O café da manhã eh muito legal, com boas opções, mas não muitas. Possui ampla garagem com parte coberta que fica de frente (do outro lado da rua) ao hotel e o estacionamento eh gratuito. O preço eh muito bom e está abaixo da média. Eh a segunda vez que me hospedo neste hotel, (nas duas vezes estava chovendo, muito show de bola um dia de chuva) a última este mês, e continua com a mesma qualidade do atendimento. Uma ótima opção para se hospedar em salinas / mg. Cidade esta que eh a capital nacional da cachaça. 
Dica de quarto: No geral todos os quartos estão livres de ruídos que possam perturbar o sono
foto - Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
ENTORNO DA CIDADE
imagem - Arthur Henrique
imagem - Jotalu
FONTE
imagem - Jotalu
População estimada 2016 (1) - 41.494
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 1.862,117
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 20,75
Código do Município 3157005
Gentílico - salinense
ORIGEM DO NOME
O NOME LHE FOI DADO DEVIDO A GRANDE QUANTIDADE DE SAL, ( SALGEMA ) MUITO IMPORTANTE NA ÉPOCA, QUE HAVIA AS MARGENS DO RIO ONDE A CIDADE NASCEU.
Gentílico: salinense
Histórico
Salinas 
Minas Gerais - MG
Histórico
O desbravamento da região de Salinas foi feito pelos bandeirantes oriundos da Bahia, que, sob o comando de Antônio Luís dos Passos, bateram aquelas terras na cata de riquezas. A gleba mineira, generosa como sempre, ofereceu ao desbravador, abundantes jazidas de sal, produto, então escasso e, por isso mesmo, de elevado preço. Tal descoberta contribuiu, sobremaneira, para o povoamento daquela região, onde hoje se ergue a cidade de Salinas.
D. Faustina Fernandes Pessoa, que era a proprietária dos terrenos, doou uma grande área para que nela se erguesse uma capela sob a proteção de Santo Antônio, e para que os fiéis construíssem ali suas casas. Estava lançada a semente de um novo povoado. Tão logo foi levantada a capelinha, os exploradores das jazidas, aproveitando-se da oferta daquela bondosa Senhora, construíram suas casas, ao redor do templo, crescendo o arraial de Santo Antônio de Salinas, pertencente a Rio Pardo de Minas. O nome do povoado foi em homenagem ao padroeiro e em referência às jazidas da região.
Progredindo o lugar, foi, pela Lei provincial número 730, de 16 de maio de 1855, criada a freguesia de Santo Antônio de Salinas, por desmembramento de Rio Pardo. Aliás, naquele ano, em 15 de fevereiro, conforme anotações no livro de Contas da freguesia, D. Ana Maria de Araújo fez doação do terreno para o cemitério local.
Com o esgotamento das jazidas, os habitantes daquelas paragens, dada à excepcional qualidade das terras, voltaram-se para a pecuária e a agricultura, onde iriam assentar a base econômica da região.
Na formação definitiva do lugar, aparece o Sr. Vicente Ferreira Costa, cuja numerosa família pode ser considerada como pioneira da terra salinense.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE SALINAS, MINAS GERAIS
ESTE EH BRASÃO DO MUNICÍPIO DE SALINAS, MINAS GERAIS

VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE


fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Wikipédia / viagemeturismo.abril.com.br / Divulgação / Governo de Salinas, MG / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem