Pular para o conteúdo principal

PEDRO AFONSO, TOCANTINS - Polo turístico em praias de água doce, Pedro Afonso oferece atividades culturais, gincanas, competições esportivas e shows musicais. As praias são muito boas, o rio do sono que oferece as praias, eh um rio limpo e despoluído no local. A estrutura hoteleira deixa a desejar visto não ter vagas suficientes para o número de turistas quando da alta temporada. (melhor fazer reserva com antecedência) a segurança nas praias eh um ponto positivo, mas precisa melhorar. A infraestrutura do comércio na praia eh boa e os atrativos para entreter os turistas são bem convidativos.




CONHEÇA A CIDADE DE "PEDRO AFONSO", TOCANTINS, BRASIL - DA JANELA DO TREM
PEDRO AFONSO / TOCANTINS / BRASIL
OPINIÃO
AS PRAIAS SÃO MUITO BOAS, O RIO DO SONO QUE OFERECE AS PRAIAS, EH UM RIO LIMPO E DESPOLUÍDO NO LOCAL. A ESTRUTURA HOTELEIRA DEIXA A DESEJAR VISTO NÃO TER VAGAS SUFICIENTE PARA O NÚMERO DE TURISTAS QUANDO DA ALTA TEMPORADA. (MELHOR FAZER RESERVA COM ANTECEDÊNCIA) A SEGURANÇA NAS PRAIAS EH UM PONTO POSITIVO, MAS PRECISA MELHORAR. A INFRAESTRUTURA DO COMÉRCIO NA PRAIA EH BOA E OS ATRATIVOS PARA ENTRETER OS TURISTAS SÃO BEM CONVIDATIVOS. 
BEM VINDO A CIDADE DE PEDRO AFONSO
foto - PMPA
A cidade de Pedro Afonso, TO acha-se localizada na confluência dos rios Tocantins e Sono, é uma das mais tradicionais do Estado.
foto - PMPA
AQUI UMA VISTA PARCIAL DA CIDADE DE PEDRO AFONSO, TO
foto - ?
ILHA DO RIO DO SONO COM SUA PRAIA DE AREIA BRANCA EM PEDRO AFONSO, TO
foto - ?
VISÃO GERAL DA CIDADE DE PEDRO AFONSO, TO
foto - ?
A CIDADE DE PEDRO AFONSO, O RIO DO SONO E TOCANTINS A CONTORNANDO, EM PEDRO AFONSO, TO
foto - ?
CONHEÇA UM POUCO DE PEDRO AFONSO, TO
foto - PMPA
foto - PMPA
foto - PMPA
foto - Márcio Vieira
foto - PMPA
foto - PMPA
foto - Marcelo Belarmino
foto - Marcelo Belarmino
foto - Marcelo Belarmino
foto - Marcelo Belarmino
ESTA E A IGREJA MATRIZ DE PEDRO AFONSO, TO
foto - Thiago de Andrade
A BEIRA PRAIA EM PEDRO AFONSO, TO
foto - Giovane RM
SEDE DO TIRO DE GUERRA EM PEDRO AFONSO, TO
foto - Marcelo Belarmino
foto - Marcelo Belarmino
foto - Marcelo Belarmino
foto - Marcelo Belarmino
foto - Marcelo Belarmino
foto - Marcelo Belarmino
PRAIAS NO RIO DO SONO EM PEDRO AFONSO, TO 
Município recebeu mais de 100 mil visitantes – provenientes de vários estados e do exterior – marcando seu nome como polo turístico do Tocantins
Os hotéis do município registraram lotação de 100%, e teve procura de vagas até em um novo empreendimento do setor hoteleiro na cidade, cujas obras ainda não estão finalizadas.
Para recepcionar os visitantes, Pedro Afonso montou uma grande infraestrutura na praia do Rio Sono e investiu pesado na segurança, com nenhuma ocorrência grave registrada na temporada. O município apostou ainda na diversificação das atividades para entreter
os turistas – foram diversos shows musicais com artistas da região e de renome nacional, atividades culturais, gincanas e competições esportivas. Além disso, durante o período o município realizou a XXVII Exposição Agropecuária, festa tradicional da região.
foto - Marcelo Belarmino
foto - Giovane RM
foto - Marcelo Belarmino
foto - Giovane RM
foto - Giovane RM
foto - Manoel JR
foto - Marcelo Belarmino
foto - Giovane RM
foto - Giovane RM
foto - Giovane RM
População estimada 2016 (1) - 13.097
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 2.010,902
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 5,74
Código do Município 1716505
Gentílico - pedro afonsino
ORIGEM DO NOME DA CIDADE DE PEDRO AFONSO, TO
O nome Pedro Afonso originou-se de uma homenagem do frei Rafael Taggia, fundador da cidade, ao príncipe D. Pedro Afonso de Orleans e Bragança.
Gentílico: pedro afonsino
Histórico
Histórico: Pedro Afonso
HISTÓRICO DA CIDADE DE PEDRO AFONSO, TO
O lugar, onde se acha encravada a atual cidade de Pedro Afonso, tinha outrora a denominação de "Travessa dos Gentios", em virtude das correrias que aqui se faziam, e era habitado por silvícolas, exclusivamente, sendo a principal nação a dos Chavantes.
Em julho de 1845, apartava à grande aldeia dos Cherentes o reverendo Frei Rafael Taggia, missionário da ordem de são Francisco, acompanhado de um inferior e dez (10) praças de pré. Como é público e corrente, vinha o nobre capuchinho encarregado pelo Governo Providencial de promover a catequese dos gentios. Assim, tão logo desembarcou, mandou construir diversas barracas para si e seus soldados e, separadamente, uma capela. Em seguida, chamou toda a tribo e aldeou-a no lugar chamado São João, 24 quilômetros do arraial improvisado. Em São João fundou o Padre Taggia um colégio destinado á educação dos filhos dos selvagens, mas, certo dia, em decorrência de repreensão feita pelo educador a umas das crianças, os índios se revoltaram contra seu benfeitor que, receoso, de regressar ao arraial em formação, onde mais tarde a Lei providencial n.º 546 de agosto de 1875, criou um distrito de paz. Ainda assim o espírito de revolta e de vingança dos índios, qualidades que lhe são peculiares, não calara de todo e, um belo dia, um poderoso exército decidiu-se a dar cabo do virtuoso desbravador. Aconteceu que, em marcha, ao chegar ao ribeirão próximo do arraial, estacou surpreso, ficando os agressores aterrorizados com o milagre que lhe deparava: o pessoal em armas ao lado do padre era um número superior e, como era natural, fizeram os índios renderam-se. Neste dia, ás 8 horas da manhã, Frei Rafael, qual novo São Francisco de Assis, à porta da sua capelinha, á guisa de batismo, passou a mão na cabeça de 300 índios, fazendo-os regressar a São João.
Com o aumento considerável da população a que vieram juntar-se mais de 5.000 índios, vindos de Riachão, Estado do Maranhão, obedientes à direção de Frei Raffael, o arraial desenvolveu-se rapidamente, passando em 1903 á categoria de Vila de São Pedro Afonso.
Cooperou energicamente pela criação do novo município, o senhor Francisco Casemiro.
Como chefe de valor que soube ser, na primeira legislatura fez sentar-se ´cadeira de Deputado Estadual, como representante de Pedro Afonso, o coronel Daniel Ferreira dos Anjos, espírito trabalhador que muito fez pelo completo soerguimento do município, não só reformando o aparelho administrativo como também implantando, em pouco tempo, a ordem, a disciplina e a moral. O coronel Daniel morreu pobre, deixando à posterioridade o exemplo de servir melhor à coletividade que os interesses particulares.
A febre da borracha do Araguaia, em 1910, foi um dos maiores fatores do progresso de Pedro Afonso. A Bahia nessa ocasião fazia seu intercâmbio comercial com o baixo Araguaia, servindo-se do rio Sono para escoar as suas mercadorias; estas, aqui desembarcadas, eram muitas vezes vendidas aos comerciantes locais com uma redução de 30 a 40% sob as importadas de Belém de São Luís tornando-se o maior empório comercial da época no alto sertão. 
Em 1911, a política e a ganância comercial ateiam fogo no meio da pacata população e três anos depois, Pedro Afonso era um montão de ruínas, de que muitos bem soube locupletar-se uma onda de bandoleiros chefiados por Abílio Araújo.
Em 1924, novas cenas de banditismo ensanguentam o solo pedro-afonsino: Cipriano Rodrigues proclama-se chefe de bacamarte no norte e como tal comete toda sorte de tropelia, roubo e assassinato. Morto em 1925, consolida-se a ordem e a tranquilidade. Os habitantes, despojados de sua terra natal, que puderam escapar-se à fúria inimiga, regressam de novo aos lares carbonizados.
Assim, já em 1937, por ato de Excelentíssimo Sr. Dr. Pedro Ludovico Texeira, então governador do Estado, Pedro Afonso era levado à categoria de cidade e consequentemente a sede de comarca.
Pedro Afonso parece que, pela sua posição geográfica, sempre foi fadado a um grande destino. Em decorrência desse fator, para aqui fora criadas uma Subdiretoria da Fazenda, hoje Departamento da Fazenda e uma corporação da política militar, 4ª. Companhia Isolada, destinada a garantir as atribuições do fisco estadual, equilibrando também a paz e a harmonia no seio da população do alto sertão.
GENTÍLICO: pedro-afonsino
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE PEDRO AFONSO, TOCANTINS

APAIXONE-SE



fonte dos textos e fotos: Portal da Prefeitura de Pedro Afonso, TO / Thymonthy Becker / IBGE / Divulgação / Wikipédia /

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Baependi é um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade. Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares. A religiosidade ocupa lugar de destaque como um dos fatores que mais atraem os visitantes, uma vez que Baependi foi o lugar onde a serva de Deus, Nhá Chica, concedeu suas graças, hoje em dia inúmeras romarias de diversas partes do país têm como destino o Santuário de Nhá Chica, onde também se encontram seus restos mortais.

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Será que tem gremista em Colorado? Claro que tem. Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O município tem como base da economia a produção agrícola. Cenários de belezas, cores e aromas que seduzem os turistas. Cenários de belezas, cores e aromas que seduzem os turistas

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas. Destes, Capitólio se destaca por oferecer as melhores opções de serviços e infraestrutura turística. Os passeios náuticos, os esportes aquáticos, a pesca esportiva e a exuberância natural são pontos fortes da região, que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra, onde nasce o Rio São Francisco, o "Velho Chico". O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias. Desses, surgiram os “brasilienses”, o gentílico usado para quem nasceu aqui e adotado por quem veio de fora e assumiu a cidade como sua.

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras. De frente para a Baía da Guanabara, Niterói mostra que a vista para a cidade do Rio não é o único atrativo. Além de oferecer, na sua face voltada para o alto mar, trechos de areia ideais para quem quiser fugir do agito de Ipanema e Copacabana, o município começa a explorar o legado das construções assinadas por Oscar Niemeyer, entre elas o famoso Museu de Arte Contemporânea.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.