Pular para o conteúdo principal

MOGI DAS CRUZES, SÃO PAULO - O cotidiano gira em torno da siderurgia e da indústria automobilística - mas uma outra Mogi, de contato com a natureza, respira nos arredores. Afastado do Centro, o hotel Paradise Golf E Lake Resort tem um dos melhores campos de golfe do Brasil. Um trem turístico faz o percurso entre a cidade e a Estação da Luz, em São Paulo.




CONHEÇA A CIDADE DE "MOGI DAS CRUZES", SÃO PAULO, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM

MOGI DAS CRUZES / SÃO PAULO / BRASIL
O cotidiano gira em torno da siderurgia e da indústria automobilística - mas uma outra Mogi, de contato com a natureza, respira nos arredores. Afastado do Centro, o hotel Paradise Golf E Lake Resort tem um dos melhores campos de golfe do Brasil. Um trem turístico faz o percurso entre a cidade e a Estação da Luz, em São Paulo.
BEM VINDO A CIDADE DE MOGI DAS CRUZES.
imagem - PMMC
Teatro Municipal em Mogi das Cruzes, São Paulo

imagem - PMMC
EXPRESSO TURÍSTICO / PASSEIO
Sai da Estação da Luz, em São Paulo às 8h30, no segundo domingo do mês, chegando em Mogi 1h30 depois. Agende um roteiro para conhecer as atrações da cidade (Rizzatour, 4527-2000). Retorno às 16h30. R$ 34. Reservas no cptm.sp.gov.br.
PARQUE DAS NEBLINAS 
Reserva da Suzano Papel e Celulose, encravada na Serra do Mar, com trilhas guiadas. A mais bonita passa pelo Rio Itatinga e chega a um mirante com vista para o mar (R$ 35 por pessoa. Há ainda a canoagem pelo Itatinga (R$ 120 por pessoa) e observação de orquídeas (R$ 60 por pessoa). É preciso agendar. 
Acesso pela Rodovia Mogi-Bertioga, 35 km (8 km de terra) 
Distrito de Taiaçupeba 
(11) 4724-0555 (Telefone)
Pista de arvorismo do Parque das Neblinas, no limite entre Bertioga e Mogi das Cruzes

É possível praticar Mountain bike dentro do Parque das Neblinas
Canoagem nas corredeiras do Rio Itatinga, localizado dentro do Parque das Neblinas, no limite entre Bertioga e Mogi das Cruzes
FESTA DO DIVINO
A programação é composta por eventos folclóricos e religiosos. A quermesse será realizada no Centro Integrado Profissional (CIP) deputado Maurício Nagib Najar, que fica na Avenida Cívica, no Mogilar. Já a novena será na Catedral de Sant'Anna com início às 19h30.

PARADISE GOLF & LAKE RESORT
Tem um campo de golfe, com 18 buracos que é referência em São Paulo. Dedica também especial atenção às crianças. Vários monitores cuidam das atividades no playground, na piscina com toboágua, no circuito de arvorismo, tirolesa e parede de escalada
E para o resto da família há 13 quadras de tênis, ampla academia de ginástica, spa com 15 salas para tratamentos e trilhas a pé e de bicicleta, que contornam a Represa de Taiaçupeba.
Rodovia Engenheiro Cândido do Rego Chaves para Suzano, SP-39, km 50, 13 km
Jundiapeba
(11) 4795-4100 (Fone)
paradiseresort.com.br
Campo de Golf do Resort Paradise Golf & Lake, em Mogi das Cruzes, São Paulo

Lago do Resort Paradise Golf & Lake, em Mogi das Cruzes, São Paulo
Piscina do Resort Paradise Golf & Lake, em Mogi das Cruzes, São Paulo
SEDE DO PODER EXECUTIVO - PREFEITURA -
imagem - PMMC
imagem - PMMC
CEMFORPE
imagem - PMMC
CIARTE
imagem - PMMC
ESTAÇÃO FERROVIÁRIA
imagem - Wikipédia

SHOPPING CENTER
imagem - Wikipédia
CASARÃO DO CARMO
imagem - PMMC
Estação Ferroviária do distrito de Sabaúna em Mogi das Cruzes, São Paulo
imagem - PMMC
SEDE DO PODER LEGISLATIVO - CÂMARA DE VEREADORES -
imagem - PMMC
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE MOGI DAS CRUZES
imagem - Wikipédia
imagem - PMMC
MONUMENTO AO EXPEDICIONÁRIO
imagem - PMMC
PRAÇA DOS ENFARTADOS
imagem - PMMC
imagem - PMMC
IGREJA DO CARMO
imagem - Wikipédia
INTERIOR DA IGREJA DO CARMO
imagem - PMMC
FESTA NACIONAL DO CAQUI
imagem - PMMC
FESTA DO DIVINO
imagem - PMMC
IGREJA DE SÃO BENEDITO
imagem - PMMC
BARRAGEM DO RIO JUNDIAÍ
imagem - PMMC
imagem - PMMC
MARCO ZERO
imagem - PMMC
LAGO NO DISTRITO DE TAQUARUSSU
imagem - PMMC
PEDRA GRANDE TAMBÉM NO DISTRITO DE TAQUARUSSU
imagem - PMMC
VISTA GERAL DO PARQUE CENTENÁRIO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA
imagem - PMMC
PARQUE MUNICIPAL
imagem - PMMC
imagem - PMMC
imagem - PMMC
LARGO BOM JESUS
imagem - PMMC
MERCADO MUNICIPAL
imagem - PMMC
MUSEU HISTÓRICO MUNICIPAL
imagem - PMMC
imagem - PMMC
imagem - PMMC
PARQUE DAS NEBLINAS
imagem - PMMC
imagem - PMMC
imagem - PMMC
PARQUE CENTENÁRIO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA
imagem - PMMC
imagem - PMMC
imagem - PMMC
MUSEU DO PARQUE CENTENÁRIO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA
imagem - PMMC
ENTORNO DA CIDADE
imagem - PMMC
CHEGANDO / SAINDO
imagem - PMMC
DISTRITO DE BRÁS CUBAS (UMA CIDADE DENTRO DE MOGI DAS CRUZES)
Região central do Distrito de Brás Cubas, Mogi das Cruzes, SP
foto - G1.com
Vista Parcial do Distrito de Brás Cubas, Mogi das Cruzes, SP
foto - Wikipédia
Brás Cubas, o mais populoso distrito de Mogi das Cruzes conta com de 114 mil habitantes aproximadamente. O distrito, aliás, até já tentou se emancipar da mãe mogiana e decretar a independência em meados da década de 60. Porém, a tentativa foi frustrada por causa do vizinho Jundiapeba.
Região central do Distrito de Brás Cubas
foto - Wikipédia
Praça Zumbi dos palmares no Distrito de Brás Cubas, Mogi das Cruzes, SP
foto - Wikipédia
Um cantinho bom de viver 
No distrito de Brás Cubas a expressão “vou dar um pulinho em Mogi” é comum entre os moradores. Apesar do distrito fazer parte do município mogiano, muitos se referem à Brás Cubas como um lugar separado. Uma verdadeira cidade. 
Parque infantil em Brás Cubas, Mogi das Cruzes, SP
foto - Wikipédia
Orquidário em Brás Cubas, MC
foto - Wikipédia
Quem vive em Brás Cubas garante que não há lugar melhor de morar. A maioria das pessoas afirma que não se muda do local por nada. “Os moradores de Brás Cubas se sentem independentes de Mogi. Em termos práticos temos de tudo. Aqui já é uma cidade. Tem gente que passa a semana inteira por aqui. Não vai ao Centro de Mogi por nada. Não precisamos sair e nem queremos”, diz aos risos Joaquim Carlos Paixão, 74 anos, um “brascubense” legítimo.
foto - Wikipédia
População estimada 2016 (1) - 429.321
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 712,541
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 544,12
Código do Município 3530607
Gentílico - mogiano
ORIGEM DO NOME
O nome vem do tupi M'Boiji (ou M'Boîj), Rio das Cobras (referindo-se ao Tietê, o qual em seu alto curso cruza o município). Ao longo dos anos, a grafia M'Boijy foi alterada para Boigy, depois para Mogy, Mogi.
Por se tratar de topônimo com tradição histórica secular e uso consagrado pelos brasileiros, a grafia com "g" também é aceita (assim como em "Sergipe"), de acordo com a norma ortográfica vigente em sua Base XI:
Gentílico: mogiano
HISTÓRICO
Antes da fundação do povoado de Mogi das Cruzes, o bandeirante Braz Cubas, no ano de 1560, havia se embrenhado pelas matas do território mogiano, às margens do Rio Anhembi, hoje Tietê, à procura de ouro.
Gaspar Vaz abriu o primeiro caminho de acesso de São Paulo a Mogi, dando início ao povoado, que foi elevado à Vila em 17 de agosto de 1611, com o nome de Vila de Sant'Anna de Mogi Mirim. A oficialização ocorreu em 1º de setembro, dia em que se comemora o aniversário da cidade.
Mogi é uma alteração de Boigy que, por sua vez, vem de M'Boigy, o que significa "Rio das Cobras", denominação que os índios davam a um trecho do Tietê. Quando a Vila foi criada em 1611, devido ao costume de adotar o nome do padroeiro, passou a ser denominada "Sant'Anna de Mogy Mirim".
Na língua indígena, Mirim quer dizer pequeno. Provavelmente, uma referência ao riacho Mogi Mirim. A linguagem popular tratou de acrescentar o termo "cruzes" ao nome oficial da Vila. Era costume dos povoadores sinalizar com cruzes os marcos que indicavam os limites da Vila, de acordo com tese de Dom Duarte Leopoldo e Silva, confirmada pelo historiador e professor Jurandyr Ferraz de Campos.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE MOGI DAS CRUZES, SÃO PAULO
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE MOGI DAS CRUZES, SP

VALEU POR VIAJAR COM A GENTE


fonte dos textos e fotos: Portal da Prefeitura Municipal de Mogi das Cruzes / Thymonthy Becker / viajeaqui.abril.com.br / Wikipédia / Divulgação /


Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem