Pular para o conteúdo principal

AUGUSTINÓPOLIS, TOCANTINS, - Com várias opções de esportes, lazer, ecoturismo, vida noturna agitada, Augustinópolis eh o melhor do Bico do papagaio. Augustinópolis é a terceira maior cidade da micro região do Bico do Papagaio, exercendo forte influência regional como centro comercial, maior força política da região do Bico do Papagaio, e referência em serviços de saúde pública e privada. O PIB da cidade segundo o IBGE é composto principalmente da Prestação de Serviços, seguido a Agropecuário e por último da Indústria.




CONHEÇA A CIDADE DE "AUGUSTINÓPOLIS, TOCANTINS, BRASIL - DA JANELA DO TREM
AUGUSTINÓPOLIS / TOCANTINS / BRASIL
AUGUSTINÓPOLIS, TO
foto - Fernando Cunha
Augustinópolis é a terceira maior cidade na micro região do Bico do Papagaio, exercendo forte influência regional como centro comercial, maior força política da região do Bico do Papagaio, e referência em serviços de saúde pública e privada. O PIB da cidade segundo o IBGE é composto principalmente da Prestação de Serviços, seguido a Agropecuário e por último da Indústria.
foto - Fernando Cunha
Na área da educação, a cidade conta com 19 instituições de ensino fundamental, 14 com serviços de Pré-escola, 2 de ensino médio, e também é sede da instituição de ensino superior FABIC - Faculdade do Bico do Papagaio e UNITINS - Universidade Estadual do Tocantins e diversos módulos de aulas tele-presenciais.
foto - Fernando Cunha
A cidade oferece várias opções de esporte ( Ginásio Poliesportivo Emivan Vieira Moura e Estádio Municipal Bicão, Parque de Vaquejada Dilson Martins) e lazer ( Igrejas, parques e feira), de vida noturna ( Moda Paulista,Rangão Lanches,X-tudo Lanches, Texa Burgue, Churascaria do Zé Belo, Bar da ìris, Lanchonete Bom Gosto, Faceburge, Frangão Lanches, entre outros.) e uma ampla rede hoteleira(Hotel do Bico e Thiunfo,entre oitros) cujo maioria se encontra nas mediações da principal avenida da cidade,a Avenida Goiás.
AQUI A SEDE DO PODER JUDICIÁRIO - FÓRUM DE JUSTIÇA DE AUGUSTINÓPOLIS, TO
imagem -  ?
CARTÓRIO ELEITORAL DE AUGUSTINÓPOLIS, TO
CORREGEDORIA DE AUGUSTINÓPOLIS, TO
MATRIZ DE SANTA RITA DE CÁSSIA EM AUGUSTINÓPOLIS, TO
ASSEMBLÉIA DE DEUS EM AUGUSTINÓPOLIS, TO
foto - Fernando Cunha
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE AUGUSTINÓPOLIS, TO
imagem - Élvis Macedo
CARNAPITAL DO BICO EM AUGUSTINÓPOLIS, TO
O Carnapital do Bico, promovido pela Prefeitura Municipal eh muito movimentado com shows e foliões, em Augustinópolis, Tocantins



EXPOAGRA EM AUGUSTINÓPOLIS, TO
A Cavalgada eh tradicional na festa da Expoagra em Augustinópolis, Tocantins
Durante a Expoagra acontece a festa da escolha da rainha do festival, em Augustinópolis, TO
foto - Jackyyi Brito
ARRAIÁ DU CENTU DU OGUSTU
A tradicional festa junina, promovida pela Prefeitura Municipal, garante a presença de muitas pessoas, em Augustinópolis, Tocantins

foto - Fernando Cunha
imagem -  ?
O centro da cidade eh bem movimentado, em Augustinópolis, Tocantins
imagem - ?
imagem - ?
imagem - ?
imagem - Katherine Martins
imagem - Izane S. Reis
foto - Fernando Cunha
foto - Fernando Cunha
foto - Fernando Cunha
foto - Fernando Cunha
foto - Fernando Cunha
foto - Fernando Cunha
ENTORNO DA CIDADE DE AUGUSTINÓPOLIS, TO
imagem - ?
imagem - ?
População estimada 2016 (1) - 17.861
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 394,976
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 40,38
Código do Município 1702554
Gentílico - augustinopolino
ORIGEM DO NOME DA CIDADE DE AUGUSTINÓPOLIS, TO
Augustinópolis, um composto de Augusto (fundador da cidade e primeiro morador) com Tocantinópolis, cidade natal do então vereador autor do projeto.
Gentílico: augustinopolino
HISTÓRICO DA CIDADE DE AUGUSTINÓPOLIS, TO
Em 1954, chegaram à região, Augusto Pereira Costa e sua família, procedentes do Estado do Maranhão, em busca de trabalho, nas lidas agropecuárias. Fixaram-se temporariamente, no lugar denominado de Axixá.
Decorrido os quatro anos de dura luta, aconteceu que, em 1959, Augusto Pereira Costa, com seu espírito aventureiro saiu para caçar com mais quatro companheiros. Em meio da mata depararam com um olho dágua. Encantados com o local, ali permaneceram por vários dias e logo levaram seus familiares. Nas proximidades desse “olho d’água”, construíram suas moradias de pau-a-pique, cobertas de palha de babaçu.
Eram terras devolutas do então Estado de Goiás. Sendo aquela região rica em caça, tornou-se conhecida e comumente chamada pelos caçadores que lá se dirigiam, de Centro do Augusto. Os novos moradores que por ali apareceram, eram auxiliados por: Augusto Pereira Costa, para conseguirem terras aptas ao cultivo, atividade à qual dedicaram seus maiores esforços. Mais tarde, com a chegada de fazendeiros procedentes de outras regiões, a atividade agropecuária cresceu em importância sendo à base da economia local. O crescimento da economia do nascente povoado criou a necessidade de abrir uma estrada ligando o patrimônio ao povoado de Sampaio, não muito distante, para escoar as colheitas e possibilitar os intercâmbios comerciais e a integração com os outros povoados da região.
Em 1968, o povoado contava com 35 ranchos de palha, aproximadamente. A primeira casa de telha foi construída por Arthur Coreolando de Oliveira, procedente do estado do Maranhão com sua família, foi o primeiro comerciante, no ramo de secos e molhados.
Em 1971, foi construída a primeira escola, um rancho de palha, tendo como primeiro professor Manoel Marinho de Souza, que anteriormente residia no povoado de “Sampaio”, exercendo ali a mesma função.
Em 1972, Manoel Marinho de Souza Brito, foi eleito por São Sebastião do Tocantins, vereador. Em 1974, solicitou a Câmara Municipal, a elevação a distrito do povoado “Centro do Augusto”, o que se verificou pela Lei n º 8.107, em 14 de Maio de 1976, passando a denominar de Augustinópolis, um composto de Augusto (fundador) com Tocantinópolis, cidade natal do então vereador autor do projeto.
Augustinópolis, foi crescendo rapidamente. Em 11 de Maio de 1982, pela Lei n º 9.180, foi criado o Município de Augustinópolis com o topônimo do distrito desmembrando-se do município de São Sebastião do Tocantins. O primeiro prefeito eleito foi o Sr. Manoel Marinho de Souza.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE AUGUSTINÓPOLIS, TOCANTINS
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE AUGUSTINÓPOLIS, TOCANTINS

VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE



fonte dos textos e fotos: Thymonthy Becker / Wikipédia / IBGE / Divulgação / Governo de Augustinópolis, TO / 


Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem