Pular para o conteúdo principal

13 ÓTIMOS MOTIVOS PARA CONHECER BELO HORIZONTE - Viajar nem sempre é barato, e também não é sempre que você tem dinheiro sobrando para conhecer qualquer destino do mundo – e, com o aumento do dólar, viajar para fora do Brasil parece cada vez mais complicado. Bem, essa é a má notícia. A boa notícia é que com a alta do dólar, que rolou entre os meses de abril e maio de 2018, houve um aumento na procura pelos destinos nacionais. Ou seja: viajar pelo Brasil se tornou uma alternativa primordial para boa parte dos brasileiros (ainda bem)! Você conhece a capital de Minas Gerais? Nunca teve vontade de viajar para BH? Listamos os principais motivos para conhecer Belo Horizonte e despertar em você a vontade de descobrir esse destino nacional! Se liga:




13 ÓTIMOS MOTIVOS PARA VOCÊ CONHECER BELO HORIZONTE, A CAPITAL DAS MINAS GERAIS - OLHANDO DA JANELA DO TREM
Viajar nem sempre é barato, e também não é sempre que você tem dinheiro sobrando para conhecer qualquer destino do mundo – e, com o aumento do dólar, viajar para fora do Brasil parece cada vez mais complicado. 
Bem, essa é a má notícia. A boa notícia é que com a alta do dólar, que rolou entre os meses de abril e maio de 2018, houve um aumento na procura pelos destinos nacionais. Ou seja: viajar pelo Brasil se tornou uma alternativa primordial para boa parte dos brasileiros (ainda bem)! 
Com base nisso, o KAYAK, maior ferramenta de planejamento de viagens do mundo, fez um levantamento para descobrir os destinos que mais cresceram em buscas durante o período em que o dólar esteve mais caro, em maio. O top 10 revelou apenas destinos nacionais, e Belo Horizonte está em quarto lugar! 
Você conhece a capital de Minas Gerais? Nunca teve vontade de viajar para BH? Listamos os principais motivos para conhecer Belo Horizonte e despertar em você a vontade de descobrir esse destino nacional! Se liga: 
01 – VISITAR O MERCADO CENTRAL 
Um dos principais motivos para conhecer Belo Horizonte é descobrir o Mercado Central. Ele foi inaugurado em 1932, fica localizado no centro da cidade e é uma das principais atrações de BH porque tem mais de 400 lojas que vendem produtos típicos da região! 
Visitar a capital mineira e não dar uma passada no Mercado Central é perder a oportunidade de descobrir e poder comprar, em um só lugar, os famosos queijos e doces mineiros, o artesanato típico de Minas e as ervas e raízes importantes para a culinária local. 
02 – CONHECER O MAIOR CINEMA DA AMÉRICA LATINA 
É claro que, hoje em dia, o Cine Theatro Brasil Vallourec não é mais uma referência absurda quando o assunto é cinema porque, hoje, o espaço funciona como um centro cultural com dois teatros, duas galeras e um café bistrô famoso na cidade. Porém, quando ele foi inaugurado em 1932, foi considerado o maior cinema da América Latina. 
Além do tamanho, a arquitetura do prédio é impressionante. Ele foi o primeiro prédio da cidade construído sob a influência do estilo Art Déco, e foi projetado pelo arquiteto Alberto Murgel. 
Inspirado na arquitetura francesa, com pouca ornamentação, volumes geométricos bem definidos, vitrais de ferro e vidro martelado e revestimento das fachadas em pó de pedra, o prédio também foi pioneiro na utilização de concreto armado, importado da Inglaterra. 
Aliás, os cinemas de rua também são uma atração à parte e um dos principais motivos para conhecer Belo Horizonte. A cidade é cheia deles, e dois bem famosos são o Cinema Belas Artes e o Cine 104. 
03 – CONHECER A PAMPULHA 
A Pampulha certamente é um dos principais motivos para conhecer Belo Horizonte. O espaço é cartão postal de BH e é uma atração indispensável pelo seu verde e riqueza cultural. 
Na Pampulha, você pode visitar o Museu de Arte Moderna e na Casa do Baile, por exemplo. O acervo do Museu de Arte Moderna tem uma gigantesca variedade temática, estética e técnica, abrangendo pinturas, esculturas, gravuras, desenhos, objetos, instalações, tapeçarias e audiovisuais. 
Ele foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer entre 1942 e 1944 – como boa parte da Pampulha – e é constituído principalmente de doações e prêmios em salões, reúne um conjunto de obras que dão um panorama da arte moderna e contemporânea brasileira, sobretudo de Minas Gerais. 
Já a Casa do Baile fica em uma pequena ilha artificial ligada por uma pequena ponte de concreto à orla, e foi inaugurada em 1943. 
Como espaço de lazer e entretenimento nas noites da capital mineira, a Casa do Baile logo se tornou palco de atividades musicais e dançantes, frequentadas pela sociedade de Minas Gerais. 
O espaço foi fechado em 1948, mas reaberto recentemente em 2002, após sua restauração, realizada sob a coordenação do próprio Oscar Niemeyer, com novos sistemas de climatização e iluminação. Seus jardins também passaram por um processo de revitalização obedecendo à intenção paisagística da proposta original de Burle Marx! 
Essas são apenas duas das atrações da Pampulha, um complexo idealizado pelo Oscar Niemeyer, com pintura de afrescos e azulejos de Cândido Portinari que se misturam às atrações naturais, como o lago repleto de uma fauna e flora impressionantes. 
04 - O ROTEIRO OSCAR NIEMEYER 
Já que o assunto é Oscar Niemeyer e arquitetura mineira, precisamos falar do roteiro baseado em suas principais obras construídas na capital mineira. Belo horizonte reserva uma das primeiras e, também, uma das últimas obra desse grande mestre da arquitetura. 
O roteiro é um passeio pelas construções modernas da cidade, como a Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, o Conjunto Arquitetônico da Pampulha e, é claro, o Edifício Niemeyer. 
Imperdível. Aliás, a arte é um dos principais motivos para conhecer Belo Horizonte. Mas falaremos disso depois! 
05 – O MUSEU GIRAMUNDO 
Se você gosta de arte e de cultura, conhecer o Museu Giramundo é ação obrigatória na capital mineira, e um dos melhores motivos para conhecer Belo Horizonte. O espaço é o arquivo vivo da produção do grupo, criado em BH, referência quando o assunto é teatro de bonecos. 
Reconhecido mundialmente, o Museu Giramundo conta a história do grupo na forma de bonecos, fotografias, filmes, áudios e outras relíquias. 
Além de culturalmente importante, o lugar é visualmente impressionante. Se você acha que o museu seria uma atração apenas para crianças, se engana: a casa é ponto de convergência de culturas e experiências lúdicas. Uma maneira de transmitir conhecimento de maneira didática e, de fato, inesquecível. 
06 – VIVER A REAL FESTA JUNINA MINEIRA 
Viajar para Belo Horizonte em junho é viver a experiência da verdadeira festa junina mineira. O Arraial de Belô nasceu em 1970 e transmite anos de história da capital da quadrilha junina! 
Na festa, você vivencia a essência da cultura mineira e, de quebra, ainda come vários doces e salgados típicos de festa junina. O arraial conta com diversas festas e quermesses, circuitos gastronômicos, oficinas e outros projetos associados durante o evento! Na Praça da Estação, por exemplo, ocorrem as tradicionais apresentações do concurso de quadrilhas, nos dias 23, 24, 30 de junho e 1º de julho. 
07 – UMA AULA DE HISTÓRIA 
Visitar Belo Horizonte vai te fazer viver uma aula de história. Se você curte aprender sobre a cultura e sobre o passado do país onde mora, precisa conhecer Belo Horizonte! 
O circuito Praça da Liberdade, por exemplo, é parada obrigatória. É lá que se encontram mais de dez equipamentos culturais, entre museus e centros culturais e, é claro, o Palácio da Liberdade. 
Hoje, o circuito é o maior complexo cultural do país e, uma vez por lá, vale visitar o Memorial Minas Gerais Vale. Ele conta a história geral de Minas Gerais, reunindo a riqueza cultural desde o século XVIII até o cenário contemporâneo. Reunindo histórias, moda, literatura e o patrimônio do estado! 
Se você viajar para Belo Horizonte em fevereiro, aliás, é na Praça da Liberdade que se concentra boa parte do carnaval de BH. 
08 - CONHECER O FIT – FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO 
A cada dois anos, Belo Horizonte recebe o FIT – Festival Internacional de Teatro, e, em suas edições, rola diversas atrações nacionais, internacionais e locais. 
O evento é extremamente interessante para a cultura do país porque ele leva o melhor de teatro às ruas, praças e parques. Tudo ao ar livre e gratuito! 
Em mais de vinte anos de história, o FIT levou a Belo Horizonte grupos e artistas de 42 diferentes países, envolvendo mais de 2.000 artistas, contemplando produções de todos os continentes e gerando grande impacto sobre a dinâmica cultural da cidade, atraindo um público de mais de 1.6000.000 pessoas. 
Hoje, ele é consolidado como um dos maiores festivais internacionais de teatro do país e um dos cinco principais da América Latina. 
09 - APROVEITAR A MOSTRA DE CINEMA DE BH 
Lembra quando nós dissemos que Belo Horizonte é referência quando o assunto é cinema? Então, a cidade é tão conectada nesse assunto que recebe, todo mês de outubro, a Mostra de Cinema BH. 
Programação abrangente e gratuita que oferece exibições de filmes nacionais e internacionais, homenagens, oficinas, seminário, debates, sessões cine-escola, mostrinha de cinema e atrações artísticas. 
Hoje, o evento já se consolidou como plataforma de rede de contatos e negócios para o cinema brasileiro em intercâmbio com o mundo! 
10 - O ARTESANATO (E A MAIOR FEIRA ABERTA DA AMÉRICA LATINA) 
Assim como toda capital, Belo Horizonte também tem sua feira de artesanato com atrações particulares e grandes amostras da cultura e da história local. Na capital mineira, a Feira de Arte e Artesanato da Avenida Afonso Pena já acontece há 30 anos e é parte da história da cidade. 
A feira, que começou na praça, invadiu a avenida e, hoje, são cerca de 2.218 mil expositores divididos em 12 setores. Hoje, a feira é a maior do gênero em espaço aberto da América Latina! 
Conhecida como Feira Hippie, a feira é uma atração turística imperdível. 
11 - A CULINÁRIA MINEIRA E OS RESTAURANTES LOCAIS 
É claro que não poderíamos deixar a culinária mineira de fora desta lista de motivos para conhecer Belo Horizonte. 
Reconhecida nacionalmente (e até internacionalmente), a cozinha de Belo Horizonte tem tudo aquilo que torna Minas Gerais a capital brasileira do aconchego: pão de queijo, feijão-tropeiro, costelinha, lombo com tutu e frango ao molho pardo e, é claro, os deliciosos queijos mineiros. 
Em Belo Horizonte, você pode encontrar o melhor da gastronomia local (e até da culinária internacional). Os tradicionais bairros de Lourdes e Savassi, por exemplo, têm vários restaurantes que seguem à risca as receitas italianas, francesas, portuguesas e até iranianas. 
12 – OS BOTECOS 
Além dos restaurantes, Belo Horizonte também é repleta de botecos perfeitos para curtir um fim de tarde ou uma noite com os amigos. Conhecida como a “capital brasileira dos botecos”, Belo Horizonte tem o maior índice de bares por habitantes do país! E há opções para todos os gostos – dos mais simples e tradicionais aos mais sofisticados e moderninhos. 
Apesar do estilo variado, um ponto único une todos os bares da cidade: os petiscos são de dar água na boca. 
Linguiça, torresmo, mandioca e pastelzinho de angu são apenas alguns dos exemplos de pratos perfeitos para acompanhar uma cerveja gelada ou uma boa e velha dose de cachaça mineira. 
13 – OS PARQUES 
Um dos principais motivos para conhecer Belo Horizonte é a natureza urbana. A cidade é repleta de parques com visuais bem acolhedores! O Parque das Mangabeiras, por exemplo, é uma imensa área verde nos arredores da Serra do Curral. 
Além de trilhas no meio da mata nativa, o espaço tem várias outras atrações naturais, como um lago e cachoeiras, além das quadras esportivas, mirantes e da Praça do Papa, um palco constante para espetáculos musicais. 
Outro ponto bem bonito da cidade é o Parque Municipal, bem no coração da capital mineira,. Ele reúne orquidário, jardins, lago e o Palácio das Artes, um dos mais importantes espaços culturais de Belo Horizonte. 
Se você quiser bancar o turistão, pode fazer um passeio de tuk-tuk, simpáticos triciclos amarelinhos que dão uma volta pelos cinco imperdíveis roteiros turísticos: Pampulha, Mercado Central e entorno, Serra do Curral e Mangabeiras, Praça da Liberdade e Savassi, e a Praça da Estação e Centro. 
VALE LEMBRAR: pertinho de BH, você pode visitar o Instituto Inhotim, a sede de um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina. 
Na estrada, de carro ou de ônibus, você leva cerca de 35 minutos para chegar em Inhotim, saindo de BH. Vale a visita! 
Pronto, com essa lista, visitar Belo Horizonte vai se tornar uma experiência ainda mais incrível! 
Por: Maria Confort /msn.com 


Fonte dos textos e fotos: msn.com / MHM / Charlie Styforlamber / Thymonthy Becker / 



VALEU POR VIAJAR COM A GENTE - SEMPRE VOLTE


Comentários

Postar um comentário

VALEU POR VIAJAR COM A GENTE

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem