Pular para o conteúdo principal

ALASKA, ESTADOS UNIDOS DE AMÉRICA - O Alasca é terra de superlativos. O maior estado americano abriga o maior pico, o maior parque nacional e a maior floresta dos Estados Unidos. Lá, há glaciares mais extensos do que países inteiros, baleias-jubarte de até 15 metros, ursos de quase 500 quilos. Geleiras, lagoas, vulcões, montanhas, florestas: ao mesmo tempo que sua paisagem natural é uma das mais remotas e selvagens do planeta, ela é facilmente alcançada por voos abundantes, cruzeiros confortáveis com múltiplos roteiros que transitam pela costa (maior do que a do resto dos EUA inteiro somada) e a Alaska Highway, uma rodovia ampla e moderna que percorre mais de 2 mil quilômetros. E não, não é tão gelado quando a gente imagina: no verão, o termômetro pode bater até 30 graus.




CONHEÇA O "ALASKA", USA,  (ESTADOS UNIDOS DE AMÉRICA) - DA JANELA DO TREM - E SAIBA O QUE TEM DE BOM PARA SE FAZER LÁ
Conheça nosso roteiro para conhecer umas das regiões mais quentes no roteiro turismo americano - mesmo com as baixas temperaturas
O Alasca é terra de superlativos. O maior estado americano abriga o maior pico, o maior parque nacional e a maior floresta dos Estados Unidos. Lá, há glaciares mais extensos do que países inteiros, baleias-jubarte de até 15 metros, ursos de quase 500 quilos. Geleiras, lagoas, vulcões, montanhas, florestas: ao mesmo tempo que sua paisagem natural é uma das mais remotas e selvagens do planeta, ela é facilmente alcançada por voos abundantes, cruzeiros confortáveis com múltiplos roteiros que transitam pela costa (maior do que a do resto dos EUA inteiro somada) e a Alaska Highway, uma rodovia ampla e moderna que percorre mais de 2 mil quilômetros. E não, não é tão gelado quando a gente imagina: no verão, o termômetro pode bater até 30 graus. 
COMO CHEGAR NO ALASKA
Com a American Airlines, é possível voar do Brasil a Anchorage apenas com uma conexão em Los Angeles. Com a Avianca, você faz escala em Bogotá e Los Angeles, e, com a Aeromexico, na Cidade do México e também Los Angeles. Há voos a partir de US$ 1000. Uma boa ideia é conjugar a viagem ao Alasca com uma visita à cidade de Seattle, que tem ampla ofertas de voos a Anchorage a partir de US$ 300 (ida e volta). 
COMO CIRCULAR NO ALASKA
A companhia Alaska Airlines diminui as enormes distâncias do estado com boa oferta de voos. Para percursos menores, vale alugar um carro e viajar pela Alaska Highway. Quem busca conforto pode procurar um dos muitos cruzeiros que operam pela região, que partem de cidades como Vancouver, no Canadá, e Seattle – os melhores são feitos nos navios Celebrity Solstice e MS Amsterdam. 
QUANDO IR AO ALASKA
Do fim de maio ao meio de agosto, quando as temperaturas ficam entre 15 e 26 graus e a vegetação está radiante. O verão traz dias longuíssimos com até 19 horas de sol – ele quase nem se põe. As chuvas são bem distribuídas durante o ano e podem cair a qualquer momento. 
TOP ATRAÇÕES DO ALASCA 
ANCHORAGE 
A maior cidade do Alasca recebe grande parte dos voos e sua localização é um bom ponto de partida para uma série de atrações. A cena gastronômica é autêntica e interessante, principalmente de peixes e frutos do mar – ninguém sai de lá sem um bom prato com salmão. O centrinho é gostoso para caminhar e tem lojas com artesanatos de povos nativos do estado, como os inupiat e os athabaskan. Vale visitar também o Alaska Wildlife Conservation Center, um centro de reabilitação para animais como raposas, alces e ursos, e o moderno Anchorage Museum, que revela detalhes sobre a fauna e a flora da região. 
CHUGACH STATE PARK 
Uma das áreas naturais mais acessíveis do estado (suas montanhas fazem sombra sobre Anchorage), mescla uma série de ecossistemas em seu território: de floresta de coníferas a pântanos e vegetação de tundra. O parque é mapeado por mais de 110 trilhas, que correm entre glaciares, e também é possível andar de caiaque em lagos azulados e colher frutinhas silvestres. 

KENAI FJORDS NATIONAL PARK 
O parque protege grande parte da costa repleta de fiordes da Península de Kenai, ao sul de Anchorage. Tours de barco que saem da cidade de Seward com cinco a dez horas de duração exploram suas várias frações, como Resurrection Bay, onde baleias-cinzentas dão as caras, e Fox Island, na qual você pode remar num caiaque em praias pedregosas entre papagaios-do-mar. Para um contato mais intenso com a natureza gelada, a trilha Harding Icefield, com 12 quilômetros (ida e volta), possibilita ver glaciares espetaculares do alto. 

GLACIER BAY NATIONAL PARK 
Juneau, a capital do estado, é parte da Alaska Inside Passage, rota tradicional dos muitos navios que viajam por ali. O parque preserva majestosos glaciares (mais de 50!) e icebergs, nos quais você vê pedaços de gelo se desprendendo e despencando no mar. A rica vida selvagem inclui focas, leões-marinhos e mais de 200 espécies de pássaros. Único hotel dentro do parque, o Glacier Bay Lodge tem vista para montanhas nevadas e organiza passeios. 

MENDENHALL GLACIER 
Convenientemente localizado bem próximo de Juneau, o glaciar tem nada menos que 19 quilômetros de extensão e é circundado por uma floresta verdejante. Trilhas de diversos graus de dificuldade deixam chegar perto da massa de gelo – a da Nugget Falls termina na cascata de cinco quedas que avizinha o glaciar. 


DENALI NATIONAL PARK 
Dos mais singulares do Alasca, o parque é casa dos “big five”, os “top cinco” animais do país: ursos, lobos, alces, renas e o carneiro-de-dall. Como não é permitido explorá-lo com seu próprio veículo, tome os tours de ônibus, passeios em pequenos aviões ou trilhas que circulam pelos vales entre enormes montanhas para avistá-los. No caminho, mirantes deixam ver florestas de coníferas, vegetação de tundra, lagos, glaciares. O rei da paisagem é o Monte McKinley, o pico mais alto dos Estados Unidos, com seus 6.190 metros. O centro de visitantes oferece uma exposição completa sobre a história e a geologia do lugar. 
KATMAI NATIONAL PARK 
Aqui há uma combinação única de 15 vulcões, alguns deles ainda soltando fumaça, e a maior população de ursos da América do Norte: 2.200 deles vivem por lá – do alojamento Brooks Camp você consegue observar dezenas deles caçando salmões entre as corredeiras do rio. Uma caminhada também permite explorar o Valley of Ten Thousand Smokes, formado por uma enorme erupção que ocorreu em 1912, com campos de lava, cachoeiras que descem das montanhas sobre lagos e glaciares. 

WRANGELL-ST. ELIAS NATIONAL PARK 
O gigantismo do Alasca é bem representado nesse parque nacional, o maior dos Estados Unidos, onde ficam nove das 16 montanhas mais altas do país e mais de 150 glaciares. Para ter noção do mar de vulcões, formações rochosas, vales e rios que o formam, o melhor é embarcar nos passeios de avião que deixam ver a paisagem de cima numa experiência estarrecedora.
Por Abril Branded Content




VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE


Fonte dos textos e fotos: viagemeturismo.abril.com.br / Wikipédia / Thymonthy Becker / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Baependi é um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade. Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares. A religiosidade ocupa lugar de destaque como um dos fatores que mais atraem os visitantes, uma vez que Baependi foi o lugar onde a serva de Deus, Nhá Chica, concedeu suas graças, hoje em dia inúmeras romarias de diversas partes do país têm como destino o Santuário de Nhá Chica, onde também se encontram seus restos mortais.

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Será que tem gremista em Colorado? Claro que tem. Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O município tem como base da economia a produção agrícola. Cenários de belezas, cores e aromas que seduzem os turistas. Cenários de belezas, cores e aromas que seduzem os turistas

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas. Destes, Capitólio se destaca por oferecer as melhores opções de serviços e infraestrutura turística. Os passeios náuticos, os esportes aquáticos, a pesca esportiva e a exuberância natural são pontos fortes da região, que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra, onde nasce o Rio São Francisco, o "Velho Chico". O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias. Desses, surgiram os “brasilienses”, o gentílico usado para quem nasceu aqui e adotado por quem veio de fora e assumiu a cidade como sua.

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras. De frente para a Baía da Guanabara, Niterói mostra que a vista para a cidade do Rio não é o único atrativo. Além de oferecer, na sua face voltada para o alto mar, trechos de areia ideais para quem quiser fugir do agito de Ipanema e Copacabana, o município começa a explorar o legado das construções assinadas por Oscar Niemeyer, entre elas o famoso Museu de Arte Contemporânea.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.