Pular para o conteúdo principal

AS 08 CIDADES MEDIEVAIS DA ITÁLIA - Quem nunca sonhou em conhecer as maravilhas da Itália? O país está entre um dos destinos de viagem mais procurados por casais, amigos e jovens mochileiros - isso porque o local não só releva uma cultura única, como também guarda vilarejos e cidades tão incríveis que fica difícil não se apaixonar! Melhor do que explorar as grandes cidades e obras de arte presentes no país é conhecer os pequenos vilarejos medievais que parecem que pararam no tempo. Guardando uma arquitetura e detalhes únicos da antiguidade, percorrer suas ruas de paralelepípedos é como voltar à Idade Média, quando fortalezas eram construídas a fim de proteger as cidades (estas, geralmente no alto de montanhas). Confira:




CONHEÇA 08 CIDADES MEDIEVAIS DA ITÁLIA, E SE APAIXONE - DA JANELA DO TREM
Quem nunca sonhou em conhecer as maravilhas da Itália? O país está entre um dos destinos de viagem mais procurados por casais, amigos e jovens mochileiros - isso porque o local não só releva uma cultura única, como também guarda vilarejos e cidades tão incríveis que fica difícil não se apaixonar! Melhor do que explorar as grandes cidades e obras de arte presentes no país é conhecer os pequenos vilarejos medievais que parecem que pararam no tempo. Guardando uma arquitetura e detalhes únicos da antiguidade, percorrer suas ruas de paralelepípedos é como voltar à Idade Média, quando fortalezas eram construídas a fim de proteger as cidades (estas, geralmente no alto de montanhas). Confira: 
MONTEPULCIANO, SIENA, ITÁLIA
A cidade medieval de Montepulciano, a 66 km de Siena, é um verdadeiro tesouro localizado na Toscana. Ela fica bem no alto de uma colina e se caracteriza por construções de pedra, edifícios da época do Renascimento e, claro, pelo famoso Vinho Nobile de Montepulciano, considerado um dos melhores da Itália. 
Situado no topo de uma colina, ao sul da Toscana, não muito longe de Siena, Montepulciano é uma cidade medieval de rara beleza que definitivamente vale a pena uma visita! Um burgo único, com 14.000 habitantes, elegantes palácios renascentistas, igrejas antigas, belas praças e pequenos recantos escondidos. De Montepulciano também é possível desfrutar de uma vista fabulosa e sem limites sobre o Val d’Orcia e Val di Chiana. 
A posição estratégica de Montepulciano torna o local ideal para explorar este belo canto da Toscana. A harmoniosa Pienza, a vila termal de Bagno Vignoni, e a famosa área de Montalcino, famosa pelo Brunello e muitas outras pequenas cidades encantadoras.
MONTALCINO, SIENA 
A Cidade de Montalcino, a 35 km de Montepulciano, está situada em uma colina alta entre os vales do Rio Ombrone e fica a 564 metros acima do nível do mar. O local é famoso por produzir o vinho Brunello, um dos mais renomados do mundo. A cidade é formada por castelos antigos e construções imponentes que fazem qualquer apaixonado por lugares incríveis se encantar! 
O nome deriva do Mons Ilcinus, ou seja, o Monte dei Lecci, e refere-se à grande presença de lecci (uma tipo de madeira) no seu território como evidenciado por seu brasão da cidade. A história deste vilarejo, caracterizado principalmente pelo período medieval, descreve a força e a coragem do seu povo, firmes defensores da liberdade. Na verdade, entre os séculos XII e XV, Montalcino foi o centro de disputas entre Siena e Florença, com guerra muito duras. 

O primeiro documento histórico que indica a existência de Montalcino é de 814 quando o vilarejo estava sob a administração da Abadia de Sant’Antimo. No século XIII, a cidade foi disputada entre Florença e Siena, mas os montalcinesi decidiram lutar ao lado de Florença e depois da vitória de Siena na Batalha de Montaperti se submeteram a Siena. 
Nos anos seguintes, a cidade se rebelou duas vezes do controle de Siena e por causa disso, em 1361 Siena construiu uma fortaleza. Em 1525 a cidade resistiu às tropas dos Medice. Apos a queda da Republica de Siena, um grupo de exilados, conduzido por Pietro Strozzi, ocupou o local e neste curto período também foi cunhada a sua própria moeda. Em 1559 Montalcino foi dominada por Florença e assim foi até a união da Italia em 1860. 
CORTONA, AREZZO, ITÁLIA
Cortona é uma bela cidade, na província de Arezzo, situada em uma localização historicamente estratégica, no coração da Toscana. A cidade é toda cercada por uma muralha e possui 6 entradas, mais especificamente 6 portas - sendo possível estacionar seu carro em alguma das entradas e fazer o restante do percurso a pé. Por lá, a combinação de arte, cultura e história são muito forte, sendo uma boa escolha para quem quer curtir um destino verdadeiramente italiano. Não é à toa que o local foi escolhido para ser cenário do filme "Sob o Sol de Toscana". 
Cortona fica no alto de uma colina e possui raízes etruscas, que remontam ao século 4 a.c. As ruas de Cortona são fáceis de passear e possuem vistas espectaculares sobre o vale até o Lago Transimeno. Não acredite nos guias que dizem que basta algumas horas em Cortona, no mínimo um dia é necessário para poder “sentir a cidade”, o ideal são 2 dias. 
A cidade hoje há 23.000 habitantes e pertence a província de Arezzo. Está a 500 metros acima do nível do mar, na parte mais alta da colina, e reserva muitas atrações turísticas, principalmente do período etrusco, romano, medieval e renascentista. 
SAN GIMIGNANO, SIENA, ITÁLIA
Localizada no alto de uma colina, a cidade fica a 62 km de Florença e foi declarada como patrimônio mundial da UNESCO. Cercada por uma muralha, por lá não entram carros - motivo que faz o local ficar ainda mais charmoso. Visitar San Gimignano é como voltar para a Idade Média: torres por todos os lados, vielas e ruas tão encantadoras que apelidaram o local de Nova York da Idade Média. 
Desenvolvida desde o século 10 sobre um monte de 334 metros de altura, com imbatível vista para o Vale de Elsa, a vila de San Giminiano é uma das preciosidades da Toscana, na Itália
Entre os edifícios de destaque no centro histórico de San Gimignano está o Duomo, igreja românica do século 12, conhecida também por abrigar um belo acervo de obras de arte, que passa pelas esculturas de madeira de Jacopo della Quercia e pelos afrescos de Benozzo Gozzoli
Desenvolvida desde o século 10 sobre um monte de 334 metros de altura, com imbatível vista para o Vale de Elsa, San Giminiano é uma das preciosidades da Toscana. Seu conjunto arquitetônico medieval, restaurado a partir do século 19, funciona como um impecável cenário para os visitantes que circulam pelos cafés, lojas e restaurantes de suas ruelas. Entre os edifícios de destaque no complexo está o Duomo, igreja românica do século 12, conhecida também por abrigar um belo acervo de obras de arte, que passa pelas esculturas de madeira de Jacopo della Quercia e pelos afrescos de Benozzo Gozzoli. À esquerda da praça onde fica o templo católico se encontra o Palazzo Podesta, conhecido também como “Palácio do Povo”, sede da prefeitura e do Museo Civico, rico em obras de arte compiladas a partir do século 14. À direita aparece a maior das torres remanescentes da cidade – hoje só resta cerca de um quinto das mais de setenta que chegaram a ser construídas por famílias rivais –, de onde se pode contemplar as belezas toscanas. 
COMO CHEGAR A SAN GIMIGNANO, ITÁLIA 
San Gimignano possui conexão rodoviária com Florença e Siena. Os ônibus saem do terminal da Piazzale dei Martiri di Montemaggio e a viagem para qualquer uma das duas cidades não ultrapassa uma hora e meia. Para quem vai dirigindo de Florença ou Siena para San Gimignano, pega-se a estrada SS2, em direção a Poggibonsi, e depois a SS68.
A cisterna, localizada no meio da praça de formato triangular, foi construída em 1287; nesta época, a praça funcionava como um mercado a céu aberto
VOLTERRA, PISA, ITÁLIA
Volterra fica na província de Pisa, na fronteira da província de Siena, e está situado em uma colina a 450 metros acima do nível do mar, entre os vales de Cecina e dell’Era. As origens de Volterra remontam aos antigos etruscos que deram o nome à cidade de Velathri, e depois os romanos passaram o nome para Volaterrae. Muitos museus e pontos turísticos históricos encantam os visitantes que param no tempo ao conhecer esse vilarejo. 
BRISIGHELLA, RAVENA, ITÁLIA
Localizada no vale do Lamone entre Florença e Faenza, Brisighella é uma vila medieval com apenas 8 mil habitantes data do século 13! A fortaleza foi construída no alto de uma das 3 colinas que marcam a geografia de cartão postal da região, resultando em um vilarejo incrível que guarda as tradicionais marcas das aldeias medievais: vielas estreitas, construções imponentes de pedras e muitas histórias. 
NEIVE, PIEMONTE, ITÁLIA
Com um pouco mais de 3 mil habitantes, o pequeno vilarejo de Neive é um daqueles locais históricos, mas que muitos turistas ainda não conhecem. Localizado na região do Piemonte, quem visita o local garante que é um dos pontos mais bonitos da Itália - não é para menos, a simplicidade do vilarejo mescla com uma rica história e charmosas construções medievais. 
SORANO, TOSCANA, ITÁLIA
Boas surpresas e lugares incríveis é o que não faltam no interior da Itália. A cidade de Sorano é um exemplo dos tesouros escondidos na região sul da Toscana. O local parece ter andado por muito tempo sem contato com a civilização - como se o progresso ainda não tivesse chegado. Casas antigas, construções históricas e uma população pequena (e idosa) fazem do destino um dos mais característicos da Itália quando o assunto são cidades medievais.

OBRIGADO POR VIAJAR COM A GENTE

GRAZIE PER LA VISITA - SEMPRE TORNARE


Fonte dos textos e fotos: msn.com / Thymonthy Becker / passeiosnatoscana.com / viagemeturismo.abril.com.br / 

A primeira postagem saiu no msn.com

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem