Pular para o conteúdo principal

BONITO, MATO GROSSO DO SUL - Bonito é simplesmente o melhor destino para mergulho fluvial do Brasil. Na nascente cristalina do Rio Baía Bonita, que forma o Aquário Natural, ou no Rio Sucuri, de leve correnteza, você nada lado a lado com diversas espécies de peixes coloridos. É uma típica “viagem família”, mas isso não quer dizer que o destino não tenha muita aventura – há passeios de botes em corredeiras, boia-cross, mergulho com cilindro e até rapel no incrível Abismo Anhumas, uma das maiores cavernas submersas do país.




CONHEÇA A CIDADE DE "BONITO", MATO GROSSO DO SUL, BRASIL - COMO SE ESTIVESSE NA JANELA DO TREM
QUER CONHECER UM LUGAR REALMENTE BONITO? ENTÃO VENHA PARA BONITO, MS.
A grande quantidade de calcário e restos de cascas de caramujo dão incrível coloração azul à agua do Rio Sucuri (Divulgacao)
Gentílico: bonitense
HISTÓRICO DA CIDADE DE BONITO, MS
O núcleo habitacional que se transformaria na sede do município de Bonito iniciou-se em terras da Fazenda Rincão Bonito, que possuía uma área de 10 léguas e meia e foi adquirida do Sr. Euzébio pelo Capitão Luiz da Costa Leite Falcão, que aí se aportara em 1869, e é considerado o desbravador de Bonito, tendo sido também seu primeiro escrivão e tabelião.
População estimada 2016 (1) - 21.267
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 4.934,414
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 3,97
Código do Município 5002209
Gentílico - bonitense
TURISMO NA CIDADE DE BONITO, MS
Bonito é um município brasileiro da região Centro-Oeste, situado no estado de Mato Grosso do Sul. Pólo do ecoturismo em nível mundial, suas principais atrações são as paisagens naturais, os mergulhos em rios de águas transparentes, cachoeiras, grutas, cavernas e dolinas. Juntamente com Jardim, Guia Lopes da Laguna e Bodoquena, é o principal município que integra o complexo turístico do Parque Nacional da Serra da Bodoquena, apresentando grande potencial turístico.
O aquário natural do Rio Sucuri, em Bonito
Com o objetivo de incrementar o ecoturismo o Programa de Desenvolvimento do Turismo, recentemente houve investimentos de mais de R$ 130 milhões em obras e programas de saneamento, pavimentação e incentivo ao ecoturismo na região da Serra da Bodoquena.
O Abismo das Anhumas é a atração mais impressionante de Bonito. Após descer 72 metros de altura de rapel, o visitante se depara com um espelho dágua cristalino (Valdemir Cunha)
Bonito reúne um conjunto de equipes, empresas, ONGs e órgãos governamentais que buscam organizar e coordenar o ecoturismo, visando sempre a sustentabilidade local e a conservação da natureza. A cidade tem seu próprio gestor de turismo, o Bonito Convention & Visitors Bureau, este que gerencia mais de 30 opções turísticas na região.
No passeio de bote pelo Rio Formoso, o turista enfrenta corredeiras leves e com pouco declive (Gabriela Aguerre)
Araras vermelhas sobrevoam região de Bonito. No Buraco das Araras, umas das atrações de Bonito, é possível ver as aves saindo de seus ninhos e criando um espetáculo que pode ser observado de luneta (André Turatti)
Abismo Anhumas
Eh uma das cavernas mais sensacionais do Vale do Anhumas, situado em Bonito no Mato Grosso do Sul. Da entrada até a base da caverna são 72 metros de descida vertical em rapel, uma técnica totalmente segura de descida em cordas. Todo o processo é feito com monitores e instrutores altamente treinados para garantir o máximo de segurança. Ao final do rapel, chegando à base da caverna, você encontrará um deck flutuante construído sobre um espelho de águas cristalinas. Este lago límpido atinge 80 metros de profundidade. Na noite anterior à descida é realizado um treinamento de rapel para que você se familiarize com o equipamento e segurança que envolve esta aventura.

Balneário Municipal de Bonito. O passeio até o lugar não é agenciado, mas pode ser procurado diretamente pelo turista (Fabiano Lucas)
Eh um circuito com 20 atividades diferentes. São 18 obstáculos e duas tirolesas, sendo a última uma tirolesa aquática. O passeio é realizado com total segurança utilizando um moderno sistema de vagão com cabo de vida contínuo, onde o cliente não se desconecta em nenhum momento durante os obstáculos.
A flutuação no Rio Prata, aquário natural gigante e de água claríssima, é uma das atrações principais de Bonito (Leo Feltran)
Ybirá Pe, em tupi guarani, caminho das árvores, é o primeiro circuito de arvorismo do MS, esta localizada a 8 km da praça das piraputangas em Bonito. Está às margens do rio Formoso e proporciona ao visitante o deslocamento entre as copas de árvores nativas através de travessias em cabo de aço, madeira, bambu e corda. Com altura entre zero e vinte metros, oferece a estrutura necessária para a atividade, com equipamentos individuais certificados, seguro e monitores capacitados. Coloca você em contato direto com a natureza e possibilita a manutenção e preservação da floresta, tendo o turismo de aventura como ferramenta de conservação. Diversas espécies de animais podem ser observadas durante o passeio. Ao final, relaxe e refresque-se nas águas cristalinas do rio Formoso.
O visitante que fizer a flutuação pelo Rio Prata pode nadar ao lado de pacus, piraputangas, dourados e pintados (Leo Feltran)
AS CAVERNAS DA CIDADE DE BONITO, MS
As cavernas em Bonito são úmidas, sendo que algumas possuem lagos em seu interior. Há também formas curiosas que descem dos tetos das mesmas, assim como outras formas nas partes de baixo. Em geral são escuras, sendo a casa de pequenos seres, dentre eles, os morcegos, que possuem um papel fundamental na disseminação de sementes, assim como um transportador de alimento para dentro das cavernas, proporcionando o início da cadeia alimentar nas mesmas. Entrar em uma caverna se torna um obstáculo pois elas não foram feitas para a ocupação humana, mas algumas possuem acesso fácil. Mesmo assim caminhar dentro de uma caverna só sem um guia pode acarretar danos no interior das cavernas. Detalhe: as cavernas são de propriedade federal.
Abismo das Anhumas. 
Sob uma pequena fenda no solo se esconde a maior caverna submersa do mundo com um espelho-dágua cristalino (Leo Feltran)
Bonito é simplesmente o melhor destino para mergulho fluvial do Brasil. Na nascente cristalina do Rio Baía Bonita, que forma o Aquário Natural, ou no Rio Sucuri, de leve correnteza, você nada lado a lado com diversas espécies de peixes coloridos. É uma típica “viagem família”, mas isso não quer dizer que o destino não tenha muita aventura – há passeios de botes em corredeiras, boia-cross, mergulho com cilindro e até rapel no incrível Abismo Anhumas, uma das maiores cavernas submersas do país. A preocupação com o meio ambiente, por aqui, é levada a sério. Ao explorar a cidade, parece até que muitas de suas atrações foram descobertas recentemente. Tanta beleza e organização, no caso, têm seu preço: ao planejar a viagem, leve em conta que os principais passeios custam caro (em alguns casos, os valores incluem guias, equipamentos para as flutuações e até almoço).
A água cristalina da Gruta do Lago Azul impressiona. O local também está cercado por estalactites, estalagmites e travertidos (Ichiro Guerra)
O passeio é composto de uma caminhada por trilha pela mata preservada, passando por cachoeiras cristalinas, pelo cênico Rio Salobra, por pontos de banhos em piscinas naturais e pela mais alta cachoeira do Estado: a Cachoeira Boca da Onça, com 156 metros de altura.
No Rio Sucuri, o calcário e as cascas de caramujo dão um tom impressionante de azul à água, que se mistura com tons verdes, vermelhos e amarelos da vegetação (Rico)
Para os praticantes e apreciadores radicais, o rapel de 90 metros de altura é pura aventura. Uma plataforma de 34 metros de comprimento projeta-se no abismo proporcionando uma descida repleta de adrenalina pelo paredão com inúmeras grutas e um magnífico visual sobre o canyon do Rio Salobra. O receptivo oferece duas piscinas de água corrente com peixes típicos da região que nadam junto com o visitante, relaxante hidromassagem e ducha natural.
No Aquário Natural, o visitante recebe treinamento de flutuação numa piscina natural antes de cair no Rio (Andre Sealle)
Localizado também na Fazenda São Geraldo, o passeio de bike do Rio Sucuri possui aproximadamente 02 horas de duração em meio à mata fechada. É possível observar animais da região e no final do percurso há uma parada para um delicioso banho de cachoeira.
Flutuação na nascente Olho-DÁgua, onde as águas são mais calmas e levam até o Rio Prata (Marcelo Krause)
UM DIA PERFEITO EM BONITO, MS
A Flutuação no Rio Sucuri, principal atração da cidade, pode ser feita pela manhã. Peixes como piraputangas e dourados nadarão ao seu lado. Depois da aventura, você pode curtir o resto do tempo na fazenda do lugar, ou partir para conhecer a impressionante Gruta do Lago Azul, na mesma região. Para finalizar, há dois bons programas: jantar na Casa do João, que serve receitas com peixes locais, e fim de noite no Taboa Bar, com a ótima cachaça que leva mel, canela, guaraná e ervas.
Com rios e lagoas cristalinas, Bonito é o maior playground do ecoturismo brasileiro (Divulgação)
O GUIA RECOMENDA
Cinco dias - Bonito tem muitas atrações – e você não consegue ver tantas no mesmo dia, por causa das distâncias e do tempo gasto para visitá-las. Depois de curtir a flutuação, aposte nas cachoeiras: a Boca da Onça, a mais alta do estado, e o Parque das Cachoeiras são imperdíveis.
A cachoeira Boca da Onça é a principal de um passeio de 3 km que passa por outras 10 cachoeiras, na Serra da Bodoquena (Divulgação)
No Abismo Anhumas, a diversão é para quem gosta de fortes emoções: uma descida de rapel leva a uma das maiores cavernas submersas do Brasil. Também não dá para voltar do destino sem mergulhar no belo Aqueário Natural, ou visitar a Gruta de São Miguel. Programe, também, um dia inteiro para visitar a vizinha cidade de Jardim, onde você confere a inesquecível Flutuação no Rio da Prata, a Lagoa Misteriosa e o Buraco das Araras. Se sobrar tempo, tire um dia para aproveitar as “praias” de Bonito, como o Balneário do Sol.
O Buraco das Araras é mais uma atração de Bonito, onde o turista pode observar as aves saindo de seus ninhos (LUCIANO CANDISANI)
COMO CHEGAR
A Azul é a única companhia aérea que opera uma linha regular a partir de Campo Grande, às quartas-feiras e aos domingos, sempre às 14h. Do aeroporto de Bonito até o Centro da cidade (12 km), um táxi custa, em média, R$ 60. De carro, partindo da capital, são quase 300 km de estrada em bom estado a partir da BR-060. A Cruzeiro do Sul (3255-1606) faz o trajeto de ônibus diariamente às 9h, 15h30 (menos aos domingos) e 18h30. A viagem dura cinco horas.
Parque das Cachoeiras. O percurso até o local leva três horas (ida e volta) e inclui seis cachoeiras (Fabiano Lucas)
ONDE FICAR
A maioria das hospedagens está no Centro, onde também ficam as agências e o comércio. Quase todos os hotéis da região têm área social reduzida e quartos simples. Quem prefere maior contato com a natureza pode fazer reserva no Zagaia Eco Resort ou no Santa Esmeralda.
Gruta de São Miguel, onde vivem morcegos. Uma trilha suspensa leva à entrada do local (Fabiano Lucas)
ONDE COMER
Os peixes mais famosos do Pantanal – como piraputanga, pacu, pintado e dourado – estão presentes na maioria dos cardápios da cidade. Vale prová-los no Cantinho do Peixe, onde são preparados com urucum e leite de coco. Se quiser experimentar carne de jacaré, vá ao Castellabate.
Parque das Cachoeiras, onde é possível chegar após mais de uma hora de caminhada em uma passarela de madeira no meio da vegetação (Fabiano Lucas)
SABORES
Há dez anos, o Palácio dos Sorvetes teve uma deliciosa ideia para atrair os turistas no inverno: assar o sorvete! Nesse doce entram salada de frutas, sorvete, chantilly e creme de leite. A cobertura sai do forno com textura de suspiro e o gelado não derrete. Virou um símbolo da casa.
A Buraco do Macaco,uma das muitas cachoeiras na região da Boca da Onça, em Bonito, Mato Grosso do Sul (Márcio Cabral)
O QUE FAZER
Para aproveitar as atrações ao máximo, é preciso ter planejamento. Primeira dica: monte uma programação diária, e compre as entradas para os passeios com antecedência - muitos lugares limitam o número de visitantes. Os vouchers para quase todas as atrações são vendidos exclusivamente nas agências de turismo da cidade, recomendadas pelos hotéis.
Abismo Anhumas: 
Debaixo dágua, os cones – formados pela sedimentação do calcário que goteja constantemente na lagoa – chegam a até 20 metros (Fabiano Lucas)
Os preços são tabelados, e os pacotes geralmente incluem almoço, lanche e equipamentos como máscara, snorkel e roupa de neoprene para as flutuações. Os preços publicados nas atrações não levam em conta o valor dos traslados, que devem ser negociados com as agências (quem chega de carro encontra facilmente os lugares, já que tudo é sinalizado). Os balneários do Sol e Municipal e a Praia da Figueira são as únicas atrações que não pedem a compra de ingresso antecipado nem o acompanhamento de guia.
A famosa Gruta do Lago Azul, atração maior de Bonito, Mato Grosso do Sul (Márcio Cabral)
SÓ TEM AQUI
Marca da cultura local, o tereré, bebida com mate e água fria, foi trazido pelos paraguaios. Guampa é o nome do recipiente, que tradicionalmente é feito de chifre de boi. E a bomba (o canudo) pode ter adereços com figuras dos símbolos das famílias.
Bonito (MS) não vive só de águas cristalinas. O Passeio de bote no Rio Formoso desce três cachoeiras e duas corredeiras por cerca de 1h30, com parada para banho ( Fundação de Turismo MS)
NOITE
Mesmo com um dia inteiro de atividades, vale guardar um pouquinho de energia para curtir a noite de Bonito. E ela pode começar cedo, às 19h, no Projeto Jiboia. Ali, todos os dias, um sujeito com uma cobra enrolada no pescoço dá praticamente um show de uma hora falando sobre a importância da preservação do animal (você nem percebe o tempo passar!).
Turistas praticando boia-cross, Bonito, Mato Grosso do Sul (Rico)
O programa completo no Abismo Anhumas, em Bonito (MS), combina rapel com mergulho (Divulgação)
O criador de cobras é Henrique Naufal, um paulista que descobriu a exótica paixão por serpentes em uma viagem à Austrália. No fim, ele mostra como o bicho é dócil, colocando-o no ombro dos turistas para uma foto. Depois de jantar em um dos restaurantes do centrinho, siga direto para o Bar Taboa, um símbolo da cidade. Andréa Fontoura, a proprietária, compra cachaça de produtores locais e fabrica infusões com frutas e especiarias. Há versões de coquetéis famosos feitos com a bebida, mas não deixe de experimentá-la na versão tradicional, que leva mel, canela, guaraná e ervas. Outras atrações do Taboa: as mesas na calçada, a música ao vivo e o horário de funcionamento – o lugar não tem hora para fechar.
O Rio Prata não tem vegetação abundante, por isso tem as águas mais cristalisnas entre todos os rios da região (Marcelo Krause)
Peixes e turistas nas transparências do Rio da Prata, em Bonito, Mato Grosso do Sul
QUANDO IR
A época de seca, entre junho e agosto, é a melhor para as flutuações – aproveite para acompanhar a programação do Festival de Inverno, em julho. Entre dezembro e janeiro, durante as férias escolares, a procura pelos passeios é enorme.
foto - h2o ecoturismo e aventura
O QUE LEVAR
Estar bem-preparado é tudo quando se trata de turismo ecológico. Por isso, aqui vão alguns itens essenciais para carregar na mochila durante os passeios: binóculos, câmera fotográfica, papete (melhor opção para trilhas e cachoeiras), água, protetor solar e repelente.
"Mais um ponto de louvor para a cidade de Bonito é a organização dos passeios turísticos. Todos eles são controlados por vouchers unificados. Então quando você chega no local, você entrega o voucher que contém preço, horário de saída, horário de passeio, o que levar e o que não levar. Um sistema unificado muito interessante controlado pelas agências e pontos turísticos, como vimos pela H2O Ecoturismo. Evita filas, correrias e aglomero nos pontos turísticos, além de respeitar exatamente o limite de pessoas que aquele passeio permite. Como são belezas naturais, o impacto ao meio ambiente de um turismo desenfreado seria gigante se não fossem os vouchers".
Por Bruna Fernandes
fotos/ Internet
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE BONITO, MS
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE BONITO, MS


VALEU POR VIAJAR COM A GENTE




Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / viageaqui.abril.com.br / Wikipédia / Divulgação / Governo de Bonito, MG / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem