segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

12 PRATOS DA CULINÁRIA MINEIRA - Que confirmam que Minas Gerais é o estado mais gostoso do Brasil




CONHEÇA OS "12 PRATOS QUE CONFIRMAM QUE MINAS GERAIS EH O ESTADO MAIS GOSTOSO DO BRASIL"
Uma das melhores maneiras de conhecer Minas Gerais é à mesa, já que a culinária do estado está entre as mais variadas do país. Receitas como feijão de tropeiro, angu, mandioca e frango com quiabo trazem um pouco da origem indígena, a influência dos desbravadores paulistas e dos escravos africanos, bem como a lembrança do domínio português e da presença de imigrantes espanhóis e italianos. Essa mesma miscigenação marca o povo, acolhedor e amistoso, cujos ancestrais começaram a povoar seu território montanhoso ainda no século 17, atrás de ouro e pedras preciosas. As primeiras descobertas do minério já provocaram uma grande onda migratória, que deu origem à primeira vila mineira, Nossa Senhora do Ribeirão do Carmo, em 1711. Atual Mariana, esta é uma das joias que compõem o circuito das cidades históricas, que abrange o tesouro arquitetônico de Ouro Preto, Diamantina, Sabará, Tiradentes e Congonhas, onde está a Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos e os profetas esculpidos por Aleijadinho. Belo Horizonte, cidade planejada e fundada em 1897 para ser a capital do estado, não resistiu ao progresso e hoje é uma das metrópoles do país. Mas preserva sua atmosfera boêmia nos autenticíssimos botecos aliada aos traços do arquiteto Oscar Niemeyer, notável em dezenas de prédios pela cidade, em especial nos arredores da Lagoa da Pampulha. Entre as belezas naturais preservadas do estado, três áreas rivalizam pela primazia: 1. a Serra do Cipó, em que o parque nacional e seus arredores exibem cachoeiras, grutas, cânions e paredões para rapel; 2. a Serra da Canastra, onde está a nascente do Rio São Francisco, com sua vegetação de cerrado e mais cachoeiras; 3. o Santuário Nacional do Caraça, na Serra do Espinhaço, com grutas, piscinas naturais e a constante presença de lobos-guarás no adro da Igreja de Nossa Senhora Mãe dos Homens, erguida no século 19 em área que hoje pertence ao Parque Natural do Caraça.
01 - Ambrosia 
Típica das mesas de Minas Gerais, a ambrosia tem ingredientes simples: leite, ovos, casca de limão, açúcar e canela levados ao fogo. Depois de esfriar, a mistura é levada à geladeira para se transformar numa delícia açucarada (Pierre Refalo)
02 - Pão de queijo
A culinária de Minas Gerais presenteou o país com o pão de queijo, quitute que perfuma o ambiente e cai bem a qualquer hora – especialmente quando sai quentinho do forno (Heudes Regis)
03 - Doce de abóbora 
Compota, em pasta, com coco...em Minas Gerais, o doce caseiro é preparado sem pressa em várias versões, com ingredientes frescos (Fábio Castelo)
04 - Bambá de couve
Ideal para os dias frios, o bambá de couve é feito com caldo de carne engrossado com fubá, ovos, couve e linguiça (Luis Henrique Mendes)
05 - Frango ao molho pardo
Antes de servir, a ave guisada em pedaços é acrescida do próprio sangue, colhido no momento do abate e misturado a vinagre para não coagular. O resultado é um molho escuro – daí o nome do prato. Em Portugal, onde se originou, a receita ganha o nome de galinha à cabidela e a técnica de empregar o sangue no preparo também é aplicada a outras aves, como pato, ganso e marreco (Antonio Rodrigues)
06 - Couve refogada
Essencial para acompanhar pratos como a feijoada e o tutu de feijão. Na versão à mineira, a couve é cortada bem fininha e refogada um pouco antes de ir à mesa com banha de porco, alho e cebola. Há quem acrescente cubinhos de bacon ao preparo (Rogerio Voltan)
07 - Doce de Leite
Preparado em uma panela grande, com leite fresco e açúcar, o doce de leite é umas das sobremesas mais tradicionais de Minas Gerais (Elcio Carriço)
08 - Feijão-tropeiro mineiro
A receita, uma mistura de feijão cozido, farinha de mandioca e linguiça, era a alimentação básica dos trabalhadores que transportavam mercadorias em lombo de burro (Antonio Rodrigues)
09 - Ora-pro-nóbis
Ingrediente comum na cozinha mineira, as folhas de ora-pro-nóbis podem enriquecer saladas, refogados, sopas, omeletes e tortas, mas seu uso mais frequente é com a galinha caipira. O nome vem do latim e quer dizer “orai por nós”. Diz a lenda que os padres colonizadores utilizavam o arbusto como cerca viva ao redor de igrejas. Durante as orações, enquanto os religiosos estavam ocupados, os moradores da cidade aproveitavam para colher as folhas às escondidas. (Alex Moreira)
10 - Frango com quiabo
O prato, em geral, refogado na banha de porco, chegou à mesa dos mineiros por influência dos índios (Ormuzd Alves)
11 - Tutu de feijão
O feijão cozido, refogado e engrossado com farinha de mandioca pode ser encontrado em diferentes regiões do Brasil. Em Minas Gerais, onde a receita é uma das principais atrações da cozinha, costuma-se usar o feijão-roxinho ou o feijão-preto, amassado em forma de purê antes de receber a farinha de mandioca. O resultado é um pirão mole, companheiro para o arroz, a couve, o torresmo e a carne de porco frita (Gladstone Campos)
12 - Leitão à pururuca
A receita trazida pelos portugueses ganhou fama em Minas Gerais pelo sabor e tempero. Em alguns restaurantes, o leitão chega à mesa acompanhado de arroz branco, farofa, feijão-tropeiro e couve (Gladstone Campos)
Receitas fáceis, de preferência preparadas no fogão a lenha e temperadas com muito afeto. Eis a essência da cozinha mineira, que inclui pão de queijo, tutu de feijão, frango ao molho pardo, doce de leite e outras delícias. 
Difundidas em todo o Brasil, cada uma das receitas carrega um pouco de história. Algumas remontam aos hábitos indígenas, outras são frutos da influência dos portugueses atraídos pela riqueza do ouro e do diamante ou da criatividade e apetite dos escravos que trabalhavam nas minas. 
Veja acima fotos dos pratos que carregam a responsabilidade de representarem a gastronomia de Minas Gerais.

Fonte / Fotos = viajeaqui.abril.com.br / Thymonthy Becker / Divulgação /

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os lugares por onde o Trem mais passou esta semana