Pular para o conteúdo principal

LÉPTIS MAGNA, LÍBIA - Léptis Magna era uma cidade na Líbia fundada por fenícios de Tiro no final do século 7 aC, onde o Wadi Lebda encontra o Mar Mediterrâneo. Com edifícios, porto, mercado, bairros, rua e lojas, era a mais bela cidade o império romano em 146 a.C. Eles escolheram este local porque o barranco era uma via navegável para o país e na costa formou um porto natural.




CONHEÇA A ANTIGA CIDADE DO IMPÉRIO ROMANO, "LÉPTIS MAGNA", LÍBIA
Léptis Magna era uma cidade na Líbia fundada por fenícios de Tiro no final do século 7 aC, onde o Wadi Lebda encontra o Mar Mediterrâneo. Eles escolheram este local porque o barranco era uma via navegável para o país e na costa formou um porto natural.
Durante a Terceira Guerra Púnica, Léptis Magna tornou-se um aliado dos romanos, o que tornou uma cidade favorecida e importante dentro do Império Romano. Durante a guerra civil entre Pompeu e César, a cidade ficou do lado de Pompeu e no final da guerra e da vitória de César, a cidade perdeu seu status favorável.
Seu desenvolvimento sofreu de forma significativa pela sua escolha errada e foi punida em ter que fornecer a Roma, uma entrega especial de azeite a título de imposto anual. Durante este século, novos bairros foram adicionados à cidade velha; eles foram concebidos de acordo com layouts romanos tradicionais.
Augustus concordou em devolver este estado para Léptis Magna e um culto imperial para ele foi criado na cidade.
Tornou-se um município durante o reinado de Vespasiano e durante este período, a romanização das elites torna-se evidente, embora as instituições Púnicas permaneceu em uso. Finalmente, a cidade tornou-se uma colônia romana durante o reinado de Trajano e aprovou as instituições romanas.
O Fórum foi criado na época do imperador Augusto no antigo centro da cidade de Cartago; ele foi localizado muito perto da beira-mar e foi embelezado por vários pequenos templos e decorado com estátuas gigantescas dos imperadores (agora no Museu de Tripoli); ele é conhecido como o fórum velho, porque no início do IIIrd século dC, o imperador Septímio Severo, que nasceu em Leptis, construído um novo fórum.
Os edifícios do fórum foram, em parte, modificados ou restaurado durante o reinado dos sucessores de Augusto; a presença de colunas de granito cinza do Egito e da cipollino da Grécia são uma indicação de riqueza Leptis '; as melhorias foram feitas por governadores romanos da cidade ou por ricos comerciantes locais.
A riqueza de Leptis foi baseado em extensas plantações de oliveiras que cercavam a cidade; o imposto anual a cidade teve que pagar a Roma foi cobrado em libras de azeite; em troca seus habitantes gozava de um certo grau de liberdade na administração local e nomeou seus suffetes, magistrados fenícias tradicionais (Hannibal era um suffete de Cartago); muitas vezes os nomes dos habitantes eram uma mistura de elementos romanos e púnicas: Annobal Tapapius Rufus era um comerciante muito rico que financiou a construção do mercado em 8 aC.
Segundo alguns historiadores o Macellum palavra latina, que significa que o mercado onde o peixe e carne são vendidos, derivado de uma palavra púnica que significa o lugar onde você come; bancas foram dispostos ao longo de um círculo ou um octógono, no centro do qual havia uma bacia onde o peixe / carne e as facas de corte usadas eram lavadas. Materiais caros estavam envolvidos na construção do mercado e seus edifícios foram desenhados com precisão.
Um arco triunfal em miniatura mostra os navios que transportavam o azeite a Roma; que, para a esquerda tem grandes velas e é muito semelhante aos navios que são retratados em um mosaico de Ostia, o porto de Roma; que à direita mostra uma galera impulsionado por remos.
Edis eram magistrados romanos encarregados, entre outras funções, de assegurar a regularidade das operações em mercados; arqueólogos têm encontrado frequentemente conjuntos de medidas padrão colocadas pelos edis para cumprir esse objectivo; o conjunto de medidas apresentadas anteriormente, provavelmente foi utilizada para verificar o comprimento dos peixes (você pode ver um conjunto semelhante em Dion, na Grécia).
Annobal Tapapius Rufus, depois de ter financiado a construção do mercado pagou a construção de um grande teatro; é um dos primeiros exemplos de um teatro, que não foi totalmente escavada de um monte, como a parte superior das bancadas é suportado por alvenaria; que foi concluída poucos anos depois do Teatro di Marcello em Roma e é apenas ligeiramente menor do que o teatro de Sabratha (que foi construída muito tempo mais tarde).
Em sua longa inscrição dedicatória Annobal Tapapius Rufus chama a si mesmo amator de Concórdia (amante de concórdia) e outra inscrição similar é decorado por duas mãos trêmulas; claramente o rico comerciante era um grande apoiador das relações de amizade com Roma; novas estradas que ligavam Leptis para o interior foram construídas pelos romanos no século 05 AC, aumentando assim a área dos olivais, em detrimento dos nômades cuja terra foi confiscada.
Iddibal, outro membro da família Tapapius, completou o trabalho e a missão política de Annobal, através da construção de um grande templo atrás do teatro e dedicando-o para os primeiros imperadores romanos; as relações entre Roma e Leptis tornou-se tão forte que muitos habitantes importantes da cidade receberam a cidadania romana, o que lhes permitiu seguir uma carreira política e de ser atribuído a posições no exército.
Na época do imperador Nero uma pedreira perto da cidade foi transformado em um grande anfiteatro.
Corridas de bigas teve lugar entre o anfiteatro e praia do mar; o circo foi construído na época do imperador Marco Aurélio, mas o local provavelmente já era utilizado para corridas.
A cidade atingiu o seu apogeu durante o reinado de Septímio Severo e Caracalla. Tornou-se a segunda cidade da província da África depois da capital Cartago. Ele recebeu novos monumentos: um novo fórum e basílica, uma rua com colunatas para se juntar a parte antiga da cidade, com banho de Adriano, o porto foi restaurada, e mais um arco triunfal foi construído. Por causa do custo, Caracalla decidiu parar a construção do Fórum em 216 dC, e foi, portanto, nunca terminou. Quando Diocleciano decidiu alterar a organização das províncias, Léptis Magna tornou-se a capital da nova província de Tripolitania.
Os romanos deixaram Léptis Magna durante o século 6, depois de um ataque do Levathae, uma tribo berbere. Os bizantinos voltou a Lepcis, mas apenas em uma pequena parte da cidade.
Semelhante a Oea e Sabratha, Leptis (aka Lepcis) foi fundada pelos fenícios para apoiar as suas rotas de comércio ao longo da costa do norte da África. Após a queda de Cartago em 146 aC, no final da Terceira Guerra Púnica, a região de Leptis foi incluído no reino da Numídia até 105 aC, quando os romanos absorveram na província de África. A denominação Magna (Grande) foi adicionado para distinguir Leptis de outra cidade com o mesmo nome, Leptis Parva (pequeno) que foi localizado na Tunísia de hoje.
Em 146 aC, no final da Terceira Guerra Púnica, os romanos destruíram Cartago e estabeleceram sua primeira província na costa sul do Mar Mediterrâneo; ele foi chamado África, um nome a etimologia da qual é incerta, e é composto apenas da parte norte da Tunísia de hoje; os bens remanescentes dos cartagineses foram designados para o Reino de Numídia; em 105 aC, a parte oriental deste reino foi anexado pelos romanos e a província da África foi ampliado para incluir a faixa costeira da Tunísia para Syrtis Maior (Golfo de hoje da Sidra).
LÉPTIS MAGNA
LÉPTIS MAGNA, foi uma importante cidade do "Império Romano", e suas ruínas, estão situadas em Al-Khums, na Líbia, África, a 130 quilômetros de Trípoli, a capital. LÉPTIS MAGNA, era uma das mais belas cidade do "Império Romano", graças a SÉPTIMUS SEVERUS, que aumentou suas dimensões e a embelezou, erguendo imponentes edifícios públicos, e um grande porto marítimo.
LÉPTIS MAGNA (EM LATIM: LEPTIS MAGNA), TAMBÉM CONHECIDA COMO LÉPTIS ALTERA (LEPTIS ALTERA, "OUTRA LÉPTIS", EM REFERÊNCIA A LÉPTIS PARVA)
FOI UMA PRÓSPERA CIDADE DO IMPÉRIO ROMANO. SUAS RUÍNAS ESTÃO SITUADAS EM AL-KHUMS, LÍBIA, 130 QUILÔMETROS AO LESTE DE TRIPOLI.
ERA UMA DAS MAIS BELAS CIDADES DO IMPÉRIO ROMANO, DEVIDO À SEPTÍMIO SEVERO, QUE A AUMENTOU E EMBELEZOU, ERGUENDO IMPONENTES EDIFÍCIOS PÚBLICOS, UM PORTO, UM MERCADO, ARMAZÉNS, LOJAS E BAIRROS RESIDENCIAIS.
A CIDADE PROVAVELMENTE FOI FUNDADA POR COLONOS FENÍCIOS EM 1100 A.C., EMBORA NÃO TIVESSE A MESMA IMPORTÂNCIA QUE CARTAGO, QUE SE TRANSFORMOU NA POTÊNCIA PRINCIPAL DO MAR MEDITERRÂNEO NO SÉCULO IV A.C. FEZ PARTE DO ESTADO DE CARTAGO ATÉ A SEGUNDA GUERRA PÚNICA. EM 146 A.C. FOI ANEXADA À REPÚBLICA ROMANA.
LEPTIS MAGNA REMANESCEU ASSIM ATÉ O GOVERNO DO IMPERADOR ROMANO TIBÉRIO, QUANDO A CIDADE FOI INCORPORADA NO IMPÉRIO COMO PARTE DA PROVÍNCIA ROMANA DA ÁFRICA.
LOGO SE TRANSFORMOU NA TERCEIRA CIDADE MAIS IMPORTANTE DE ÁFRICA ROMANA. O AUGE É ATINGIDO DURANTE A DINASTIA DOS SEVEROS. O IMPERADOR SEPTÍMIO SEVERO, NASCIDO EM LEPTIS, VAI FAVORECER A SUA CIDADE NATAL E PATROCINAR O SEU ENGRANDECIMENTO EM GRANDE ESCALA E EM GRANDE ESTILO. O PALÁCIO DE LEPTIS MAGNA FOI CONSTRUÍDO NESTA ÉPOCA, PELO IMPERADOR.
DURANTE A CRISE DO SÉCULO III, COM O DECLÍNIO DO COMÉRCIO NO IMPÉRIO ROMANO, A IMPORTÂNCIA DE LEPTIS MAGNA TAMBÉM CAIU, NA METADE DO SÉCULO IV, AS PRINCIPAIS PARTES DA CIDADE TINHAM SIDO ABANDONADAS.
PROCÓPIO DE CESAREIA, HISTORIADOR BIZANTINO CONTEMPORÂNEO DE JUSTINIANO, COMENTOU QUE LEPTIS MAGNA PASSOU DE UMA CIDADE LARGA E POPULOSA PARA UMA CIDADE ABANDONADA EM SUA MAIOR PARTE, E QUASE TODA COBERTA DE AREIA.
EM 534 O GENERAL BIZANTINO BELISÁRIO RECONQUISTOU LEPTIS MAGNA E DESTRUIU O REINO DOS VÂNDALOS. A CIDADE FOI ANEXADA AO IMPÉRIO BIZANTINO, E LEPTIS MAGNA CONVERTIDA A CAPITAL DE PROVÍNCIA, PORÉM NUNCA SE RECUPEROU DA DESTRUIÇÃO CAUSADA PELOS BERBERES NA CIDADE.
JUSTINIANO RECONSTRUIU A MURALHA DA CIDADE, PORÉM MENOR DO QUE ELA ERA ANTES, DE FORMA QUE FOSSE MAIS FÁCIL PROTEGÊ-LA DOS ATAQUES E DA AREIA. O IMPERADOR DEDICOU UMA IGREJA A MARIA, MÃE DE JESUS (LITERALMENTE, NO TEXTO DE PROCÓPIO, MÃE DE DEUS), E CONSTRUIU MAIS QUATRO IGREJAS.
O PALÁCIO, CONSTRUÍDO POR SEPTÍMIO SEVERO, QUE ESTAVA EM RUÍNAS, FOI RECONSTRUÍDO. JUSTINIANO TAMBÉM CONSTRUIU BANHOS PÚBLICOS NA CIDADE.
EM 650 OS ÁRABES DOMINARAM A TRIPOLITANA.
A INVASÃO ÁRABE, QUE ATINGIU VELOZMENTE O NORTE DE ÁFRICA DEPOIS DA DERROTA DE BIZÂNCIO, VEM APENAS CONCLUIR UM PROCESSO DE DECLÍNIO E DE APAGAMENTO DE UMA GRANDE E IMPORTANTE REDE DE GRANDES CIDADES.
A DESOLAÇÃO É GERAL E A AREIA INVADIRÁ LEPTIS. O PRESTÍGIO E A SUMPTUOSIDADE DOS SEUS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO VÃO TRANSFORMAR O SÍTIO DE LEPTIS NUMA FONTE DE LUCRO. PARTE DOS MÁRMORES DO PALÁCIO DE VERSALHES FOI RETIRADA DE LEPTIS.
A PARTIR DOS ANOS 1920 FOI ESCAVADA SISTEMATICAMENTE.


VALEU POR VIAJAR COM A GENTE

fonte dos textos e fotos: Wikipédia / Dr. Elmusrati / Thymonthy Becker / romeartlover.tripod.com /  Divulgação / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Baependi é um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade. Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares. A religiosidade ocupa lugar de destaque como um dos fatores que mais atraem os visitantes, uma vez que Baependi foi o lugar onde a serva de Deus, Nhá Chica, concedeu suas graças, hoje em dia inúmeras romarias de diversas partes do país têm como destino o Santuário de Nhá Chica, onde também se encontram seus restos mortais.

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Será que tem gremista em Colorado? Claro que tem. Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O município tem como base da economia a produção agrícola. Cenários de belezas, cores e aromas que seduzem os turistas. Cenários de belezas, cores e aromas que seduzem os turistas

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas. Destes, Capitólio se destaca por oferecer as melhores opções de serviços e infraestrutura turística. Os passeios náuticos, os esportes aquáticos, a pesca esportiva e a exuberância natural são pontos fortes da região, que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra, onde nasce o Rio São Francisco, o "Velho Chico". O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias. Desses, surgiram os “brasilienses”, o gentílico usado para quem nasceu aqui e adotado por quem veio de fora e assumiu a cidade como sua.

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras. De frente para a Baía da Guanabara, Niterói mostra que a vista para a cidade do Rio não é o único atrativo. Além de oferecer, na sua face voltada para o alto mar, trechos de areia ideais para quem quiser fugir do agito de Ipanema e Copacabana, o município começa a explorar o legado das construções assinadas por Oscar Niemeyer, entre elas o famoso Museu de Arte Contemporânea.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.