Pular para o conteúdo principal

LÉPTIS MAGNA, LÍBIA - Com edifícios, porto, mercado, bairros e lojas, era a mais bela cidade o império romano em 146 a.c.




CONHEÇA A ANTIGA CIDADE DO IMPÉRIO ROMANO, "LÉPTIS MAGNA", LÍBIA DA JANELA DO TREM
Léptis Magna era uma cidade na Líbia fundada por fenícios de Tiro no final do século 7 aC, onde o Wadi Lebda encontra o Mar Mediterrâneo. Eles escolheram este local porque o barranco era uma via navegável para o país e na costa formou um porto natural.
Durante a Terceira Guerra Púnica, Léptis Magna tornou-se um aliado dos romanos, o que tornou uma cidade favorecida e importante dentro do Império Romano. Durante a guerra civil entre Pompeu e César, a cidade ficou do lado de Pompeu e no final da guerra e da vitória de César, a cidade perdeu seu status favorável.
Seu desenvolvimento sofreu de forma significativa pela sua escolha errada e foi punida em ter que fornecer a Roma, uma entrega especial de azeite a título de imposto anual. Durante este século, novos bairros foram adicionados à cidade velha; eles foram concebidos de acordo com layouts romanos tradicionais.
Augustus concordou em devolver este estado para Léptis Magna e um culto imperial para ele foi criado na cidade.
Tornou-se um município durante o reinado de Vespasiano e durante este período, a romanização das elites torna-se evidente, embora as instituições Púnicas permaneceu em uso. Finalmente, a cidade tornou-se uma colônia romana durante o reinado de Trajano e aprovou as instituições romanas.
O Fórum foi criado na época do imperador Augusto no antigo centro da cidade de Cartago; ele foi localizado muito perto da beira-mar e foi embelezado por vários pequenos templos e decorado com estátuas gigantescas dos imperadores (agora no Museu de Tripoli); ele é conhecido como o fórum velho, porque no início do IIIrd século dC, o imperador Septímio Severo, que nasceu em Leptis, construído um novo fórum.
Os edifícios do fórum foram, em parte, modificados ou restaurado durante o reinado dos sucessores de Augusto; a presença de colunas de granito cinza do Egito e da cipollino da Grécia são uma indicação de riqueza Leptis '; as melhorias foram feitas por governadores romanos da cidade ou por ricos comerciantes locais.
A riqueza de Leptis foi baseado em extensas plantações de oliveiras que cercavam a cidade; o imposto anual a cidade teve que pagar a Roma foi cobrado em libras de azeite; em troca seus habitantes gozava de um certo grau de liberdade na administração local e nomeou seus suffetes, magistrados fenícias tradicionais (Hannibal era um suffete de Cartago); muitas vezes os nomes dos habitantes eram uma mistura de elementos romanos e púnicas: Annobal Tapapius Rufus era um comerciante muito rico que financiou a construção do mercado em 8 aC.
Segundo alguns historiadores o Macellum palavra latina, que significa que o mercado onde o peixe e carne são vendidos, derivado de uma palavra púnica que significa o lugar onde você come; bancas foram dispostos ao longo de um círculo ou um octógono, no centro do qual havia uma bacia onde o peixe / carne e as facas de corte usadas eram lavadas. Materiais caros estavam envolvidos na construção do mercado e seus edifícios foram desenhados com precisão.
Um arco triunfal em miniatura mostra os navios que transportavam o azeite a Roma; que, para a esquerda tem grandes velas e é muito semelhante aos navios que são retratados em um mosaico de Ostia, o porto de Roma; que à direita mostra uma galera impulsionado por remos.
Edis eram magistrados romanos encarregados, entre outras funções, de assegurar a regularidade das operações em mercados; arqueólogos têm encontrado frequentemente conjuntos de medidas padrão colocadas pelos edis para cumprir esse objectivo; o conjunto de medidas apresentadas anteriormente, provavelmente foi utilizada para verificar o comprimento dos peixes (você pode ver um conjunto semelhante em Dion, na Grécia).
Annobal Tapapius Rufus, depois de ter financiado a construção do mercado pagou a construção de um grande teatro; é um dos primeiros exemplos de um teatro, que não foi totalmente escavada de um monte, como a parte superior das bancadas é suportado por alvenaria; que foi concluída poucos anos depois do Teatro di Marcello em Roma e é apenas ligeiramente menor do que o teatro de Sabratha (que foi construída muito tempo mais tarde).
Em sua longa inscrição dedicatória Annobal Tapapius Rufus chama a si mesmo amator de Concórdia (amante de concórdia) e outra inscrição similar é decorado por duas mãos trêmulas; claramente o rico comerciante era um grande apoiador das relações de amizade com Roma; novas estradas que ligavam Leptis para o interior foram construídas pelos romanos no século 05 AC, aumentando assim a área dos olivais, em detrimento dos nômades cuja terra foi confiscada.
Iddibal, outro membro da família Tapapius, completou o trabalho e a missão política de Annobal, através da construção de um grande templo atrás do teatro e dedicando-o para os primeiros imperadores romanos; as relações entre Roma e Leptis tornou-se tão forte que muitos habitantes importantes da cidade receberam a cidadania romana, o que lhes permitiu seguir uma carreira política e de ser atribuído a posições no exército.
Na época do imperador Nero uma pedreira perto da cidade foi transformado em um grande anfiteatro.
Corridas de bigas teve lugar entre o anfiteatro e praia do mar; o circo foi construído na época do imperador Marco Aurélio, mas o local provavelmente já era utilizado para corridas.
A cidade atingiu o seu apogeu durante o reinado de Septímio Severo e Caracalla. Tornou-se a segunda cidade da província da África depois da capital Cartago. Ele recebeu novos monumentos: um novo fórum e basílica, uma rua com colunatas para se juntar a parte antiga da cidade, com banho de Adriano, o porto foi restaurada, e mais um arco triunfal foi construído. Por causa do custo, Caracalla decidiu parar a construção do Fórum em 216 dC, e foi, portanto, nunca terminou. Quando Diocleciano decidiu alterar a organização das províncias, Léptis Magna tornou-se a capital da nova província de Tripolitania.
Os romanos deixaram Léptis Magna durante o século 6, depois de um ataque do Levathae, uma tribo berbere. Os bizantinos voltou a Lepcis, mas apenas em uma pequena parte da cidade.
Semelhante a Oea e Sabratha, Leptis (aka Lepcis) foi fundada pelos fenícios para apoiar as suas rotas de comércio ao longo da costa do norte da África. Após a queda de Cartago em 146 aC, no final da Terceira Guerra Púnica, a região de Leptis foi incluído no reino da Numídia até 105 aC, quando os romanos absorveram na província de África. A denominação Magna (Grande) foi adicionado para distinguir Leptis de outra cidade com o mesmo nome, Leptis Parva (pequeno) que foi localizado na Tunísia de hoje.
Em 146 aC, no final da Terceira Guerra Púnica, os romanos destruíram Cartago e estabeleceram sua primeira província na costa sul do Mar Mediterrâneo; ele foi chamado África, um nome a etimologia da qual é incerta, e é composto apenas da parte norte da Tunísia de hoje; os bens remanescentes dos cartagineses foram designados para o Reino de Numídia; em 105 aC, a parte oriental deste reino foi anexado pelos romanos e a província da África foi ampliado para incluir a faixa costeira da Tunísia para Syrtis Maior (Golfo de hoje da Sidra).
LÉPTIS MAGNA
LÉPTIS MAGNA, foi uma importante cidade do "Império Romano", e suas ruínas, estão situadas em Al-Khums, na Líbia, África, a 130 quilômetros de Trípoli, a capital. LÉPTIS MAGNA,era uma das mais belas cidade do "Império Romano", graças a SÉPTIMUS SEVERUS, que aumentou suas dimensões e a embelezou, erguendo imponentes edifícios públicos, e um grande porto marítimo.
LÉPTIS MAGNA (EM LATIM: LEPTIS MAGNA), TAMBÉM CONHECIDA COMO LÉPTIS ALTERA (LEPTIS ALTERA, "OUTRA LÉPTIS", EM REFERÊNCIA A LÉPTIS PARVA)
FOI UMA PRÓSPERA CIDADE DO IMPÉRIO ROMANO. SUAS RUÍNAS ESTÃO SITUADAS EM AL-KHUMS, LÍBIA, 130 QUILÔMETROS AO LESTE DE TRIPOLI.
ERA UMA DAS MAIS BELAS CIDADES DO IMPÉRIO ROMANO, DEVIDO À SEPTÍMIO SEVERO, QUE A AUMENTOU E EMBELEZOU, ERGUENDO IMPONENTES EDIFÍCIOS PÚBLICOS, UM PORTO, UM MERCADO, ARMAZÉNS, LOJAS E BAIRROS RESIDENCIAIS.
A CIDADE PROVAVELMENTE FOI FUNDADA POR COLONOS FENÍCIOS EM 1100 A.C., EMBORA NÃO TIVESSE A MESMA IMPORTÂNCIA QUE CARTAGO, QUE SE TRANSFORMOU NA POTÊNCIA PRINCIPAL DO MAR MEDITERRÂNEO NO SÉCULO IV A.C. FEZ PARTE DO ESTADO DE CARTAGO ATÉ A SEGUNDA GUERRA PÚNICA. EM 146 A.C. FOI ANEXADA À REPÚBLICA ROMANA.
LEPTIS MAGNA REMANESCEU ASSIM ATÉ O GOVERNO DO IMPERADOR ROMANO TIBÉRIO, QUANDO A CIDADE FOI INCORPORADA NO IMPÉRIO COMO PARTE DA PROVÍNCIA ROMANA DA ÁFRICA.
LOGO SE TRANSFORMOU NA TERCEIRA CIDADE MAIS IMPORTANTE DE ÁFRICA ROMANA. O AUGE É ATINGIDO DURANTE A DINASTIA DOS SEVEROS. O IMPERADOR SEPTÍMIO SEVERO, NASCIDO EM LEPTIS, VAI FAVORECER A SUA CIDADE NATAL E PATROCINAR O SEU ENGRANDECIMENTO EM GRANDE ESCALA E EM GRANDE ESTILO. O PALÁCIO DE LEPTIS MAGNA FOI CONSTRUÍDO NESTA ÉPOCA, PELO IMPERADOR.
DURANTE A CRISE DO SÉCULO III, COM O DECLÍNIO DO COMÉRCIO NO IMPÉRIO ROMANO, A IMPORTÂNCIA DE LEPTIS MAGNA TAMBÉM CAIU, NA METADE DO SÉCULO IV, AS PRINCIPAIS PARTES DA CIDADE TINHAM SIDO ABANDONADAS.
PROCÓPIO DE CESAREIA, HISTORIADOR BIZANTINO CONTEMPORÂNEO DE JUSTINIANO, COMENTOU QUE LEPTIS MAGNA PASSOU DE UMA CIDADE LARGA E POPULOSA PARA UMA CIDADE ABANDONADA EM SUA MAIOR PARTE, E QUASE TODA COBERTA DE AREIA.
EM 534 O GENERAL BIZANTINO BELISÁRIO RECONQUISTOU LEPTIS MAGNA E DESTRUIU O REINO DOS VÂNDALOS. A CIDADE FOI ANEXADA AO IMPÉRIO BIZANTINO, E LEPTIS MAGNA CONVERTIDA A CAPITAL DE PROVÍNCIA, PORÉM NUNCA SE RECUPEROU DA DESTRUIÇÃO CAUSADA PELOS BERBERES NA CIDADE.
JUSTINIANO RECONSTRUIU A MURALHA DA CIDADE, PORÉM MENOR DO QUE ELA ERA ANTES, DE FORMA QUE FOSSE MAIS FÁCIL PROTEGÊ-LA DOS ATAQUES E DA AREIA. O IMPERADOR DEDICOU UMA IGREJA A MARIA, MÃE DE JESUS (LITERALMENTE, NO TEXTO DE PROCÓPIO, MÃE DE DEUS), E CONSTRUIU MAIS QUATRO IGREJAS.
O PALÁCIO, CONSTRUÍDO POR SEPTÍMIO SEVERO, QUE ESTAVA EM RUÍNAS, FOI RECONSTRUÍDO. JUSTINIANO TAMBÉM CONSTRUIU BANHOS PÚBLICOS NA CIDADE.
EM 650 OS ÁRABES DOMINARAM A TRIPOLITANA.
A INVASÃO ÁRABE, QUE ATINGIU VELOZMENTE O NORTE DE ÁFRICA DEPOIS DA DERROTA DE BIZÂNCIO, VEM APENAS CONCLUIR UM PROCESSO DE DECLÍNIO E DE APAGAMENTO DE UMA GRANDE E IMPORTANTE REDE DE GRANDES CIDADES.
A DESOLAÇÃO É GERAL E A AREIA INVADIRÁ LEPTIS. O PRESTÍGIO E A SUMPTUOSIDADE DOS SEUS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO VÃO TRANSFORMAR O SÍTIO DE LEPTIS NUMA FONTE DE LUCRO. PARTE DOS MÁRMORES DO PALÁCIO DE VERSALHES FOI RETIRADA DE LEPTIS.
A PARTIR DOS ANOS 1920 FOI ESCAVADA SISTEMATICAMENTE.

fonte / fotos  =  Wikipédia / Dr. Elmusrati / Thymonthy Becker / romeartlover.tripod.com /  Divulgação / 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MERCÊS, MINAS GERAIS - Famosa por seu turismo de eventos, como o Jubileu de Nossa Senhora das Mercês, que acontece na segunda quinzena de setembro; as festividades do Carnaval; Torneio Leiteiro; e Festa da Virada, que movimentam a economia da cidade e da região.

CONHEÇA A CIDADE DE "MERCÊS", MINAS GERAIS, BRASIL SEJA MUITO BEM VINDO A CIDADE DE MERCÊS, MG. UMA CIDADE ABENÇOADA foto - Thymonthy Becker AQUI O TEMPLO DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM MERCÊS, MG foto - Thymonthy Becker SEDE DO PODER LEGISLATIVO - CÂMARA DE VEREADORES DA CIDADE DE MERCÊS, MG foto - Thymonthy Becker ESCOLA MUNICIPAL EM MERCÊS, MG foto - Thymonthy Becker ESTAÇÃO RODOVIÁRIA DA CIDADE DE MERCÊS, MG foto - Thymonthy Becker IGREJA EM MERCÊS, MG foto - Thymonthy Becker MATRIZ DE NOSSA SENHORA DAS MERCÊS E SEU INTERIOR EM MERCÊS, MG foto - Thymonthy Becker HOMENS TRABALHANDO NO TELHADO DA MATRIZ EM MERCÊS, MG foto - Thymonthy Becker foto - Thymonthy Becker NA HORA CERTA foto - Thymonthy Becker INTERIOR DA MATRIZ EM MERCÊS, MG foto - Thymonthy Becker INTERIOR DA MATRIZ EM MERCÊS, MG foto - Thymonthy Becker INTERIOR DA MATRIZ EM MERCÊS, MG foto - Thymonthy Becker INTERIOR DA MATRIZ EM MERCÊS, MG foto - Thymonthy Becker INTERIOR DA MATRIZ EM MERCÊS, MG

CASTELOS ABANDONADOS PELO MUNDO - Conheça fortalezas esquecidas, belíssimos castelos, outrora habitados por reis e príncipes, hoje estão abandonados ao redor do mundo

CONHEÇA OS CASTELOS QUE JÁ FORAM HABITADOS POR REIS E HOJE ESTÃO ABANDONADOS PELO MUNDO CASTELO DE DUNNOTTAR, PERTO DE STONEHAVEN, ABERDEEMSHIRE, ESCÓCIA  Em cima de uma rocha no Mar do Norte, o Castelo de Dunnottar é mais conhecido como o lugar em que eram escondidas as joias da coroa escocesa – A honras de Escócia -, quando Oliver Cromwell invadiu o país em 1650. O lugar foi construído no século XIV  CASTELO DUNLUCE, CONDADO DE ANTRIM, IRLANDA DO NORTE  O castelo foi construído sobre uma rocha de basalto no distante norte da Irlanda, ainda no século VXIII. Mas hoje só restam as ruínas do que foi erguido no século XVI. Dunluce foi o lar de Earl de Antrim até ele ser derrotado por apoiar o rei Católico Jaimes II contra o Protestante William III, na batalha de Boyne, em 1690. Depois disso, o castelo foi se transformando em ruínas. O lugar é cercado por pedras íngremes por todos os lados e só pode ser alcançado por uma ponte. No século XVIII, uma das paredes da ala norte caiu no mar, mas …

CONHEÇA "MACUCO SAFARI" O PASSEIO DE BARCO DENTRO DAS CATARATAS DO IGUAÇU, PARANÁ - Imagine pegar um barco inflável, mas com um motor potentíssimo, e encarar uma das quedas d’água? Foi o que eu fiz! É possível pagar e agendar o passeio na hora e, dependendo da quantidade de turistas, você pode embarcar no mesmo momento

CONHEÇA O "MACUCO SAFARI", UM PASSEIO DE BARCO DENTRO DAS CATARATAS DE IGUAÇU, NO PARANÁ

Estive em Foz do Iguaçu, no Paraná, a convite da Itaipu Binacional. Entre os passeios mais especiais no local sem dúvidas foi o Macuco Safari, que acontece do lado brasileiro do Parque Nacional do Iguaçu. Do lado argentino, um passeio similar conhecido como Aventura Náutica é famoso por ser mais radical.  Imagine pegar um barco inflável, mas com um motor potentíssimo, e encarar uma das quedas d’água? Foi o que eu fiz! É possível pagar e agendar o passeio na hora e, dependendo da quantidade de turistas, você pode embarcar no mesmo momento. Para proteger suas coisas, é possível guardá-los em armários disponíveis no front desk ou então no último estágio do passeio, antes de entrar de fato no barco que te leva até as cataratas. Os armários são grandes e, se não estiverem carregando muita coisa, ele acomoda pertences de 3 pessoas.  COMEÇA A AVENTURA PELAS CATARATAS DO IGUAÇU  O Macuco Safari a…

CÂNION DO FUNIL - O extremo oeste de Minas Gerais aos poucos vem se revelando. Como é possível uma porção tão pequena de um estado tão grande apresentar tantas possibilidades de exploração? Lentamente nosso foco vai se movendo para o lado mineiro da força.

CONHEÇA O "CÂNION DO FUNIL", PRESIDENTE KUBITSCHEK, MINAS GERAIS, BRASIL A natureza favoreceu um dos mais belos cartões postais das Minas Gerais, o Cânion do Funil. Sendo um dos principais atrativos da região de cerrado, o local é marcado pela fauna e flora. Sua paisagem única é composta de serras, cachoeiras, riachos e cascatas que encantam a todos os turistas, formando uma belíssima paisagem misturada à sua vasta vegetação nativa.  Tamanha a beleza do lugar, que foi um dos lugares escolhidos recentemente para a gravação de 1 Minissérie e 2 Filmes Longa Metragens. O local, que é herança de família a mais de 100 anos, atualmente é gerenciado pelo proprietário Fabiano que também é guia no local. Por ser uma área particular, o local vem sendo cuidado e preservado a aproximadamente 6 anos. Sendo proibida a pesca, e a caça de animais nativos da região, e possível encontrar várias espécies ameaçadas de extinção no local, um exemplo é a águia-chilena (Geranoaetus melanoleucus). (c…

ESTRELA DALVA, MINAS GERAIS - Cidade encantadora e acolhedora, Simples, mas humanizada graças ao seu povo gentil. Tem um restaurante do Paulo Roberto e uma pousada do Paraná que é um verdadeiro calor em atendimento

CONHEÇA A CIDADE DE "ESTRELA DALVA", MINAS GERAIS, BRASIL Cidade encantadora e acolhedora, Simples, mas humanizada graças ao seu povo gentil. Simplesmente quem conhece não esquece e quer sempre voltar. Tem um restaurante do Paulo Roberto e uma pousada do Paraná que é um verdadeiro calor em atendimento.  Estrela Dalva, MG (Prefeitura Municipal) HINO DE UM FILHO PARA A CIDADE Estrela Dalva Oh, terra de minha vida, minha Estrela querida; brilhante, linda, altaneira, em nossa terra Mineira! Natureza exuberante, que encanta quem te conhece... Estrela Dalva: um recanto de paz! Um canto de amor em prece! Autor: Paulo Marcelo Ribeiro de Araujo, cantor, compositor e poeta, natural de Estrela Dalva, MG  Por: Paulo Marcelo  Prefeitura Municipal de Estrela Dalva, MG (Raymundo P. Netto) Câmara de Vereadores de Estrela Dalva, MG (Raymundo P. Netto) Pórtico de entrada da cidade de Estrela Dalva, MG (Raymundo P. Netto) Igreja do Divino Espírito Santo da Comunidade de Água Viva em Estrela Dalva, MG…

FAROL DE ALEXANDRIA, ALEXANDRIA, EGITO - Uma das 7 maravilhas do mundo eh uma obra colossal

CONHEÇA O "FAROL DE ALEXANDRIA", ALEXANDRIA, EGITO A cidade de Alexandria foi fundada por Alexandre, o Grande, e tem muito mais a oferecer além de sua história e curiosidades. Localizada na costa mediterrânica do Egito, é conhecida mundialmente pelos seus pontos turísticos, como a Biblioteca de Alexandria, o Farol de Alexandria (uma das sete maravilhas do mundo antigo) e as Catacumbas de Kom el Shoqafaw (uma das sete maravilhas do mundo medieval). Outras atrações envolvem visitas à museus, jardins, mesquitas e ruínas antigas que contam a história de seu passado. O Farol de Alexandria é uma das sete maravilhas do mundo antigo. Foi construído para servir de referencial para os navegantes, na Ilha de Faros. Para servir de entrada no porto e informar os navegantes da proximidade de terras, Ptolomeu mandou construir o Farol de Alexandria. Este tinha lugar na Ilha de Faros e, por causa do nome da ilha, todas as construções até hoje, com o mesmo objetivo, são chamadas de farol. O e…

PORTO COVO, LISBOA, PORTUGAL - Uma vilinha encantadora de pouco mais de mil habitantes, tem um ar vintage, uma combinação de sonho de casas brancas + enseadas de águas transparentes + bons restaurantes

AO SUL DE LISBOA, PORTO COVO É O MELHOR DO VERÃO EM PORTUGAL A rua principal da vila: (acima) pouco mais de mil habitantes (Bruno Barata/Reprodução) A pracinha da cidade, (abaicxo) com barracas de tererê: passeio à moda antiga (Bruno Barata/Reprodução) A Costa Vicentina é um dos segredos mais bem guardados de Portugal: um trecho de cerca de 100 quilômetros de parque natural que margeia o Atlântico de norte a sul unindo os mais bonitos trechos de litoral entre o Alentejo e o Algarve.  Uma região onde os campos de oliveiras chegam quase ao mar, as dunas desenham lindas paisagens e o mar molda baías ora pequeninas, ora extensas, sempre de areias fininhas e águas transparentes.  Casinha típica de Porto Covo: fachada branca e portas e janelas coloridas (Bruno Barata/Reprodução) A Ilha do Pessegueiro, ao sul da vila: inspiração de música (Bruno Barata/Reprodução) Porto Covo, uma vilinha encantadora de pouco mais de mil habitantes, é a primeira parada na região para quem vem de Lisboa (são cerca…

GIETHOORN, HOLANDA - Uma cidade que parece ter saído de um cenário de filme. O lugar é uma boa oportunidade para quem estiver pelo país e quiser conhecer algo diferente, romântico, bucólico e charmoso. E as melhores - e únicas - formas de chegar ao centro são de barco, bicicleta ou a pé.

CONHEÇA "GIETHOORN" A CIDADE HOLANDESA QUE NÃO TEM RUAS Uma cidade que parece ter saído de um cenário de filme. É dessa forma que se define Giethoorn, um vilarejo na Holanda. O lugar é uma boa oportunidade para quem estiver pelo país e quiser conhecer algo diferente, romântico, bucólico e charmoso. A melhor parte é que ao se aproximar de Giethoorn, é preciso procurar um lugar para estacionar o seu carro. Você não precisará dele para explorar essa deliciosa cidade. É que lá os automóveis são proibidos de circular e as melhores – e únicas – formas de chegar ao centro são de barco, bicicleta ou a pé.  Localizada no leste da Holanda, Giethoorn (pronuncia-se “Rit-rôrn”, com ênfase nos “r”) foi fundada por refugiados no século XIII. Seus poucos habitantes viveram dias tranquilos até 1958, quando o cineasta Bert Haanstra utilizou o vilarejo como cenário para o filme Fanfare. Com o sucesso da produção cinematográfica, a cidade entrou na mira de turistas do mundo inteiro.  A CIDADE S…

BRELA, CROÁCIA - Uma pequena cidade de águas claras que entrou na lista da Forbes como uma das dez mais belas praias do mundo. Com certeza esse título não foi dado à toa. Localizada entre o mar Adriático e a montanha Biokovo, a água é tão azul que você tem a impressão que vai sair de lá tingido.

CONHEÇA "BRELA", CROÁCIA, O VERDADEIRO PARAÍSO A melhor parte de praticar Parasailing é ver as praias de cima Quem estiver cansado de ficar apenas tomando sol ou dentro da água, existem diversas opções de entretenimento O verão europeu está no auge e com ele as suas praias são invadidas pelos turistas. Ultimamente, a Croácia tem entrado com mais frequência na lista das pessoas que vão ao velho continente. Por que será? A beleza exótica do país é de deixar qualquer um de boca aberta. Porém, muitos esquecem que existem lugares até mais bonitos que as tradicionais praias da Ilha de Hvar.  O RoadTrio escolheu desfrutar de Brela, uma pequena cidade de águas claras que entrou na lista da Forbes como uma das dez mais belas praias do mundo. Com certeza esse título não foi dado à toa. Localizada entre o mar Adriático e a montanha Biokovo, a água é tão azul que você tem a impressão que vai sair de lá tingido.  As praias de Brela são rodeadas de rochas, montanhas e muita vegetação (Foto: …

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal

CONHEÇA A CIDADE DE "TOMBOS", MINAS GERAIS, BRASIL Foto - PMT BEM VINDO A CIDADE DE TOMBOS. ENTRE AS MONTANHAS DE MINAS / NAS QUEDAS DAS CACHOEIRAS foto - ? População estimada 2016 (1) - 8.899 Área da unidade territorial 2015 (km²) - 285,125 Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 33,45 Código do Município 3169208 Gentílico - tomboense Prefeito 2017 / LUCIENE TEIXEIRA DE MORAES ORIGEM DO NOME O primitivo nome do povoado foi Arraial Novo. A partir de 1852 passou a denominar-se Nossa Senhora da Conceição dos Tombos do Carangola, sendo este topônimo alusivo à padroeira local e à cachoeira formada pelo rio Carangola, composta de três quedas consecutivas ou três tombos, conforme linguagem popular. Documentos datados de 1864 citam o povoado com a denominação reduzida para Tombos do Carangola. Na Divisão Administrativa do Brasil, referente ao ano de 1911, permanece esta última denominação. O texto da Lei que elevou o Distrito a Município reduz o topônimo à denominação atual.
G…