Pular para o conteúdo principal

PARQUE NATURAL DA SERRA DO CARAÇA, MINAS GERAIS - Vista de longe, a silhueta da Serra do Caraça forma um grande rosto de perfil, uma enorme cara – a caraça. Na sede do parque sobrevivem prédios erguidos entre os anos de 1774 e 1775 para sediar uma pousada de tropeiros da Estrada Real, depois transformada em seminário. A construção abriga hoje uma biblioteca com cerca de 30 mil volumes e um museu com objetos da escola e do claustro. A igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens (1876), em estilo neogótico, integra o conjunto e tem órgão com 700 tubos e vitrais franceses. A serra é formada por picos e morros como: Trindade, Conceição, Olaria, Canjerana, Carapuça, Inficionado e do Sol, este último o ponto mais alto chegando a uma altitude de 2.072m




CONHEÇA O PARQUE NATURAL DA SERRA DO CARAÇA, MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
Caraça é o nome de um trecho da Serra do Espinhaço localizado nos municípios de Catas Altas e Santa Bárbara, no estado de Minas Gerais - Brasil, aonde funcionou um colégio no qual estudaram grandes personalidades da história brasileira como os presidentes do Brasil Arthur Bernardes e Affonso Pena. 
Hoje, o Caraça é uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), que abrange uma área de 11.233 hectares, cujo nome conhecido também como Santuário do Caraça. 
A palavra Caraça se deve à forma que tem parte da serra, que lembra a imagem de um rosto de um gigante deitado. 
BIBLIOTECA DO CARAÇA
A serra é formada por picos e morros como: Trindade, Conceição, Olaria, Canjerana, Carapuça, Inficionado e do Sol, este último o ponto mais alto chegando a uma altitude de 2.072m
As águas que descem das montanhas formam belas cascatas e cachoeiras como Cascatinha, Cascatona, Bocaína e Belchior, com suas águas intensamente ferruginosas. 
No Caraça há também dois lagos: o Tanque Grande e o Tanque São Luís. 
O disco "Missa do Quilombo" de Milton Nascimento, artista brasileiro consagrado internacionalmente, foi gravado ao vivo, em março de 1982, nas dependências da Igreja de Nossa Senhora Mãe dos Homens, no Santuário.
A Cachoeira Cascatona é uma das atrações do Parque Natural do Caraça, em Minas Gerais (Eugenio Savio)
Detalhe da Cachoeira Cascatona, uma das melhores da região (Ana Raquel S. Hernandes / Flickr / ana_raquel)
Vista de longe, a silhueta da Serra do Caraça forma um grande rosto de perfil, uma enorme cara – a caraça. Na sede do parque sobrevivem prédios erguidos entre os anos de 1774 e 1775 para sediar uma pousada de tropeiros da Estrada Real, depois transformada em seminário. 
A construção abriga hoje uma biblioteca com cerca de 30 mil volumes e um museu com objetos da escola e do claustro. A igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens (1876), em estilo neogótico, integra o conjunto e tem órgão com 700 tubos e vitrais franceses. 
Patrimônio natural e histórico, Santuário do Caraça em Santa Bárbara (MG) possui trilhas e cachoeiras - além de lobos-guarás, que podem ser vistos ao anoitecer
Igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens, do Parque Natural do Caraça, em Santa Bárbara, Minas Gerais (Ana Raquel S. Hernandes / Flickr / ana_raquel)
No parque, áreas de transição entre Cerrado e Mata Atlântica espalham-se pela Serra do Espinhaço, em altitudes entre 1 300 m e 2 000 m. Para alcançar as cachoeiras, piscinas naturais e grutas, há trilhas sinalizadas de duração e dificuldade variadas. 
Partindo da sede, uma reta de 2 km leva até a Cascatinha, com piscinas para banho. outra trilha de 2,5 km leva ao Banho do Belchior, corredeira entre pedras. A 1,5 km da sede, uma estradinha segue até a “piscina”, área aberta com lago de água natural, quiosques e churrasqueiras. A 3 km da sede, a Cachoeira Taboões tem queda-d’água baixa. 
Muita tranquilidade - é o que o visitante pode encontrar em uma visita ao Parque Natural do Caraça, em Santa Bárbara, Minas Gerais (Ana Raquel S. Hernandes / Flickr / ana_raquel)
Santuário Nossa Senhora Mãe dos Homens, do Parque Natural do Caraça, em Santa Bárbara, Minas Gerais (Ana Raquel S. Hernandes / Flickr / ana_raquel)
Para chegar à Cascatona, sequência de quedas d’água com 80 m de desnível, são 6 km (duas horas de ida). Na sede, monitores orientam sobre os passeios, mas os guias só acompanham os visitantes para os picos (agende). 
E a maior atração fica para a noite, quando espécimes de lobo-guará, animal ameaçado de extinção e símbolo do parque, aparecem no adro da igreja para receber comida dos padres. Os lobos costumam aparecer quando a noite cai. Mas podem chegar depois do fechamento dos portões do parque (21h). Por isso, convém reservar uma vaga na pousada do santuário (bem simples).
IGREJA NO PARQUE NATURAL DO CARAÇA
LOBO GUARÁ 
É chamado Guará porque em tupi-guarani, a língua dos indígenas, guará significa “vermelho”. Tem o corpo todo dourado; as patas e os pelos da nuca pretos; a cauda, o papo e um pouco do rosto brancos. É branco também o pavilhão das orelhas, que se movimentam como um radar, captando todos os sons e movimentos.
A maior atração do Santuário do Caraças, Santa Bárbara, Minas Gerais, é quando chega a noite e os lobos guará fazem uma visita aos padres, que os alimentam no adro da igreja (Xara/Acervo MTur)
COMO CHEGAR
Quem chega de Belo Horizonte pela BR-381 deve pegar a saída para Santa Bárbara à direita – a estrada para o parque (19 km) começa 5 km depois de Barão de Cocais. De Santa Bárbara, são 7 km até a estrada do parque, no sentido da BR-381. 
Na época de estio, a Cachoeira da Cascatona perde a força, mas não o encanto (Leonardo Guimarães Diniz / Flickr / leogdiniz)
MELHOR ÉPOCA
Inverno (de maio a setembro), o período é mais seco, bom para fazer caminhadas. O verão (de outubro a abril) é ideal para banhos nas cachoeiras e poços. 
Patrimônio natural e histórico, o Santuário do Caraça possui trilhas e cachoeiras - além de lobos-guarás, que podem ser vistos ao anoitecer (NELIO RODRIGUES)
INFORMAÇÕES
A sede abre todos os dias, das 8h às 17h. O museu funciona de segunda a sexta, sob reserva, e sábado e domingo, das 9h às 11h40 e das 13h às 16h45. Ligue antes para confirmar, os horários podem mudar.
Santa Bárbara e Catas Altas dividem o Parque Natural do Caraça, a visita à igreja gótica e o museu do santuário é praticamente obrigatória (Sérigio Mourão)

VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE



Fonte dos textos e fotos: Serradocaraca.tur.br / viagemeturismo.abril.com.br / Thymonthy Becker / santuariodocaraca.com.br /

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem