Pular para o conteúdo principal

ONÇA DE PITANGUI, MINAS GERAIS - Inúmeras construções centenárias, forte expressão religiosa, uma ativa economia rural e um lugar lindo e cheio de surpresas naturais como cachoeiras de águas limpas e grande volume de água, paisagens exuberantes, trilhas em meio a matas na Serra de Santa Cruz, numa ótima cidade para descanso, lazer saboreando a tradicional comida mineira de fogão a lenha




CONHEÇA A CIDADE DE ONÇA DE PITANGUI, MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
BEM VINDO AO PEDACINHO DO PARAÍSO QUE EXISTE NAS MINAS GERAIS. BEM VINDO A ACONCHEGANTE ONÇA DE PITANGUI
AQUI UM IPÊ, COMUM NA REGIÃO. ESTE NA SERRA DE SANTA CRUZ.
Copyright "André Moisés"
CRUZEIRO NA SERRA DE SANTA CRUZ
Copyright "André Moisés"
ESTIVE EM ONÇA DE PITANGUI NESTA SEMANA, PELA PRIMEIRA VEZ, E ACHEI A CIDADE UM VERDADEIRO PARAÍSO. BONITA, ACONCHEGANTE, UM VENTO QUER SOPRA CONSTANTE E MUITOS CASARÕES QUE DÃO UMA AR DE NOSTALGIA A CIDADE. VALE A PENA VOCÊ CONHECER ESTA BONITA CIDADE.
AQUI A BELA PRAÇA DA IGREJA
foto "By Thymonthy Becker"
foto "By Thymonthy Becker"
OUTRA PRAÇA
foto "By Thymonthy Becker"
ESTA EH A IGREJA DE SANT'ANA
foto "By Thymonthy Becker"
AQUI A IGREJA DO ROSÁRIO
foto "By Thymonthy Becker"
VEJA ESTES BELOS CASARÕES
foto "By Thymonthy Becker"
foto "By Thymonthy Becker"
AQUI UMA VISTA DE FRENTE A IGREJA DE SANT'ANA
foto "By Thymonthy Becker"
ESTA EH A TORRE DA TELEFONIA MÓVEL
foto "By Thymonthy Becker"
AQUI A PRAÇA DA TORRE
foto "By Thymonthy Becker"
O CEMITÉRIO NO ALTO DA SERRA
foto "By Thymonthy Becker"
ESTE EH O PRÉDIO DO GOVERNO MUNICIPAL
foto "By Thymonthy Becker"
VEJA ESTE OUTRO BELO CASARÃO
foto "By Thymonthy Becker"
ESTA EH A LATERAL DA IGREJA DE SANT'ANA
foto "By Thymonthy Becker"
OLHA QUE BONITA PRAÇA
foto "By Thymonthy Becker"
AS ÁRVORES DA PRAÇA
foto "By Thymonthy Becker"
MAIS UM BELO CASARÃO
foto "By Thymonthy Becker"
AQUI O PRÉDIO DO GOVERNO MUNICIPAL, VISTO DE FRENTE.
foto "By Thymonthy Becker"
OUTRO CASARÃO BELÍSSIMO
foto "By Thymonthy Becker"
ESTA EH A IGREJA DO ROSÁRIO
foto "By Thymonthy Becker"
VEJA OS DETALHES DESTA OBRA DE ARTE DA ARQUITETURA ANTIGA, NESTA ESCOLA PUBLICA DA CIDADE
foto "By Thymonthy Becker"
CASARÕES SÃO MUITOS EM ONÇA DE PITANGUI, COMO ESTE AQUI.
foto "By Thymonthy Becker"
ESTA BELA E INTERESSANTE CACHOEIRA, CAI AO LADO DA RODOVIA DE ENTRADA DA CIDADE. A GENTE PASSA DE CARRO, BEM RENTE A ELA, EH MUITO LEGAL.
foto "By Thymonthy Becker"
foto "By Thymonthy Becker"
VEJA A IGREJA DO ROSÁRIO VISTA DA PRAÇA.
foto "By Thymonthy Becker"
AQUI UMA JUSTA HOMENAGEM A UM EX COMBATENTE.
foto "By Thymonthy Becker"
foto "By Thymonthy Becker"
A SERRA DE ONDE VEM A CACHOEIRA
foto "By Thymonthy Becker"
AQUI A MINA DE CRISTAL, BOCA DA ONÇA. EH DESTE CRISTAL QUE SE RETIRA O TALCO E OUTROS PRODUTOS COMUMENTE USADOS POR NÓS.
Copyright "André Moisés"
ESTE EH O RIO SÃO JOÃO
Copyright "Rodrigo francisco"
VOCÊ SABIA?
A Rua Benedito Valadares já se chamou “Rua do Capim”? Esse nome se deu por conta das primeiras casas que foram construídas, que eram feitas de madeira, barro e cobertas com capim. 
Os muros que cercam o atual cemitério da cidade ( chamados antigamente de “Campo Santo”) foram feitos a partir das pedras que cercavam a construção da capela de Nossa Senhora de Sant’Anna . E que durante a construção do cemitério as pedras foram carregadas por crianças e mulheres para manter a “pureza” das pedras? 
O distrito de Colônia surgiu a partir da venda da Fazenda Restinga feita por Luiz Orsino para o estado, que dividiu as terras em lotes para a moradia de imigrantes estrangeiros. 
O primeiro telefone a funcionar em Onça de Pitangui, foi instalado em 1917 na casa do Sr.Lino Mourão, aos cuidados de sua filha Neném
Os belos casarões da cidade de Onça de Pitangui, MG (Prefeitura Municipal)
Os belos casarões da cidade de Onça de Pitangui, MG (Prefeitura Municipal)
Os belos casarões da cidade de Onça de Pitangui, MG (Prefeitura Municipal)
Os belos casarões da cidade de Onça de Pitangui, MG (Prefeitura Municipal)
A bela cachoeira que fica dentro da cidade de Onça de Pitangui, MG (Prefeitura Municipal)
Os belos casarões da cidade de Onça de Pitangui, MG (Prefeitura Municipal)

A bela cachoeira da cidade de Onça de Pitangui, MG (Prefeitura Municipal)
Os belos casarões da cidade de Onça de Pitangui, MG (Prefeitura Municipal)
Os belos casarões da cidade de Onça de Pitangui, MG (Prefeitura Municipal)
A bela cachoeira que fica dentro da cidade de Onça de Pitangui, MG (Prefeitura Municipal)
População estimada 2016 (1) - 3.186
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 246,976
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 12,37
Código do Município 3145802
Gentílico - oncense
Prefeito 2017 / GERALDO MAGELA BARBOSA
ORIGEM DO NOME
O primeiro nome do povoado foi Onça, originado de uma pepita de ouro encontrada na região, com 30 gramas, correspondente a uma onça, no sistema inglês.
Em dezembro de 1962, o arraial foi emancipado recebendo o nome de Onça de Pitangui, devido sugestão do Senador Gustavo Capanema, que nasceu no arraial, no período em que a localidade pertencia ao município de Pitangui.
Gentílico: oncense
Histórico
Onça de Pitangui
Minas Gerais - MG
HISTÓRICO
As primeiras penetrações em terras do atual município de Onça de Pitangui, foram efetuadas por bandeirantes vindos do Estado de São Paulo. Tais bandeirantes eram chefiados por Bartolomeu Bueno. Em 1709, acamparam em um lugar alto, que fica a 2 Km ao norte da atual sede do município, que denominaram de "Onça Acima". Essa denominação se deve ao fato de ter sido encontrada uma pepita de ouro de uma "onça" de peso (30 gramas), no referido lugar alto. 
Conforme a notícia da presença de ouro no lugar se espalhava, iam chegando novos exploradores. Foram sendo construídas muitas casas nos locais onde ia se desenvolvendo o garimpo, principalmente às margens do córrego Água Limpa e do Córrego Seco. Posteriormente, a localidade recebeu o nome de Sant'Anna de Onça do Rio São João Acima. Sant'Anna em homenagem à padroeira da localidade e Rio São João Acima, devido ao Rio São João ser o principal rio que banhava o arraial.
Em 1928, recebeu o nome de Jaguaruna, porém em 1944 voltou a chamar-se Onça. 
Em dezembro de 1962, o arraial foi emancipado recebendo o nome de Onça de Pitangui, devido sugestão do Senador Gustavo Capanema, que nasceu no arraial, no período em que a localidade pertencia ao município de Pitangui.
Tão logo o arraial se formou, seus moradores construíram uma igreja cercada de muros de pedras, que além de templo religioso, era usada também como cemitério. Os sepultamentos eram feitos na área que circundava a igreja, sendo que as pessoas de maior posição social eram sepultadas no interior da igreja. As tábuas do assoalho eram arrancadas, as pessoas eram sepultadas e os parentes marcavam o local com pregos de metal amarelo. Essas marcas indicavam os nomes, datas de nascimentos e morte, além de outras identificações.
A igreja ficou como filial do Município de Pitangui até o ano de 1850, quando o arraial foi elevado a Freguesia, recebendo então seu primeiro vigário, o padre Fernando Xavier de Souza Machado, que regeu a paróquia até o ano de 1886.
A paróquia teve como substituto o padre João Batista Dias, capelão de Pequi, que permaneceu na paróquia até 1886. Assumiu então o padre Américo Epifânio Pereira, que era coadjutor de Pitangui; logo após foi substituído pelo padre italiano Luiz Rivieco. Em 1887, foi transferido para a localidade, o padre Antônio Soares Dinis, permanecendo até 1901. Na mesma época, Monsenhor Fernando Barbosa foi licenciado e veio descansar no arraial. Encontrou a matriz demolida e fez o trabalho de reconstrução. Celebrava os atos religiosos na capela de São José, erguida no lardo, onde existia uma cruz, no início da rua do capim (nome devido a existência de casas cobertas por capim). Também concluiu os trabalhos na capela do Rosário, com a ajuda de sobrinho Fernando da Silva Barbosa, em 1909.
Monsenhor Fernando Barbosa morreu em 21 de setembro de 1941, no hospital de Pará de Minas, vitimado por um câncer de Próstata, aos 81 anos de idade.
A Cruz do Monte foi plantada em 1856, pelos missionários Frei Francisco e Frei Eugênio, capuchinhos barbados. O madeiro foi carregado por homens em procissão do mato do "Mota" até o alto da serra, onde ainda hoje se encontra. 
O capitão Bento de Oliveira foi nomeado tesoureiro e edificou uma capela cercada de muro feito de pedras. O terreno onde foi edificada a capela, foi doado pelo Senhor Bento Barbosa de Oliveira, avô do monsenhor Fernando Barbosa.
O Senhor Zico Barbosa, não poupando esforços para elevar seu berço natal, fez a ligação de Onça, com Pitangui e Pequi por rede telefônica em 1917, sendo o aparelho colocado na casa do Senhor Lino Mourão.
Em 1870, foi criada a agência de correios, vindo de Bambuí para Pitangui, tendo sido o senhor Jorge Henrique o primeiro agente postal.
O grupo escolar foi inaugurado em 1919.
A estrada de ferro foi inaugurada em 1928, com grande festa na fazenda da "Barra", quando lá chegaram os trilhos assentados. Nesse dia discursou, grandemente emocionado, o Senhor Zico Barbosa.
Gentílico: oncense
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE ONÇA DE PITANGUI, MG

SUA VISITA AGRADEÇO E ESPERO QUE SEMPRE VOLTE.



As fotos de minha propriedade foram tiradas em Dezembro de 2011

Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Portal do Governo de Onça de Pitangui / Wikipédia / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem