Pular para o conteúdo principal

MAUSOLÉU DE HALICARNASSO, BODRUM, MUGLA PROVINCE, TURQUIA - Os arquitetos gregos Sátiro e Pítis ficaram encarregados de construir o Mausoléu de Halicarnasso. A obra levou 10 anos para ser concluída, fruto do trabalho de aproximadamente 30 mil homens. Mas a rainha Artemísia II faleceu antes e nem chegou a ver o Mausoléu concluído. A construção, em forma retangular, tinha 50 metros de altura e era incrivelmente decorada com esculturas e estátuas de bronze. Ocupando uma área superior a 1200 metros quadrados, era sustentado por 36 colunas e erguia-se uma pirâmide de 24 degraus acima da base quadrada.




CONHEÇA O MAUSOLÉU DE HALICARNASSO, BODRUM, TURQUIA - OLHANDO DA JANELA DO TREM
O Mausoléu de Halicarnasso foi uma gigantesca construção feita para abrigar o túmulo do rei Mausolo, na Turquia. É também uma das sete maravilhas do mundo antigo. 
Mausolo foi um rei provinciano do Império Persa que se casou com sua irmã, Artemísia II. A capital de Caria, seu reino, era Halicarnasso. Mausolo reinou de 370 a.C. a 353 a.C., ao longo de seu reinado a cidade de Halicarnasso conheceu grande desenvolvimento em obras, a construção de edifícios públicos progrediu muito e também se realizou a construção de uma extensa muralha para proteger a cidade. 
Quando o rei Mausolo faleceu, sua esposa e irmã começou logo a construção de uma admirável tumba para abrigar seu corpo. A rainha Artemísia II não economizou recursos para construção do edifício, mandou trazer da Grécia os artistas mais talentosos, incluindo aqueles que participaram de algum modo na construção do Templo de Ártemis, em Éfeso. Além de escultores famosos e vários artesãos. 
Os arquitetos gregos Sátiro e Pítis ficaram encarregados de construir o Mausoléu de Halicarnasso. A obra levou 10 anos para ser concluída, fruto do trabalho de aproximadamente 30 mil homens. Mas a rainha Artemísia II faleceu antes e nem chegou a ver o Mausoléu concluído. A construção, em forma retangular, tinha 50 metros de altura e era incrivelmente decorada com esculturas e estátuas de bronze. Ocupando uma área superior a 1200 metros quadrados, era sustentado por 36 colunas e erguia-se uma pirâmide de 24 degraus acima da base quadrada. No topo da pirâmide havia ainda uma carruagem de mármore puxada por quatro cavalos, guiada pelo rei e a rainha. A base do edifício era de mármore e bronze, com revestimento de ouro. Cada um dos quatro lados foi especialmente esculpido em relevo pelos escultores gregos Briáxis, Escopas de Paros, Leocarés e Timóteo. 
A tumba que abrigava o corpo do réu Mausolo era localizada no alto de uma colina, com visão privilegiada da cidade. O interior do Mausoléu contava com um pátio fechado, onde se localizava a tumba propriamente dita em uma plataforma. A escada que levava a essa plataforma era ladeada por estátuas de leões de pedra. Guerreiros, também de pedra, guardavam a tumba em cada canto do pátio. A tumba era feita de mármore e exibia em suas laterais a batalha dos centauros com os Lápitas, de um lado, e gregos em luta com as amazonas, de outro lado. Entre cada coluna do templo havia também uma estátua. Mas as principais estátuas eram as de Mausolo e Artemísia II, que foram esculpidas pelo grego Escopas. 
Antípatro de Sídon considerou a construção como um triunfo estético, não por menos se tornou uma das sete maravilhas do mundo antigo. A repercussão foi tamanha, que o próprio termo “mausoléu”, inicialmente ligado ao rei Mausolo, passou a ser usado para qualquer monumento erigido em memória dos mortos. 
Infelizmente, o Mausoléu de Halicarnasso também não chegou inteiro aos nossos dias. Um terremoto provavelmente foi a causa da destruição do mausoléu e do túmulo entre os séculos XI e XV. As pedras que sobraram na destruição foram usadas pelos habitantes da época como integrantes de outras construções locais. Apenas uma estátua, que provavelmente é do rei Mausolo, e restos da construção restaram até hoje. Essas relíquias estão divididas entre o Museu Britânico, de Londres, e o museu em Bodrum, na Turquia.
O MAUSOLÉU DE HALICARNASSO OU MAUSOLÉU DE MAUSOLO FOI UMA TUMBA CONSTRUÍDA ENTRE 353 E 350 A.C. EM HALICARNASSO (ATUAL BODRUM, TURQUIA)
PARA MAUSOLO (EM GREGO, ΜΑΎΣΩΛΟΣ), UM REI PROVINCIANO DO IMPÉRIO PERSA, E ARTEMÍSIA II DE CÁRIA, SUA IRMÃ E ESPOSA. A ESTRUTURA FOI DESENHADA PELOS ARQUITETOS GREGOS SÁTIRO E PÍTIS. ELA TINHA APROXIMADAMENTE 45 METROS DE ALTURA, E CADA UM DE SEUS QUATRO LADOS FOI ADORNADO COM RELEVOS CRIADOS POR CADA UM DOS QUATRO ESCULTORES GREGOS — BRIÁXIS, ESCOPAS DE PAROS, LEOCARÉS E TIMÓTEO. A ESTRUTURA FINALIZADA FOI CONSIDERADA COMO SENDO UM TRIUNFO ESTÉTICO POR ANTÍPATRO DE SÍDON, QUE A IDENTIFICOU COMO UMA DE SUAS SETE MARAVILHAS DO MUNDO ANTIGO. O TERMO MAUSOLÉU VEIO A SER USADO GENERICAMENTE PARA QUALQUER GRANDE TUMBA, EMBORA "MAUSOL-EION" ORIGINALMENTE SIGNIFICASSE "ASSOCIADO COM MAUSOLO".
ARTEMÍSIA DECIDIU NÃO POUPAR NA EDIFICAÇÃO DA TUMBA. ENVIOU MENSAGEIROS À GRÉCIA PARA ENCONTRAR OS ARTISTAS MAIS TALENTOSOS DA ÉPOCA, INCLUINDO ESCOPAS, QUE SUPERVISIONARA A RECONSTRUÇÃO DO TEMPLO DE ARTEMIS EM ÉFESO. OUTROS ESCULTORES FAMOSOS COMO BRIÁXIS, LEOCARÉS E TIMÓTEO JUNTARAM-SE-LHE, BEM COMO CENTENAS DE OUTROS ARTESÃOS.
A TUMBA FOI ERIGIDA EM UMA COLINA TENDO UMA VISTA PANORÂMICA DA CIDADE. A ESTRUTURA FICAVA UM PÁTIO FECHADO, EM CUJO CENTRO ESTAVA UMA PLATAFORMA COM A TUMBA. UMA ESCADA, LADEADA POR ESTÁTUAS DE LEÕES DE PEDRA, LEVAVA AO TOPO DA PLATAFORMA.
AO LONGO DA PAREDE EXTERIOR DESTA FICAVAM MUITAS ESTÁTUAS DESCREVENDO DEUSES E DEUSAS. EM CADA CANTO GUERREIROS DE PEDRA CAVALGANDO GUARDAVAM A TUMBA. NO CENTRO DA PLATAFORMA ESTAVA A TUMBA PROPRIAMENTE DITA. FEITA PRINCIPALMENTE DE MÁRMORE, ERA UM BLOCO QUADRADO DE UM TERÇO DA ALTURA DE 45 METROS DO MAUSOLÉU. ESTA SEÇÃO ERA COBERTA DE ESCULTURAS EM RELEVO EXIBINDO CENAS DE AÇÃO DA MITOLOGIA E HISTÓRIA GREGA. UMA PARTE EXIBIA A CENTAUROMAQUIA, BATALHA DOS CENTAUROS COM OS LÁPITAS; OUTRA, GREGOS EM LUTA COM AS AMAZONAS, UMA RAÇA DE MULHERES GUERREIRAS.
NO TOPO DESTA SEÇÃO DA TUMBA TRINTA E SEIS COLUNAS DELGADAS, NOVE POR LADO, ERGUIAM-SE POR OUTRO TERÇO DA ALTURA. ERETA ENTRE CADA COLUNA ESTAVA OUTRA ESTÁTUA. ATRÁS DAS COLUNAS ESTAVA UM OBJETO RESISTENTE QUE CARREGAVA O PESO DO MASSIVO TELHADO DA TUMBA. O TELHADO, QUE ENGLOBAVA MAIS DO TERÇO FINAL DA ALTURA, ERA UMA PIRÂMIDE. DE PÉ NO TOPO FICAVA UMA QUADRIGA: QUATRO MASSIVOS CAVALOS PUXANDO UMA BIGA EM QUE IMAGENS DE MAUSOLO E ARTEMÍSIA PASSEIAM.
O MAUSOLÉU TEVE UMA VISTA PANORÂMICA DA CIDADE DE HALICARNASSO POR VÁRIOS SÉCULOS. ELE ESTEVE INTACTO QUANDO A CIDADE CAIU SOB ALEXANDRE EM 334 A.C. E AINDA NÃO DANIFICADO APÓS ATAQUES DE PIRATAS EM 62 E 58 A.C.. ELE PERMANECEU ACIMA DAS RUÍNAS DA CIDADE POR UNS 16 SÉCULOS. ENTÃO UMA SÉRIE DE TERREMOTOS DESTRUIU AS COLUNAS E DERRUBOU A BIGA DE PEDRA. EM 1404 APENAS A BASE NATURAL DO MAUSOLÉU AINDA ERA RECONHECÍVEL.


Fonte dos textos e fotos: Wikipédia / Thymonthy Becker / infoescola.com /

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem