Pular para o conteúdo principal

NEPAL - Terra natal de Sidartha Gautama (Buda) tem uma população dividida em diversas etnias, diante da força e majestade da maior montanha do planeta




CONHEÇA UM POUCO DO "NEPAL", DA JANELA DO TREM
O Nepal é o país natal de Sidartha Gautama, o Buda. Apesar da predominância do hinduísmo, elementos budistas fazem parte constante da paisagem local, como na estupa Swayambhunath, em Kathmandu
Poucos países são tão imediatamente ligados a uma de suas atrações como o Nepal. A Torre Eiffel é símbolo inequívoco da França, assim como a Estátua da Liberdade é a imagem perfeita dos Estados Unidos.
Porém, nenhuma tem a força e a majestade da maior montanha do planeta, o Monte Everest. É certo que o Nepal divide as honras com a China, mas toda a história de seu batismo e sua histórica e definitiva conquista estão ligados ao lado nepalense.
Em 1953, o neozelandês Edmund Hillary e o sherpa Tenzing Norgay conquistaram os 8848 metros da montanha que os tibetanos chamam de Chomolungma, Mãe Deusa da Terra, e os nepaleses de Sagharmata.
Kathmandu é uma confluência de diferentes povos, idiomas e religiões, sendo o hinduísmo a crença predominante de todo o Nepal
foto - Thinkstock
O aeroporto Tenzing-Hillary, em Lukla, homenageia a dupla que conquistou o Monte Everest, em 1953. Com apenas 460 metros de comprimento e 20 de largura, é considerado uma das pistas mais perigosas do mundo, sujeita a fortes rajadas de vento e péssimas condições de voo
foto - Thinkstock
Confluência das culturas muçulmana, budista e hindu, o comércio de rua da capital do Nepal tem um charme todo especial. Junto com a menina que vende flores para oferendas aos deuses indianos está um rapaz vendendo moderníssimos artigos usados para trekking e montanhismo. Cafés que oferecem internet para quem passou as últimas semanas isolado no acampamento-base do Everest estão ombro a ombro com barracas com produtos que você nem imagina o que são. De vez em quando, é melhor nem ficar sabendo
foto - Califórnia Cowgirl
De lá para cá as ruas de Kathmandu e o campo-base do Everest tornaram-se uma espécie de esquina do mundo, repleta de trekkers e montanhistas de todo o globo, dos que planejaram a vida inteira para estar lá aos que só estão de passagem, satisfeitos com a vista da pirâmide de gelo e rocha.
Com uma população dividida em diversas etnias e majoritariamente hindu, o país ainda é muito pobre, com infraestrutura e serviços turísticos precários. E a situação política instável não ajuda o acesso a alguns lugares com grande beleza cênica e importância histórica.
O Vale Kathmandu é listado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, contendo o templo budista de Swayambhunath. A terra natal de Sidartha Gautama, o Buda, a pequena, mas movimentadíssima Lumbini e a cidade-lago de Pokhara são algumas atrações que chamam a atenção.
Senhora vendendo produtos no mercado de Khatmandu
foto - Califórnia Cowgirl
Lago de degelo do Monte Cho Oyu
foto - Thinkstock
Face Norte do Everest, na fronteira entre China e Nepal
foto - Thinkstock
Nas partes baixas do Nepal, é a rica fauna do Parque Nacional Chitwan e da Reserva de Vida Selvagem Koshi Tappu que são a grande atração. É possível ver alguns grandes animais, como rinocerontes, além de crocodilos e aves, em animados safáris no lombo de um elefante ou, mais tradicionalmente, em jipes. 
Emocionantes descidas de bote são a pedida em rios como o Arun e o Thrishuli. As águas de degelo dos Himalaias e, principalmente, das monções descem vale abaixo em corredeiras poderosas com alto grau de dificuldade. O rafting no Nepal é de altíssimo nível e é explorado através de expedições que levam cerca de uma semana.
Mas o que atrai mesmo centenas de turistas são os picos gelados do Himalaia. A grande maioria passará um ou dois dias na capital e de lá seguirá para campos-base como o do Everest -- passando por áres mitológicas para os amantes do alpinismo, como Namche Bazaar --, onde levantará acampamento e fará caminhadas nos arredores, por entre vales e geleiras, sempre em altitudes acima dos 5 mil metros. Ou seja, já está bem acima das capacidades físicas dos viajantes comuns. Lagos de degelo do Cho Oyu e o belo vale do Gokyo fazem parte do cardápio de aventuras.
foto - Thinkstock
Face sul do Everest com o Lhotse em primeiro plano, Nepal
foto - Thinkstock
Lago de degelo do Monte Cho Oyu, Nepal
foto - Thinkstock
COMO CHEGAR
A forma mais fácil de conhecer o Nepal é através de companhias especializadas em turismo de aventura e natureza. Elas tem acordos com operadoras que providenciarão todos os detalhes de sua viagem: traslado, transportes entres as cidades e acampamentos, aluguel de equipamento, carregadores, cozinheiros, guias, hospedagem e por aí vai. Custa caro, mas lhe economizará muito tempo e dores de cabeça com agências de baixa reputação. Lembre-se que o esforço físico aqui é alto e é bom ter uma boa assistência.
Não há voos diretos entre o Brasil e o Nepal, então a melhor forma de chegar até Kathmandu, a capital do país, é através de voos vindos da Índia.
Monastério em Muktinath, Nepal
foto - Thinkstock
Stupa Boudhanath, Kathmandu, Nepal
foto - sarahtz
QUANDO IR
De junho a setembro (monções) - chuvas pesadas e baixa temporada.
De outubro a dezembro (pós-monções) - boa época para fazer rafting, com rios caudalosos, mas seguros. Um período muito agradável também para fazer caminhadas entre os vales e no alto dos planaltos.
De janeiro a março (inverno) - as temperaturas caem muito nos planaltos e nos Himalaias. Fortes nevascas e péssimas condições de estrada fazem desta época uma das piores para o turista.
De abril a junho (estação seca) - época mais seca e quente do ano, com temperaturas superando os 40 graus nas planícies e até mesmo em Kathmandu. No entanto, é a melhor época para a prática do hiking e para chegar até aos pés de montanhas como Everest/Lhotse, Kangchenjunga, Makalu e Annapurna, todas com mais de 8 mil metros de altura.

Durantes os safáris no sul do Nepal é possível (mas muito improvável) conseguir achar um tigre de bengala (Pathera tigris tigris). A espécie é uma das mais ameaçadas do planeta
foto - Thinkstock
Praça Taumadhi em Bhaktapur, Nepal
foto - Thinkstock
O Nepal possui alguns dos últimos habitats preservados do panda vermelho (Ailurus fulgens) em suas florestas, como o Parque Nacional Langtang e a Reserva de Caça Dhorpatan
foto - Thinkstock
foto - Wikipédia

NEPAL EH CONHECIDO COMO O TOPO DO MUNDO, POR ESTAR AO PÉ DO PONTO MAIS ALTO DA TERRA. O EVEREST
Nepal é um país asiático da região dos Himalaias. É limitado a norte pelo Tibete, região autónoma da China e a leste, sul e oeste pela Índia. É um país sem costa marítima. A sua capital é Catmandu. No país, se situa o Monte Everest, o ponto mais alto da terra, com 8 848 metros, na fronteira norte com a China (Tibete).
CORDILHEIRA DO HYMALAIA
foto - Wikipédia
As principais cidades desta nação são, além da capital, a cidade-lago de Pokhara e Lumbini, onde nasceu Sidarta Gautama, o Buda. Têm grande importância para o turismo, sendo reconhecidas pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura devido ao valor histórico e por lá se encontrar um grande acervo monumental.
ONDE SUPOSTAMENTE NASCEU BUDA
foto - Wikipédia
É um país pobre, situado na encosta da cordilheira do Himalaia, no centro da Ásia. Tem uma das maiores densidades demográficas do continente, com 184 habitantes por quilômetro quadrado. A população nepalesa é composta de 12 etnias, que convivem harmoniosamente. A agricultura emprega 90% da mão de obra, tornando o país grande fornecedor de arroz para a região. Em vez de construção de estradas, conter a erosão do solo há séculos tem sido a principal ocupação dos governantes, sendo que o sistema de terraços usados na irrigação do arroz é um desafio aos meios usados no ocidente para conter o mesmo tipo de erosão.
AQUI, A FAIXA DE POKHARA, NO HIMALAIA
foto - ?
ESTA EH PASHUPATINATH
foto - ?
foto - ?
LAGO FEWA EM POKHARA
foto - ?
SITUAÇÃO COMUM NA CIDADE
foto - ?
MOEDA
foto - ?

fonte / fotos = Wikipédia / viajeaqui.abril.com.br / Thymonthy Becker / Divulgação / 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHEÇA 05 RESTAURANTES NA RODOVIA FERNÃO DIAS QUE MERECEM UMA PARADINHA - Vai pegar a estrada? Conheça cinco endereços para você comer bem na rodovia Fernão Dias, que liga a cidade de São Paulo a Belo Horizonte

CONHEÇA 05 RESTAURANTES NA RODOVIA FERNÃO DIAS ENTRE BELO HORIZONTE E SÃO PAULO, QUE MERECE SUA VISITA Com 562 km de trânsito intenso e traçado por vezes bem sinuoso, dirigir pela Fernão Dias é sempre um desafio. Mesmo agora com a pista duplicada. Porém, quem viaja entre São Paulo e Belo Horizonte encontra boa mesa pelo caminho. Em alguns casos, são restaurantes que, mais do que uma simples parada, valem a viagem.  Veja a lista de 5 restaurantes na rodovia Fernão Dias, entre São Paulo e Belo Horizonte, para você dar uma paradinha:  01 - FAZENDA PARAÍSO - ATIBAIA / SP  Aqui cabe uma licença poética, na verdade, o local está a 2,5 km da Fernão Dias (parte do caminho em estrada de chão), mas é tão bacana, que vale a pequena desviada.  Com acesso pelo km 52 da estrada (entre Atibaia e Mairiporã) e imersa no meio da mata, a antiga fazenda cafeeira erguida no fim do século 19 abriga hoje um restaurante e alambique.  Mais do que apenas comer e cair fora, aqui o negócio é passar umas horinhas …

29 CIDADES HISTÓRICAS DO BRASIL QUE VOCÊ PRECISA CONHECER - Veja uma seleção de cidades brasileiras construídas durante o período colonial que ainda mantêm grande parte do seu casario conservado

CONHEÇA 29 CIDADES HISTÓRICAS DO BRASIL QUE AINDA SE MANTÉM HISTÓRICAS. A história do Brasil é rica, abrangente e repleta de contradições. Desenvolver uma narrativa que aborde os detalhes sobre a conquista e a colonização do território brasileiro não é tarefa fácil.  O que é difícil para os historiadores pode ser fácil para os viajantes: ao passear pelas ruazinhas de pedra e casinhas bem conservadas de algumas cidades históricas, é natural sentirmos transportados para o período colonial.  É normal perceber que o tempo ali simplesmente parou, e fica mais fácil de entender todas as implicações históricas que fizeram estas cidadezinhas erguerem-se (normalmente, isso acontecia por causa dos interesses de exploração de minérios, como ouro e diamante) e estancarem no tempo (com o término da exploração desses recursos naturais).  Abaixo, uma seleção de cidades históricas brasileiras que ainda guardam o único tesouro que sobrou: a história. Perfeitas para quem não dispensa roteiros culturais,…

AS 10 MELHORES ILHAS DO MUNDO - Fernando de Noronha está entre elas, Providenciales, no Caribe, é a primeira da lista

CONHEÇA AS 10 ILHAS CONSIDERADAS AS MELHORES DO MUNDO O site colaborativo TripAdvisor divulgou a lista das ilhas que foram escolha dos viajantes pelo prêmio Traveler’s Choice Awards 2015. O ranking foi elaborado de acordo com as avaliações de viajantes usuários da página e do aplicativo.  Fernando de Noronha foi o único destino brasileiro que apareceu na lista. A ilha toma conta do décimo lugar na lista. Prepare-se para as nuances de azul e verde e veja na galeria abaixo as dez melhores ilhas do mundo, de acordo com os usuários do site. 01 - PROVIDENCIALES – TURKS E CAICOS (TURCAS E CAICOS)  As mais populosas ilhas do arquipélago britânico Turks e Caicos foram as mais votadas pelos viajantes. Apesar de pertencer ao Reino Unido, as ilhas ficam no Caribe e fazem a alegria de seus hóspedes com longas faixas de areia branca e um mar azul clarinho ideal para a prática de mergulho livre (Thinkstock) 02 - MAUI - HAVAÍ, EUA  A ilha no Havaí é um dos destinos preferidos dos amantes de ecoturismo…

CONHEÇA AS BEBIDAS TÍPICAS DE 25 PAÍSES - Tem para todos os gostos e sabores

CONHEÇA "25 BEBIDAS TÍPICAS DE 25 PAÍSES" BRASIL - CAIPIRINHA A caipirinha é feita de cachaça, limão, açúcar e gelo. Ela é servida na maioria dos bares e restaurantes brasileiros. BOLÍVIA – CHICHA A Chicha é um destilado produzido a partir da fermentação de milhos e outros cereais e foi criada pelos povos indígenas da região. ESCÓCIA - UÍSQUE Famoso no mundo inteiro, o uisque escocês possui características próprias. O puro malte é feito com 100% de cereais maltados provenientes de uma única destilação. ESPANHA - SANGRIA A Sangria é uma mistura de vinho com pedaços e sucos de fruta, açúcar e cubos de gelo. JAPÃO - SAQUÊ Feito de arroz, o saquê é uma bebida considerada essencial para diversas cerimônias comemorativas do Japão. Pode ser bebida quente ou fria. ARÁBIA SAUDITA - ARAK Sua produção é feita a partir da tâmara ou uva e é aromatizada com anis e outras especiarias típicas. Seu teor alcoólico é de 45%. GRÉCIA - OUZO A bebida grega é feita a partir do anis. Este licor tem uma gr…

NEWARK, NEW JERSEY, USA - The best American city. What Newark has the best, we show (A melhor cidade Americana. O que Newark tem de melhor, mostramos)

CONHEÇA 13 CEMITÉRIOS FAMOSOS QUE SÃO PONTOS TURÍSTICOS - Visitados por milhões de pessoas todos os anos

CONHEÇA OS "CEMITÉRIOS QUE SÃO PONTOS TURÍSTICOS" VISITADOS POR MILHÕES DE PESSOAS TODOS OS ANOS
01 - CEMITÉRIO DA CATEDRAL DE SANTO ANDRÉ, ST. ANDREWS, ESCÓCIA  Construída nos séculos XI e XII, a Catedral de Santo André foi a maior catedral escocesa durante vários séculos, mas depois de muitas guerras, o local foi destruído e se transformou em um cemitério  Lá os fãs de golfe podem visitar a sepultura do jogador profissional Young Tom Morris, já os apaixonados por cultura podem apreciar as esculturas medievais existentes no cemitério 
02 - CEMITÉRIO ALEGRE (CIMITIRUL VESEL), SĂPÂNŢA, ROMÊNIA  O apelido pode soar contraditório, mas o local é considerado um museu a céu aberto e um badalado ponto turístico  As lápides cinzas foram trocadas por muitas cores, e há desenhos de arte primitiva que descrevem a vida e obra das pessoas lá enterradas 
03 - PÈRE-LACHAISE, PARIS, FRANÇA  O Père-Lachaise foi construído por Napoleão, em 1804. O cemitério ocupa 44 hectares de uma área muito ar…

07 MOTIVOS PARA VOCÊ CONHECER E APAIXONAR POR SANTARÉM NO PARÁ - Tem praia o ano todo, o maior espetáculo natural tombado, muita comida boa e muita história pra contar

07 MOTIVOS PARA VOCÊ CONHECER A CIDADE DE SANTARÉM, PARÁ, BRASIL A cidade de Santarém completou 356 anos neste dia 22 de junho e, para celebrar a data, listamos sete motivos que tornam impossível não amar o lugar. Confira.  01 - SANTARÉM FAZ A DIFERENÇA.  Santarém é considerada o principal centro urbano, financeiro, comercial, turístico e cultural do oeste do estado do Pará. Além disso, é o terceiro município paraense mais populoso, ficando atrás apenas da capital Belém e de Ananindeua.  02 - O MUNICÍPIO TEM UM APELIDO FOFO.  A cidade também é conhecida como Pérola do Tapajós por conta das águas cristalinas do Rio Tapajós. (G1.com) 03 - AQUI DÁ PRAIA O ANO TODO.  Santarém possui uma grande extensão de praias de areias brancas e águas doces. Maracanã, Pajuçara, Lago do Juá, Carapanari… Cada uma com suas peculiaridades como dunas, formações rochosas e vegetações diferenciadas.  04 - TEM UM ESPETÁCULO NATURAL TOMBADO COMO PATRIMÔNIO.  Um dos maiores espetáculos naturais do país está em Sant…

OS MONUMENTOS MAIS FAMOSOS DO MUNDO - Conheça os 30 monumentos mais famosos do mundo - Do Brasil só o Cristo Redentor está na lista

CONHEÇA "OS MAIS FAMOSOS MONUMENTOS DO MUNDO" 01 - TORRE EIFFEL, PARIS, FRANÇA Embora tenham resistido no começo, os parisienses aceitaram e hoje adoram o monumento, entrelaçado em ferro e construído em 1889. 02 - ESTÁTUA DA LIBERDADE, NOVA YORK, ESTADOS UNIDOS Mais de um século depois que a França presenteou os EUA com a escultura, mais de três milhões de turistas ainda visitam a estátua todos os anos. 03 - COLISEU, ROMA, ITÁLIA Quando a monumental construção ficou pronta, em 82 d.C., 50 mil romanos puderam assistir as sangrentas lutas dos gladiadores que ali eram obrigados a se apresentar. 04 - EMPIRE STATE BUILDING, NOVA YORK, ESTADOS UNIDOS O arranha-céu tradicional da Big Apple é considerado um símbolo da Art Deco e atualmente é o quinto mais alto edifício dos Estados Unidos. 05 - BIG BEN, LONDRES, INGLATERRA Embora o nome se refira apenas ao relógio de 13 toneladas, a torre de relógio mais famosa do mundo têm ajudado os moradores da cidade a saber as horas desde 1859. 06 - G…

CINCO DESTINOS AO REDOR DO MUNDO QUE TODO FÃ DE GAME OF THRONES PRECISA CONHECER - As cidades que servem de cenários para o show estão recebendo cada vez mais visitantes que, de alguma forma, buscam entrar no universo de GOT.

CONHEÇA "CINCO DESTINOS AO REDOR DO MUNDO QUE TODO FÃ DE GAME OF THRONES PRECISA CONHECER" Quem assiste Game Of Thrones sabe que a série vai muito além de uma boa história: são tantos personagens, enredos, cenários e detalhes que a produção prende a atenção de espectadores do mundo inteiro. Até mesmo o turismo foi impactado com o sucesso da série: as cidades que servem de cenários para o show estão recebendo cada vez mais visitantes que, de alguma forma, buscam entrar no universo de GOT.  A melhor parte é que as cidades são tão incríveis que vale a visita mesmo sem um motivo específico – mas para quem quer explorar ainda mais o mundo dos reinos, a visita fica ainda mais interessante. Por isso, se você está buscando um destino incrível para as próximas férias, talvez devesse considerar esses lugares. Confira na galeria abaixo:  01 - MALTA  A 90 km de Silícia, na Itália, fica a Ilha de Malta. Banhado pelo Mar Mediterrâneo, o destino está cada vez mais famoso entre os explorador…

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - Em 1963 fecharam o túnel que criou praias, formou cânions, inundou vilarejos mudando para sempre a história de 34 cidades mineira e formando o espetacular “Mar de Minas”

CONHEÇA A "REPRESA DE FURNAS", SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS, BRASIL foto - Thymonthy Becker No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas. A sede do município de Guapé ficou praticamente submersa, o que levou à construção de uma nova sede em local definido pela população. O distrito de São José da Barra, então pertencente a Alpinópolis e emancipado em 1994, ficou integralmente debaixo das águas e deu lugar à "Nova Barra", que a pedido do padre Ubirajara Cabral, pároco local, foi construída pela Central Elétrica de Furnas na forma de um banjo. A maioria dos municípios possuía vocação agropecuária, mas com o alagamento das áreas produtivas diversificaram suas ati…