Pular para o conteúdo principal

FORTE DOS REIS MAGOS, NATAL, RN - A Fortaleza da Barra do Rio Grande, popularmente conhecida como Forte dos Reis Magos ou Fortaleza dos Reis Magos, foi o marco inicial da cidade — fundada em 25 de Dezembro de 1599 —, no lado direito da barra do Potengi (hoje próximo à Ponte Newton Navarro). Recebeu esse nome em função da data de início da sua construção, 6 de janeiro de 1598, Dia de Reis, pelo calendário católico. Em formato de estrela, a fortaleza foi construída pelos colonizadores portugueses em 1598. O monumento ainda preserva os canhões expostos na parte superior do prédio, capela com poço de água doce e alojamentos.




CONHEÇA O "FORTE DOS REIS MAGOS", NATAL, RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
No dia 6 de janeiro de 1598 (Dia de Reis) foi celebrada uma missa para dar início à construção do forte. Trinta anos depois, a obra estava pronta. Na visita, guias mostram os antigos depósitos, alojamentos, canhões e a capela. A fortaleza também abriga o Marco de Touros, de 1501, considerado o mais antigo documento histórico do Brasil. A peça, toda em mármore e com a cruz-de-malta esculpida, teria sido o primeiro marco de posse da Coroa portuguesa no país.
A muralha externa da fortaleza tem vista para os recifes da Praia do Forte

A Fortaleza da Barra do Rio Grande, popularmente conhecida como Forte dos Reis Magos ou Fortaleza dos Reis Magos, foi o marco inicial da cidade — fundada em 25 de Dezembro de 1599 —, no lado direito da barra do Potengi (hoje próximo à Ponte Newton Navarro). Recebeu esse nome em função da data de início da sua construção, 6 de janeiro de 1598, Dia de Reis, pelo calendário católico. Em formato de estrela, a fortaleza foi construída pelos colonizadores portugueses em 1598. Em 1633 foi invadida pelos holandeses. Anos mais tarde, os portugueses conseguiram retomar a cidade e o forte. O monumento ainda preserva os canhões expostos na parte superior do prédio, capela com poço de água doce e alojamentos.
O pátio interno da fortaleza estão os antigos depósitos, os alojamentos, os canhões e a capela

Praia do Forte 
(84) 3211.3820/ 3211.6166 
Horário de visitação 
Diariamente – 8h00 – 16h00
Da muralha do Forte é possível ver os prédios da orla de Natal
Este ponto turístico e histórico de Natal é um dos mais importantes da cidade. O Forte dos Reis Magos guarda uma grande herança sobre a história da cidade e sua fundação. 
Se você quer fazer um roteiro mais cultural e conhecer sobre como a linda Natal nasceu, não deixe de conhecer este lugar. 
Aberto para visitação, além de uma arquitetura cheia de conceito, o Forte dos Reis Magos tem uma vista magnifica.
A construção histórica fica na Praia do Forte, a cinco quilômetros do centro de Natal (RN)

FUNDAÇÃO DO “FORTE DOS REIS MAGOS” 
Durante todo o período de colonização do Brasil, cada território descoberto precisaria de uma fortificação para proteger contra novas invasões. Quando Manuel de Mascarenhas Homem chegou às margens do Rio Grande passou então a construir o forte. Isso aconteceu no dia 06 de janeiro de 1598.
Vista do pátio interno do Forte

A pequena paliçada feita toda em estacas de taipa, deu início à construção do forte que foi inaugurado no dia 25 de dezembro de 1599. O nome foi dado em homenagem ao dia do descobrimento da região, data religiosa aos Reis Magos. 
O Forte dos Reis Magos, que possui a forma de estrela, sofreu um ataque de holandeses em 1633 e estes dominaram a região até 1654, quando voltou para as mãos dos portugueses.
A capela está no centro do pátio da construção histórica

Por ser onde está o Marco de Touros, que é o monumento colonial mais antigo do país, além de outros artefatos importantes, o Forte dos Reis Magos passou a ser administrado pelo IPHAN, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde 2013. 
Atualmente aqui contabiliza-se também o monumento histórico do país com a segunda maior arrecadação.
O pátio interno da fortaleza estão os antigos depósitos, os alojamentos, os canhões e a capela

CURIOSIDADES 
Durante toda a sua existência, o Forte dos Reis Magos guarda algumas particularidades. Entre elas: 
Para ter acesso ao Forte dos Reis Magos, você precisa fazer uma caminhada de aproximadamente 500 metros por uma passarela totalmente segura. Vale muito a pena pela vista do Rio Potengi e também da Praia de Genipabu. O final do dia nesta passarela é perfeito!
É possível visitar as dependências internas do Forte

No centro do Forte você encontra uma pequena igreja. Sobre o teto desta fica um local secreto onde eram armazenados os armamentos e munições na época dos colonizadores. 
O piso do Forte ainda é o original. Ele possui mais de 400 anos e estão muito bem conservados.
VISITAÇÃO 
O Forte dos Reis Magos guarda canhões originais, ainda da época das invasões e outros artefatos do seu início. Vale muito a pena conhecer o local e desfrutar da linda vista do rio Potengi. O Forte dos Reis magos fica aberto diariamente das 08 horas até as 16h30.
O valor cobrado para ter acesso ao Forte é apenas 3 reais por pessoa e você tem guias credenciados para ensinar ainda mais sobre o local e ser agraciado com uma linda aula de história sobre Natal e também do Brasil. Para grupos grandes, a administração do Forte orienta o agendamento da visita que pode ser feito pelo número (84) 3202 9006.
A FORTALEZA DA BARRA DO RIO GRANDE, POPULARMENTE CONHECIDA COMO FORTE DOS REIS MAGOS OU FORTALEZA DOS REIS MAGOS, LOCALIZA-SE NA CIDADE DE NATAL, NO ESTADO BRASILEIRO DO RIO GRANDE DO NORTE.
A FORTALEZA FOI O MARCO INICIAL DA CIDADE — FUNDADA EM 25 DE DEZEMBRO DE 1599 —, NO LADO DIREITO DA BARRA DO RIO POTENJI (HOJE PRÓXIMO À PONTE NEWTON NAVARRO). RECEBEU ESSE NOME EM FUNÇÃO DA DATA DE INÍCIO DA SUA CONSTRUÇÃO, 6 DE JANEIRO DE 1598, DIA DE REIS PELO CALENDÁRIO CATÓLICO.
O ATUAL FORTE APRESENTA PLANTA POLIGONAL IRREGULAR, ERGUIDO EM ALVENARIA DE PEDRA E CAL. EM TORNO DO TERRAPLENO, AO ABRIGO DAS MURALHAS, ENCONTRAM-SE DISPOSTAS A CASA DE COMANDO, OS QUARTÉIS E OS DEPÓSITOS; AO CENTRO, ERGUE-SE UMA EDIFICAÇÃO DE PLANTA QUADRANGULAR, EM DOIS PAVIMENTOS:
NO PAVIMENTO INFERIOR, SITUA-SE A CAPELA, APRESENTANDO VÃOS EM ARCO PLENO;
NO SUPERIOR, ACEDIDO EXTERNAMENTE POR UMA ESCADA EM DOIS LANCES E ATRAVÉS DE UMA PORTA DE VERGA RETA, DISPÕE-SE A CASA DA PÓLVORA, COBERTA POR UMA CÚPULA PIRAMIDAL. NOS VÉRTICES DESTA PIRÂMIDE, CUNHAIS, CORNIJA E PINÁCULO COMPLETAM O CONJUNTO.
NO TERRAPLENO ABRE-SE, AINDA, A CISTERNA.
O ACESSO AO FORTE É FEITO POR UMA PASSARELA, DA PRAIA AO PASSADIÇO E, A PARTIR DAÍ, ATRAVÉS DE UMA ARCADA À DIREITA, SAINDO PARA O CORREDOR. OUTRA ESCADA DÁ ACESSO AO TERRAPLENO E AO PORTÃO PARA A PRAÇA.
AS SUAS CARACTERÍSTICAS FORAM ASSIM DESCRITAS POR CÂMARA CASCUDO:
"O forte se erguia, a setecentos e cinquenta metros da barra, em cima do arrecife, ilhado nas marés altas. Eh lugar melhor e mais lógico, anunciando e defendendo a cidade futura. A planta é do jesuíta Gaspar de Samperes, que fora mestre nas traças de engenharia, na Espanha e flandres, antes de pertencer à companhia de Jesus. Eh a forma clássica do forte marítimo, afetando o modelo do polígono estrelado. O tenalhão abica para o norte, mirando a barra, com os dois salientes. No final, a gola termina por dois baluartes. o da destra, na curvatura, oculta o portão, entrada única, ainda defendida por um cofre de franqueamento, para quatro atiradores e, sobrepostos à cortina ou gola, os caminhos de ronda e uma banqueta de mosquetaria. Com sessenta e quatro metros de comprimento, perímetro de duzentos e quarenta, frente e gola de sessenta metros, o forte artilhava-se de maneira irrepreensível. Atiraria por canhoneiras e a mosquetaria pela gola em seteira no cofre ou de visada na banqueta. A artilharia principal atirava à barbeta." (Câmara Cascudo, Luís da. História da cidade do Natal (3ª ed.)"
(Câmara cascudo)
A FORTALEZA DA BARRA DO RIO GRANDE SERVIU COMO SEDE DA ADMINISTRAÇÃO DA CAPITANIA DO RIO GRANDE, RESIDÊNCIA DO CAPITÃO-MOR, COMANDO MILITAR, QUARTEL DE TROPAS E REFÚGIO DOS MORADORES.
ENTRE AS ATRAÇÕES DO MUSEU DESTACA-SE UM MARCO DO DESCOBRIMENTO DO BRASIL (PARA LÁ TRAZIDO NA DÉCADA DE 1990).
OS VISITANTES SÃO RECEBIDOS, À ENTRADA, PELA IMAGEM DOS MAGOS GASPAR, BELQUIOR E BALTASAR, DOADA PELO JOSÉ I DE PORTUGAL (1750-1777).
OS 400 ANOS DA FORTALEZA FORAM COMEMORADOS POR UMA BONITA EMISSÃO FILATÉLICA DA ECT (6 DE JANEIRO DE 1999).
A FORTALEZA FOI, A PARTIR DO ANO 2008, UM DOS 50 MONUMENTOS BRASILEIROS CANDIDATOS À ELEIÇÃO DAS 7 MARAVILHAS DO BRASIL, CUJO RESULTADO SAIU EM 1º DE JANEIRO DE 2009, ONDE NÃO OBTEVE CLASSIFICAÇÃO.
A FORTALEZA FOI UMA DAS ELEITAS DO CONCURSO DA REVISTA CARAS: "SETE MARAVILHAS DO BRASIL".

VALEU PELA VISITA



fonte dos textos e fotos: praiasdenatal.com.br / Wikipédia / Thymonthy Becker / viajeaqui.abril.com.br / Divulgação / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem