Pular para o conteúdo principal

ESLOVÊNIA - Com clima bucólico e bares espalhados ao longo do rio, Eslovênia se tornou point de turistas buscando algo diferenciado




CONHEÇA A "ESLOVÊNIA", DA JANELA DO TREM
DESCUBRA ESLOVÊNIA 
Eslovênia está situada no coração da Europa, entre os Alpes e do Mediterrâneo e a planície de Pannonian. Este pequeno país verde, que se estende por uma área de 20.273 km2, vive um povo hospitaleiro e honesto, que têm reputação de ser trabalhador. A Eslovênia é um país com um número surpreendente de atletas famosos e uma vida cultural muito produtiva. 
A nação eslovena tem uma reputação de ser muito trabalhadora e inteligente, razões pelas quais a Eslovênia é o país mais desenvolvido entre os novos membros da UE. Eslovenos constantemente querem provar-se e seguir em frente e muitos deles têm alcançado um sucesso significativo em todo o mundo com seu trabalho e audácia. Um bom exemplo disso são os atletas que praticam esportes radicais, de alpinismo, esqui até as aventuras de bicicleta modo ultramarathon ou natação. 
Eslovenos também são muito receptivos à aprendizagem de línguas estrangeiras e não têm dificuldade em se comunicar com eles. E alunos do ensino fundamental falam línguas estrangeiras. A maioria dos habitantes da Eslovênia fala bem, especialmente Inglês e Alemão. Uma grande porcentagem da população fala italiano fluentemente. 

Catedral de São Nicolau fica na capital da Eslovênia, World

A área montanhosa fica no norte. Nas montanhas dos Alpes Julian e o Kamniške-Savinjske (Kamnik e Savinja) há muitos picos afiados com belas formas. As montanhas da serra Karavanke, que faz fronteira com a Áustria, são mais arredondadas. 
Na Eslovênia oriental, em grandes áreas a paisagem é coberta com colinas da capital, que se estendem para o oeste e sul. 
Há muitas colinas na Eslovênia sudeste e leste, ou seja, as áreas dedicadas à viticultura. Entre as montanhas e colinas são algumas planícies e bacias. Na maior bacia são Ljubljana e seus arredores. 
Eslovênia também tem vastas planícies do leste, que já fazem parte da planície de Pannonian. 
A diversidade não é característica única da superfície da Eslovênia, mas também o seu submundo. Entre os mais de nove mil cavernas cársticas há algumas que estão entre as mais belas do mundo.
VERDES FLORESTAS 
Com aproximadamente 65% das áreas de floresta, a Eslovênia é um dos países com muito verde. Com mais de 22.000 espécies animais e vegetais, a Eslovênia é um dos recursos naturais mais abundantes dentre os países da Europa. Mais de um terço da Eslovênia é protegido pelo projeto Natura 2000, a rede européia de áreas protegidas especiais identificadas pelos Estados-Membros da União Européia, a fim de conservar a biodiversidade que é tão importante para todo o continente.



A CAPITAL LIUBLIANA (LJUBLJANA) 
À primeira vista, é difícil entender porque a capital da Eslovênia é chamada de “adorada” pelos seus moradores. Em uma análise apressada, Liubliana (Ljubljana) pode até parecer ordinária demais para o turista com conhecimento mais profundo das cidades do oeste europeu. Mas basta uma pequena caminhada pelas tranquilas ruelas que formam o centro histórico para se dar conta de que Liubliana, na realidade, conquista pela simplicidade do dia-a-dia dos seus moradores. 



É em seu centro antigo, cortado ao meio pelo rio Liublianica, que está o charme da cidade, onde mesas à luz de velas recebem casais e grupos de amigos enquanto músicos de rua entretêm pedestres e locais que vão e voltam do trabalho em antigas bicicletas. Entre igrejas e galerias de arte você encontrará em algum momento um bonde elétrico que te levará morro acima ao Castelo de Liubliana, bastante remodelado, e que oferece vistas panorâmicas interessantes dessa cidade com clima de interior. Apesar de ser a capital e sede do governo, centro econômico e cultural do país, Liubliana não chega a 250 mil habitantes. Outra razão para visitar Liubliana? A cidade fica a quatro horas de trem de Veneza. 



COMO CHEGAR 
Aéreo - 
Liubliana é a principal porta de entrada para a Eslovênia. O aeroporto internacional Jože Pučnik (LJU, www.lju-airport.si) fica a cerca de 30 quilômetros do Centro da capital. A forma mais prática de traslado é com ônibus (45 minutos o trajeto, que sai por 4,10 euros). Eles saem de hora em hora, das 5h às 20h, durante a semana, e, nos fins de semana, são sete partidas entre das 7h às 20h, em horários variados. Alternativamente há saídas para Kramnik e Kranj. 
De táxi, a corrida até o centro de Liubliana sairá por cerca de 39 euros. 



Ferroviário - 
Liubliana é razoavelmente bem servida por conexões de trem por destinos a partir dos países que cercam a Eslovênia. Alguns serviços bastante convenientes são são trens que partem de Zagreb, Croácia (2 horas de viagem, sete partidas diárias, desde € 14,60), Budapeste, Hungria (11 horas, desde € 49), e Viena, Áustria (6 horas, desde € 29). As passagens, horários e detalhes sobre serviços podem verificados no site da Slovenske zeleznice (www.slo-zeleznice.si). 



COMO CIRCULAR 
O Centro de Liubliana é bem compacto e a maioria das atrações pode ser conhecida em curtos passeios a pé. Apesar da possibilidade de usar os ônibus para circular pela cidade, uma boa ideia é pegar uma bicicleta alugada. Há vários pontos de retirada e devolução e os preços são bem baixos. Mais informações no site en.bicikelj.si.



CIDADE DE BLED
As pérolas da Eslovênia encontram-se no interior, em regiões montanhosas/alpinas mais para o norte, perto das fronteiras com Itália e Áustria. O grande cartão-postal (e cidade mais visitada) é, sem dúvida, Bled. Há quem diga que esse vilarejo é "criação de algum Deus do turismo”. Não está exagerando. 
Bled, a cidade, herdou o nome do lago glacial que domina todo o seu centro. Lá no meio, uma ilhota abriga uma igreja que é o símbolo mais fotografado do país. Ao redor desse lago, quase que o abraçando, uma cadeia de montanha com pinheiros vai até onde a vista alcança, abrigando um castelo e entrelaçando-se com os Alpes Julianos (assim conhecidos como homenagem ao romano Júlio César) e seus picos nevados logo atrás. A graça em Bled é caminhar em trilhas ao redor do lago, procurando o melhor ângulo para encaixar um cenário de tirar o fôlego em suas fotografias. Uma subida ao castelo (que pode ser feita de carro ou a pé, para quem tiver fôlego), garante panorâmicas ainda mais bonitas. Pousadas e restaurantes escondem-se nas diversas ruelas que ligam a estrada principal ao lago, e uma boa experiência é procurar pelas placas de sobes. 

Ilha de Bled, Eslovênia

É tradição dos países da antiga Iugoslávia alugar quartos, por vezes andares inteiros da casa, ao viajante. Trata-se de uma alternativa mais barata do que os hotéis e que coloca o turista em contato com os locais. Em tempo: a aparência é de estação de inverno, mas é possível nadar no lago durante o verão. 

Lago Bled, Eslovênia

COMO CHEGAR 
Bled pode ser tanto um passeio de um dia a partir de Liubliana, como seu principal destino na Eslovênia. A curta distância até a capital facilita muito o transporte, que pode ser feito de trem, ônibus ou de carro. 

Lago Bled na Eslovênia

De trem, há duas estações que servem a cidade. Lesce-Bled fica a cerca de 1,5 quilômetro do vilarejo de Bled. Trens a partir de Liubliana saem com frequência rumo a este destino e fazem o trajeto em uma hora (preços desde € 4,80). Já Bled Jezero fica do outro lado do lago. A viagem até aqui toma uma pouco mais de tempo (1h45), quase sempre com uma troca de trem em Jesenice (tarifa a partir de €6,22). A estação de trem principal de Liubliana fica na Trg Osvobodilne fronte 6. Mais informações em www.slo-zeleznice.si. 
De ônibus (www.ap-ljubljana.si), a viagem sai por cerca de € 7 e leva cerca de 1h30. Os ônibus saem de hora em hora de Liubliana, das 6 às 22h30, a partir da rodoviária Avtobusna Postaja, na Trg Osvobodilne fronte 4.
Botes no rio Liublianica, em Liubliana
Ruas do Centro de Liubliana
Se o processo de dissolução da antiga Iugoslávia, no início da década de 1990, deixou para a Croácia algumas das mais belas praias da Europa, a herança da Eslovênia, minúscula nação de 20 mil km², não deve em nada ao vizinho.

O Parque Nacional do Triglav, na Eslovênia, é o único do país. O lago Bohinj e o monte Triglav marcam a paisagem do lugar, ideal para ser visitado no verão

O pequeno trecho do Adriático que lhe coube depois da partilha é um oásis de água transparente. A fronteira com a Itália e a Áustria garante uma boa extensão dos Alpes no norte do país. Nestas regiões montanhosas as paisagens se dividem entre grandes campos esverdeados e o maior complexo de cavernas de toda a Europa.
A Eslovênia já se posta com força na rota do ecoturismo (e de esqui!) dos turistas mais antenados. A natureza dita a regra no país, mas Liubliana (Ljubljana), sua capital de clima bucólico e bares espalhados dos dois lados do rio Ljubljanica, há tempos se tornou point de europeus em busca de vida noturna diferenciada.
Poucas horas de carro dali, Bled é o principal destino de inverno e provavelmente uma das cidades mais cênicas que você terá visitado na Europa. Com um carro em mãos, passando por desfiladeiros, rios com água verde-esmeralda e chalés que parecem estrategicamente colocados em grandes campos floridos, chega-se à linda Bovec, base para as atividades que exigem uma dose a mais de esforço físico.
Praça Presernov, Liubliana
COMO CHEGAR 
Não há voos diretos entre o Brasil e a Eslovênia. 
A principal porta de entrada para o país é sua capital Liubliana, servida por um número razoável de companhias aéreas, entre elas a companhia nacional Adria Airways (www.adria.si). A EasyJet tem voos para lá a partir de Paris, enquanto que a Ryanair vai até Trieste, na Itália, mas junto à fronteira, desde Valência, Londres e Barcelona.
Alpes Eslovenos
Por terra, as melhores conexões são trens que partem de Zagreb, Croácia (2 horas de viagem, sete partidas diárias, desde € 14,60), Budapeste, Hungria (11 horas, desde € 49), e Viena, Áustria (6 horas, desde € 29). As passagens, horários e detalhes sobre serviços podem verificados no site da Slovenske zeleznice (www.slo-zeleznice.si).

Ideal para o rafting, o rio Soca, na Eslovênia, é o mais cristalino da Europa e percorre 138 quilômetros por entre os Alpes até desaguar no mar Adriático

COMO CIRCULAR 
Os trens da Slovenske zeleznice são a forma mais prática de circular pelo país. Os serviços são razoavelmente pontuais e os trens possuem variados níveis de conforto e estrutura. Uma boa solução de mobilidade é alugar um carro e chegar a regiões mais isoladas ou onde as conexões de trem são deficientes. As estradas são boas e a sinalização é bem compreensível.
Cascata na região dos Alpes eslovenos

CONHEÇA UM POUCO MAIS DA ESLOVÊNIA
A Eslovênia é um pequeno país da Europa Central, muito próximo à Itália e Áustria. Suas paisagens são similares às da Suíça, com muita natureza e montanhas. A maior cidade e capital do país, Ljubljana, foi escolhida como a Capital Europeia mais verde de 2016.
Kranjska Gora
Localizada a apenas 10 minutos da Itália e da Áustria, a cidade de Kranjska Gora tem montanhas bem altas que refletem no rio. No inverno, o local é point para a prática de ski. 
Rio Ljubljanica
O rio divide a cidade antiga do centro comercial atual, com simpáticos cafés em seu entorno. Próximo à ele, há o The National Museum of Slovenia.
Bled
O lago é um dos pontos mais famosos da Eslovênia. Um castelo do século XI, que tem um museu e capela, fica próximo ao Bled. É possível também alugar um pedalinho ou escalar a montanha. 
Piran
O pitoresco município é repleto de construções medievais. De lá, é possível pegar um barco de madeira e conhecer a ilha de Otok, onde está localizada a igreja St. Catherine, do século X. 
Kobarid
A pequena cidade é cenário do livro “Adeus às armas”, de Ernest Hemingway. O Museu Kobarid, com muitos documentos da primeira Guerra Mundial, é uma das atrações do município. 
Cavernas de Postojna
Um conjunto de cavernas com formações rochosas deslumbrantes é o ponto turístico mais conhecido do país. 
Castelo Predjama
A construção, de estilo Renascentista, está fincada em um cliff vertical, localizado no vilarejo de Predjama. Tanto o castelo como o vilarejo são pontos que valem a visita.
Site: www.slovenia.info/ 
População: 2.000.000 hab
Código de área: +386
Fuso horário: 4h (horário de Brasília)
Localização: Europa
Moeda: Euro
Visto: Não é necessário
ESTA EH A BANDEIRA DA ESLOVÊNIA
ESTE EH O BRASÃO DA ESLOVÊNICA



fonte / fotos = Forbes Brasil / viajeaqui.abril.com.br / Thymonthy Becker / Wikipédia / slovenia.info / Divulgação / 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NOVA ZELÂNDIA, OCEANIA - Longe de tudo, do outro lado do mundo, a Nova Zelândia vale cada segundo da longa, longuíssima viagem de avião. Dividido em duas grandes ilhas principais, o país reúne uma quantidade de paisagens e atrações impressionantes para o seu tamanho compacto

CONHEÇA A "NOVA ZELÂNDIA", OCEANIA

Longe de tudo, do outro lado do mundo, a Nova Zelândia vale cada segundo da longa, longuíssima viagem de avião. Dividido em duas grandes ilhas principais, o país reúne uma quantidade de paisagens e atrações impressionantes para o seu tamanho compacto. Na Ilha Norte, onde vivem três quartos da população, os verões são relativamente quentes e há praias perfeitas (como as da Península de Coromandel) tanto para os surfistas quanto para quem quer simplesmente se dourar ao sol. Mas os seus principais trunfos escondem-se no interior: vulcões ativos, gêiseres, lagos multicoloridos e outras formações geológicas inusitadas formam cenários que parecem de outro mundo (não à toa, alguns deles, como o Monte Tongariro, serviram de pano de fundo para a trilogia O Senhor dos Anéis).  Rebanho de ovelhas na Nova Zelândia (Stockbyte) Geiser pohotu, em Rotorua (Thinkstock) Arte maori, do povo indígena neozelandês (Thinkstock) Já na esparsamente povoada Ilha Sul, u…

ESPANHA, EUROPA MERIDIONAL - Um país em movimento. Em mais de vinte séculos de história, celtas, romanos, godos, árabes e tantos outros povos legaram profundas marcas na cultura, gastronomia e psique dos ibéricos

CONHEÇA A "ESPANHA", EUROPA MERIDIONAL  Um país em movimento. Em mais de vinte séculos de história, celtas, romanos, godos, árabes e tantos outros povos legaram profundas marcas na cultura, gastronomia e psique dos ibéricos. Se por um lado a imagem estereotipada de toureiros e dançarinas de flamenco sobrevive e encanta na Andaluzia, a Espanha de hoje mira o futuro com um profundo respeito pelas tradições regionais. Isso é particularmente verdade na Catalunha e sua pujante capital, Barcelona, sempre na vanguarda das artes, design, moda e com maravilhosos chefs estrelados. Já no orgulhoso País Basco, depare-se com as formas impressionantes do museu Guggenheim logo após fugir dos touros da festa de San Fermines.  Ponte romana sobre o rio Guadalquivir e, à esquerda, a Grande Mesquita de Córdoba (Thinkstock) Construída entre 1761 e 1881, La Real Maestranza de Caballería, em Sevilha, é a segunda mais antiga arena de touros da Espanha (Divulgação) Gaudí dedicou 40 anos de sua vida ao …

MONJOLOS, MINAS GERAIS - O município possui alto potencial de ecoturismo, pois conta com diversas cachoeiras, corredeiras, grutas e trilhas, todas cercadas por uma vasta e bela vegetação e que proporcionam deliciosos passeios de bike, motos, jipes ou até mesmo simples caminhadas.

CONHEÇA A CIDADE DE "MONJOLOS", MINAS GERAIS, BRASIL Situada na região central mineira, na Bacia do Rio das Velhas em um vale da Serra do Cabral, Monjolos integra, além da Estrada Real, o Circuito dos Diamantes.  A 265 km da capital mineira, o município possui alto potencial de ecoturismo, pois conta com diversas cachoeiras, corredeiras, grutas e trilhas, todas cercadas por uma vasta e bela vegetação e que proporcionam deliciosos passeios de bike, motos, jipes ou até mesmo simples caminhadas.
Rio Pardinho em Monjolos, MG(Instituto estrada Real)  A Área de Preservação Ambiental do Vale do Fundo apresenta uma densa mata virgem banhada por deleitáveis nascentes e cascatas. Ainda pouco explorada, a Gruta do Pau-Ferro possui grandes galerias com estalactites e estalagmites.  A cidade ainda possui um Centro de Artesanato, onde é exposto e vendido todo o artesanato da região. A Igreja Matriz Nossa Senhora do Livramento, a Ponte Férrea do Rio Pardo e o Monumento a Monjolos também aju…

ALASKA, ESTADOS UNIDOS DE AMÉRICA - O Alasca é terra de superlativos. O maior estado americano abriga o maior pico, o maior parque nacional e a maior floresta dos Estados Unidos. Lá, há glaciares mais extensos do que países inteiros, baleias-jubarte de até 15 metros, ursos de quase 500 quilos. Geleiras, lagoas, vulcões, montanhas e florestas

CONHEÇA O "ALASKA", USA,  E SAIBA O QUE TEM DE BOM SE PARA FAZER LÁ Conheça nosso roteiro para conhecer umas das regiões mais quentes no roteiro turismo americano - mesmo com as baixas temperaturas O Alasca é terra de superlativos. O maior estado americano abriga o maior pico, o maior parque nacional e a maior floresta dos Estados Unidos. Lá, há glaciares mais extensos do que países inteiros, baleias-jubarte de até 15 metros, ursos de quase 500 quilos. Geleiras, lagoas, vulcões, montanhas, florestas: ao mesmo tempo que sua paisagem natural é uma das mais remotas e selvagens do planeta, ela é facilmente alcançada por voos abundantes, cruzeiros confortáveis com múltiplos roteiros que transitam pela costa (maior do que a do resto dos EUA inteiro somada) e a Alaska Highway, uma rodovia ampla e moderna que percorre mais de 2 mil quilômetros. E não, não é tão gelado quando a gente imagina: no verão, o termômetro pode bater até 30 graus.  COMO CHEGAR NO ALASKA Com a American Airline…

CONHEÇA 16 HOTÉIS DO NORDESTE DO BRASIL QUE FAZEM VALER A PENA VIAJAR - Com estrutura sensacional, várias opções de lazer e atividades para todos os gostos, uma localização privilegiada e a vista faz você perder a noção do tempo sem perceber.

CONHEÇA "06 HOTÉIS NO NORDESTE DO BRASIL " QUE FAZEM VALER A PENA PASSAR SUAS FÉRIAS LÁ Há pouco mais de um ano, o Room 5 lançou a série de Hotéis que Valem a Viagem. Mas o que faz um hotel valer a sua viagem? É como se você decidisse viajar para ficar naquele lugar: o hotel é o destino das suas férias. E, para se tornar um destino desejado, o hotel precisa oferecer uma estrutura sensacional, ter várias opções de lazer e atividades para todos os gostos, uma localização privilegiada e que a vista faça você perder a noção do tempo sem perceber.  Dentro dessas exigências, seis hotéis no Nordeste do Brasil ganharam o título Room5 de Hotéis que Valem a Viagem na Bahia, Pernambuco, Ceará e Alagoas. Para te convencer que, nas próximas férias, em vez de ir à cidade X ou Y, você pode ir ao Nannai ou ao Kiaroa, nós listamos alguns motivos que provam que existem hotéis que vão valer as suas férias. Olha só:  RESORT COSTA DO SAUÍPE (BA)  Se entre os Hotéis que Valem a Viagem existe um qu…

SÃO PETERSBURGO, RÚSSIA - O elegante desenho urbano estabelecido sobre uma extensa rede de canais e ilhotas é repleto de edifícios barrocos, palácios extravagantes e igrejas luxuosas. Os óbvios destaques são o Museu Hermitage, um dos melhores do planeta em arte ocidental, o Palácio de Catarina e a Catedral de Pedro e Paulo, mas boa parte da diversão está em caminhar por suas agradáveis ruas e canais.

CONHEÇA A CIDADE DE "SÃO PETERSBURGO", RÚSSIA - CIDADE SEDE DA COPA DO MUNDO 2018 DE FUTEBOL DA LIGA FIFA Palácio Mariinsky, sede da Assembleia Legislativa e Petersburgo, Rússia Fortaleza de São Pedro e São Paulo em São Petersburgo, Rússia Estação Chornaya Rechka em São Petersburgo, Rússia Quando ainda não era conhecido como O Grande, o jovem príncipe Pedro passava boa parte de seu tempo entre homens do povo, absorvendo ideias que vinham de terras distantes e despendendo tempo construindo barcos e criando estratégias militares com seus exércitos de brinquedo. Quando ele se tornou o czar de todas as Rússias, hábil general e o homem que tirou o país da era medieval, resolveu construir uma nova capital, moderna e com refinados ares europeus, num grande pântano no Báltico. Nascia São Petersburgo. Renomeada Petrogrado e posteriormente Leningrado, quando a perestroika de Mikhail Gorbachev acelerou a queda do comunismo o nome original retornaria aos mapas.  O Palácio de Catarina, co…

FAROL DE ALEXANDRIA, ALEXANDRIA, EGITO - Uma das 7 maravilhas do mundo eh uma obra colossal

CONHEÇA O "FAROL DE ALEXANDRIA", ALEXANDRIA, EGITO A cidade de Alexandria foi fundada por Alexandre, o Grande, e tem muito mais a oferecer além de sua história e curiosidades. Localizada na costa mediterrânica do Egito, é conhecida mundialmente pelos seus pontos turísticos, como a Biblioteca de Alexandria, o Farol de Alexandria (uma das sete maravilhas do mundo antigo) e as Catacumbas de Kom el Shoqafaw (uma das sete maravilhas do mundo medieval). Outras atrações envolvem visitas à museus, jardins, mesquitas e ruínas antigas que contam a história de seu passado. O Farol de Alexandria é uma das sete maravilhas do mundo antigo. Foi construído para servir de referencial para os navegantes, na Ilha de Faros. Para servir de entrada no porto e informar os navegantes da proximidade de terras, Ptolomeu mandou construir o Farol de Alexandria. Este tinha lugar na Ilha de Faros e, por causa do nome da ilha, todas as construções até hoje, com o mesmo objetivo, são chamadas de farol. O e…

CONHEÇA AS BEBIDAS TÍPICAS DE 25 PAÍSES - Tem para todos os gostos e sabores

CONHEÇA "25 BEBIDAS TÍPICAS DE 25 PAÍSES" BRASIL - CAIPIRINHA A caipirinha é feita de cachaça, limão, açúcar e gelo. Ela é servida na maioria dos bares e restaurantes brasileiros. BOLÍVIA – CHICHA A Chicha é um destilado produzido a partir da fermentação de milhos e outros cereais e foi criada pelos povos indígenas da região. ESCÓCIA - UÍSQUE Famoso no mundo inteiro, o uisque escocês possui características próprias. O puro malte é feito com 100% de cereais maltados provenientes de uma única destilação. ESPANHA - SANGRIA A Sangria é uma mistura de vinho com pedaços e sucos de fruta, açúcar e cubos de gelo. JAPÃO - SAQUÊ Feito de arroz, o saquê é uma bebida considerada essencial para diversas cerimônias comemorativas do Japão. Pode ser bebida quente ou fria. ARÁBIA SAUDITA - ARAK Sua produção é feita a partir da tâmara ou uva e é aromatizada com anis e outras especiarias típicas. Seu teor alcoólico é de 45%. GRÉCIA - OUZO A bebida grega é feita a partir do anis. Este licor tem uma gr…

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - Em 1963 fecharam o túnel que criou praias, formou cânions, inundou vilarejos mudando para sempre a história de 34 cidades mineira e formando o espetacular “Mar de Minas”

CONHEÇA A "REPRESA DE FURNAS", SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS, BRASIL foto - Thymonthy Becker No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas. A sede do município de Guapé ficou praticamente submersa, o que levou à construção de uma nova sede em local definido pela população. O distrito de São José da Barra, então pertencente a Alpinópolis e emancipado em 1994, ficou integralmente debaixo das águas e deu lugar à "Nova Barra", que a pedido do padre Ubirajara Cabral, pároco local, foi construída pela Central Elétrica de Furnas na forma de um banjo. A maioria dos municípios possuía vocação agropecuária, mas com o alagamento das áreas produtivas diversificaram suas ati…

PENEDO, ALAGOAS - Uma formação rochosa as margens do Rio São Francisco, deu origem a mais bela cidade histórica do Brasil, a primeira de Alagoas

CONHEÇA A CIDADE DE "PENEDO", ALAGOAS, BRASIL, DA JANELA DO TREM Fundada no século 16, às margens do Rio São Francisco, foi o primeiro povoado de Alagoas.  O Centro Histórico guarda um significativo conjunto arquitetônico – museus e igrejas dos séculos 17 e 18 – e pode ser visitado a pé. Uma das grandes atrações é o passeio de barco até a foz do Velho Chico.
Na divisa entre Alagoas e Sergipe, às margens do rio São Francisco, está Penedo, considerada uma das mais belas cidades históricas do país. Uma formação rochosa deu origem à cidade, o primeiro povoado do Estado de Alagoas, no século 16. Com igrejas, conventos e outras construções dos séculos 17 e 18, a cidade conta em suas ruas um pouco do passado do Brasil, proporcionando uma volta ao período colonial. As marcas deixadas pelos colonizadores portugueses e holandeses e pelos missionários franciscanos podem ser vistas em toda arquitetura barroca espalhada pela cidade, que ainda traz a beleza da natureza, como os rochedos e…