Pular para o conteúdo principal

XAPURI, ACRE - Segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT), os roteiros de turismo ecológico e cultural estão entre os que mais crescem no mundo, transformando pequenas localidades em receptoras de grande número de visitantes. Assim eh o município de Xapuri, recheado de situações, locais e monumentos históricos, cachoeiras, trilhas, pousada na floresta, praias de água doce, museus e seringais, recebendo assim muitas turistas de vários estados brasileiros.




CONHEÇA A CIDADE DE XAPURI, ACRE, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
O turismo pode se transformar numa das principais alternativas de atividade econômica para as comunidades da Amazônia. Segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT), os roteiros de turismo ecológico e cultural estão entre os que mais crescem no mundo, transformando pequenas localidades em receptoras de grande número de visitantes. (Wikipédia)
Rua da cidade de Xapuri, Ac (Altemiro Olinto Cristo)
POUSADA SERINGAL CACHOEIRA EM XAPURI, AC
Construída às margens de um lago, com decoração rústica e clima aconchegante, a pousada conta com 32 leitos, divididos em 3 chalés e 2 quartos coletivos, chamados de “belichários”. Dois chalés são para casal e o terceiro chalé tem acomodação para família de até 4 pessoas. Os belichários são divididos por gênero e cada um possui acomodação para 12 pessoas. (Wikipédia)
Pousada Seringal Cachoeira na cidade de Xapuri, AC (Divulgação)
Na pousada, o turista pode conhecer um pouco mais sobre a história do Seringal Cachoeira; contratar um guia para realizar trilhas na floresta; alugar uma bicicleta e fazer um passeio ciclístico pela região; participar do circuito de aventura, com rapel, arborismo e tirolesa; saborear um tambaqui assado ou um filé ao molho de castanha, acompanhados por sucos de frutas da Amazônia, como cupuaçu, graviola, acerola, caju e cajá. 
Artefatos na Pousada Seringal Cachoeira em Xapuri, AC (Divulgação)

CASA BLANCA NA CIDADE DE XAPURI, ACRE
Construída em madeira com dois pavimentos, era o local onde funcionava a intendência Boliviana. Atualmente sedia o Museu Casa Branca. (Wikipédia/Paulo Roberto Witos)
IGREJA DE SÃO SEBASTIÃO EM XAPURI, AC
Construção em estilo colonial, construída em meio à Revolução Acreana. (Wikipédia)
MUSEU CHICO MENDES DA CIDADE DE XAPURI, AC
Instalado na casa onde vivia o seringueiro, sindicalista e ambientalista. Tombado pelo Iphan como Monumento Histórico e Cultural, a casa de Chico Mendes recebeu uma reforma, financiada pelo Governo do Acre, mantendo suas características originais. Textos pendurados nas paredes e no teto do lugar narram como aconteceu a morte do seringueiro, em 1988. Na mesma rua, fica a Fundação Chico Mendes, que traz um acervo com suas fotos históricas e pertences pessoais. (Wikipédia)
PRAIAS DO INFERNO E ZAIRE EM XAPURI, AC
Duas praias do Rio Acre, localizadas próximas ao centro da cidade. Nelas, acontecem o Festival de Praia e Esportes. (Wikipédia/Eduardo de Araujo Marques)
Centro Cultural Chico Mendes em Xapuri, AC (Jesaflu Jesus)
Parque ambiental Chico Mendes em Xapuri, AC (Paulo Roberto Witos)
Rua da cidade de Xapuri, AC (José Carlos Sá)
Pastos na zona rural da cidade de Xapuri, AC (Eiji Matsumoto)
Rua da cidade de Xapuri, AC (Altemiro Olinto Cristo)
Comércio no centro da cidade de Xapuri, AC (Altemiro Olinto Cristo)
Entorno da cidade de Xapuri, AC (Michele Wesz Andres)
Rodovia para a cidade de Xapuri, AC (Michele Wesz Andres)
Museu da cidade de Xapuri, AC (José Carlos Sá)
Ponte em Xapuri, AC (André Bonacin)
Pórtico de entrda para a cidade de Xapuri, AC (Michele Wesz Andres)
Praça da cidade de Xapuri, AC (J. Guedes Fotografia)
Posto da Polícia Rodoviária Federal da cidade de Xapuri, AC (Altemiro Olinto Cristo)
Rio Acre na cidade de Xapuri, AC (André Bonacin)
Rua de Xapuri, AC  (J. Guedes Fotografia)
Rua de Xapuri, AC (José Carlos Sá)
Ruínas de uma igreja na cidade de Xapuri, AC (Eduardo de Araújo Marques)
Comércio de Xapuri, AC (José Carlos Sá)
Loja Maçônica da cidade de Xapuri, AC (Altemiro Olinto Cristo)
Rua da cidade de Xapuri, AC (Predador)
Vista aérea da cidade de Xapuri, AC (Jesaflu Jesus)
Encontro do Rio Acre com o Rio Xapuri na cidade de Xapuri, AC (André Bonacin)
DADOS GERAIS SOBRE O MUNICÍPIO DE XAPURI, ACRE
Código do Município - 1200708 
Gentílico - xapuriense 
Prefeito 2017 / FRANCISCO UBIRACY MACHADO DE VASCONCELOS 
População estimada [2017] - 18.174 pessoas 
População no último censo [2010] - 16.091 pessoas 
Densidade demográfica [2010] - 3,01 hab/km² 
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2015] - 1,9 salários mínimos 
Pessoal ocupado [2015] - 815 pessoas 
População ocupada [2015] - 4,6 % 
Área da unidade territorial [2016] - 5.347,468 km² 
Esgotamento sanitário adequado [2010] - 27,7 % 
Arborização de vias públicas [2010] - 14,7 % 
Urbanização de vias públicas [2010] - 4,5 % 
Fonte: IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas - 
POSIÇÃO GEOGRÁFICA DA CIDADE DE XAPURI NO ESTADO DO ACRE
HISTÓRICO DA CIDADE DE XAPURI, ACRE
História 
O povoado surgiu logo depois de Volta da Empreza (Rio Branco), no ano de 1883, em um local estratégico na confluência do rio Xapuri com o rio Acre. 
A localidade tornou-se um dos principais entrepostos comerciais do Acre no Ciclo da Borracha. 
Durante o período da Revolução Acreana, Xapuri foi ocupada por autoridades bolivianas que passaram a chamá-la de Mariscal Sucre. Em 6 de agosto de 1903, as tropas do Coronel Plácido de Castro tomaram o povoado marcando o início da última vitoriosa etapa da Revolução Acreana, que culminou com a Anexação do Acre ao Brasil. 
Seu nome deriva da tribo indígena dos Xapurys. 
Na década de 1980 a cidade também foi palco do movimento de resistência dos seringueiros em defesa dos seringais nativos da região. O principal líder desse movimento, cuja luta culminou na criação das reservas extrativistas, foi o sindicalista xapuriense Chico Mendes.
Fonte: IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas - 
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE XAPURI, ACRE
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE XAPURI, ACRE

Fonte dos textos e fotos: IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas - / Wikipédia / Thymonthy Thymberthy Becker / Charlie Styforlamber / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem