Pular para o conteúdo principal

VOTORANTIM, SÃO PAULO - Votorantim encontra-se em um dos principais eixos industriais do estado, com importantes vias de acesso como as rodovias Castelo Branco, Raposo Tavares e João leme dos Santos. Votorantim é palco de uma grande festa todos os anos durante o mês de junho. A festa junina, que faz parte do Calendário Turístico Oficial do Estado de São Paulo, dá brilho a cidade no inverno. Um dos maiores eventos que reúne obras audio-visuais produzidas em todo o país, o CINEFEST já faz parte do calendário da cidade.




CONHEÇA A CIDADE DE VOTORANTIM, SÃO PAULO, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
Votorantim encontra-se em um dos principais eixos industriais do estado, com importantes vias de acesso como as rodovias Castelo Branco, Raposo Tavares e João leme dos Santos. (Prefeitura Municipal)
Votorantim é palco de uma grande festa todos os anos durante o mês de junho. A festa junina, que faz parte do Calendário Turístico Oficial do Estado de São Paulo, dá brilho a cidade no inverno. Com diversas atrações artísticas, cantores renomados, comidas típicas oferecidas por entidades sociais do município e parque de diversões. O evento reúne mais de 300 mil pessoas na Praça de Eventos em recinto fechado que garante a segurança das famílias que vêm à festa. (Prefeitura Municipal)
Rua da cidade de Votorantim, SP (Fábio Barros)
Um dos maiores eventos que reúne obras audio-visuais produzidas em todo o país, o CINEFEST já faz parte do calendário da cidade. O evento tem o objetivo de aproximar a população do cinema, abordando os mais variados temas. A cada edição além da compe-tição de curtas, artistas renomados já marcaram presença na cidade. O evento oferece, ainda, oficinas nas diversas áreas do cinema para quem tiver interesse. (Prefeitura Municipal)
Entardecer na cidade de Votorantim, SP (Facebook)
Encontro anual de valorização da cultura raiz, com apresentações musicais, desafio de cururu, manifestações do folclore, além da tradicional cozinha caipira. Um evento tradicional da cidade que tem a essência muito forte nas raízes culturais. (Prefeitura Municipal)
Cachoeira da cidade de Votorantim, SP (Facebook)
Cachoeira da cidade de Votorantim, SP (Facebook)
Entorno da cidade de Votorantim, SP (Facebook)
Cachoeira com grande Volume de água (Facebook)
Estação Rodoviária de Votorantim, SP (Fábio Barros)
Auditório municipal da cidade de Votorantim, SP (Fábio Barros)
Avenida 31 de Março em Votorantim, SP (Fábio Barros)
Avenida São João em Votorantim, SP (Fábio Barros)
Cachoeira no alto da serra São Francisco em Votorantim, SP (Fábio Barros)
Câmara de vereadores de Votorantim, SP (Fábio Barros)
Centro de saúde de Votorantim, SP (Fábio Barros)
Centro da cidade de Votorantim, SP (Fábio Barros)
Votorantim, SP (Fábio Barros)
Igreja de Nossa Senhora da Conceição Aparecida em Votorantim, SP (Fábio Barros)
Igreja em Votorantim, SP (Fábio Barros)
Praça de eventos em Votorantim, SP (Fábio Barros)
Praça do hospital em Votorantim, SP (Fábio Barros)
Prefeitura Municipal de Votorantim, SP (Fábio Barros)
Serra de São Francisco em Votorantim, SP (Facebook)
Centro da cidade de Votorantim, SP (Fábio Barros)
Corpo de Bombeiros militar da Votorantim, SP (Fábio Barros)
Agência da Caixa Econômica Federal de Votorantim, SP (Fábio Barros)
Empresa do Grupo Votorantim em Votorantim, SP (Fábio Barros)
Rua da cidade de Votorantim, SP (Fábio Barros)
Rua da cidade de Votorantim, SP (Prefeitura Municipal)
Rua de Votorantim, SP (Fábio Barros)
Votorantim, SP (Prefeitura Municipal)
A REPRESA EM VOTORANTIM, SP
Represa de Itupararanga, a barragem da represa e alguns clubes náuticos são muitos visitados nos finais de semana. A represa está situada no entorno de Votorantim e de outros municípios da região. (Wikipédia)
DADOS GERAIS DO MUNICÍPIO DE VOTORANTIM, SÃO PAULO
Código do Município - 3557006 
Gentílico - votorantinense 
Prefeito 2017 / FERNANDO DE OLIVEIRA SOUZA 
População estimada [2017] - 119.898 pessoas 
População no último censo [2010] - 108.809 pessoas 
Densidade demográfica [2010] - 591,04 
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2015] - 2,9 salários mínimos 
Pessoal ocupado [2015] - 22.771 pessoas 
População ocupada [2015] - 19,3 % 
Área da unidade territorial [2016] - 183,517 km² 
Esgotamento sanitário adequado [2010] - 96,1 % 
Arborização de vias públicas [2010] - 83,4 % 
Urbanização de vias públicas [2010] - 58,2 % 
POSIÇÃO GEOGRÁFICA DA CIDADE DE VOTORANTIM NO ESTADO
HISTÓRICO DA CIDADE DE VOTORANTIM, SÃO PAULO
História 
O inicio da exploração e povoamento de Votorantim aconteceu em meados do século XVII, quando Paschoal Moreira Cabral, primeiro habitante do município, parente de Baltazar Fernandes, fundador de Sorocaba, instalou-se no local conhecido como Itapeva (pedra chata), hoje sede da Fazenda de São Francisco, de propriedade do Grupo Votorantim, iniciando o período rural com a plantação de cana e instalação da primeira moenda, utilizando-se do trabalho de índios escravizados. 
Em 1679, foi construída, no terreiro da casa grande, uma capela em homenagem a Nossa Senhora do Pópulo. Posteriormente essa capela foi enriquecida com a imagem de São Francisco, que deu nome a serra e à fazenda. 
Na época, também, eram explorados o cultivo de produtos de sobrevivência e a pecuária. O número de habitantes era pequeno e o comércio rudimentar. 
Por volta de 1750, numa sucessão de compras e vendas, a fazenda chegaria às mãos do Capitão Mor Manoel Fabiano de Madureira. Essa mesma fazenda, em 1890, seria vendida ao Banco União de São Paulo. 
A maior atração local era uma cachoeira denominada pelos indígenas de 'Botu-ra-ti'/Boturantim, cujo étimo em tupi guarani significa Grande Espuma Branca/Cascata Branca, originando o nome Votorantim, atribuído ao vilarejo e posteriormente ao município. 
Conta-se que a cachoeira era de tal beleza, pelo volume de água e recantos naturais, que teria motivado a vinda do imperador D. Pedro II e da Imperatriz D. Tereza Cristina, para apreciar a região. 
Os empreendimentos industriais implantados pelo Banco União no final do século XIX e pelo imigrante português Antonio Pereira Inácio, no inicio do século XX, deram novos impulsos ao local. 
O primeiro empreendimento industrial implantado na região pelo Banco União de São Paulo em parceria com os ingleses, deu-se, em 1890, com escolha de uma antiga propriedade dos Madureira, que levava o nome de 'Cachoeira', para a construção da barragem das corredeiras do Rio Grande. 
Dessa forma, foi montada e acionada a primeira usina. Nascia, assim, a chamada fase industrial com a instalação da Fábrica de Chitas, que começou a funcionar em 1.892, iniciando a ação que se fundiu com a imigração italiana em Votorantim. 
O potencial hidrográfico e a topografia de Votorantim foram de notória importância para a consolidação de seu desenvolvimento, tendo em vista que favoreceram investimentos hidroelétricos, como a usina de Itupararanga, inaugurada em 1.914, considerada de grande porte para a época, cuja energia gerada seguia na totalidade para a cidade de São Paulo. 
Outras usinas foram construídas, possibilitadas pela exuberância das cachoeiras, formadas na extensão do curso em declive do Rio Grande, como Ligth, Santa Helena, Votocel e Cachoeira da Chave, marcando a origem dos povoados que surgiram ao seu redor. 
Em 1940 ocorreu outra imigração, pela oferta de empregos na tecelagem da Fábrica de Chitas e na Fábrica de Cimento Votoran, já construída e em funcionamento. 
Os imigrantes assentavam-se nos mesmos bairros, considerando que muitos formavam grupos ligados por parentesco. Legaram ao município seus costumes, seu folclore, a arte musical e, especialmente, contribuíram para o seu desenvolvimento.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE VOTORANTIM, SÃO PAULO
ESTE EH O BRASÃO DA CIDADE DE VOTORANTIM, SÃO PAULO

Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Charlie Styforlamber / Wikipédia / Governo de Votorantim, SP / Facebook / 


Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem