Pular para o conteúdo principal

CONHEÇA OS LUGARES QUE VOCÊ (NÃO) DEVERIA VISITAR - Seja bem-vindo aos lugares mais bonitos e intocados da Terra. Infelizmente, você não pode visitá-los – a maioria deles está dentro de áreas proibidas e não recomendadas pelo governo dos Estados Unidos e da Inglaterra. Alguns desses locais não são inteiramente fechados, mas a viagem até lá é perigosa. Para garantir sua segurança e matar a curiosidade, selecionamos as melhores fotos de cada um deles. Confira:




CONHEÇA OS LUGARES QUE VOCÊ NÃO DEVERIA VISITAR - OLHANDO DA JANELA DO TREM
ÁREAS PROIBIDAS PARA VOCÊ TURISTAR
Seja bem-vindo aos lugares mais bonitos e intocados da Terra. Infelizmente, você não pode visitá-los – a maioria deles está dentro de áreas proibidas e não recomendadas pelo governo dos Estados Unidos e da Inglaterra. Alguns desses locais não são inteiramente fechados, mas a viagem até lá é perigosa. Para garantir sua segurança e matar a curiosidade, selecionamos as melhores fotos de cada um deles (© Richard Bradford/Shutterstock)
01 - AFEGANISTÃO
Todo o turbulento país é classificado como não-seguro para visitação pelos Estados Unidos, sendo que várias de suas regiões estão dentro da zona vermelha do Ministério das Relações Exteriores da Inglaterra (FCO), incluindo o estonteante Corredor de Wakhan. Compreendendo uma área do nordeste do Afeganistão até o Tajiquistão, Paquistão e China, esse é um dos cantos mais remotos do mundo. As caminhadas por aqui não são fáceis, mas os mais audaciosos verão paisagens de tirar o fôlego no Indocuche e em Pamir (© Jakub Czajkowski/Shutterstock)
Os Budas de Bamiyan se enquadram na zona laranja da FCO. Anteriormente um centro importante para o budismo, é nesse vale que ficavam os gigantes Budas do século 6 até serem destruídos pelo Talibã. As estátuas se foram, mas os entornos de onde ficaram ainda estão lá, com várias cavernas e afrescos prontos para serem explorados (© Picattos/Shutterstock)
Ao oeste estão algumas das maravilhas naturais mais deslumbrantes do país, os lagos Band-e-Amir. No alto das montanhas hindus de Kush, essa série de lagos resplandece como joias em meio à paisagem desértica e estéril com suas águas surpreendentemente azuladas. Eles foram nomeados como o primeiro parque nacional do Afeganistão (© Picattos/Shutterstock)
02 - PAQUISTÃO
Uma das rotas de comércio e localidade militar mais importantes do planeta, o Passo Khyber conecta a Ásia Central com o Sul da Ásia. O local tem uma história e tanto (Alexandre, o Grande, passou por ali) e uma beleza inóspita. Infelizmente, o estreito passo que vai do Afeganistão até Peshawar está fora dos limites para turistas, bem como toda a região parquistanesa de Khyber e Pakhtunkhwa (© Awais khan/Shutterstock)
O governo norte-americano alerta seus cidadãos para evitar qualquer tipo de viagem que não seja essencial em todo o Paquistão, enquanto a Inglaterra classifica algumas regiões do país como proibidas, incluindo o estonteante vale Swat. Conhecido como a Suíça do oriente por conta de suas paisagens semelhantes aos alpes, o lugar era um destino popular antes se se tornar uma fortaleza para o Talibã em 2007. A milícia já deixou o local, que permanece na zona vermelha da FCO (© Aleem Zahid Khan/Shutterstock)
03 - CHADE
Remoto e pouco visitado, esse país atribulado por guerras na África Central é muito perigoso para ser um destino de viagem, o que significa que explorar seus lindos desertos e descobrir a diversa natureza local está fora de cogitação. Os Estados Unidos também emitiram alertas de viagens para o Chade devido a “tensões constantes e atividade terrorista em potencial” (© Sunsinger/Shutterstock)
O Planalto de Ennedi, no sudeste do deserto do Saara, é um dos lugares mais memoráveis do Chade, no qual formações de pedras enormes se ergueram da areia. Arcos naturais, pináculos, falésias, desfiladeiros e vastas dunas caracterizaram essa paisagem. A região também tem várias pinturas rupestres e é a terra natal dos nômades Tubu (© Evgenii Mitroshin/Shutterstock)
04 - SUL DO SUDÃO
Devido a um constante conflito no Sudão, os Estados Unidos e a Inglaterra não recomendam qualquer tipo de viagem para as vastas savanas, pântanos e florestas tropicais do país, que abrigam uma vibrante natureza. O Nilo Branco corre por toda a nação e abastece um gigantesco pântano chamado Sudd, casa de gazelas, zebras, rinocerontes, crocodilos e hipopótamos (© John Wollwerth/Shutterstock)
05 - MALI
Muitas partes desse país são classificadas como perigosas pelo FCO, desde 2012. No entanto, o Mali tem muitos sítios culturais como a Mesquita de Djenné, uma das maiores estruturas de argila do mundo e considerado um Patrimônio Mundial pela UNESCO. Infelizmente, algumas dessas construções sagradas foram destruídas por milícias islâmicas (© Picattos/Shutterstock)
A remota região de Dogon é um planalto extraordinário que poucas pessoas poderão ver pessoalmente. Por lá vivem os Dogons, um dos grupos étnicos africanos mais isolados do mundo. Nas planícies estão falésias de Bandiagara e uma série de vilarejos caracterizados por uma arquitetura única da cultura local (© Iwanami Photos/Shutterstock)
06 - REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO
Uma das áreas mais biologicamente diversas do planeta e casa do parque nacional mais antigo da África, o Virunga, essa parte oriental da República Democrática do Congo (DRC) já foi um destino muito cobiçado por aventureiros. No entanto, turistas britânicos são recomendados a não visitar o DRC devido à situação instável da segurança do país (© LMspencer/Shutterstock)
O Parque Nacional de Virunga tem amplos habitats – planícies de lava, florestas tropicais, pântanos, savanas, tundras e montanhas – que são o lar de uma série de espécies africanas, incluindo o raro ocapi, elefantes, leopardos, hipopótamos e chimpanzés. Mas são os gorilas da montanha que levam o destaque por ali, na fronteira com Uganda e Ruanda. Uma grande população desse animal ameaçado de extinção vive lá (© Simon Eeman/Shutterstock)
07 - REPÚBLICA DO DAGESTÃO
Fascinante, ainda que proibido, o Daguestão fica na região leste do Grande Cáucaso, na fronteira coma Geórgia e o Azerbaijão. Viajar até lá é altamente perigoso, segundo a FCO, devido a “ataques frequentes e confrontos entre grupos de rebeldes e forças russas”. Mas as montanhas florestais são encantadoras – uma terra de vales escondidos e vilarejos entre as falésias (© Vladimir Sevrinovsky/Shutterstock)
08 - REPÚBLICA DA ABECÁSIA
Outra região deslumbrante do Cáucaso, a Abecásia também ostenta paisagens espetaculares. Trilhas montanhosas, montes rochosos, florestas densas e planícies com vilarejos intrigantes são algumas das atrações. Há também as praias banhadas pelo Mar Negro e lagos etéreos como a Lagoa Ritsa (© Ewais/Shutterstock)
09 - COREIA DO NORTE
O vulcão ativo Paektu, que fica na fronteira com a China, é altamente sagrado para o povo do misterioso país e também para a Coreia do Sul. É fácil perceber o porquê disso ao olhar para o hipnotizante lago em seu cume. Dado como o local de nascimento do mais antigo líder coreano, Dangun, peregrinações para a montanha são comuns, ainda que altamente monitoradas (© Richard Bradford/Shutterstock)
10 - IÊMEN
Conflitos e terrorismo afetam a beleza natural e as fascinantes cidades do Iêmen. Um dos locais mais antigos e deslumbrantes é Sana’a – imponente em um vale montanhoso, as construções dessa cidade têm padrões geométricos característicos e suas enormes paredes de argila permeiam várias mesquitas, incluindo Jami’ al-Kabir. Habitada há mais de 2.500 anos, é uma das cidades mais antigas do mundo (© Anton_Ivanov/Shutterstock)
Mais vilarejos fortificados e tradicionais podem ser encontrados pela montanha de Haraz no nordeste do Iêmen. As paisagens nessa remota região são incríveis: desertos áridos, falésias e vales profundos (© Michail Vorobyev/Shutterstock)
Abrigando as famosas árvores chamadas de “dragoeiros” e outras 800 espécies endêmicas entre fauna e flora, a ilha de Socotra fica a 300 km da costa do Iêmen, no Mar Arábico. Apesar do clima árido, a ilha é a casa de inúmeros pássaros, répteis, insetos e formas de vida marinha, e suas paisagens variadas incluem cavernas de calcário e montanhas enormes. É um local remoto e memorável como nenhum outro na Terra, mas até segunda ordem é proibido para visitação turística (© Naeblys/Shutterstock)
11 - EGITO
A região oeste do Vale Nilo não é recomendada para visitação, incluindo o Oásis de Siwa, que sempre foi uma trilha cobiçada, ainda que complicada. Crescendo do Grande Mar de Areia próximo à fronteira com a Líbia, o local é uma colcha de retalhos memorável de árvores diversas e uma série de nascentes e fontes em meio a dunas ondulantes (© Msaleh/Shutterstock)
Os Estados Unidos alertam a seus cidadãos para “considerar os riscos de viajar ao Egito devido a ameaças de atividades terroristas e grupos violentos”. Uma das regiões mais perigosas do país é o Sinai do Norte, a parte desértica mais desolada e reconhecida por seus cenários ondulantes, ainda na zona vermelha da FCO, enquanto Sinai do Sul fica na zona laranja - até mesmo o famoso Monte Sinai é perigoso (© Slexvav/Shutterstock)
O Monte Sinai e o Mosteiro de Santa Catarina, o mais antigo templo cristão ainda habitado, faziam parte de rotas de viajantes religiosos, mas agora o público é recomendado a pensar duas vezes antes de ir até esse local, esparsamente ocupado e majoritariamente habitado por tribos beduínas (© Bayazed/Shutterstock)
12 - VENEZUELA
Alertas de viagem foram emitidos pelos Estados Unidos em relação à Venezuela, incluindo para sua capital Caracas, devido às “tensões sociais, crimes violentos e escassez de comida e remédios”. O FCO não recomenda qualquer viagem dentro de um raio de 80 km da fronteira colombiana e diz que “qualquer viagem não necessária é altamente contraindicada devido à instabilidade local” (© Alejandro Solo/Shutterstock)
Isso significa que as águas das Cataratas Ángel no Parque Nacional de Canaima estão fora de cogitação. A maior cachoeira ininterrupta do mundo sempre foi um destino complicado de se chegar – ou por uma trilha intrépida pela densa floresta ou por de avião para sobrevoar a beleza natural – pelo menos o esforço era recompensado com uma paisagem de tirar o fôlego (© Alice Nerr/Shutterstock)
Não existe uma ilha deserta mais idílica que a quase inabitada Los Roques, um arquipélago intocado no Mar do Caribe, ao norte de Caracas. Com suas areias brancas e águas cristalinas, as quase 300 ilhas desse parque nacional são um lugar maravilhoso para aproveitar praias e mergulhar, mas, pelo menos por enquanto, os venezuelanos têm esse lugar apenas para si (© Nido Huebl/Shutterstock)
13 - LÍBIA
Os Estados Unidos alertam que esse país do norte da África não é nada seguro devido à atividade de milícias. O FCO afirma o mesmo: “Terroristas executam muitos ataques na Líbia”. Isso significa que os resquícios muito bem conservados dos romanos estão fora de alcance para turistas, incluindo a famosa Leptis Magna. Uma das cidades mais bonitas do império romano integra a lista de perigos da UNESCO devido ao “alto nível de instabilidade afetando o país” (© BigRoloImages/Shutterstock)
Também nessa lista está a antiga cidade de Ghadamès, um dos locais mais antigos e um dos oásis mais lindos nas dunas do norte do Saara, próximo à fronteira com Argélia e a Tunísia. Conhecida como a pérola do deserto, essa cidade cercada por muros é caracterizada por seus becos estreitos e a conexão interna dos terraços de suas casas brancas (© Aleksandra H. Kossowska/Shutterstock)
14 - LÍBANO
A deslumbrante Beirute está fora de cogitação para visitantes norte-americanos, sendo que o Departamento de Estado recomenda que sejam “evitadas as viagens ao Líbano por conta de ameaçadas de terrorismo, conflitos armados, sequestros e rebeliões violentas, especialmente próximo às fronteiras com a Síria e Israel”. A nação mediterrânea sempre seduziu viajantes por sua característica de ser um ponto de encontro entre as culturas ocidentais e orientais (© Richard Yoshida/Shutterstock)
O país sitiado tem uma beleza incontável e algumas das ruínas antigas do mediterrâneo mais significantes, incluindo as da Babilônia, uma das principais cidades dos fenícios. Ao norte de Beirute, essa importante região tem múltiplas camadas de ruínas, incluindo as de uma cidadela muito bem preservada, do tempo das Cruzadas (© Ostill/Shutterstock)



VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE


Fonte dos textos e fotos: msn.com

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem