Pular para o conteúdo principal

TRÊS PONTAS, MINAS GERAIS - Três Pontas faz parte do circuito turístico Vale Verde e Quedas D'Água. O destino mais procurado pelos turistas é o Distrito do Pontalete, por causa da Represa de Furnas. Além das belas paisagens naturais, os diversos bares e restaurantes possibilitam ao visitante saborear a típica comida sul mineira. Outros aventureiros também optam em conhecer a Serra de Três Pontas. No topo da serra tem-se uma visão privilegiada do "mar de morros" do Sul de Minas. Repleta de trilhas, a serra tem ainda uma cachoeira e um muro construído por escravos na época em que havia um quilombo nas proximidades da montanha. Outras atrações turísticas do município são os hotéis fazenda. O Hotel Fazenda Pedra Negra tem o Museu do Café, que mostra como era feito o cultivo antigamente




CONHEÇA A CIDADE DE "TRÊS PONTAS", MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
Foto - PMTP
BEM VINDO A CIDADE DE TRÊS PONTAS - AOS PÉS DA SERRA DE MESMO NOME.
foto - Gustavo H. F. de Brito
Três Pontas faz parte do circuito turístico Vale Verde e Quedas D'Água. O destino mais procurado pelos turistas é o Distrito do Pontalete, por causa da Represa de Furnas. Além das belas paisagens naturais, os diversos bares e restaurantes possibilitam ao visitante saborear a típica comida sul mineira. Outros aventureiros também optam em conhecer a Serra de Três Pontas. No topo da serra tem-se uma visão privilegiada do "mar de morros" do Sul de Minas. Repleta de trilhas, a serra tem ainda uma cachoeira e um muro construído por escravos na época em que havia um quilombo nas proximidades da montanha. (Prefeitura Municipal)
Outras atrações turísticas do município são os hotéis fazenda. Na rodovia entre Três Pontas e Varginha, o turista pode visitar o Hotel Fazenda Pedra Negra, e visitar o Museu do Café, que mostra como era feito o cultivo antigamente. Próximo a mesma rodovia também existe o Hotel Pousada Bela Vista, para quem gosta do turismo rural. (Prefeitura Municipal)
AQUI A ESTAÇÃO RODOVIÁRIA DE TRÊS PONTAS, MG
foto -  Wikipédia
SEDE DO PODER LEGISLATIVO - CÂMARA DE VEREADORES DE TRÊS PONTAS, MG
foto - Gustavo H. F. de Brito
CASA DE CULTURA DE TRÊS PONTAS, MG
foto - PMTP
CENTRO CULTURAL DE TRÊS PONTAS, MG
foto - PMTP
ESCOLA ESTADUAL EM TRÊS PONTAS, MG
foto -  Wikipédia
FAZENDA DE CAFÉ EM TRÊS PONTAS, MG
foto - Luiz Romário A. Vieira
HOSPITAL DE TRÊS PONTAS, MG
foto -  Wikipédia
MEMORIAL AO PADRE VICTOR EM TRÊS PONTAS, MG
foto - Gustavo H. F. de Brito
MUSEU DO CAFÉ EM TRÊS PONTAS, MG
foto - PMTP
SEDE DO PODER EXECUTIVO - PREFEITURA DE TRÊS PONTAS, MG
foto -  Wikipédia
SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE TRÊS PONTAS, MG
foto - Will Sazon
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE TRÊS PONTAS, MG
foto -  Wikipédia
SERRA TRÊS PONTAS
Distante cerca de 18 quilômetros do centro de Três Pontas, a Serra de Três Pontas, tem aproximadamente 1.200 metros de altitude. Há pequenas quedas D’água na Serra, mas apenas uma é de maior porte, aumentando bastante o seu volume na estação chuvosa.
A Serra de Três Pontas conta com peculiar fauna e diversificada flora onde se têm praticado o turismo ecológico. A vista em seu cume é maravilhosa, proporcionando uma incomparável vista da cidade. (Prefeitura Municipal / Studio Imagem)



CASA DA CULTURA ALFREDO BENASSI
A Casa da Cultura Alfredo Benassi está instalada em um casarão construído em meados do século XIX, é uma das edificações mais significativas do contexto urbano de Três Pontas. No pavimento inferior da casa, funciona atualmente a loja de artesanato com produtos de artesãos trespontanos que se destacam pela variedade e beleza, além de uma exposição de fotos que mostram a história de Três Pontas. Na Casa da Cultura Alfredo Benassi também encontra-se um acervo do ex-vice-presidente Aureliano Chaves, com livros, troféus, relíquias, condecorações e objetos pessoais pó político trespontano.
Localização:
-Rua Barão da Boa Esperança- Centro.
Contato: (35) 3266-6246. (Prefeitura Municipal)
foto -  Wikipédia
foto - Ciclo TP
foto -  Wikipédia
foto - Montanha
foto -  Wikipédia
foto - Gustavo H. F. de Brito
foto -  Wikipédia
foto - Montanha
MATRIZ DE NOSSA SENHORA D'AJUDA EM TRÊS PONTAS, MG
foto -  Wikipédia
foto - Gustavo H. F. de Brito
foto - Márcio Passareli Fotografia
PLANTAÇÃO DE CAFÉ. UMA DAS RIQUEZAS DA CIDADE DE TRÊS PONTAS, MG
foto - Márcio Passareli Fotografia
LAGOA NO ENTORNO DA CIDADE DE TRÊS PONTAS, MG
foto - Gustavo H. F. de Brito
MAR DE MORROS NO ENTORNO DA CIDADE DE TRÊS PONTAS, MG
foto -  Wikipédia
foto - Gustavo H. F. de Brito
SERRA DE TRÊS PONTAS E TRILA NO ALTO DA MESMA EM TRÊS PONTAS, MG
foto - Ciclo TP

foto - Ciclo TP
População estimada 2016 (1) - 56.879
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 689,794
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 78,08
Código do Município 3169406
Gentílico - três-pontano
Prefeito 2017 / LUIZ ROBERTO LAURINDO DIAS
ORIGEM DO NOME
O atual topônimo Três Pontas deve-se a serra do mesmo nome, situada a poucos quilômetros da Cidade.

Gentílico: três-pontano
HISTÓRICO
Não existem indícios de povoamento de indígenas na região de Três Pontas. Os primeiros a desbravarem essa região possivelmente estavam à procura de ouro, mas não o encontraram. A Serra de Três Pontas era utilizada como ponto de referência para os viajantes que cruzavam essas terras. Durante esse período, ainda, escravos fugidos passaram pela região. Um fato que favoreceu a formação de quilombos no município foi a destruição do Quilombo do Ambrósio entre 1740 e 1746. Localizado provavelmente entre os municípios de Cristais e Ibiá, durante o ataque dos brancos, muitos negros conseguiram escapar e se refugiaram em várias regiões, inclusive na região de Três Pontas, onde sabe-se que formaram dois quilombos: o Quilombo do Cascalho próximo à serra e outro próximo ao ribeirão das Araras, próximo de onde hoje está situado o Quilombo Nossa Senhora do Rosário. Os habitantes brancos da região, então, passaram a se sentir ameaçados e exigiram providências do governo, que enviou alguns capitães, dentre eles Bartolomeu Bueno do Prado, que exterminaram as povoações quilombolas em 1760. Com os quilombos destruídos, mais povoadores chegaram a região, requerendo sesmarias.
Em 5 de outubro de 1768 foi construída por alguns sesmeiros a Capela de Nossa Senhora d'Ajuda (onde hoje se encontra a igreja de mesmo nome), com a licença do Bispado de Mariana. Em torno da ermida começou a surgir um arraial, que passava a ser denominado com o nome da padroeira da capela. O primeiro casamento no arraial foi realizado em 1777. Em seu testamento, Bento de Brito referiu-se ao arraial com a denominação de São Gonçalo, mas esse nome não se popularizou. Neste período, a vila crescia em ritmo lento.
Em 1832, o arraial foi elevado à freguesia e passou a ter um juiz de paz e um pároco. Em 1841, devido ao crescimento do lugar, foi elevado à vila, graças à influência do Coronel Antônio José Rabelo Campos. O território foi então desmembrado do município de Lavras.
Em 1850 foi criada a comarca de Três Pontas. Contudo, cinco anos depois, a comarca foi suprimida, sendo restaurada em 1873.
Em 3 de julho de 1857 a vila recebeu o título de cidade. Nos anos de 1880 foram construídos os primeiros encanamentos de água da cidade. Existiam dois jornais periódicos na época: "Estrela Mineira" e "Despertador". Dois trespontanos receberam títulos nobiliárquicos por Dom Pedro II: o Tenente Coronel Antônio Ferreira de Brito (Barão da Boa Esperança) e Major Antônio Luís de Azevedo (Barão do Pontal). Em 1889, o Barão da Boa Esperança presidia o Partido Conservador e João Ferreira de Abreu Salgado o Partido Liberal. Nessa fase de transição para a República, foi criada, em fevereiro de 1890, uma Intendência Municipal para governar a cidade. Em 1893 a cidade exercia grande influência na política sul mineira, mas começava a perder espaço e até 1947 praticamente não recebeu nenhuma ajuda do Estado ou do Governo.
ESTA EH A ABANDEIRA DA CIDADE DE TRÊS PONTAS, MINAS GERAIS
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE TRÊS PONTAS, MINAS GERAIS
APAIXONE-SE

Fonte dos textos e fotos: Thymonthy Becker / IBGE / Portal do Governo de Três Pontas / Wikipédia / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem