Pular para o conteúdo principal

PARAGUAÇU, MINAS GERAIS - Aos pés da Serra Matinada com paisagens deslumbrantes, trilhas, cachoeiras e casarões de rara beleza. No setor econômico, o município baseia-se na agropecuária, criação de bovinos, produção de leite e café, com existência de vários estabelecimentos comerciais e industriais com destaque na área têxtil, Metalurgia e Argamassa colante. Sua localização é privilegiada e suas belezas naturais são um atrativo especial para os turistas.




CONHEÇA A CIDADE DE "PARAGUAÇU", MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM

AMANHECENDO E CHEGANDO EM PARAGUAÇU / NA SERRA MATINADA
foto - ?
SE VOCÊ VIER VISITAR PARAGUAÇU, NÃO IRÁ SE ARREPENDER. A CIDADE É PURA TRANQUILIDADE, UM POVO MUITO HOSPITALEIRO E COMUNICATIVO.


VISÃO GERAL DA CIDADE
foto - ?
foto - ?
UMA PACATA RUA DA CIDADE
foto - ?
AQUI, A CIDADE, COM A VISTA DA SERRA DA MATINADA
foto - ?
PARAGUAÇU NUMA VISTA AÉREA
foto - ?
AQUI, O RIO QUE CORTA A CIDADE
foto - ?
PARAGUAÇU , ENCRAVADA NAS MONTANHAS DE MINAS
foto - ?
AQUI, AS MARGENS DE UMA LAGOA.
foto - ?
HAAA. ESTE AVIÃO....
ESTIVE EM PARAGUAÇU TRÊS VEZES. AS TRÊS, PARA FAZER A MEDIÇÃO DA QUALIDADE DO AR NA "PARAGUAÇU TÊXTIL" (QUE POR SINAL, ESTAVAM DENTRO DOS PADRÕES EXIGIDOS POR LEI)
ALMOCEI NUM RESTAURANTE QUE FICA AO LADO DESTE AVIÃO.
COMO DIZIA MEU PAI, "FUI NUM PÉ E VOLTEI NO OUTRO"
NÃO TIVE TEMPO DE CONVERSAR COM AS PESSOAS, SABER UM POUCO DA HISTORIA DE VIDA, DOS MOTIVOS QUE AS LEVARAM ATÉ ENTÃO.
COM O DONO DO RESTAURANTE ATÉ PUDE CONVERSAR UM POUCO. MAS FOI MUITO RÁPIDO E NÃO PUDE SABER DAS HISTÓRIAS DA BELA CIDADE DE PARAGUAÇU.
TODAS AS PESSOAS, TEM UM HISTORIA PARA CONTAR. É MUITO LEGAL PODER OUVIR, PASSAR PARA FRENTE E ENTENDER CADA UM E SEUS MOTIVOS DE VIDA.
NA PARAGUAÇU TÊXTIL, CONVERSEI COM UM FUNCIONÁRIO, QUE TINHA VINDO DE 7 LAGOAS, PARA TRABALHAR ALI. A HISTÓRIA DELE É MUITO LEGAL.
ESTE AVIÃO, O RESTAURANTE, A CIDADE, A PARAGUAÇU TÊXTIL, DEIXARAM SAUDADES.
foto -  Thymonthy Becker
foto - Thymonthy Becker
ESTES CASARÕES, SÃO DE RARA BELEZA E DE UMA ARQUITETURA ÚNICA.
foto - ?
foto - ?
UMA BELA PRAÇA
foto - ?
ESTE É O COLÉGIO "PADRE PICCININI"
foto - ?
ESTE É UM TRADICIONAL COLÉGIO DE PARAGUAÇU
foto - ?
ESTE É O MUSEU MUNICIPAL
foto - ?
ESTE É UM BELÍSSIMO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PARAGUAÇU. FICA NO MEIO DA PRAÇA
foto - ?
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO CARMO
foto - ?
foto - ?
MATRIZ DE NOSSA SENHORA APARECIDA
foto - ?
IGREJINHA LAVA TAPAS
foto - ?
AQUI, O TRADICIONAL CORETO DA PRAÇA
foto - ?
ANTIGA PONTE SOBRE O RIO "SAPUCAÍ"
foto - ?
foto - ?
AQUI, A ZONA RURAL DE PARAGUAÇU
foto - ?
BIQUINHAS
foto - ?
UMA RUA DA CIDADE
foto - ?
AQUI, O VALE DAS PEDRAS
foto - ?
A PRAÇA OSWALDO COSTA, COM A MATRIZ AO FUNDO
foto - ?
PRAÇA OSWALDO COSTA
foto - ?
O HORTO FLORESTAL DE PARAGUAÇU, TEM MUITA BELEZA E UM ÓTIMO LOCAL PARA AS CRIANÇAS DE DIVERTIREM.
foto - ?
foto - ?
foto - ?
foto - ?
foto - ?
VALERÁ A PENA VOCÊ CONHECER ESTA CIDADE QUE FICA NOS PÉS DA SERRA DA MATINADA.
População estimada 2016 (1) - 21.486
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 424,296
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 47,71
Código do Município 3147204
Gentílico - paraguaçuense
ORIGEM DO NOME
Resulta da escolha ou sugestão do senador Gaspar Ferreira Lopes. Paraguaçu é de etimologia tupi-guarani e significa: PARA (rio) e GUAÇU (grande).
Gentílico: paraguaçuense
Histórico
HISTÓRICO:
Os primitivos habitantes dos Sertões de São Sebastião, onde se ergueria o arraial, eram os indígenas da nação "Cataguás", da tribo "Mandibóia", que significa " cobra enrolada, preparada para dar o bote".A chegada dos primeiros moradores ocorreu por volta de 1.790, com a cessão de duas sesmarias. A primeira ao capitão Manoel Luiz Ferreira do Prado e a segunda ao português Agostinho Fernandes de Lima, também conhecido por Agostinho Barata.A primeira casa foi construída na Fazenda Espírito Santo, que tinha produção abundante de cereais, toucinho e rapadura, e pertencia ao capitão Manoel Luiz Ferreira do Prado.Agostinho Ferreira do Prado, que instalou a Fazenda da Mata, possuía fartos recursos e povoou e cultivou suas terras mais rapidamente do que Manoel Ferreira do Prado. As grandes lavouras de cereais, cana de açucar e as pastagens efetivadas na fazenda atraíram grandes levas de colonos. Agostinho Barata adquiriu e fez transportar desde São Paulo, por carroções, o maquinário destinado à instalação de engenhos. Prestou grandes benefícios ao abrir caminhos para os povoados vizinhos: Catanduvas (Varginha). Mutuca (Elói Mendes), Santo Antonio de Machado (Machado) e São José e Dores de Alfenas (Alfenas).Em 1.805, a sesmaria do capitão Manoel Luiz Ferreira do Prado começou a ser retalhada, com cessão e venda de terras para o povoamento do sertão, conforme exigência do Juiz de Sesmaria de São João Del Rei.Por volta de 1.815, a região já era bem povoada. Com a construção de uma capela, em terras doadas por Amaro José do Vale e sua mulher Maria Rosa de São José, nascia o arraial de Nossa Senhora do Carmo.A rua que ligava as sesmarias e a capela não era, na realidade, mais do que uma simples "picada" e, como demorassem a estocá-la, ficou cheia de "tocos" , dando origem ao nome de Arraial de Nossa Senhora do Carmo dos Tocos ou simplesmente Carmo dos Tocos.Algum tempo depois, acampou no povoado um grupo de ciganos e, na partida deles, uma moça do arraial fugiu com o grupo. A família da moça e alguns moradores do lugarejo saíram ao encalço dos ciganos. De emboscada, nos caminhos da Mutuca (Elói Mendes), no local denominado, ainda hoje, de Leva Tapas, atacaram os carroções que transportavam os ciganos, incendiando-os. Dizimaram o grupo, na tragédia que ficou conhecida como A Escaramuça dos Ciganos. Desde então, o arraial passou a denominar-se Arraial de Nossa Senhora do Carmo da Escaramuça dos Ciganos, ou simplesmente: Carmo da Escaramuça.Em 1.840, o povoado de Carmo da Escaramuça foi elevado à categoria de distrito, mantendo o mesmo nome e tendo como pároco o padre Luiz Gomes de Oliveira.Como um dos centros de propaganda republicana, a agitação política foi intensa na localidade, tendo sido realizado, em 1.888, o Primeiro Congresso Regional Republicano do Sul de Minas, ao qual compareceram líderes do movimento, dentre eles: Américo Werneck, Alexandre Stoclker, Leonel Resende, Lúcio de Mendonça. Júlio Bueno, Francisco Bressane, Oliveira Andrade e Padre Calixto.Por volta de 1.885, foi introduzida a cafeicultura que iria se constiituir em uma das maiores riquezas do sul de Minas.Com a emancipação política, em 1.911, a localidade teve grande desenvolvimento, com destaque para as lavouras de cereais, cana de açucar e café.Em 1.917, inauguraram-se os primeiros 25 quilômetros da Estrada de Automóvel Pontalete-Paraguaçu-Machado que, mais tarde, se estenderia até Poços de Caldas.Gradativamente a pecuária também foi ganhando vulto e a instalação de indústrias de grande porte, como a Paraguaçu Têxtil Ltda (ex-Companhia Nacional de Estamparia), além de outras indústrias do setor do vestuário transformaram a realidade econômica do município que têm na atividade industrial (têxteis e vestuário), nos setores de serviços e na agropecuária (produção de café e leite) as principais fontes de emprego e renda do município.
Gentílico: Paraguaçuense.
BANDEIRA DA CIDADE DE PARAGUAÇU, MINAS GERAIS
BRASÃO DO MUNICÍPIO DE PARAGUAÇU, MINAS GERAIS

AQUI, SE DESPEDINDO DA PARAGUAÇU

OBRIGADO PELA VISITA E SEMPRE VOLTE
OBRIGADO PELA VISITA E SEMPRE VOLTE

Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Divulgação / Wikipédia / Governo de Paraguaçu, MG / 

Comentários

Postar um comentário

VALEU POR VIAJAR COM A GENTE

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem