Pular para o conteúdo principal

MINHA VIAGEM PARA O HAVAII, ESTADO UNIDOS DE AMÉRICA - Uma viagem pra ficar na história de minha vida, enquanto minha vida for uma história




MINHA VIAGEM PARA "O'AHU" "HONOLULU" / HAWAII / ESTADOS UNIDOS DE AMÉRICA (Por Thymonthy Becker)

Quem já assistiu alguns dos episódios dos seriados "Lost", Hawaii Five-0, assistiu os filmes "Jurassic Park" ou já ouviu falar de Pearl Harbor, sonha em conhecer o Estado Americano do Hawaii. Se for possível transformar este sonho em realidade, faça-o. O Hawaii eh como um estúdio cinematográfico que foi montado caprichosamente pela natureza em um de seus melhores dias. Eu conheço vários Estados Americanos, mas o Hawaii eu ainda não conhecia. Aproveitando nossa volta ao mundo, colocamos o Hawaii em nosso roteiro. Não por ser um Estado Americano somente, mas porque o Hawaii faz parte da história do planeta, de uma forma ou outra.

A primeira vista, quando você chega na capital Honolulu, tem a impressão que chegou uma cidade próspera como qualquer outra cidade próspera do planeta. Mas só parece. A medida que você se afasta da selva de pedras, você tem certeza que veio ao lugar certo para aventuras inesquecíveis. São tantas opções de turismo, conhecimento, lazer, aventuras que fica difícil decidir o que fazer primeiro. Foi assim com nossa turma. Cada um de nós queria ir a um local diferente primeiro. Eu queria conhecer Pearl Harbor, o Miranda (demos este apelido para nosso amigo devido a ele parecer com um jogador de futebol brasileiro de mesmo nome profissional), queria ir ver de perto as grandes ondas assustadoras com formação tubulares, o Nathan queria conhecer o vulcão Kilauea, que ainda está ativo (deve ser bem fascinante viver este momento) o Rummenig queria ir para Kealakekua Bay para nadar com os golfinhos e o Kaleb, o Nerd da turma, queria visitar uma biblioteca e museu.
No final decidimos (eu votei contra este método, mas fui o único) que a decisão de onde ir primeiro seria dos mais velhos para os mais novos. Então Pearl Harbor ficou para o último dia de nossa passagem pelo Hawaii.

Assim, partimos para conhecer o Kilauea, o vulcão ativo do Hawaii.
Não posso negar, conhecer um vulcão ativo eh algo que te deixa fascinado, imaginando como a natureza eh incrível (eh totalmente crível), e mostra nossa insignificância diante dela. Aproveitamos bem o dia, porque você tem muita coisa por ver, fazer e divertir no Hawaii. No outro dia fomos ver as famosas ondas gigantes. Realmente são assustadoras. Eh preciso muita coragem para surfar nestas ondas, mas tem surfistas que entram nestas formações tubulares que se estivem brincando. Tem mesmo que serem aplaudidos de Pé. No terceiro dia fomos nadar com os Golfinhos. Na verdade, nadar onde os golfinhos ficam nadando de manhã ou no entardecer. Não conseguimos chegar tão cedo, então nadamos com golfinhos ao entardecer. Em Oahu, vistamos Museu, Zoológico, e meus amigos  se inscreveram para saltarem de paraquedas. Claro o instrutor pula junto com o aluno em um único paraquedas. Eu preferi deixar para uma outra visita meu salto de paraquedas. Mas fiquei ouvindo meus amigos falarem da sensação e da emoção que eh saltar de paraquedas. Segundo eles, indescritível. (Mas descreveram bem)


A vida noturna em Oahu eh super agitada. Você tem inúmeras opções de gastronomia, pode curtir uma dança típica ou até participar dela. Meus amigos entraram em uma destas danças e me arrastaram junto com eles. No início achei que estava pagando mico, mas depois fui me envolvendo com a Menina que dançava comigo, ou melhor, estava rodando em minha volta, que me deixei levar. Esta Menina dançava bem demais, se remexia toda e estava o tempo todo sorrindo. Não sei se de mim ou para mim. Mas foi bem legal. dancei do meu jeito sem jeito e acabamos que viramos a atração do local. Acho que as pessoas estavam rindo do mico que eu pagava. No final, a Menina me deu um beijo no rosto que já valeu a pena ter pagado tanto mico. Ela eh linda.

Por fim, fomos visitar Pearl Harbor. Saímos no horário de sempre do hotel e lá fomos nós. Para fazer uma visita completa em Pearl Harbor, talvez um dia não seja suficiente. São vários memoriais e museus. Estão em navios, aviões, submarinos, toda a história da ilha e de Pearl Harbor contadas com elementos que viveram a história deste lugar tão intimamente ligado ao nosso povo. Esta era uma visita que eu precisava e queira muito fazer.
Depois de tantas visitas, voltamos para centro de Honolulu, onde estávamos hospedados. A noite saímos para uma volta pelo centro da cidade, mas nas mediações do hotel mesmo. Estava tudo correndo muito bem. Eh, estava, até aquele momento.


Andando em uma rua central de Honolulu, que estava até calma naquele momento, eu, como sempre, apreciando tudo de interessante, fui atravessando um cruzamento, sendo que meus amigos já estavam do outro lado. Olhei para trás para ver se não vinha nenhum carro da rua lateral. Vinha um carro e dando seta que iria virar onde eu estava passando. Aconteceu que uma Mulher que deveria ter uns 30 anos, vinha em sentido contrário ao meu e também olhava para trás para ver se nenhum carro vinha para virar nesta rua que nós atravessávamos. Creio que deveria estar vindo um carro também. Como eu vi que o carro ia virar, fiz de correr. A mulher que vinha do outro lado, fez a mesma coisa. No que correremos e viramos para frente, batemos nossos rostos um no outro. Parece que a  Mulher vinha com mais impulso e por ser mais baixa que eu, bateu a cabeça no meu queixo que pensei ter deslocado. Não consegui fechar a boca direito porque parecia que o queixo tinha saído do lugar. A mulher então começou a me dar tampas na cabeça dizendo que era para eu prestar atenção por onde andava. Eu tentando fechar a boca, a mulher dando tapas em mim e meus amigos vindo para ver o que estava acontecendo. O trânsito parou no cruzamento até que a gente saísse dali. Meu amigo pegando no meu queixo disse que não tinha deslocado, devia ter saído e voltado pro lugar. A mulher foi embora me xingando e nós voltamos para o hotel. Fiquei com o queixo doendo até de madrugada quando consegui dormir. No outro dia parecia que estava tudo normal, exceto por um pequeno inchaço que ficou em meu queixo, mas não demorou a sumir. Rimos muito de tudo aquilo, depois.


Quando você ouvir alguém dizer que o Hawaii deve ser um pedaço do paraíso, acredite, o Hawaii eh um dos locais mais magníficos da terra. Muito mais que ter valido a pena conhecer o Hawaii foi inesquecível, surpreendente, apaixonante e, como não podia deixar de ser, paguei micos novamente, o que já não era novidade pra mim. Uma viagem pra ficar na história de minha vida, enquanto minha vida for uma história.


Valeu gente. Até a próxima



Fotos = Internet / Divulgação
Texto = Thymonthy Becker

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem