Pular para o conteúdo principal

CAETÉ, MINAS GERAIS - Situada na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a 60 km da capital mineira, a história da cidade de Caeté teve início no ciclo do ouro, guardando importantes episódios. Compondo a paisagem do município, está a Serra da Piedade, importantíssimo marco histórico, religioso, paisagístico e turístico, hoje patrimônio natural do Estado. Cercada pelas serras e densa vegetação, Caeté proporciona um clima aprazível para se viver e para a prática de atividades de ecoturismo e turismo de aventura, tendo grande tradição no arvorismo. Foi citada pela Revista Veja como um dos nove principais destinos do Brasil para a prática de esportes radicais




CONHEÇA A CIDADE DE "CAETÉ", MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
Situada na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a 60 km da capital mineira, a história da cidade de Caeté teve início no ciclo do ouro, guardando importantes episódios, como a guerra civil dos Emboabas, disputa entre paulistas e portugueses que almejavam a posse das minas.
Compondo a paisagem do município, está a Serra da Piedade, importantíssimo marco histórico, religioso, paisagístico e turístico, hoje patrimônio natural do Estado.
Cercada pelas serras e densa vegetação, Caeté proporciona um clima aprazível para se viver e para a prática de atividades de ecoturismo e turismo de aventura, tendo grande tradição no arvorismo.
Foi citada pela Revista Veja como um dos nove principais destinos do Brasil para a prática de esportes radicais. (Instituto Estrada Real)
Região central da cidade de Caeté, MG (pousadinhas.com.br)
A pequena Caeté faz parte do Circuito do Ouro e da Estrada Real. É um destino conhecido pelo turismo religioso e turismo de aventura. Caeté possui atrações de grande valor histórico como igrejas, museus e casarões, além de ser considerada uma das melhores regiões para prática de esportes radicais do país com parques, cachoeiras e montanhas. Confira os pontos turísticos de Caeté!
Confira a seguir as principais atrações e lista de pontos turísticos dessa encantadora cidade de Minas Gerais. (pousadinhas.com.br)
PEDRA BRANCA, DE ONDE SE PODE VER TODA A CIDADE E A SERRA DA PIEDADE, EM ABAETÉ, MG
SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DA PIEDADE EM CAETÉ, MG
O santuário está localizado em outra atração turística da região e Patrimônio Natural do Estado: a Serra da Piedade. A bela ermida leva o nome da Padroeira de Minas Gerais e tem quase 240 anos. Localizada a 16 km da cidade, no topo da serra, mais precisamente a 1.746 metros de altitude, proporciona uma vista de 360º das montanhas e cidades ao redor.
Reinaugurada em 2014 após quase um ano de trabalho de restauração, abriga a escultura de Nossa Senhora da Piedade com Jesus nos braços, obra de Aleijadinho e principal atrativo da capela que leva milhares de fiéis a visitá-la. (pousadinhas.com.br / Pe Miguel Ângelo)
O local possui outras atrações turísticas interessantes como o Calvário, a Cripta São José, a Praça Cardeal Mota, o Observatório Frei Rosário, a Igreja Nova das Romarias, a Via Sacra, a Biblioteca e a Praça Alcides da Rocha Miranda, inaugurada em julho de 2015 com cerca de três mil metros quadrados, parte do projeto de revitalização do santuário.
E não para por aí, tem ainda um restaurante com vista panorâmica incrível sobre a serra, lojinha, cafeteria e a Casa dos Peregrinos Dom Silvério para quem quiser se hospedar. O Santuário fica aberto para visitação durante todos os dias da semana, das 7h às 18h.
Endereço: Alto da Serra da Piedade, s/nº – Caeté – MG.
Telefones: (31) 3651-6335 / 3651-6784 / 3651-4695
Funcionamento: 7h às 18h (pousadinhas.com.br)
IGREJA MATRIZ NOSSA SENHORA DO BOM SUCESSO EM CAETÉ, MG
Considerada uma das mais belas igrejas de Minas e a primeira do estado a ser construída em alvenaria, a Nossa Senhora do Bom Sucesso, padroeira da cidade, está localizada na praça principal de Caeté. Tombada pelo IPHAN, a matriz é um lindo exemplar do estilo barroco, atrativo turístico imperdível pela beleza da arquitetura, esculturas, obras de Aleijadinho, detalhes entalhados e revestidos de ouro nos oito altares e pinturas no teto. Partes do edifício como a fachada e o altar-mor foram projetadas pelo pai de Aleijadinho, Manoel Francisco Lisboa.
Em frente à igreja fica outra atração de valor histórico: o Pelourinho, um marco da fundação da cidade. A construção de 1722 foi o lugar onde os escravos e presos eram castigados.
Endereço: Praça João Pinheiro, s/n – Centro – Caeté – MG.
Telefone: (31) 3651-8213 (pousadinhas.com.br / Luis Macedo)
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO E CEMITÉRIO SECULAR EM CAETÉ, MG
A igreja está localizada no alto de uma colina de onde se tem uma bela vista da cidade. O terreno é todo murado e abriga um cemitério, onde estão os túmulos de João Pinheiro da Silva e Israel Pinheiro da Silva, políticos importantes da época. Apesar de pequena tem grande riqueza com destaque para os altares do arco-cruzeiro, a oratória e as pinturas do Mestre Ataíde.
Endereço: Rua Bonfim, s/nº – Centro.
Telefone: (31) 3651-460 (pousadinhas.com.br / TripAdvisor / momentospelomundo.com)

MUSEU REGIONAL DA CIDADE DE CAETÉ, MG
O museu está instalado em um sobrado do período colonial que pertenceu, entre outros, ao Barão de Cocais. Após uma restauração abriu como museu em 1979 e desde então é um ponto turístico muito visitado. O acervo conta com 315 peças, entre as quais, mobiliários mineiros dos séculos XVIII e XIX, um relógio de pêndulo de três metros de altura, peças de arte popular, símbolos da Paixão de Cristo, carrancas, porcelanas, pinturas. Os objetos estão divididos em dois andares e um pátio externo, onde também acontecem atividades culturais.
Endereço: Rua Israel Pinheiro, 176 – Centro.
Funcionamento: de Terça a Domingo: 12h – 17h.
Mais informações: (31) 3651-2388 (pousadinhas.com.br / conhecendomuseus.com.br)
MUSEU DA CACHAÇA DA CIDADE DE CAETÉ, MG
O acervo do museu conta com mais de oito mil garrafas entre rótulos tradicionais, da década de 30, datas comemorativas. Além de raridades como a Monjopina, a primeira marca de cachaça do país, de 1756. O museu conta a origem e como é a fabricação da bebida. Para visitação é preciso fazer o agendamento.
Endereço: Estrada Fazenda do Ouro Fino – Sítio Vale do Ipê – 5 km.
Funcionamento: Sábado e domingo, das 11h às 18h.
Entrada: somente com agendamento.
Telefone: (31) 3651-8757 (pousadinhas.com.br / Thaynara Rezende / Miguel Pereira)

MUSEU CASA DE JOÃO PINHEIRO E ISRAEL PINHEIRO EM CAETÉ, MG
O museu, fundado pela viúva de Israel, está localizado em um belo casarão do século XVIII pertencente a personalidades da época como o Barão de Cocais e adquirida por João Pinheiro no ano de 1893. Conhecido como Solar do Tinoco abriga o arquivo da família Pinheiro de grande influência política da época, além do arquivo histórico da cidade de Caeté. O acervo conta com fotografias, móveis, documentos, obras de arte. A própria casa branca com portas e janelas azuis cercadas por uma área de Mata Atlântica é atrativo turístico da cidade.
Endereço: Praça Paulo Pinheiro da Silva, 01 – Centro – Caeté/MG.
Telefone: (31) 3651-1024 (pousadinhas.com.br / circuitodoouro.tur.br)
MUSEU FARMÁCIA IDEAL NA CIDADE DE CAETÉ, MG
O pequeno museu fica no interior da Ideal Farmácia e Perfumaria, pertencente à mesma família desde 1918. O proprietário, Sr. Antônio Maria Claret Chagas, mostra com orgulho os objetos usados antigamente como o capsulador para fazer cápsulas, o piluleiro para as pílulas, fogareiro a álcool, a placa em madeira da Pharmacia Ideal e a imagem de Cristo farmacêutico, presente trazido do Museu de Hamburgo, na Alemanha, por um amigo.
Endereço: Av. Vicente C. Borges, 561 – José Brandão – Caeté.
Telefone: (31) 3651-1700(pousadinhas.com.br / TripAdivisor)
CACHOEIRA DE SANTO ANTÔNIO EM CAETÉ, MG
Principal atração turística natural da região, a cachoeira está localizada no distrito de Morro Vermelho a aproximadamente 40 km de Caeté. É ponto turístico também para quem gosta de turismo de aventura e ecoturismo. A piscina que se forma pela queda d’água de cerca de 30 metros entre dois paredões de pedras, tem um tom verde esmeralda convidativo para aquele mergulho sem hora de voltar.
Endereço: Distrito de Morro Vermelho.
Como chegar: 
Via Estrada Pará Fazenda Vargem do Lima são 45 km. A estrada para a cachoeira é de terra com cerca de 10 km. Jipes, motos e bicicletas chegam até o local, mas carros tem que parar a 750 metros da cachoeira.
Telefone: (31) 3651-8053 (pousadinhas.com.br)
CANELA DE EMA ADVENTURE PARK DA CIDADE DE CAETÉ, MG
O parque, cujo nome é devido à linda planta canela-de-ema na cor violeta, está localizado a aproximadamente 65 km de Caeté. É uma atração turística tanto para quem quer relaxar em meio à natureza quanto para os amantes de esportes radicais. Possui diversas atividades como arvorismo, tirolesa, canoagem, rapel, slackline, trekking e até uma escalada na parede rochosa da Serra do Espinhaço que chega a 300 metros de altura. O restaurante do local é de fogão à lenha e decoração rústica com 1.400 m². Veja o clima em Caeté e programe sua viagem para um época propícia a atividades ao ar livre!
Endereço: Estrada Caeté – Barão de Cocais, Km 3.5 – Água Limpa, Caeté – MG.
Telefones:
(31) 3234-0344 ou (31) 9642-2006 (Segunda a Sexta – horário comercial) e
(31) 9662-2006 (Finais de semana e feriados)
Funcionamento: das 9h às 17h. Algumas atividades das 9h às 14h.
Entrada: preços variam conforme o pacote ou a atividade. (posadinhas.com.br)
SERRA DA PIEDADE EM CAETÉ, MG
Uma estrada sinuosa leva até o topo, onde está o santuário (1767/1804). Há duas igrejas, uma delas com imagem de Nossa Senhora da Piedade atribuída a Aleijadinho – o local recebe romeiros entre o dia 15/08 de Nossa Senhora da Piedade e início de setembro.
Horário de funcionamento
Das 7h às 19h.
Endereço: Acesso pela MG-435, 19 km 
Telefone: (31) 3651-8053 (viagemeturismo.abril.com.br / blog do JB)

(Paulo Yuji Takarada)
(Luís Macedo)
(Luís Macedo)

(Luís Macedo)
(Prefeitura Municipal)
Aposto que você não sabia que Caeté possui tanto encantos, não é mesmo? Agora faça a reserva em uma pousada e parta para conhecer esta maravilha do interior de Minas! (pousadinhas.com.br)
Aqui o Distrito de Morro Vermelho em Caeté, MG (viagemeturismo.abril.com.br)
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE CAETÉ, MINAS GERAIS
TRADICIONAL CORETO DA PRAÇA (Paulo Yuji Takarada)
SEDE DO PODER LEGISLATIVO - CÂMARA DE VEREADORES DA CIDADE DE CAETÉ, MG (Luís Macedo)
CHAFARIZ EM CAETÉ, MG (Paulo Yuji Takarada / Luís Macedo)

SOLAR DO TINOCO  EM CAETÉ, MG (Luís Macedo)
SEDE DO PODER EXECUTIVO - PREFEITURA MUNICIPAL DE CAETÉ, MG (Luís Macedo)
PREFEITURA E CASARÃO EM CAETÉ, MG (Paulo Yuji Takarada)
PELOURINHO DA CIDADE DE CAETÉ, MG (Luís Macedo)
MATRIZ DE NOSSA SENHORA DO BONSUCESSO, SEU INTERIOR E NO CONTEXTO DA PRAÇA EM CAETÉ, MG (Paulo Yuji Takarada)


IGREJA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO E SEU INTERIOR EM CAETÉ, MG (Luís Macedo)

IGREJA DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS EM CAETÉ, MG (Luís Macedo)
IGREJA DE SANTA FRUTUOSA EM CAETÉ, MG (Luís Macedo)
IGREJA DE SÃO FRANCISCO NA CIDADE DE CAETÉ, MG (Luís Macedo)
VISÃO GERAL DA CIDADE DE CAETÉ, MG (Luís Macedo)
Rua da cidade de Caeté, MG (Luís Macedo)
Martriz da cidade de Caeté, MG (Prefeitura Municipal)
Rua da cidade de Caeté, MG (Luís Macedo)
Vista parcial da cidade de Caeté, MG (Wikipédia)
Rua central da cidade de Caeté, MG (Luís Macedo)
Praça da cidade de Caeté, MG (Paulo Yuji Takarada)
Rua de Caeté, MG (Luís Macedo)
Região central de Caeté, MG (Luís Macedo)
Rua da igreja em Caeté, MG (Luís Macedo)
Rua da cidade de Caeté, MG (Luís Macedo)
Vista da Serra da Piedade Em caeté, MG (Luís Macedo)
ANTIGA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE CAETÉ, MG (Luís Macedo)
IGREJA DE SANTO ANTÔNIO NO DISTRITO DE ANTÔNIO DOS SANTOS EM CAETÉ, MG (Luís Macedo)
DADOS GERAIS DA CIDADE DE CAETÉ, MINAS GERAIS 
Código do Município - 3110004
Gentílico - Caeteense
Prefeito 2017 / LUCAS COELHO FERREIRA
População estimada [2016] - 44.066 pessoas 
População no último censo [2010] - 40.750 pessoas 
Densidade demográfica [2010] - 75,11 hab/km²
O município tinha 40750 habitantes no último Censo. Isso coloca o município na posição 79 dentre 853 do mesmo estado. Em comparação com outros municípios do Brasil, fica na posição 742 dentre 5570
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2014] - 2 salários mínimos 
Pessoal ocupado [2014] - 6.482 pessoas 
População ocupada [2014] - 14,9 % 
Área da unidade territorial [2016] - 542,531 km² 
Esgotamento sanitário adequado [2010] - 83,3 % 
Arborização de vias públicas [2010] -55,9 % 
Urbanização de vias públicas [2010] - 16,3 %
POSIÇÃO GEOGRÁFICA DA CIDADE DE CAETÉ NO ESTADO DAS MINAS GERAIS
HISTÓRICO DO MUNICÍPIO DE CAETÉ, MG
Aspectos Históricos 
AS PRIMEIRAS entradas que desbravaram o planalto mineiro se realizaram no início do século XVII destacando-se a de André de Leão, as nascentes do rio São Francisco (1601-1602), e a de Nicolau Barreto a bacia do rio das Velhas (1602). A primeira a devassar a região de Caeté teria sido a de Lourenço Caetano Taques, como o indica a Carta Régia datada de 23 de março de 1664, ao louvar Taques pelos serviços prestados na descoberta das 'Minas de Cataguás' e dos 'Sertões de Caeté'. Deve-se fixar o ano de 1663, ou talvez o de 1662, como o da penetração de Taques na região caetèense. 
A Taques, sucedeu na exploração do sertão de Caeté, Antônio Rodrigues Arzão, que conseguiu extrair de seu solo apreciável quantidade de ouro e que, ao abandonar a região, Iegou a um cunhado, Bartolomeu Bueno, os seus descobertos. 
Estas entradas foram precursoras das bandeiras, expedições que completaram o desbravamento de toda região planaltina mineira, deixando sua marca não só em suas linhas de penetração, mais tarde transformadas em caminhos e estradas, como ainda no estabelecimento de pousos, origem, muitas vezes. de futuros núcleos de população. A mais importante para a região planaltina mineira, foi a de Fernão Dias Pais - o caçador de esmeraldas - que esquadrinhou os sertões durante sete anos (1674-1681), abriu inúmeros caminhos e a primeira ligação sul-norte entre São Paulo e a Bahia, antes de falecer as margens do rio das Velhas, em 1681. A exploração da zona deste rio e do Caeté - encosta ocidental do Espinhaço - iniciou-se quando Manuel de Borba Gato fundou, no sertão de Saburuçu, um arraial que daria origem a futura Vila (Real de Nossa Senhora da Conceição) de Sabará. 
A primeira bandeira a pisar o solo do atual Município teria sido a do paulista Leonardo Nardez (1701), que é citado pelo naturalista, geólogo e engenheiro de minas, Guilherme von Eschwege, em sua obra 'Pluto Brasiliensis', como 'descobridor de Caeté'. Também o historiador Rodolfo Jaco; diz: 'subindo pelo rio Sabará ao longo da serra alcantilada e depois por um dos seus galhos, Nardez e seus companheiros encontrando boa pista, vieram pousar entre colinas plácidas a margem de um ribeirão, cuja fonte próxima depararam a boca da mata espessa (Caeté), que orlava então a encosta da serra divisória do rio Doce. Daí, o nome dado ao regato pelos índios ou pelos próprios invasores e, por estes, depois ao pequeno arraial que levantaram.' 
Não tardou muito que a descoberta de ouro em Caeté se fizesse conhecida em toda Colônia e atraísse levas de paulistas e forasteiros do litoral brasileiro e do Reino, vindos sobretudo da Bahia pelo rio São Francisco, ficando o arraial já em 1704 muito povoado. Entre os seus primeiros povoadores, citam-se Frei Simão de Santa Teresa, que deu início, em 1704, a construção da igreja do Rosário; e Manuel Nunes Viana, estabelecido no sopé da serra da Piedade, onde extraiu 50 arrobas de ouro, riqueza igual a que Borba Gato acumulara em Sabarabuçu (Sabará). O reinol, Nunes Vieira, foi propagador da Chamada 'guerra dos emboabas' no arraial de Caeté, chegando em 1708 a guindar-se a liderança do movimento e proclamar-se 'ditador supremo das Minas'. O regime rebelde só teve fim em 1709. 
Pacificada as Minas Gerais, Caeté evoluiu rapidamente, sendo elevada a Vila Nova da Rainha do Caeté em 1714. 
Ainda repercutiam as solenidades da instalação da nova Vila, quando o povo do Morro Vermelho e da Vila se rebelou, em 1715, contra a cobrança do quinto do ouro por bateia , recomendada em tres cartas régias de novembro de 1714, processo fiscal vexatório que irritou o povo oprimido. 
Sufocado o levante do Môrro Vermelho, a Vila Nova da Rainha caiu em sensível desânimo, em parte devido às usurpações da Metrópole, mas principalmente em decorrência da exaustação dos aviões auríferos. Em 1833, em conseqüência de sua participação na revolta militar de Ouro Preto, Caeté teve seus foros de vila suprimidos, só restaurados em 1840, com a denominação de Caeté. 
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE CAETÉ, MINAS GERAIS
ESTE EH O BRASÃO DA CIDADE DE CAETÉ, MINAS GERAIS

VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE



Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / viagemeturismo.abril.com.br / Wikipédia / Instituto Estrada real / pousadinhas.com.br / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem