Pular para o conteúdo principal

VITÓRIA DA CONQUISTA, BAHIA - A cidade natal do Cineasta Glauber Rocha oferece muitas opções de turismo e lazer para quem deseja aproveitar e conhecer um dos mais importantes municípios baianos. A cidade oferece como atrações turísticas o Cristo Crucificado da Serra do Peripiri, de Mário Cravo, executada entre os anos de 1980 e 1983, com as feições do homem sertanejo, sofrido e esfomeado, medindo 15 metros de altura por 12 de largura, a Reserva Florestal do Poço Escuro e o Parque municipal da Serra do Periperi, onde se encontra a espécie endêmica Melocactus conoideus além de eventos como São João da cidade e o Festival de Inverno da Bahia, evento de inverno oficial da Rede Bahia, afiliada da Rede Globo de Televisão na Bahia, que é transmitida para o Brasil inteiro pelo canal pago da Globosat, Multishow.




CONHEÇA A CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BAHIA, BRASIL - COMO SE ESTIVESSE NA JANELA DO TREM
A cidade oferece como atrações turísticas o Cristo Crucificado da Serra do Peripiri, de Mário Cravo, executada entre os anos de 1980 e 1983, com as feições do homem sertanejo, sofrido e esfomeado, medindo 15 metros de altura por 12 de largura, a Reserva Florestal do Poço Escuro e o Parque municipal da Serra do Periperi, onde se encontra a espécie endêmica Melocactus conoideus além de eventos como São João da cidade e o Festival de Inverno da Bahia, evento de inverno oficial da Rede Bahia, afiliada da Rede Globo de Televisão na Bahia, que é transmitida para o Brasil inteiro pelo canal pago da Globosat, Multishow. (Wikipédia)
CATEDRAL DE NOSSA SENHORA DAS VITÓRIAS DA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BAHIA
Foto - ?
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BAHIA
Foto - Jair Prandi



Foto - Jair Prandi
Foto - Jair Prandi
Foto - Jair Prandi
Foto - Jair Prandi
Foto - Jair Prandi
Foto - Jair Prandi
Foto - Jair Prandi
Foto - Jair Prandi
Foto - Jair Prandi
MONUMENTOS NA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BAHIA
Foto - ?
MONUMENTO À BÍBLIA NA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
Edificado na Praça Vitor Brito, em 1984, a partir da iniciativa da Associação Evangélica Conquistense. É formado por três pilares que simbolizam a Santíssima Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo. Foi reformado em 2005.
Foto - PMVC
MONUMENTO AOS DEZ MANDAMENTOS NA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
Localizado na praça Estevão Santos, foi construído em 1982 pela Igreja Adventista do Sétimo Dia. A intenção é contrastar a Lei de Deus com a Lei dos Homens, já que o monumento foi erguido em frente ao Fórum João Mangabeira.
Foto - PMVC
MONUMENTOS AOS BANDEIRANTES NA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
Feito em marmorite, o monumento foi construído na gestão de Régis Pacheco (1938-1945) e inaugurado em 13 de novembro de 1940. Faz uma homenagem aos primeiros sertanistas da região, especialmente a João Guimarães Costa e José Gonçalves da Costa, portugueses responsáveis pela fundação da vila. Seu nome oficial é Monumento aos Fundadores da Cidade.
Foto - PMVC
MONUMENTO AO ÍNDIO NA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
Localizado na praça Caixeiros Viajantes, o Monumento ao Índio foi inaugurado em 5 de junho de 2000. Presta uma homenagem aos povos indígenas, especialmente aqueles que habitaram a região de Vitória da Conquista e que foram dizimados pelos colonizadores. Trazendo um elemento típico do cotidiano indígena – a flecha –, o objetivo é lembrar a riqueza histórica, cultural e humana dos índios.
Foi idealizado pelo artista plástico Edmilson Santana.
Foto - PMVC
MONUMENTO A GETÚLIO VARGAS NA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
O monumento a Getúlio Vargas foi erguido na Serra do Marçal, à margem da Rodovia Ilhéus – Lapa, a 18 km da zona urbana de Vitória da Conquista. Marca a inauguração desse trecho da rodovia, realizada no dia 31 de agosto de 1950. A solenidade contou com a participação do então presidente Getúlio Vargas Além do busto de Vargas, o monumento tem a expressão “O verdadeiro sentido da brasilidade é a marcha para o oeste”.
Foto - PMVC
MONUMENTO AOS EX- PRACINHAS DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL NA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
Inaugurado em 1992, na praça Sá Barreto, em frente ao Tiro de Guerra, o monumento presta uma homenagem aos ex-combatentes da Segunda Guerra Mundial, especialmente aos conquistenses que foram convocados ou se apresentaram voluntariamente para participar do conflito.
Foi idealizado pelo escultor Cajaíba.
Foto - PMVC
MONUMENTO AOS MORTOS E DESAPARECIDOS POLÍTICOS DA BAHIA EM VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
O Monumento aos Mortos e Desaparecidos Políticos da Bahia foi edificado na praça Tancredo Neves e inaugurado em 9 de julho de 1998, por iniciativa do Grupo Labor – Assessoria, Documentação e Pesquisa. O monumento presta homenagem àqueles que foram submetidos aos horrores da Ditadura Militar, instalada no Brasil em 1964. Traz uma figura humana vazada, dando o sentido de ausência. A arte é dos conquistenses Romeu Ferreira e Ana Palmira Cassimiro. 
Foto - PMVC
MONUMENTO AOS IMIGRANTES DA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
O Monumento aos Imigrantes foi erguido na praça Mármore Neto. É formado por uma grande estátua de concreto com armadura em ferro, tendo do lado esquerdo, na altura do coração, o mapa de Vitória da Conquista. O monumento presta uma homenagem a todas as pessoas que não nasceram em Conquista, mas que adotaram a cidade. Também representa o agradecimento do povo conquistense àqueles que vieram de outros lugares e ajudaram a desenvolver o Município. Foi construído na gestão Murilo Mármore. O nome oficial é Monumento aos Chegantes.
Foto - PMVC
TURISMO NA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BAHIA 
Para aproveitar bem a sua visita à terceira maior cidade da Bahia, listamos os principais pontos turísticos de Vitória da Conquista. 
Localizada no sudoeste baiano, a cidade do cineasta Glauber Rocha oferece opções de lazer para quem deseja aproveitar e conhecer um dos mais importantes municípios baianos. 
Foto - Jair Prandi
FESTIVAL DE INVERNO NA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
O Festival de Inverno Bahia acontece no Parque de Exposições Teopompo de Almeida, em Vitória da Conquista, e é considerado o maior evento musical do interior do Nordeste. 
A festa está no calendário cultural da cidade e chega à 12ª edição com mais de 230 shows realizados pelos principais artistas brasileiros e mais de 180 horas de música. 
Foto - ?
MONUMENTO AO CRISTO CRUCIFICADO DA SERRA DO PERIPERI EM VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
Entre as opções da cidade está o monumento do Cristo Crucificado da Serra do Periperi. Inaugurado em 1980, a imagem de Cristo com feições nordestinas foi esculpida por Mário Cravo. O monumento é um dos principais pontos turísticos da cidade e fica localizado no alto da serra do Periperi. 
Foto - G1.com
Foto - ?
MUSEU REGIONAL DA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
Para quem quiser conhecer a história da cidade, no Museu Regional de Vitória da Conquista, localizado na Praça Tancredo Neves, no Centro, é possível encontrar informações e arquivos sobre toda a história da cidade baiana. O local fica aberto de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h, e aos domingos, das 14h às 17h. 
Foto - ?
MEMORIAL CASA RÉGIS PACHECO EM VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
Também localizado na Praça Tancredo Neves. O espaço fica aberto diariamente, de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 15h às 20h. No casarão, considerado patrimônio arquitetônico da cidade, é possível encontrar a história política da cidade de Vitória da Conquista, além do legado cultural do município. 
Foto - G1.com
Foto - ?
RESERVA FLORESTAL DO POÇO ESCURO / PARQUE DA SERRA DO PERIPERI NA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
Onde se encontra a espécie endêmica Melocactus conoideus 
O "Poço Escuro", uma reserva florestal sob administração do poder público, com diversas trilhas e flora e fauna preservadas. Na Serra do Peripiri nasce o Rio Peripiri em torno do qual João Gonçalves da Costa fundou a Arraial da Conquista, em 1783. 
O Rio Peripiri também é conhecido como, Riacho da Vitória, Córrego do Poço Escuro, Rio Berruga e Rio "Verruga", em referencia ao Arraial da Verruga, atualmente Itambé, onde fica a sua foz no Rio Pardo. 
Foto - ?
O Caminho de Santiago do Piripiri é um caminho localizado na Serra do Peripiri, inicia no Ibc-Capinal e finaliza no Poço Escuro, foi implantado pelos Peregrinos do Caminho de Santiago de Compostela, a Abacs, e representando um dia andando neste caminho na Espanha. (Wikipédia)
Foto - ?
Foto - ?
Foto - ?
JARDIM BURLE MARX NA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
Burle Marx esteve em 1965 em Vitória da Conquista pesquisando a flora do Sertão da Ressaca, comemorando os 100 Anos de Burle Marx no Brasil e 44 Anos em Vitória da Conquista, foi implantado o Jardim Burle Marx, próximo à UESB.
Foto - ?
ESPORTE / FUTEBOL EM VITÓRIA DA CONQUISTA, BA
O futebol é o principal esporte praticado na cidade, que possui dois clubes profissionais: o Serrano e o Vitória da Conquista, que mandam os seus jogos no Estádio Lomanto Júnior, mas que é apelidado pelos torcedores/imprensa como Lomantão. 
As corridas de kart, o ciclismo e o caratê são modalidades de esportes muito praticadas na cidade.
Foto - ?
População estimada 2016 (1) - 346.069
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 3.704,018
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 91,41
Código do Município  2933307
Gentílico - conquistense
Prefeito 2017 / HERZEM GUSMÃO PEREIRA
ORIGEM DO NOME DA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA
O topônimo da cidade se deve pelo fato de numa madrugada posterior a uma dia intenso de luta, diante da fraqueza de seus homens, João Gonçalves teria prometido a Nossa Senhora das Vitórias construir uma igreja naquele local, caso saíssem dali vencedores. 
Essa promessa foi um estimulante aos soldados que, revigorados, conseguiram cercar e aniquilar o grupo indígena. 
Dai o nome VITÓRIA em homenagem a Nossa Senhora da Vitória e CONQUISTA pelo fato de terem vencido a batalha

Gentílico: conquistense
HISTÓRICO DA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BAHIA
O território onde hoje está localizado o município de Vitória da Conquista foi habitado pelos povos indígenas Mongoyó, Ymboré e Pataxó. Os aldeamentos se espalhavam por uma extensa faixa, conhecida como Sertão da Ressaca*, que vai das margens do Rio Pardo até o Rio das Contas.
A vinda dos colonizadores portugueses e mestiços à região de Vitória da Conquista está ligada à exploração de metais preciosos, principalmente ouro, e à política de ocupação do território. Um dos responsáveis pelo desbravamento do Sertão da Ressaca foi o bandeirante João Gonçalves da Costa, português nascido na cidade de Chaves, provavelmente em 1720. Ele ficou conhecido como um conquistador violento e dizimador de aldeias indígenas.
João Gonçalves da Costa chegou ao território onde hoje está Vitória da Conquista depois do esgotamento das minas de ouro de Rio de Contas e das Gerais. Ele procurava novos pontos de exploração mineral. Embora não tenha encontrado ouro por aqui, ele acabou ocupando a região e fundando o Arraial da Conquista.
Há um elemento importante sobre João Gonçalves. Segundo os registros históricos, ele era um “preto forro”, ou seja, um ex-escravo. A ascensão política de pessoas como João Gonçalves da Costa dava-se por meio de sua coragem e de sua fidelidade à Coroa Portuguesa. A filiação ao terço Henrique Dias, espécie de irmandade, afirmou sua condição de livre. Em troca, ele agia em nome de Deus e da Coroa, desbravando terras e garantindo a ocupação do território.
A ocupação do Sertão da Ressaca foi realizada às custas da derrota dos povos indígenas.
Em 1752, ocorreu a batalha que entrou para a história de Vitória da Conquista como uma das mais importantes. Sabe-se que naquele ano, aconteceu uma fatídica luta entre os soldados de João Gonçalves da Costa e os índios. Os soldados, já fatigados, buscavam forças para continuar o confronto. Na madrugada posterior a uma dia intenso de luta, diante da fraqueza de seus homens, João Gonçalves teria prometido a Nossa Senhora das Vitórias construir uma igreja naquele local, caso saíssem dali vencedores.
Essa promessa foi um estimulante aos soldados que, revigorados, conseguiram cercar e aniquilar o grupo indígena que caiu, no alto da colina, onde foi erguida a antiga igreja, demolida em 1932. Não se sabe ao certo se essa promessa foi realmente feita, mas essa história tem passado de geração em geração.
O enfrentamento se prolongou até o século XIX. Além dos confrontos diretos, os portugueses utilizaram estratégias como o oferecimento de roupas infectadas com varíola aos índios e até um embriagamento coletivo. A História nos relata que no período de 1803 e 1806, quando a luta foi intensa, foi realizado o “Banquete da Morte”. Os Mongoyó foram chamados a festejar uma suposta trégua e, depois de consumirem bebida alcoólica, foram cercados por soldados, que mataram quase todos os presentes, inclusive mulheres e crianças. O povo Mongoyó sucumbiu.
No final do século XVIII, o Arraial da Conquista se resumia a uma igreja e algumas dezenas de casas. Nesse tempo, ainda existiam matas densas com fauna e flora bastante ricas.
A paisagem começou a mudar com a chegada dos primeiros rebanhos bovinos. As matas foram derrubadas para dar lugar aos pastos. O Arraial virou passagem para o gado trazido pelos tropeiros de Minas Gerais que iam em direção ao litoral.
O próprio João Gonçalves da Costa, fundador do Arraial, tornou-se proprietário de gado. A família Gonçalves da Costa foi a mais rica produtora de leite e carne da região durante mais de um século.
A cidade foi crescendo lentamente. As primeiras ruas mantendo-se próximas ao leito do Rio Verruga. Em 1780, havia cerca de 60 casas no Arraial. Já em 1840, ano em que o Arraial foi elevado à condição de Vila Imperial da Vitória, distrito da Vila de Caetité, esse número já havia se multiplicado. Além dos colonizadores e seus descendentes e dos negros, a Vila recebeu sertanejos e litorâneos.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BAHIA

ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DA CONQUISTA, BA

OBRIGADO POR VIAJAR COM A GENTE


Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Governo de Vitória da Conquista, BA / Wikipédia / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem