segunda-feira, 13 de março de 2017

SANTA CATARINA, BRASIL - Com as praias de águas verde-esmeralda e mais agitadas do verão brasileiro, fazem do estado de Santa Catarina um paraíso para mergulhadores




CONHEÇA O ESTADO DE "SANTA CATARINA", BRASIL
Foto - Wikipédia
O Estado de Santa Catarina está localizado na região Sul do Brasil e sua população passa dos 6 milhões de habitantes. Com uma área de 95 mil quilômetros quadrados, é o 20º estado em extensão territorial. Santa Catarina faz divisa com o Paraná e o Rio Grande do Sul, fronteira com a Argentina e tem 450 quilômetros de costa oceânica no Atlântico.
Sua capital e sede de governo é a cidade de Florianópolis, localizada na Ilha de Santa Catarina. Inteiramente ao sul do trópico de Capricórnio, localizado na zona temperada meridional do planeta, o Estado possui clima subtropical. Em termos históricos, sua colonização é principalmente de imigrantes europeus: os portugueses açorianos colonizaram o litoral no século XVIII; os alemães colonizaram o Vale do Itajaí, parte da região Sul e o Norte catarinense em meados do século XIX; e os italianos colonizaram o Sul do Estado no final do mesmo século. O oeste catarinense foi colonizado por gaúchos de origem italiana e alemã na primeira metade do século XX.
Farol de Santa Marta, uma das atrações da cidade histórica de Laguna, no litoral catarinense (Joel Colman/Wikimedia commons)
Por do sol na Lagoa do Imaruí, na divisa dos municípios de Laguna, Imaruí e Pescaria Brava (Felipe Valduga/Flickr/creative commons)
Em Florianópolis (SC), o turista pode optar pelas areias badaladas e urbanizadas na orla norte ou se entregar às sossegadas e selvagens praias do sul; umas com ondas violentas, outras de águas calmas, longos trechos de areia e pequenos paraísos escondidos (Governo do Estado de Santa Catarina/ Divulgação)
Em Blumenau (SC) a herança da imigração alemã é visível nas construções, nas festas típicas e no apreço dos moradores pela culinária e por uma boa cerveja (Rossana Gobbi)
Uma Área de Proteção Ambiental (APA) foi criada para a proteção das baleias-francas em Santa Catarina. Os cetáceos visitam o litoral catarinense para parir e alimentar seus filhotes entre julho e novembro, período em que é possível acompanha-las em um passeio de barco, saindo de Imbituba (SC) ou Garopaba (SC). O Projeto Baleia-Franca orienta os visitantes sobre os melhores pontos de observação (Governo do Estado de Santa Catarina/ Divulgação)
Os índices sociais estão entre os melhores do país. Santa Catarina é o sexto estado mais rico da Federação, com uma economia diversificada e industrializada. Importante polo exportador e consumidor, o Estado é um dos responsáveis pela expansão econômica nacional, respondendo por 4% do produto interno bruto do país.
Nos 500 quilômetros do litoral catarinense encontram-se talvez as praias mais agitadas no verão brasileiro. Das águas cor verde-esmeralda que fazem de Bombinhas, no norte do estado, um paraíso para mergulhadores à Praia do Rosa e a Guarda do Embaú, reduto de surfistas no sul, a estação é marcada pelos congestionamentos provocados por carros com placas de estados vizinhos e, sim, ainda hoje, vindos também da Argentina. Se Balneário Camboriú ostenta um perfil mais democrático, acolhendo de baladeiros à terceira idade, na capital, Florianópolis, está Jurerê Internacional, uma Miami Beach repleta de mansões e lounges à beira-mar, em que uma garrafa de vinho espumante pode custar quatro dígitos. Sossego? Bem, só mesmo nas suítes de resorts como Costão do Santinho (em Floripa) e Ponta dos Ganchos (em Governador Celso Ramos). Joinville, a primeira, e Blumenau, a terceira cidades mais populosas do estado, são os polos do chamado Vale Europeu, região de colonização alemã e italiana, recentemente descoberto também para o turismo de aventura. Com ponto de partida em Timbó e passagem por nove municípios, ali está o primeiro roteiro de cicloturismo do Brasil. A tranquila Blumenau se transforma numa pequena Munique a cada mês de outubro durante a Oktoberfest, segunda maior festa da cerveja no mundo, atrás apenas da original, na Bavária. Em busca de neve, que tem aparição bissexta, turistas invadem, no inverno, cidadezinhas como São Joaquim e Urubici, na Serra Catarinense, onde, em junho de 1996, foi registrada a temperatura mais baixa do país: 17,8 graus negativos.
A Serra do Rio do Rastro, em Bom Jardim da Serra (SC) possui paisagens de tirar o fôlego. Pode ser explorada em cavalgadas ou de carro, com parada nos mirantes da região (Divulgação)
O Museu Nacional do Mar recapitula a história das navegações desde a antiguidade e presta homenagem à tradição naval brasileira. Com mais de 80 barcos brasileiros e mais de 280 miniaturas de embarcações é uma das principais atrações de São Francisco do Sul (SC) (Ricardo Freire)
Os surfistas que vinham para a Praia da Guarda do Embaú (SC) no passado casaram, tiveram filhos e, assim, mudaram o perfil da praia – que agora tem um ar mais família. Para chegar à praia é preciso cruzar o Rio da Madre, que corre paralelo a costa até se jogar no mar. Dependendo da época do ano e do horário, o nível de água do rio sobe e a “carona” com os barqueiros é a única opção para os banhistas com cadeiras e guarda-sóis atravessá-lo (Ricardo Freire)
A Praia de Jurerê é marcada por extremos divididos por uma linha imaginária. Do lado direito prevalece um clima mais família, com hotéis, pousadas e casa de veraneio. Do lado esquerdo, Jurerê vira internacional, e concentra as mansões milionárias, os carros importados e os beach lounges descolados de Florianópolis (SC) (Edu Lyra)
O Festival de Dança de Joinville (SC) é o maior do mundo. Atrai mais de 200 mil pessoas, que chegam para acompanhar os cerca de 6,5 mil bailarinos, profissionais e amadores, que se apresentam na cidade a partir da segunda quinzena de julho (Governo do Estado de Santa Catarina/ Divulgação)
Com 8 km de extensão, a Praia Central de Balneário Camburiú (SC) é ótima para passear, pedalar ou correr no calçadão. A Avenida Atlântica, que contorna toda a orla, é cheia de bares e restaurantes. Mas cuidado, o mar, de águas turvas e tranquilas, tem trechos impróprios para banho e, a partir das 14h, a areia é tomada pela sombra dos edifícios (Governo do Estado de Santa Catarina/ Divulgação)
A Praia do Rosa, em Imbituba (SC), tem de tudo: de restaurantes estrelados a pousada de charme, de jovens surfistas a casais. (Governo do Estado de Santa Catarina/ Divulgação)
Serra catarinense nos arredores de São Joaquim (SC) (Divulgação)
São Francisco do Sul (SC) é uma das vilas mais antigas do Brasil. O casario colonial, à beira da Baía de Babitonga, é um dos últimos núcleos açorianos no país (Governo do Estado de Santa Catarina/ Divulgação)
UM ESTADO PARA TODOS OS TURISTAS
No verão, os 500 quilômetros de praias, emoldurados por lagoas e a exuberante Mata Atlântica recebem visitantes do mundo todo. No inverno, a Serra é o destino de quem busca um retiro para aproveitar o frio. Há, ainda, opções como o Vale Europeu e o Caminho dos Príncipes, que resgatam as tradições dos primeiros imigrantes do Estado, e rios e montanhas onde os mais corajosos podem se aventurar em esportes radicais. E, também, o Parque Beto Carrero World, o maior parque temático da América Latina.
Opções como estas fazem o turismo catarinense ser reconhecido nacional e internacionalmente. Em 2012, Santa Catarina foi escolhido, pela sexta vez consecutiva, como o melhor Estado do Brasil para fazer turismo na premiação "O Melhor de Viagem 2012/2013", promovida por votação popular entre os leitores da revista Viagem & Turismo, da Editora Abril.
Rodeado por uma paisagem exuberante, Urubici (SC) é um destino charmoso entre as cidades mais frias do país (Juan Rivas Beasley/ Divulgação)
O frio é a grande atração de São Joaquim (SC). As temperaturas negativas no inverno podem trazer neve, fazendo a alegria dos turistas (Divulgação)
Extensa, com areia branca e firme, dunas ao fundo e mar de ondas fortes, a Praia do Santinho, em Floripa (SC) é um ótimo lugar para caminhadas e para a prática de sandboard (Divulgação)
Cartão-postal de Florianópolis (SC), a Ponte Hercílio Luz ainda é uma das atrações mais fotografadas da capital do estado de Santa Catarina (Divulgação)
A Capital Florianópolis é hoje um dos principais destinos turísticos do Brasil, com opções de praias tanto para quem gosta da agitação da vida moderna quanto para aqueles que buscam a tranquilidade de comunidades do interior. No Vale do Itajaí, cidades como Blumenau, Brusque e Pomerode preservam a cultura e as tradições dos imigrantes que colonizaram a região. É no Vale, também, que se concentram os principais eventos do Circuito de Festas de Outubro, liderado pela Oktoberfest, de Blumenau. Em Joinville, o Caminho dos Príncipes é outro roteiro que oferece um resgate dos costumes dos primeiros imigrantes.
Santa Catarina também é uma boa opção para quem gosta de adrenalina e do contato com a natureza. A diversidade geográfica do Estado, aliada a uma cobertura vegetal rica e preservada, garante aos adeptos do ecoturismo opções como mergulho, voo-livre, trekking, montanhismo, canoagem e rapel. Essa diversidade de cenários faz com que o turismo responda atualmente por 12,5% do PIB catarinense.
Para saber mais sobre turismo em Santa Catarina, visite o site da Santur. O telefone de contato da Santur é (48) 3212-6346.
O isolamento da Praia da Galheta a transformou no lugar favorito dos naturistas - mas não é preciso tirar a roupa para frequentar um dos pedaços mais preservados de Florianópolis (SC) (Guilherme Andrade)

Surfista na Praia Mole, em Florianópolis (SC) (Guilherme Andrade)
Devido à sua condição geográfica privilegiada, Floripa (SC) desponta como o paraíso de receitas com tainha, camarão e ostra (Fernando Vargas)
Balada na Boate Pacha, Florianópolis (SC) (Edu Lyra)
O estado de Santa Catarina possui um território cheio de contrastes: as serras se contrapõem ao litoral de belas praias, baías, enseadas e dezenas de ilhas; na arquitetura, vários municípios mantêm as construções típicas da época da colonização; enquanto a capital, Florianópolis, é uma cidade de edificações modernas e sofisticadas, marcada pela forte presença dos jovens, dos esportes náuticos e dos campeonatos de surfe. Dentre as praias podemos destacar Bombinhas, que é considerada a capital do mergulho brasileira, e Balneário Camboriú, uma das praias mais populares. 
Hoje, conhecer o estado de Santa Catarina é uma oportunidade de conhecer uma peculiar combinação de nacionalidades, que se reflete não apenas na cultura, mas também no patrimônio histórico. Ademais, existem no estado outros grandes atrativos, como as altas temperaturas do verão, que atraem inúmeros visitantes para suas lindas praias, espalhadas por destinos como Balneário Camboriú, Bombinhas, Itapema, Garopaba, Joaquina, Praia Mole e praia da vila em Imbituba onde acontece etapa do mais importante campeonato de surf do mundo, o WCT; e o rigoroso frio do inverno da Serra Catarinense com fortes geadas – às vezes acompanhado pela neve –, garantindo aconchegantes e românticos roteiros. Os mais visitados da serra são Lages e São Joaquim. Faça frio ou faça sol, existem incontáveis opções de passeios para o ano inteiro. 
Chegar a mais bela praia de Florianópolis (SC) demanda esforço. Trilhas longas com subidas íngremes precisam ser encaradas para chegar à Lagoinha do Leste (Cleide de Oliveria)

A Praia Mole é o ponto de encontro dos jovens em Florianópolis (SC). O mar possui ondas disputadas pelos surfistas, enquanto o morro ao lado serve de rampa de decolagem para praticantes de voo livre (Ricardo Freireraia)
Para quem nunca praticou windsurfe e kitesurfe, a Lagoa da Conceição, em Florianópolis (SC), é um ótimo lugar para começar. Aulas para iniciantes são oferecidas por agências locais (Cleide Oliveira)
O Parque Unipraiais, em Balneário Camboriú (SC), conecta as praias Central e Laranjeiras. Um bondinho faz o trajeto, com parada na estação Mata Atlântica, onde o visitante pode fazer trilhas em meio à vegetação nativa, observar as praias a partir do mirante, passear no circuito de arvorismo ou se aventurar no radical Youhoo (trenó de montanha que pode atingir 60 km/h) (Divulgação)
NO VALE DO ITAJAÍ
destacando-se Penha, onde há o Beto Carrero World, e Blumenau – estão concentrados destinos onde o forte é o turismo de negócios. Fazendo divisa com Blumenau fica Gaspar, a cidade é famosa pela Igreja Matriz e pela Rota das Águas que abriga cerca de 09 Parques Aquáticos, o mais famoso entre eles é o Parque Aquático Cascaneia. Já no município de Timbó, o destaque fica por conta dos ótimos locais para a prática de esportes radicais como o rafting, canyoning e práticas verticais. No município de Fraiburgo, pertencente a Rota da Amizade, o destaque está para o cultivo da maçã, podendo ser visitadas as diversas etapas desta cultura, como a florada da maçã, a colheita dos frutos, além de desfrutar da estrutura existente na Terra da Maçã para a recepção dos turistas. 
Conhecido como um pedaço da Europa encravado no Sul do país, o estado de Santa Catarina tem um dos maiores índices de desenvolvimento econômico do Brasil, baseado numa produção industrial bastante diversificada. Uma grande atração turística é o Farol de Santa Marta, o maior das Américas e o terceiro maior do mundo. 
Com mar agitado e bom número de pousadas a Praia dos Amores, em Balneário Camboriú (SC), é boa para a prática de surfe (Divulgação)

Em outubro a cidade de Blumenau (SC) recebe a segunda maior Oktoberfest do mundo. Só fica atrás da original, em Munique. Os desfiles oficiais acontecem na Rua 15 de Novembro enquanto o agito noturno fica na Vila Germânica. Aqui a diversão fica por conta da cerveja e da culinária alemã ao som de bandas típicas (Nani Gois)
O rafting no Rio Itajaí-Açu está entre os melhores do Brasil. Com corredeiras de diferentes níveis de dificuldade, faz a diversão de iniciantes e dos que já tem experiência no esporte (Divulgação)
Com mar calmo e peixinhos nadando bem perto da areia, a Praia da Sepultura é uma das melhores de Bombinhas (SC) para o mergulho com snorkel (Ricardo Freire)
Tem aumentado constantemente o fluxo turístico para o estado, procedente sobretudo de São Paulo e dos países do Prata. O principal foco de atração dos visitantes são as belas praias da ilha de Santa Catarina, bem como os balneários de Laguna, Balneário Camboriú, Porto Belo e Itajaí. Também é fator de atração a zona de colonização alemã, com centro em Blumenau, mas estendendo-se, nos arredores, a Pomerode e Timbó e incluindo, mais para o norte, Joinville. Os municípios da região estimulam a construção das tradicionais casas de enxaimel (caibros cruzados de maneira a sustentar o barro que dá forma às paredes)
Cachoeira na cidade de Calmon, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
Corredeiras na cidade de Ibirama, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
Cachoeira na cidade de paraíso, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
DIVERSIDADE É A MARCA DA CULTURA CATARINENSE
Os casarões portugueses do Litoral, a arquitetura em estilo enxaimel no Vale do Itajaí e no Norte do Estado e as tradições italianas ainda fortes no Oeste são exemplos concretos da diversidade cultural catarinense, hoje enriquecida com a soma de novos sotaques e costumes daqueles que escolheram Santa Catarina para viver. Para proteger essa riqueza, o circuito cultural catarinense é composto por dezenas de conjuntos arquitetônicos tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ou pelo Estado e pelos municípios. Além do patrimônio arquitetônico e artístico, há também os acervos nos museus.
Cidade de penha, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
Festa da Cerveja na cidade de Blumenau, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
Neve na cidade de Urubici, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
Há conjuntos históricos que representam outras etnias europeias que também participaram, em menor escala, da colonização do Estado. A cidade de Treze Tílias, no Meio-Oeste, foi fundada por imigrantes austríacos vindos da região do Tirol e parece uma vila típica saída dos Alpes. Outros dois grupos étnicos com contribuições arquitetônicas que merecem destaque são os poloneses e os ucranianos.
Com a função de resgate dessa rica história, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) administra ainda a Casa da Alfândega e o Museu Histórico de Santa Catarina (em Florianópolis), o Museu Etnográfico Casa dos Açores (em Biguaçu), o Museu Casa de Campo Governador Hercílio Luz (em Rancho Queimado) e o Museu Nacional do Mar (em São Francisco do Sul).
Casa na cidade de Joinville, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
Casa de Pedra na cidade de Santa Rosa de Lima, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
Ponte na cidade de Florianópolis, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
Teatro Juarez Machado na cidade de Joinville, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
Mas há espaços, também, para a promoção das novas expressões culturais catarinenses. Para isso, a FCC tem sob sua responsabilidade o Teatro Álvaro de Carvalho (TAC), o Teatro Governador Pedro Ivo e o complexo cultural do Centro Integrado de Cultura (CIC), todos na Capital.
Outra frente de divulgação da cultura catarinense são eventos consagrados no Estado, como o Circuito das Festas de Outubro, liderado pela Oktoberfest, de Blumenau; o Festival de Dança de Joinville; a Festa do Pinhão, em Lages; e a festa do Divino Espírito Santo, uma tradição secular transmitida pelos açorianos e hoje celebrada principalmente na Ilha de Santa Catarina e nos municípios litorâneos.
Para saber mais acesse o site da Fundação Catarinense de Cultura e da Santur.
Boi de mamão na cidade de Itajaí, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
As rendeiras na capital Florianópolis, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
Festival de Jazz na cidade de Joinville, Santa Catarina
Foto - Governo de Santa Catarina
Artesanato na cidade de Itaiópolis, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
Fogo de Chão na cidade de lages, SC
Foto - Governo de Santa Catarina
CIDADE DE BOMBINHAS 
Difícil não reconhecer Bombinhas como um dos principais locais para a prática de mergulho no Brasil. E daí você já pode imaginar que tipos de praias lindas e com águas cristalinas vai encontrar.
O destino atrai públicos de vários perfis, mas as famílias marcam maior presença por aqui. A primeira parada é a Ilha do Arvoredo, hors-concours no quesito mergulho, seguida das belas ondas para o surfe em Quatro Ilhas e piscinas naturais para a família em Praia da Sepultura – não se assuste com o nome.
Quem procura um pouco de romance encontra pousadas perfeitas para isso em Mariscal. O verão atrai mais do que turistas: atrai também preços altos e muito trânsito. Por isso, é bom se planejar e ter paciência com os carros.
SÍNTESE DO ESTADO DE SANTA CATARINA, BR
Capital - Florianópolis 
População estimada 2016 - 6.910.553 
Área 2015 (km²) 95.737,895 
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 65,27 
Rendimento nominal mensal domiciliar per capita da população residente 2015 (Reais)(1) - 1.368 
Número de Municípios - 295 

Gentílico - catarinense, barriga-verde 
HISTÓRICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA, BR
Santa Catarina é uma das 27 unidades federativas do Brasil, localizada no centro da região Sul do país. Sua capital e sede de governo é a cidade de Florianópolis, localizada na Ilha de Santa Catarina. Inteiramente ao sul do trópico de Capricórnio, localizado na zona temperada meridional do planeta, o estado possui clima subtropical. O povoamento de Santa Catarina deu-se largamente por imigrantes europeus: os portugueses açorianos colonizaram o litoral no século XVIII; os alemães povoaram o Vale do Itajaí, parte da região sul e o norte catarinense em meados do século XIX; e os italianos povoaram o sul do estado no final do mesmo século. O oeste catarinense foi povoado principalmente por descendentes de italianos e alemães deslocados do Rio Grande do Sul, na primeira metade do século XX. Descendentes de africanos e de índios também participaram no povoamento do estado. 
Os índices sociais do estado estão entre os melhores do país e da América Latina 
Desde 1823 a capital de Santa Catarina é a cidade de Florianópolis. Originalmente, a cidade tinha o nome de Nossa Senhora do Desterro, em referência à sua padroeira. A mudança de nome seguiu-se ao fim da Revolução Federalista, em 1894, e ainda é considerada controvertida por parte dos habitantes da cidade. O nome Florianópolis refere-se a Floriano Peixoto, ex-presidente da República. Deste nome deriva o apelido Floripa, pelo qual a cidade é amplamente conhecida. Com o movimento revolucionário de 1930, iniciado no Rio Grande do Sul, Santa Catarina foi o primeiro estado a ser invadido pelas forças que conduziram Getúlio Vargas ao poder. Muito embora fossem sendo vencidas as forças legais, Florianópolis resistiu ao avanço gaúcho, até que a revolução viesse a triunfar em todo o território nacional. De 1930 a 1945, o estado foi governado por interventores federais. Ao longo desses quinze anos, houve um breve período, de 1935 a 1937, em que o Poder Executivo estadual esteve entregue a um governador eleito, Nereu Ramos, mantido como interventor pelo Estado Novo, em 1937. Na década de 1940, uma grande área do estado, que vivia semimarginalizada e escassamente povoada, o meio e o extremo oeste, passou a ter importância cada vez maior. Essas glebas foram sendo ocupadas por gente vinda do Rio Grande do Sul, colonos estrangeiros e seus descendentes, que nelas vislumbraram um novo eldorado. 
ESTA EH A BANDEIRA DO ESTADO DE SANTA CATARINA, BRASIL
ESTE EH O BRASÃO DO ESTADO DE SANTA CATARINA, BRASIL

fonte / fotos = IBGE / Wikipédia / Thymonthy Becker / Portal do Governo de Santa Catarina / viagemeturismo.abril.com.br / 



VALEU PELA VISITA. SEMPRE VOLTE



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os lugares por onde o Trem mais passou esta semana