Pular para o conteúdo principal

ÁGUA BRANCA, ALAGOAS - Turismo de aventura com trilhas do cangaço, cachoeiras, esportes radicais e um centro histórico apaixonante. Do artesanato a culinária regional, comércio e turismo, diversos segmentos para receber bem o turista, para que os visitantes possam conhecer e desfrutar das maravilhas da região serrana.




CONHEÇA A CIDADE DE "ÁGUA BRANCA", ALAGOAS, BRASIL - DA JANELA DO TREM
Foto - PMAB
ÁGUA BRANCA, ALAGOAS - DESCUBRA, CONHEÇA E APAIXONE
Do artesanato a culinária regional, comércio e turismo, diversos segmentos para receber bem o turista, para que os visitantes possam conhecer e desfrutar das maravilhas da região serrana. 
Apostando no circuito do frio, que atrai turistas de cidades vizinhas e outros destinos de Alagoas, o município se prepara para melhor recepcionar seus visitantes. Além das pousadas existentes, moradores e proprietários de imóveis interessados em hospedar turistas, contam com a assessoria do programa Casa e Café, do Sebrae, especializado em treinamentos para adequação da estrutura de receptivos.
Foto - PMAB
A Prefeitura também programa disponibilizar áreas para camping, além de divulgar orientações sobre roteiros alternativos de hospedagem, em cidades vizinhas. 
Para o turista que visitar Água Branca a Prefeitura programa oferecer uma série de atrativos, como trilhas ecológicas por roteiros do cangaço, caminhadas por serras e outros passeios inesquecíveis, tendo como cenário o casario histórico da região.
Foto - PMAB
Foto - PMAB
CASA DO BARÃO DE ÁGUA BRANCA EM ÁGUA BRANCA, AL
Casa de nº 01, situada à Rua Barão de Água Branca onde residiu o Capitão-Mor Joaquim Antônio de Siqueira Torres (Barão de Água Branca). 
O Capitão-Mor Joaquim Antônio de Siqueira Torres, recebeu do Papa Leão XIII, a comenda de São Gregório por ter construído no ano de 1871, com recursos próprios, a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, um dos mas belos templos do Estado de Alagoas e ter ordenado a padre dois filhos: Pe. Cícero de Siqueira Torres e Joaquim Antônio de Siqueira Torres. Recebeu também do imperador D. Pedro II o título honorifico de Barão de Água Branca. Preocupado com a educação dos filhos , formou em Direito o Bacharel Miguel Archanjo de Siqueira Torres, que exerceu o cargo de Juiz de Direito desta Comarca, o Engenheiro Agrônomo Antônio Vieira Torres, que foi Coletor Federal no município e o Engenheiro Luiz de Siqueira Torres, que exerceu mandatos de senador e vice-governador do Estado de Alagoas.
Foto - PMAB
CENTRO HISTÓRICO DE ÁGUA BRANCA, ALAGOAS
O Centro histórico da cidade é representado pelas Igrejas, Casarios, Casa do Barão de Água Branca, Praça de Nossa Senhora do Rosário, Praça da Matriz e Praça Fernandes Lima. Este conjunto arquitetônico é um dos maiores atrativos. Além da beleza é realmente uma grande obra de arte. Pois possui na sua arquitetura o estilo Barroco e Colonial 
Fonte: Por Edvaldo de Araújo Feitosa
Foto - PMAB
Foto - PMAB
Foto - PMAB
Foto - PMAB
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DE ÁGUA BRANCA, AL
(1º construção feita em plena mata) equidistante de três núcleos de povoamento: Várzea do Pico, Olaria e Boqueirão, construída no ano de 1770 pelo Major Francisco Casado de Melo, apresentando características do Século XVII, isto é: fachada com frontão triangular, telhado a beira-seveira. Na parte interna destaca-se um arco cruzeiro com capitéis elegantes, chave em ogiva e altares laterais com detalhes em madeira ao seu redor. 
Possui para a devoção de seus fiéis as imagens de: 
Santo Antônio - Século XIX, com grande resplendor em prata 
Nossa Senhora das Dores - Século XIX 
Nossa Senhora da Apresentação - Século XIX 
São Sebastião Popular 
Nossa Senhora do Rosário, com menino vestido, princípios do Século XIX, formando assim um patrimônio religioso de grande valia.
Foto - PMAB
IGREJA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DE ÁGUA BRANCA, AL
De estilo barroco, foi construída no ano de 1871 (Século XIX), pelo Capitão-mor, Joaquim Antônio de Siqueira Torres (Barão de Água Branca) com uma área de 1.100 m² .Sua beleza encantadora nos faz dizer principal cartão postal da cidade. 
No seu interior encontramos as imagens de: 
São José - com resplendor dourado. 
São João Menino. 
Senhor dos Passos. 
São Joaquim - Com rico resplendor dourado. 
Senhor Morto - em talha bastante simples com braços móveis. 
Santa Ana com Nossa Senhora Menina - Século XIX 
Nossa Senhora da Soledade - Século XIX 
Nossa Senhora da Conceição - com coroa de prata. (padroeira deste município) 
Estas imagens foram esculpidas pelo imaginário Antônio Pedro da cidade de Penedo estado de Alagoas. O maior evento cultural / religioso desta cidade acontece no dia 08 de dezembro de cada ano subseqüente (Festa da Padroeira Nossa Senhora da Conceição) e também aniversário do seu benfeitor (Barão de Água Branca)
Foto - PMAB
Foto - PMAB
ARTESANATO EM ÁGUA BRANCA, AL 
Madeira
Encontramos miniaturas de móveis, carros, jangadas, peão (brinquedos), colheres de pau, gamela, cachimbo, casas, pilão, cabides, (utensílios), quadros, estátuas (obra-de-arte) em diversos tamanhos. Os artesãos que com seu talento, transformam a madeira em obra de arte, pela técnica de esculpir, utilizando ferramentas simples como: serrote, formão, martelo e estilete são: Cristiano Guimarães, Daniel e Claudionor Guimarães da Silva (Nozinho)
Foto - PMAB
Tecido
A diversidade é grande. Pois no artesanato em tecido temos: pontos de cruz, singeleza, rendas, bordados, tricô e crochê, que são produzidos em toalhas, panos de prato e colchas. Nas comunidades (Tinguí, Lagoa do Feijão, Sítio Covões, Salgadinho, Papa Terra, Alto dos Coelhos, Várzea do Pico). Na cidade encontramos vários artesãos, que contribuem para o desenvolvimento artesanal deste município.
Foto - ?
Tela
Nas artes plásticas, pinturas de cartazes (tela) destacamos os artistas da terra que na maioria das vezes expõem os seus trabalhos nas feiras de ciências e culturas organizadas pelas escolas e município. Destacamos alguns nomes desta arte: Gilberto (Gil Artes) Reginaldo Enoque dos Santos, Reginaldo Medeiros, Egídio Sandes e Maria Cristiane Lima de Souza (Ana)
Foto - ?
Couro
Até hoje esse trabalho é feito nos moldes tradicionais da cultura popular desse povo. 
Na cidade existem cinco tendas. Duas situadas à rua São Bento s/n, uma pertencente ao artesão Sr. Severino Batista de Oliveira e outra ao Sr. Jean Araújo da Silva (toquinha). Duas situadas à rua Cônego Nicodemos s/n, uma pertencente ao Sr. José de Augusto e a outra ao Sr. Mauro Raimundo Gomes, e outra situada à rua Sto Antônio pertencente ao Sr. Manuel de Aia, que produzem os seguintes produtos: alpargatas, sandálias, chapéus cintos e sapatos.
Foto - ?
Na comunidade Tabuleiro que fica uma distância de aproximadamente 8Km da cidade, encontramos os artesãos: Hélio Eduardo da Silva, João Eduardo da Silva e as artesãs: Auxiliadora da Conceição Dias e Maria Creuza da Conceição que produzem: cintos, selas e arreios para animais.
Foto - ?
Porcelana Fria
Assim chamamos os produtos de um trabalho artesanal em que os artesãos utilizam como matéria prima: maisena, vaselina, água e tinta de tingir tecido, que são produtos de fácil aquisição no comercio local.
Na cidade existem as artesãs que são: Jane, Salete Zuza, Sandra, Sandra Regina, Cíntia Daniela, que são as pioneiras nessa arte.
Foto - ?
Bijuterias
Inovação artesanal que possui um futuro promissor pela inovação das peças produzidas e pelo preço acessível. 
Na cidade encontramos a artesã Srª Márcia Freire que procura em outros centros comerciais, pedras preciosas e utensílios que o suporte a confecção dos produtos.
Foto - ?
Palha de Ouricurizeiro e Bananeira 
O artesanato em palha é produzido em simples residências nas comunidades da Serra do Ouricuri, Serra das Viúvas, Sítio Baixa do Pico e Várzea, que ficam a uma distância de aproximadamente 4Km da cidade. Os produtos são: bolsas, chapéus, vassouras, tapetes, esteiras e abanos, que são colocados em feiras populares da região. A matéria prima utilizada na confecção desses produtos são: palhas de ouricurizeiro (planta da família das palmáceas) e palhas de bananeiras (planta da família das musáceas) que após cortadas sofrem um processo de secagem natural para extração da umidade.
As artesãs que com toda simplicidade fazem dessa arte o seu meio complementar de sobrevivência são: Maria José de Araújo, Maria do Carmo de Araújo e Maria de Lourdes da Conceição.
Foto - ?
Cipó
O artesanato em cipó está centralizado nas comunidades: Serra do Paraíso, Serra da Laranjeira e Sitio Baixa do Pico que ficam a uma distância de aproximadamente 4Km da cidade. Os produtos são: cestas, caçuá, caqueiras, cadeiras, balaios etc. A matéria prima utilizada na confecção destes produtos é o cipó (planta da família das sarmentosas ou trepadeiras) existentes nas serras da região hoje ameaçado de extinção por não haver interesse em planejar o seu cultivo. Sobrevivem desta obra de arte a artesã "Dona Jú" e os artesãos: Abel Rufino dos Santos, José Lima dos Santos e Valdomiro dos Santos.
Foto - ?
Barro
O artesanato em barro é uma arte milenar conhecida desde os tempos mais remotos. No município de Água Branca existem as comunidades: Sítio Olaria, Sítio Onça e Sítio Campo Verde, todas pioneiras na fabricação artesanal dos produtos em barro. Os processos de fabricação vai desde a extração do barro passando por destorroamento, peneiramento, adição do barro vermelho (para reduzir os efeitos da expansão que produz trincas nas peças queimadas), água, moldagem das peças, secagem a sobra, forno e queima. Merece destaque as artesãs: Maria Júlia da Conceição Irací Maria da Conceição, Maria São Pedro, Sebastiana dos Santos Cordeiro e Maria Vieira dos Santos.
Foto - ?
Fuchico
Atividade artesanal que consiste em aproveitar retalhos de tecidos para confeccionar o fuchico, uma linda flor de tecido com um arranjo central de miçanga.
Foto - ?
CONHEÇA MAIS DA CIDADE DE ÁGUA BRANCA, ALAGOAS
Foto - ?
TRILHA DO CANGAÇO EM ÁGUA BRANCA, AL
Foto - alagoas24horas.com.br
ESPORTES RADICAIS EM ÁGUA BRANCA, AL
Foto - alagoas24horas.com.br
TRILHA DA ILHA DA COBRA, ÁGUA BRANCA, AL
Foto - alagoas24horas.com.br
CENTRO HISTÓRICO DE ÁGUA BRANCA, AL
Foto - PMAB
ACESSO À CIDADE DE ÁGUA BRANCA, AL
Foto - ?
SERRA DO CAVALO, ÁGUA BRANCA, AL
Foto - ?
Foto - PMAB
MIRANTE EM ÁGUA BRANCA, AL
Foto - ?
VISTA PARCIAL DE ÁGUA BRANCA, AL
Foto - PMAB
Foto - PMAB
CACHOEIRA VAI E VEM EM ÁGUA BRANCA, AL
Foto - ?
População estimada 2016 (1) - 20.422
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 468,846
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 42,62
Código do Município 2700102
Gentílico - água-branquense
Prefeito 2017 / JOSÉ CARLOS DE CARVALHO
ORIGEM DO NOME
O topônimo Água Branca é proveniente do fato de haver, ali, uma fonte de água muito clara. 

Gentílico: água-branquense
Histórico
Água Branca 
Alagoas - AL
HISTÓRICO 
O território de Água Branca, em meados do século XVII, fazia parte das sesmarias que compreendiam também os atuais municípios de Mata Grande, Piranhas e Delmiro Gouveia. 
Para diferenciar de Mata Grande, do qual durante muito tempo foi povoado, chamou-se primitivamente Mata Pequena ou Matinha de Água Branca.
A penetração em terras do município deve-se a três irmãos de família Vieira Sandes, vindos de Itiúba, povoação do Rio São Francisco. 
Atraído pelas boas pastagens oferecidas pela zona da caatinga, e pela riqueza da região serrana, o capitão Faustino Vieira Sandes desbravou o município, instalando uma fazenda de gado. 
Gentílico: água-branquense
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE ÁGUA BRANCA, ALAGOAS
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE ÁGUA BRANCA, ALAGOAS
VALEU PELA VISITA, SEMPRE VOLTE


Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Governo de Água Branca, AL, / Wikipédia / alagoas24horas.com.br / 

Comentários

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem