Pular para o conteúdo principal

VISCONDE DO RIO BRANCO, MINAS GERAIS - Visconde do Rio Branco pode se orgulhar de possuir uma área de preservação ambiental, a serra da piedade, de exuberante beleza natural, convite à prática do turismo e de grande valor histórico. A cidade se orgulha de possuir um conservatório estadual de música com 50 anos de existência, duas bandas de música: a Filarmônica Rio Branco e Sociedade Musical 13 de Maio, conhecidas em várias regiões de nosso estado. A Unipac, uma faculdade com vários cursos, escolas públicas estaduais e municipais, colégios de 2° grau, além de cursos pré-vestibulares. Um museu histórico inaugurado em 26 de setembro de 1992, dotado de rico acervo histórico e artístico. A cidade possui também a academia Rio Branquense de letras, reduto dos valores culturais e artísticos desta terra.




CONHEÇA A CIDADE DE "VISCONDE DO RIO BRANCO", MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM
BEM VINDO A CIDADE DE VISCONDE DO RIO BRANCO. UMA CIDADE MUSICAL NA SERRA DA PIEDADE
AQUI TEMOS UMA VISÃO GERAL DA CIDADE
foto - ?

A CIDADE SE ORGULHA
Visconde do Rio Branco pode se orgulhar de possuir uma área de preservação ambiental, a serra da piedade, de exuberante beleza natural, convite à prática do turismo e de grande valor histórico. A cidade se orgulha de possuir um conservatório estadual de música com 50 anos de existência, duas bandas de música: a Filarmônica Rio Branco e Sociedade Musical 13 de Maio, conhecidas em várias regiões de nosso estado. A Unipac, uma faculdade com vários cursos dentre eles: ciências contábeis, administração, sistemas de informação e normal superior recentemente instalado, escolas públicas estaduais e municipais, colégios de 2° grau, além de cursos pré-vestibulares. Um museu histórico inaugurado em 26 de setembro de 1992, dotado de rico acervo histórico e artístico. A cidade possui também a academia Rio Branquense de letras, reduto dos valores culturais e artísticos desta terra.
foto - ?
VEJA QUE BELAS AS ARQUITETURAS ABAIXO. SÃO MUITOS OS CASARÕES NA CIDADE.
foto - ?
PONTOS TURÍSTICOS
por Assessoria Comunicação PMVRB
"CONSERVATÓRIO ESTADUAL DE MÚSICA “PROF.THEODOLINDO JOSÉ SOARES”
“Foi fundado pela lei de n° 811, no dia 13 de abril de 1951, tendo sido instalado nesta cidade com a denominação de Conservatório Estadual de Música Prof. Flausino Vale”, aos 13 de abril de 1953.
Mais tarde, através do decreto n° 11.404 de 21 de outubro de 1968, passou a denominar-se Conservatório Estadual de Música “Professor Theodolindo José Soares.”
Instalado em sede própria graças ao empenho dos rio-branquenses: o diretor Batista Caetano de Almeida Neto e o deputado Luiz Soares.
O prédio possui belo estilo arquitetônico, obra sólida, destaca em preservação de fidelidade às suas características.
O conservatório proporciona a oportunidade de desenvolver e aprimorar dotes musicais, ampliando a cultura e a sensibilidade, de modo cativante e harmonioso, oferecendo oportunidade e o prosseguimento de brilhantes carreiras. É um espaço privilegiado para estimular os processos de aprendizagem, criação, registro e difusão de todos os aspectos da cultura musical.
O conservatório é o orgulho de nosso Município, que através dele deixa de ser tão somente “um ponto de luz no mapa” “tornando-se uma estrela de alta grandeza”.
foto - ?
BANDA 13 DE MAIO
A Sociedade Musical 13 de Maio foi fundada em 1970, no dia 13 de maio, pelo fundador Felício Rodrigues Silva. A entidade é remanescente da Banda Mirin, tornando-se Sociedade a partir de maio 1974. Atualmente conta com 54 componentes e mantém uma Escola de formação Musical com ensino gratuito e profissionalizante composto por 39 jovens. Atualmente, a direção da banda é do Maestro Tito Viana. Em comemoração ao aniversario da banda, tradicionalmente, os músicos desfilam pela cidade a partir das quatro da manhã em alvorada festiva no dia 13 de maio.
Foto - Margarida Silva
PRÉDIO DA PREFEITURA MUNICIPAL
O Prédio da Prefeitura Municipal foi inaugurado em 1902 pelo presidente da câmara, Dr. Carlos Peixoto Filho a quem coube a tarefa de terminar a construção do prédio. No inicio, foi instalado ali também o fórum da cidade, que mais tarde mudou-se pra sua sede própria construída ao lado da prefeitura. A sociedade Rio-Branquense sempre se valeu do Salão Nobre da Prefeitura para realizar festas, reuniões importantes e até bailes. Hoje, o prédio é utilizado apenas para reuniões e todo o serviço prestado pela Prefeitura. É um prédio de estilo eclético, comum no principio de século, de inestimável valor histórico e arquitetônico para a cidade.
Foto - ?
IGREJA MATRIZ SÃO JOÃO BATISTA
Sua construção foi iniciada em 24 de setembro de 1907, e terminada em 1917. A Construção da Obra foi devida ao construtor Vitor Vitarelli (I). Era um trabalho primoroso, com colunas coroadas de capitéis ricamente trabalhadas em mármore, com paredes ricamente pintadas e um coro com escada de caracol trabalhadas em madeiras e balaústre. Era considerada uma das mais belas da região entre 1973 a 1979. A igreja sofreu uma reforma sob a direção do padre Raymundo Nonato de Carvalho, que tinha como objetivo a ampliação de seu espaço interno, foram retiradas as colunas laterais da nave central, mudando sua característica,e hoje ela conta com uma arquitetura de 1° mundo.
foto - ?
A MATRIZ DE SÃO JOÃO BATISTA
foto -Montanha
O INTERIOR DA MATRIZ DE SÃO JOÃO BATISTA
foto - ?
AQUI A LATERAL DA MATRIZ
foto - ?
MUSEU MUNICIPAL
O prédio no qual o museu está instalado foi construído na década de 1920 para ser moradia do gerente da Companhia Força e Luz Cataguases-Leopoldina, atual Energisa. Mais tarde o prédio passou para a prefeitura que o cedeu para o funcionamento do Museu Municipal de Visconde do Rio Branco. O museu esta localizado na Rua do Divino no centro da cidade. Ele foi fundado em 26 de setembro de 1992, mas oito anos antes de sua fundação seu acervo já começava a ser captado por Dona Theresinha de Almeida Pinto que guardou em sua casa as peças e os documentos conseguidos com a população. O museu oferece a comunidade uma biblioteca e um rico acervo de fotografias, documentos e numismática. O museu é dedicado, especialmente à preservação de bem representativos da historia local, sendo também uma instituição voltada para a cultura de Minas e do Brasil. O museu conta com uma sala de pesquisa que através dela é possível aos estudantes de todos os níveis, e demais pessoas da comunidade, desenvolver pesquisas. O museu possui inúmeros arquivos e os seus valores históricos são inestimáveis.
Foto - PMVRB
ESCOLA MUNICIPAL DR. CARLOS SOARES
Foi solenemente inaugurada no dia 14 de julho de 1915, sendo este o primeiro estabelecimento estadual de ensino primário. Seus fundadores foram Dr. Carlos Soares de Moura, Dr. Raul Soares e Dr. Eugenio de Melo, expressões lídimas da política local daquela época, que se interessavam pela causa do ensino. O estabelecimento oficial recebeu a denominação de grupo escolar Dr.Carlos Soares, em homenagem ao ilustre político. Sua cede foi construída em um terreno doado pela prefeitura Municipal, tendo como construtor o Sr.Vitor Vitarelli, com uma arquitetura invejável. A referida escola recebeu a denominação de escola Municipal Dr. Carlos Soares no dia 21/11/1997 pela lei municipal 377/97, desde então a escola conta com um padrão de excelência no ensino de nossa cidade. Atualmente, a escola possui 431alunos matriculados.
Foto - ?
PRAÇA 28 DE SETEMBRO
Foi inaugurada em 1909, Ela recebeu o nome de parque municipal Carlos Peixoto Filho, em homenagem a um político da época, Carlos Peixoto. ela sofreu várias transformações, hoje ela e chamada de Praça 28 de setembro devido a essa ser a data de sua emancipação política em 1882.
Foto - ?
CORETO
O antigo coreto foi construído com materiais Franceses,e nos anos de 1940 ele foi demolido. Ele era parecido com o que há hoje na Praça da Liberdade, ele era considerado um monumento riquíssimo de cultura. O coreto que há hoje na praça, também é belíssimo e conta com uma invejável arquitetura está no localizado no centro da praça, exatamente no mesmo lugar que o antigo.
CINEMA BRASIL
A sede do cinema Foi inaugurada em 1915. Já em 1912 inaugurou-se a sociedade do cinema, empresa teatral Rio Branquenses. Mais tarde se tornou propriedade privada,passou a pertencer ao Senhor Agostinho Marques é passou a se chamar Cinema Brasil,Era o que tinha de melhor na cidade, Ir ao cinema era a melhor atração que tinha na cidade, na época. Hoje o prédio do antigo cinema e tombado como patrimônio Histórico cultural.
Foto - ?
ESTAÇÃO FERROVIÁRIA
Foi construída logo após a inauguração das estradas de ferro em 1981. Servia de escoação das indústrias e de passageiros, pois era o transporte mais utilizado na época. Sua Inauguração contou com a ilustre presença de DON Pedro e a Imperatriz. Surge a partir daí o progresso em nossa cidade. Hoje a sede da estação ferroviária e tombada como patrimônio histórico, é esta sendo utilizada como sede da secretaria municipal de Saúde, mas sua arquitetura não foi modificada obedecendo às normas de conservação de patrimônio histórico.
foto - ?
ESCOLA ESTADUAL DR. CELSO MACHADO
A Escola Estadual Dr. Celso Machado está localizada à Rua Governador Valadares, n°168, Município de Visconde do Rio Branco, Minas Gerais.
Recebeu este nome em homenagem ao patrono e seu fundador Celso Machado.
A Escola foi criada pelo decreto 9.930 de 12 de abril de 1930, e foi instalada em função do decreto 10.150 de cinco de dezembro de 1931 com a denominação de “Escola Normal Oficial”. Em 1969 Colégio Estadual de Visconde do Rio Branco.
Posteriormente, por força da legislação em vigor, passou a ser denominada Escola Estadual de 1° e 2°grau. Em virtude do decreto 16.991, publicado no Minas Gerais de 19 de fevereiro de 1975, passou a ser denominada Escola Estadual Dr.Celso Machado. A Escola foi por muitos anos, a principal formadora de professores das séries iniciais.
A missão da Escola é atender as expectativas dos alunos, dos professores, da família e da comunidade. Promover uma educação humanista assumindo com dignidade a autonomia e o exercício da cidadania, tornando a escola prazerosa, num trabalho coletivo, abrindo caminho para uma vida melhor formando seres humanos competentes, solidários e autônomos.
Foto - ?
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE VISCONDE DO RIO BRANCO
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - Thymonthy Becker  
foto - ?
foto - ?
foto - ?
AQUI UMA RUA MUITO ARBORIZADA.
foto - ?
foto - ?
foto - ?
foto - ?
foto - ?
foto - ?
ESTE PRÉDIO EH DA ANTIGA ESCOLA ESTADUAL
foto - Elpídio Justino de A.
AQUI A AGÊNCIA DOS CORREIOS E TELÉGRAFOS
foto - ?
AQUI O GRUPO ESCOLAR 
foto - ?
AQUI A ESCOLA ESTADUAL
foto - ?
AQUI A SEDE DO GOVERNO MUNICIPAL E PODER LEGISLATIVO (CÂMARA DE VEREADORES)
foto - ?
AQUI A RUA DA CIDADE A NOITE
foto - ?
AQUI A USINA AÇUCAREIRA SÃO JOÃO BATISTA.
foto - ?
AQUI A IGREJA DE SÃO SEBASTIÃO. QUE ESTÁ EM CONSTRUÇÃO
foto - João Milagres
A IGREJA DE SÃO SEBASTIÃO VISTA MAIS DE PERTO
foto - João Milagres
População estimada 2016 (1) - 41.567
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 243,351
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 155,91
Código do Município 3172004
Gentílico - rio-branquense
Prefeito 2017 / IRAN SILVA COURI
ORIGEM DO NOME
O ATUAL NOME VISCONDE DO RIO BRANCO FOI DADO AO MUNICÍPIO EM HOMENAGEM AO GRANDE ESTADISTA JOSÉ MARIA DA SILVA PARANHOS (O VISCONDE DO RIO BRANCO). AUTOR DA LEI DO VENTRE LIVRE.
Gentílico: rio-branquense
HISTÓRICO
Os primeiros habitantes do território riobranquense foram os indígenas Croatos, Cropós e Puris, procedentes do litoral fluminense, das baixadas dos Campos dos Goitacases, onde recebiam a denominação de Goitacás. Esses índios, após a confederação dos Tamoios, nos fins do século XVIII se viram pressionados por tribos inimigas e obrigados a deixar suas aldeias primitivas e partirem em busca de novas terras, ricas em caça, pesca e frutas, distante de selvagens agressivos. O caminho mais fácil e acessível para a fuga foi o curso a margem do Rio Paraíba do Sul e seus afluentes, os rios Pomba e Muriaé. Em seguidas migrações, subiram por esses rios, vindo atingir as margens superiores dos rios Xopotó e Bagres, onde passaram a habitar, dando, assim, origem ao aparecimento de localidade.
'Ainda nos fins do século XVIII os Croatos receberam os cuidados do Missionário Padre Francisco da Silva Campos e do civilizador Guido Thomaz Marliere.
Em 1730, as autoridades da Capitania tomavam medidas com o fim de conquistar esses indígenas. Coube, no entanto, ao Padre Ângelo da Silva Pessanha o mérito de iniciador da tarefa de “civilizar” os Croatos, tendo conseguido fazer cessar as ferozes lutas que eram travadas contra os brancos devastadores. Não resistiram, porém, por muito tempo o contato com o pretenso civilizador e extinguiram-se como tribos na década setenta do século XIX.
O atual nome Visconde do Rio Branco foi dado ao município em homenagem ao grande estadista José Maria da Silva Paranhos (o Visconde do Rio Branco).
Desde o final do século XVIII até o ano de 1945, teve o município diversas denominações, o que sempre motivou equívocos e aborrecimentos lamentáveis. O primeiro nome dado por ocasião do desbravamento da região, no final do século XVIII, foi o de Zona do Rio Xopotó dos Coroados, por ser a região habitada pelos índios Croatos ou Coroados. Posteriormente, teve o de Aldeia do Xopotó e no início do século XIX eram território e povoação, denominados Presídio de São João Batista ou São João Batista do Presídio, por ter sido o local escolhido pela Capitania para a localização de presos políticos ou comuns; funcionava como presídio aberto, tendo a cercá-lo densas florestas. Mais tarde, prevalecendo a Lei do menor esforço, foi a expressão reduzida para Arraial do Presídio e depois simplesmente Presídio. Ao receber foros de cidade, a Vila passou a denominar-se Visconde do Rio Branco, depois Rio Branco e em 1943, recebeu o topônimo de Paranhos, tendo finalmente, em 1945 restabelecido o nome de Visconde do Rio Branco.
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE VISCONDE DO RIO BRANCO, MG
AQUI O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE VISCONDE DO RIO BRANCO, MG
AGRADECEMOS SUA VISITA E ESPERAMOS QUE SEMPRE VOLTE A NAVEGAR EM NOSSO SITE.

Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Portal do Governo de Visconde do Rio Branco / Wikipédia / 

Comentários

Postar um comentário

VALEU POR VIAJAR COM A GENTE

Páginas que receberam mais visitas

BAEPENDI, MINAS GERAIS - A terra de "Nhá Chica". Na natureza preservada no município estão cerca de 40% do parque ecológico do papagaio, é local ideal para fazer trilhas e acampar em paradisíacos lugares. Baependi é uma das poucas cidades que podem ser visitadas durante qualquer época do ano, sem se preocupar com a programação que irá encontrar pois, o verão é bem definido, sendo um convite para se deslumbrar com as mais de cinqüenta cachoeiras que cercam a cidade e o inverno pouco chuvoso propicia inúmeras opções para enfrentar trilhas e acampar em paradisíacos lugares

COLORADO, RIO GRANDE DO SUL - Colorado é uma pequena cidade do Alto Jacuí. Fundada por imigrantes italianos e alemães. O espetáculo, belezas naturais, cores, aromas que seduzem à primeira vista. O município tem como base da economia a produção agrícola. A região possui uma relação muito próxima com as águas e com a geração de energia elétrica, a partir da formação do maior lago artificial do Estado – os Alagados do Passo Real e da Barragem de Ernestina. Bonitas e agradáveis, as cidades proporcionam atrações diversificadas, eventos, muitas festas, gastronomia, artesanato.

REPRESA DE FURNAS, SÃO JOSÉ DA BARRA, MINAS GERAIS - No dia 9 de janeiro de 1963 o túnel que desviou o curso do rio Grande para a construção da Usina de Furnas foi fechado e as águas que formaram um dos maiores reservatórios do mundo, criou praias, formou cânions e cachoeiras, inundou vilarejos e mudou para sempre a história dos 34 municípios que ficam ao longo dos 1.440 km2 de extensão do Lago de Furnas que abrange também parte do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Lago de Furnas, também conhecido como "O MAR DE MINAS", é quatro vezes maior que a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro

BRASÍLIA, DF, BRASIL - Brasília é formada por gente de todos os lugares, todas as idades e de muitas gerações. É uma mistura de sotaques do Nordeste, Sudeste, Norte e Sul do país e até de estrangeiros. Por conta de seu rápido crescimento, já é a quarta cidade mais populosa do país. A maioria dos moradores, 52%, é mulher e tem em média 30 anos. Os primeiros habitantes que chegaram a Brasília vieram, principalmente, atraídos pelos empregos na construção civil e ajudaram na construção da capital. Eles eram chamados de candangos e aqui construíram e criaram famílias

TOMBOS, MINAS GERAIS - Na cachoeira três tombos, verdadeira obra da natureza de imensurável beleza que constitui um cartão postal da cidade com 62 metros de altura. A Gruta Pedra Santa localizada no distrito de Catuné, uma obra construída pela própria natureza. Ao longo do tempo a grande pedra foi desintegrando-se e formou-se um grande salão, onde ergueu-se a capela em Honra a Nossa Senhora de Lourdes. Praças diversas, museu municipal que funciona na antiga estação ferroviária, usina hidrelétrica de Tombos e os dois distritos “Catuné” e “Água Santa” valem uma visita à cidade de Tombos

IGATU, ANDARAÍ, BAHIA - Eh uma verdadeira cidade de pedra. "Sagrada" pra quem viveu lá durante o auge do ciclo do diamante. O trajeto até a vila já é uma atração: a estrada de acesso pela BA-142 é cheia de mirantes naturais. Ao chegar, a impressão é de ter voltado no tempo, quando igatu era chamada de Xique Xique e famosa pela extração de diamantes. Hoje não há farmácias, o hospital mais próximo fica em Andaraí, a 12 km. Em outros tempos quem diria? Cabarés, cassinos, lojas, cadeia, cartório, cinema...

SERRA DO NAVIO, AMAPÁ - A História da Serra do Navio remonta aos anos 1950. A região era rica em manganês e outros minérios. Por isso, a brasileira ICOMI, com sede em Belo Horizonte e atuação em Minas Gerais, foi escolhida para explorar o minério e construir a vila operária, que daria origem à cidade de Serra do Navio. Cada vila tinha 330 casas, prédios coletivos (escolas, hospitais, refeitórios), abrigando até 1.500 pessoas, entre trabalhadores e familiares. Tinha ruas largas, postes de concreto para a fiação elétrica e telefônica, calçadas, parques, clubes com piscina, quadras esportivas, restaurante e lanchonete, drenagem de águas das chuvas e tratamento de água e esgoto. Todas as casas tinham mais de 90m² e contavam com saneamento e energia elétrica, proveniente de geradores da ICOMI.

RIO DE JANEIRO, BRASIL - Do primeiro ao último minuto do ano, não falta o que fazer, o que visitar e o que rever no Estado do Rio de Janeiro, que não por acaso ostenta o rótulo de Maravilhoso. Além das praias e de seus outros dois ícones geográficos – o Corcovado e o Pão de Açúcar – o Rio vem ganhando uma série de atrativos culturais e gastronômicos. Quem deixa a capital e percorre o litoral fluminense encontra praias de beleza raríssima. Ao norte, na Região dos Lagos, estão as dunas de Cabo Frio, as águas translúcidas e frias de Arraial do Cabo, boas para mergulho, a badalação de Búzios e as trilhas rurais de Rio das Ostras

GRAMADO, RIO GRANDE DO SUL - Faltava neve à Gramado para que ela assumisse de vez o título de “Suíça brasileira”. Não falta mais: o Snowland, primeiro parque de neve artificial indoor das Américas, trouxe esportes de inverno à cidade, que já era famosa pelas construções enxaimel (aquelas de paredes esquadrinhadas com tirantes de madeira), pelas fondues nos bons restaurantes suíços e pelo climinha gostoso da Serra Gaúcha.

CAMPO BELO, MINAS GERAIS - A primeira cidade do Brasil a ter um time de Rugby (Campo Belo Rugby - CBR) A cidade tem paisagens deslumbrantes com campos a perder de vista. Ideal para a prática de esportes de aventura, ecoturismo, esportes náuticos com várias cachoeiras, praias de água doce além da tradicional e boa comida mineira. Uma cidade tranquila, acolhedora com boas opções para hospedagem