DA JANELA DO TREM: 03/11/18

FRANCISCO SÁ, MINAS GERAIS – Uma ótima cidade para a prática de ecoturismo, turismo de aventura com cachoeiras e trilhas em meio as montanhas que emolduram a cidade. A economia da cidade tem como ponto forte a pecuária, principalmente a leiteira. As manifestações religiosas ainda são preservadas na cidade. Diz a lenda que onde está hoje a estátua do Cristo Redentor, que eh o ponto mais alto da cidade, um parente de Tiradentes, fugindo da represália, trouxe todo seu ouro e enterrou neste local para que não fosse confiscado pela coroa portuguesa. Segundo a lenda, todos que tentam encontrar este ouro são impedidos pelas almas dos que morreram por ele. Verdade ou não, o Cristo redentor marca o local onde o tesouro está enterrado




CONHEÇA A CIDADE DE "FRANCISCO SÁ", MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM 
BEM VINDO A CIDADE DE FRANCISCO SÁ. NO BREJO DAS ALMAS
imagem - Eduardo Gomes
Uma ótima cidade para a prática de ecoturismo, turismo de aventura com cachoeiras, trilhas, esportes náuticos em meio as montanhas que emolduram a cidade. A economia da cidade tem como ponto forte a pecuária, principalmente a leiteira. As manifestações religiosas ainda são preservadas na cidade. Diz a lenda que onde está hoje a estátua do Cristo Redentor, que eh o ponto mais alto da cidade, um parente de Tiradentes, fugindo da represália, trouxe todo seu ouro e enterrou neste local para que não fosse confiscado pela coroa portuguesa. Segundo a lenda, todos que tentam encontrar este ouro são impedidos pelas almas dos que morreram por ele. Verdade ou não, o Cristo redentor marca o local onde o tesouro está enterrado
AQUI A SECRETARIA DA FAZENDA DA CIDADE DE FRANCISCO SÁ, MG
imagem -  ?
SEDE DO PODER JUDICIÁRIO - FÓRUM DE JUSTIÇA DA CIDADE DE FRANCISCO SÁ, MG
imagem - Rômulo Henok
SEDE DO PODER LEGISLATIVO - CÂMARA DE VEREADORES DA CIDADE DE FRANCISCO SÁ, MG
imagem - ?
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE FRANCISCO SÁ, MG
imagem - Eduardo Gomes
imagem - Renato Duarte
imagem - Rômulo Henok
imagem - Rômulo Henok
imagem - Renato Duarte
imagem -  ?
imagem -  ?
imagem - Rômulo Henok
imagem -  ?
imagem -  ?
imagem - Marcos O. fera
imagem - Renato Duarte
imagem -  ?
MATRIZ DE SÃO GONÇALO DA CIDADE DE FRANCISCO, SÁ, MG
imagem - Rômulo Henok
imagem - Enoque Alves
Um dos brejos de Francisco Sá, os quais, devido a grande incidência deles, nominavam outrora a cidade de ´São Gonçalo do Brejo das Almas
imagem - Enoque Alves 
imagem - Enoque Alves
ENTORNO DA CIDADE DE FRANCISCO SÁ, MG
imagem - Marcos O. Fera
imagem - João Henrique Rosa
imagem - João Henrique Rosa
imagem - João Henrique Rosa
ESCOLA ESTADUAL EM FRANCISCO SÁ, MG
imagem - Renato Duarte
PARQUE DOS NAMORADOS DA CIDADE DE FRANCISCO, SÁ, MG
imagem - Eduardo Gomes
imagem - Marcos Martins de Queiroz
imagem -  ?
POLIESPORTIVO DA CIDADE DE FRANCISCO SÁ, MG
imagem - Renato Duarte
CACHOEIRA DA REGIÃO DE FRANCISCO SÁ, MG
imagem - Tchellos Capta
imagem -  ?
População estimada 2016 (1) - 26.325
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 2.747,295
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 9,07
Código do Município 3126703
Gentílico - francisco-saense
Prefeito 2017 / MARIO OSVALDO RODRIGUES CASASANTA
ORIGEM DO NOME DA CIDADE DE FRANCISCO SÁ, MINAS GERAIS
O topônimo foi homenagem a Francisco Sá, ministro da Viação e Obras Públicas, nascido na Fazenda Santo André, em território pertencente ao Brejo das Almas, hoje município de Francisco Sá

Gentílico: francisco-saense
Histórico
Francisco Sá Minas Gerais - MG 
HISTÓRICO DA CIDADE DE FRANCISCO SÁ, MG
TUDO INDICA que os primeiros habitantes foram índios de nação ignorada, provavelmente expulsos pelos bandeirantes paulistas, chefiados por Antônio Gonçalves Figueira, que se dirigia a local próximo à serra do Catuné ou Decamão, na cabeceira da Lagoa, a que chegaram em 1704. Acompanhado, mandou erigir um cruzeiro e lançar os fundamentos do futuro município. Em 1760, chegaram, ao já pequeno arraial, o major Antônio Gonçalves da Silva e sua mulher, trazendo carta de sesmaria dada pelo Conde da Bobadela.
Atraídos pelas riquezas naturais, posição geográfica e exuberância da flora, constituída de madeiras de lei, outras pessoas para lá se dirigiram, fazendo da agropecuária a base do desenvolvimento do núcleo.
Gentílico: francisco-saense
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE FRANCISCO SÁ, MINAS GERAIS

VALEU PELA VISITA


Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Governo de Francisco Sá, MG / Wikipédia / Charlie Styforlamber / 

CHAN CHAN, TRUJILLO, PERU - Totalmente construída em adobe com paredes e muros esculpidos com peixes, aves, esquilos e ondas do mar, entre outras figuras. A monumental cidade de barro de Chan Chan era a capital do Reino Chimú, cultura que se expandiu e dominou a costa norte do Peru por aproximadamente 600 anos, de 850 a 1470, quando foi anexada ao Tahuantinsuyo pelos incas. Os chimús chegaram a controlar um território de 1 mil quilômetros de extensão, que ia de Tumbes, perto da fronteira com o Equador, a Lima. Apesar de menos conhecidos que os incas, os chimús estabeleceram um Estado forte e controlador, com numeroso exército e grande população. Estima-se que Chan Chan, principal centro político e cerimonial chimú, tenha abrigado até 100 mil pessoas em seu apogeu.




CONHEÇA A CIDADE DE "CHAN CHAN", TRUJILLO, PERU - OLHANDO DA JANELA DO TREM
A monumental cidade de barro de Chan Chan era a capital do Reino Chimú, cultura que se expandiu e dominou a costa norte do Peru por aproximadamente 600 anos, de 850 a 1470, quando foi anexada ao Tahuantinsuyo pelos incas. Os chimús chegaram a controlar um território de 1 mil quilômetros de extensão, que ia de Tumbes, perto da fronteira com o Equador, a Lima. 
Apesar de menos conhecidos que os incas, os chimús estabeleceram um Estado forte e controlador, com numeroso exército e grande população. Estima-se que Chan Chan, principal centro político e cerimonial chimú, tenha abrigado até 100 mil pessoas em seu apogeu. 


Arqueólogo trabalha nas escavações da cidade de barro de Chan Chan, que fica nos arredores de Trujillo, no Peru (Carlos Adampol Galindo/Flickr/creative commons)
A monumental cidade de barro de Chan Chan, capital do Reino Chimú no norte do Peru, foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco em 1986 (Bill Green/Flickr/creative commons)
Toda construída em adobe, a cidade ocupou uma área de 20 quilômetros quadrados, dos quais ainda restam 14 mil quilômetros quadrados, e foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco em 1986. Hoje a visita se restringe ao setor conhecido como Palácio Nik An (anteriormente chamado Tshudi), um dos nove espaços similares dedicados à aristocracia chimú arqueologicamente identificados. 
Totalmente amuralhado, o Palácio abriga praças cerimoniais, armazéns para estocagem de alimentos, recintos privados, uma plataforma funerária e outros espaços, além de alas inteiras com paredes e muros esculpidos com peixes, aves, esquilos e ondas do mar, entre outras figuras. 
Detalhes dos frisos nas paredes de Chan Chan (Fábio Vendrame)
Principal praça cerimonial do Palácio Nik An, em Chan Chan (Fábio Vendrame)
Figuras esculpidas nas paredes de adobe em Chan Chan, capital do Reino Chimú (Fábio Vendrame)
Detalhes esculpidos nas paredes do Palácio Nik An, um dos nove espaços do gênero identificados em Chan Chan e o único aberto ao turismo (Fábio Vendrame)
A entrada ao sítio arqueológico, situado a 5 quilômetros de Trujillo, custa 10 soles por pessoa. Em Chan Chan, há também um museu de sítio aberto à visitação.
Visitar o Peru não significa ser mais um a engrossar a fila dos milhares de estrangeiros que congestionam o sítio arqueológico de Machu Pichu, o principal atrativo do país. Esse destino andino vai muito além de endereços manjados como Cuzco e a ‘Cidade Perdida dos Incas’. 
A distantes 550 km da capital Lima, Trujillo, capital del departamento de La Libertad, é daqueles lugares capazes de entreter, por horas, amantes de arqueologia, história e de experiências ainda pouco conhecidas por brasileiros no Peru. 
Detalhes das paredes de barro de Chan Chan, capital do Reino Chimú, no norte do Peru (Fábio Vendrame)
Os labirintos do Palácio Nik An, em Chan Chan, com representações de animais e de ondas do mar esculpidos nos muros de barro (Fábio Vendrame´)
Chan Chan, capital do Reino Chimú, Patrimônio Cultural da Humanidade (Fábio Vendrame)
Corredor conduz ao setor mais nobre do Palácio Nik An, em Chan Chan, capital do Reino Chimú no norte do Peru (Fábio Vendrame)
A Ciudadela de Chan Chan, declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO e um dos sítios arqueológicos mais importantes do país, é considerada a maior cidade de barro da América pré-hispânica, cujos destaques são seus muros em alto relevo desenhados com figuras geométricas e seres mitológicos. 
Capital administrativa, política e religiosa do reino Chimú, entre os anos 850 e 1470 d.C., o local fica a 6,5 km de Trujillo, na costa norte peruana, em uma área de seis km² formada por um conjunto de recintos amuralhados, pirâmides, canais e antigos cemitérios. 

Vista parcial de Chan Chan a partir da plataforma funerária do Palácio Nik An (Fábio Vendrame)

População ocupava residências ao redor dos muros que cercavam os palácios dedicados à aristocracia chimú (Fábio Vendrame)
Praça principal da cidade de barro de Chan Chan, capital do Reino Chimú (Fábio Vendrame)
Praça cerimonial da cidade de barro de Chan Chan (Fábio Vendrame)
VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE


Fonte dos textos e fotos: msn.com / Thymonthy Becker / viagemempauta.com.br / viagemeturismo.abril.com.br / Charlie Styforlamber /