OLHANDO DA JANELA DO TREM: 02/12/18

CAMPESTRE, MINAS GERAIS - Nos verdes campos das Minas Gerais, o município eh rodeado por serras, morros, rios e cachoeiras. A cidade de Campestre se apresenta como excelente destino para os apreciadores do turismo histórico e ecológico, turismo de aventura e ecoturismo. Uma cidade acolhedora, aconchegante com ótima comida mineira




CONHEÇA A CIDADE DE "CAMPESTRE", MINAS GERAIS, BRASIL - DA JANELA DO TREM
Foto - Joy Vídeo produções
SEJA BEM VINDO A CIDADE DE CAMPESTRE. ENCRAVADA NAS MONTANHAS DAS MINAS GERAIS.
imagem - Renato Rodrigues 56
imagem - Renato Rodrigues 56
imagem - Kelberson Abreu
imagem - Montanha
CENTRO VOCACIONAL TECNOLÓGICO
imagem - ?
SEDE DO GOVERNO MUNICIPAL - PREFEITURA -
imagem - ?
LAGO AZUL
imagem - Adriana Oliveira
imagem - Tiago Mendes
imagem - Kelberson Abreu
imagem - Kelberson Abreu
ESCOLA MUNICIPAL
imagem - ?
imagem - ?
imagem - PMC
imagem - PMC
imagem - PMC
AQUI O POLIESPORTIVO QUE ESTÁ EM CONSTRUÇÃO
imagem - PMC
MATRIZ DE NOSSA SENHORA DO CARMO
imagem - Vicente A. Queiroz
A MATRIZ COM OUTRA PINTURA
imagem - Renato Rodrigues
imagem - Saulo Casagrande
ÁGUAS DA REPRESA
imagem - Tiago Mendes
imagem - Saulo Casagrande
imagem - BS
imagem - Renato Rodrigues
imagem - JR 08
imagem - Adriana Oliveira
imagem - Adriana Oliveira
OS VERDES CAMPOS DE CAMPESTRE
imagem - Montanha
DO ALTO DA PEDRA GRANDE PODE-SE VER A RODOVIA 267
imagem - Tiago mendes
A PEDRA GRANDE
imagem - Tiago mendes
PEDRA GRANDE....GRANDE
imagem - Renato Rodrigues
OUTROS VERDES CAMPOS DE CAMPESTRE
imagem - Adriana Oliveira
CAMPESTRE EH ISSO AI. UMA CIDADE ACONCHEGANTE, ACOLHEDORA E MUITO BONITA. VALE A PENA VOCE VIR VISITÁ-LA
imagem - Montanha
População estimada 2016 (1) - 21.417
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 577,843
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 35,80
Código do Município 3111002
Gentílico - campestrense
Prefeito 2017 / NIVALDO DONIZETE MUNIZ
ORIGEM DO NOME
A origem do nome se prende à existência, nos primeiros tempos, de uma área de campo, entre as matas, a qual foi aproveitada para a formação do povoado. O primeiro nome do município foi Nossa Senhora do Carmo de Campestre.

Gentílico: campestrense
Histórico
CAMPESTRE MINAS GERAIS 
HISTÓRICO: 
Conta a tradição que a primeira penetração em território do atual município, deu-se por efeito da ação arrojada dos bandeirantes paulistas, nos primórdios da colonização do país. Quanto à origem da cidade, sabe-se que por ser o local ponto de passagem de viandantes que dirigiam à Aparecida do Norte (SP) e Campanha (MG) -surgiram ranchos nos quais faziam pouso, e moradores foram sendo atraídos ao local, principalmente portugueses. Em 1830, em terras doadas pelos irmãos Francisco José Muniz e Manoel José Muniz, foi construída uma capela sob o cargo de Nossa Senhora do Carmo e o cemitério. 
A exploração da lavoura, foi o principal objetivo visado pelos imigrantes que aqui se fixara, e que com o trabalho de escravos, construíram as primeiras moradias, capela, cemitério, cadeia e as primeiras plantações, que constituíram o fator primordial no desenvolvimento da localidade. 
GENTÍLICO: CAMPESTRENSE
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE CAMPESTRE, MINAS GERAIS 

 ACESSE: THYMONTHY BECKER COMUNICAÇÃO

Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Portal do Governo de Campestre / Wikipédia / 



SERRO, MINAS GERAIS - Município rodeado por serras, morros, rios e cachoeiras, a cidade de Serro se apresenta como excelente destino para os apreciadores do turismo histórico e ecológico. Situada no centro-nordeste de Minas Gerais, na região central da Serra do Espinhaço, Serro fica a 240 quilômetros de Belo Horizonte, é também uma importante Cidade do Caminho dos Diamantes e da Estrada Real, uma herança das minas que atraíram os Bandeirantes paulistas e nordestinos no século XVIII. Além das belezas naturais de Minas Gerais, a cidade de Serro possui um rico patrimônio histórico-cultural e produz o famoso Queijo do Serro, uma das mais saborosas variedades do queijo mineiro. O município hoje conta com diversos hotéis e pousadas.




CONHEÇA A CIDADE DE "SERRO", MINAS GERAIS, BRASIL - OLHANDO DA JANELA DO TREM 
Foto - Sergio Mourão
SEJA BEM VINDO A UMA DAS CIDADE MAIS BONITA DAS MINAS GERAIS. SEJA BEM VINDO A CERRO. TIPICAMENTE COLONIAL
imagem - ?
Município rodeado por serras, morros, rios e cachoeiras, a cidade de Serro se apresenta como excelente destino para os apreciadores do turismo histórico e ecológico. Situada no centro-nordeste de Minas Gerais, na região central da Serra do Espinhaço, Serro fica a 240 quilômetros de Belo Horizonte, é também uma importante Cidade do Caminho dos Diamantes e da Estrada Real, uma herança das minas que atraíram os Bandeirantes paulistas e nordestinos no século XVIII. Além das belezas naturais de Minas Gerais, a cidade de Serro possui um rico patrimônio histórico-cultural e produz o famoso Queijo do Serro, uma das mais saborosas variedades do queijo mineiro. O município hoje conta com diversos hotéis e pousadas. (Guia do Turismo Brasil)
O turista pode contar com apartamentos, serviços, deliciosos cafés-da-manhã e guias para percorrer a região. Muitas foram às restrições impostas à exploração de ouro na comarca, após o descobrimento dos diamantes é determinada a criação da Casa de Fundição, para onde toda a produção aurífera da região passaria a ser encaminhada. Mas, apesar de todas as regras impostas, muitos aventureiros ganharam contrabandeando ouro e diamante. O município integra o circuito turístico dos Diamantes. Cachoeiras são mais de 100 quedas, sendo as mais procuradas: Malheiros, Moinho de Esteira, Carijó e Cascatinha. (Guia do Turismo Brasil)
DISTRITO DE PEDRO LESSA, SERRO, MG
Foto - PMS
Foto - PMS
DISTRITO DE MATO GROSSO, SERRO, MG
Foto - PMS
DISTRITO DE MATO GROSSO, SERRO, MG
Foto - PMS
DISTRITO DE MILHO VERDE, SERRO, MG
Foto - PMS
AQUI A IGREJA DE SANTA RITA
Sua edificação remonta ao século XVIII, sem data precisa, passando no século XIX por sucessivas reformas que caracterizaram sua atual fachada chanfrada. Em seu interior se destaca a singeleza da ornamentação marmorizada e o alar de São Sebastião confeccionado por ordem do Alferes Ângelo Martins de Siqueira pai da lendária Ana D'África. A igreja se localiza no alto de uma longa escadaria de onde se avistam o Pico do Itambé, com seus 2044 metros de altitude, e uma vista panorâmica do centro histórico do Serro. O arquiteto Silvio de Vasconcelos esteve neste adro e, em meio a uma revoada de andorinhas, registrou sua célebre frase: "Serro cidade encantada que parou no tempo".
imagem - Ricardo Moraleida
imagem - F. Baracho 
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO CARMO
A Ordem Terceira do Carmo se erigiu autonomamente na Vila do Príncipe em 1761. As obras para a construção do templo iniciaram-se em 1768 e foram concluídas em 1781. Em 1817 o monumento recebeu a visita de Auguste Saint Hilaire, naturalista francês que fez as seguintes observações: " Lindo e bem arejado, acentuado ser o seu interior bastante claro e ornado de dourados e pinturas que longe de se poderem considerar obras primas lhe pareciam superior à ornamentação de muitas igrejas da França", declarou.
imagem - Ricardo Moraleida
CACHOEIRA CARIJÓ
imagem - José Gustavo A. Murta
CACHOEIRA DO LAJEADO
imagem - José Gustavo A. Murta
imagem - José Gustavo A. Murta
CAPELA DE SÃO JOSÉ
imagem - José Gustavo A. Murta
CAPELA DE SÃO MIGUEL. ESTA CAPELA FICA DENTRO DO CEMITÉRIO
imagem - Roberta Soriano
CASA DE CARIDADE
imagem - Roberta Soriano
CASA DO BARÃO DIAMANTINA
Sobrado construído no século XIX, com fins residenciais. Pertenceu a Francisco José Vasconcelos Lessa, o Barão de Diamantina.
imagem - José Gustavo A. Murta
imagem - Roberta Soriano
imagem - Roberta Soriano
ESCULTURAS NA PRAÇA
imagem - Roberta Soriano
AQUI SE FABRICA O TRADICIONAL E DELICIOSO QUEIJO "DO CERRO"
Serro é nome de queijo ... e queijo é sinônimo de Serro. A cidade se orgulha de produzir o mais saboroso e conhecido produto mineiro: o famoso "Queijo do Serro" artesanal, tipo Minas. No estado ele é conhecido também como "queijo minas" (não é curado nem frescal). O motivo do diferenciado sabor, comparável aos melhores do mundo, ou ainda não está devidamente explicado, ou está guardado a sete chaves. Os antigos o creditavam ao capim gordura, excelente pastagem nativa da região, hoje quase desaparecida. Como permaneceu a mesma qualidade, atualmente alguns apontam a composição do solo (terreno calcáreo e úmido) e o clima, como os responsáveis pelo delicado sabor.
Foto - PMS
imagem - ?
imagem - Beatriz Barreto Tanezini
imagem - ?
imagem - ?
imagem - Gildazio Fernandes
INTERIOR DA IGREJA DE NOSSA SENHORA DO CARMO
imagem - Roberta Soriano
imagem - José Gustavo A. Murta
MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO
A primeira Matriz da Vila do Príncipe foi edificada em 1713 sob orago de Santo Antônio. Já no ano de 1776 sua invocação era dedicada à Nossa Senhora da Conceição. A Igreja possui elementos barrocos revelando influência da Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto, de autoria de Aleijadinho. A atual Matriz foi construída sob embasamento de cantaria e paredes em pau-a-pique e taipa de pilão o que a torna uma das maiores edificações religiosas da arquitetura colonial brasileira.
imagem - José Gustavo A. Murta
LAJEADO
imagem - José Gustavo A. Murta
imagem - Roberta Soriano
imagem - Roberta Soriano
PRAÇA DA PREFEITURA
imagem - José Gustavo A. Murta
PRAÇA DA MATRIZ
imagem - José Gustavo A. Murta
SEDE DO GOVERNO MUNICIPAL E CÂMARA DE VEREADORES
Casarão do século XIX que, segundo a tradição local, foi construído para hospedar o imperador D. Pedro I, visita que nunca chegou a acontecer.
imagem - Roberta Soriano
IGREJA DE BOM JESUS DO MATOZINHOS
Último exemplar da arquitetura setecentista da Vila do Príncipe, a Igreja do Senhor Bom Jesus de Matozinhos, foi edificada pelas Irmandades de São Benedito e Nossa Senhora das Mercês. Possui pintura e linhas de talha definidas pelo rococó. Em seu interior encontram-se interessantes pinturas sobre o respaldo e forro da capela-mor, datadas de 1797, e atribuídas a Silvestre de Almeida Lopes.
imagem - Roberta Soriano
imagem - Roberta Soriano
imagem - Beatriz Barreto tanazini
imagem - José Gustavo A. Murta
imagem - Beatriz Barreto tanazini
imagem - Gildazio Fernandes
imagem - Gildazio Fernandes
imagem - Gilson de Sousa
IGREJA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO
imagem - Beatriz Barreto tanazini
MUSEU REGIONAL CASA DOS OTTONI
Construção do Século XVIII, de aparência simples, com linhas arquitetônicas que lembram os velhos solares rurais mineiros. Abriga um Museu com peças de imaginária, utensílios e móveis de época. Aberto de terça a sábado de 10hs às 18 horas. Domingos de 08hs às 12hs. Está localizado na praça Cristiano Ottoni nº 72, no Bairro Praia. 
Contato - (38) 3541-1440
imagem - José Gustavo A. Murta
CACHOEIRA DO CARIJÓ
imagem - José Gustavo A. Murta
imagem - Fernando & Sabino
imagem - José Gustavo A. Murta
imagem - José Gustavo A. Murta
imagem - José Gustavo A. Murta
PICO DO ITAMBÉ NA ENTORNO DA CIDADE
imagem - José Gustavo A. Murta
imagem - José Gustavo A. Murta
imagem - José Gustavo A. Murta
População estimada 2016 (1) - 21.431
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 1.217,813
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 17,11
Código do Município 3167103
Gentílico - serrano
Prefeito 2017 / GUILHERME SIMOES NEVES
ORIGEM DO NOME
O primeiro nome de que se tem notícias foi "Arraial do Ribeirão das Minas de Santo Antônio do Bom Retiro do Serro do Frio”.
Os índios denominavam o lugar de Hivituruí, ou seja, grande serro do frio, como passou a ser conhecido. Mais tarde o topônimo foi mudado para Arraial das Lavras Velhas do Hivituruí, posteriormente vila do príncipe, atualmente serro referindo-se ao santo

Gentílico: serrano
HISTÓRICO
SERRO MINAS GERAIS Monografia - n.° 613 Ano: 1982 
ASPECTOS HISTÓRICOS 
O INÍCIO do povoamento do sertão dos Cataguases se deve ao espírito intrépido dos bandeirantes paulistas que, em fins do século XVII, iniciaram expedições em busca de ouro e de pedras preciosas, ou de índios para o trabalho escravo. 
Segundo alguns historiadores, foi Lucas de Freitas o primeiro civilizado a penetrar em terras do atual Município de Serro. Outros atribuem o feito a Antônio Ferreira Soares, descobridor do morro que, mais tarde, se chamou Gaspar Soares. Essa versão tem base na Revista do Arquivo Público Mineiro, que menciona Antônio Soares como descobridor das minas de Serro Frio, em 1702, coadjuvado por seu filho João Soares Ferreira, pelo escrivão Manuel Correia, pelo procurador régio Baltazar Lemos de Morais Navarro e por Lourenço Carlos Mascarenhas e Araújo, seguidos de inúmeros escravos. 
Entretanto, de acordo com o escritor serrano Nelson de Sena, os descobridores e primeiros habitantes da região do Serro Frio, que, atraídos pelas lavras do aurífero Hivituruí, aí se instalaram em 1703, foram os irmãos Corrêa Arzão, Baltazar Leme Lourenço Carlos, Gaspar Soares, Lucas de Azevedo Bartolomeu Bueno de Siqueira, Jerônimo Arzão e Pedro de Miranda. 
Passa ao pé da Cidade o histórico córrego dos Quatro Vinténs, onde foram levadas a efeito as primeiras bateadas. A existência de ouro a granel nesse córrego foi anunciada aos exploradores pela africana Jacinta Siqueira, que mandou construir a primeira igreja no lugar. 
Em 1720, estabeleceu-se a Casa de Fundição para a cobrança do quinto do ouro extraído das lavras. Em 1729 e 1730, Bernardo da Fonseca descobriu diamantes no lugar. 
Acusados de extravio e roubo de pedras, negros e pardos foram expulsos em 1732. 
A construção da cadeia teve lugar em 1735, seguida do calçamento das ruas. Sete anos depois, foi edificada a Igreja da Purificação. O Chafariz da Praia, construído em 1764, começou a funcionar em 1809.
ESTA EH A ABANDEIRA DA CIDADE DE SERRO, MINAS GERAIS
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE SERRO, MINAS GERAIS


 ACESSE: THYMONTHY BECKER COMUNICAÇÃO

VALEU PELA VISITA - A GENTE SE ENCONTRA POR AI


Fonte dos textos e fotos: IBGE / Thymonthy Becker / Portal do Governo de Serro / Wikipédia / guiadoturismobrasil.com /