sexta-feira, 8 de setembro de 2017

SANTANA DO GARAMBÉU, MINAS GERAIS - Com um museu que traz um acervo com diversos objetos e documentos de antigos moradores da cidade, além da famosa Fazenda do Apiário, que proporciona um maravilhoso pôr do sol aos seus visitantes. A cidade cultiva o turismo ecológico por ser dona de belas e deliciosas cachoeiras.




CONHEÇA A CIDADE DE "SANTANA DO GARAMBÉU", MINAS GERAIS, BRASIL
Às margens do Rio Grande, Santana do Garambéu está localizada na microrregião do Alto Rio Grande e faz parte do Circuito Serras de Ibitipoca, em Minas Gerais. 
A Praça da Matriz de Santana do Garambéu possui um histórico casarão construído pelo fundador da cidade, Antônio Garambéu, e é um dos pontos turísticos mais interessantes da cidade. De propriedade particular, a visita deve ser agendada por meio da prefeitura da cidade.  (Instituto estrada real) 
CHEGANDO NA CIDADE DE SANTANA DE GARAMBÉU, MG (Nilza Ribeiro)
A cidade conta também com um museu que traz um acervo com diversos objetos e documentos de antigos moradores da cidade, além da famosa Fazenda do Apiário, que proporciona um maravilhoso pôr do sol aos seus visitantes. 
A cidade cultiva o turismo ecológico por ser dona de belas e deliciosas cachoeiras. Nos limites do município é praticada a pesca às margens do Rio Grande. (Instituto estrada real) 
CACHOEIRAS DA CIDADE DE SANTANA DE GARAMBÉU, MG (Prefeitura Municipal)
CACHOEIRAS DA CIDADE DE SANTANA DE GARAMBÉU, MG (Prefeitura Municipal)
CACHOEIRAS DA CIDADE DE SANTANA DE GARAMBÉU, MG (Prefeitura Municipal)
CACHOEIRAS DA CIDADE DE SANTANA DE GARAMBÉU, MG (Prefeitura Municipal)
CACHOEIRAS DA CIDADE DE SANTANA DE GARAMBÉU, MG (Prefeitura Municipal)
CACHOEIRAS DA CIDADE DE SANTANA DE GARAMBÉU, MG (Prefeitura Municipal)
CACHOEIRAS DA CIDADE DE SANTANA DE GARAMBÉU, MG (Prefeitura Municipal)
CACHOEIRAS DA CIDADE DE SANTANA DE GARAMBÉU, MG (Prefeitura Municipal)
CACHOEIRAS DA CIDADE DE SANTANA DE GARAMBÉU, MG (Prefeitura Municipal)
Ocorre na última semana de julho, a festa de Sant'Ana, período em que a cidade recebe várias pessoas vindas principalmente de cidades vizinhas, como Ibertioga e Andrelândia. A cidade tem como principais pontos turísticos, cachoeiras que se encontram aos arredores da cidade. A mais próxima da área urbana é a Cachoeira da Água Limpa, localizada a aproximadamente três quilômetros do centro do município.
Academia ao ar livre em Santana do Garambéu, MG (Prefeitura Municipal)
Conselho Tutelar de Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
Dormitório na cidade de Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
Os Tucanos e o Ninho em Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
Entorno da cidade de Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
Vista Parcial da cidade de Santana do Garambéu, MG (Facebook)
Igreja em Santana do Garambéu, MG (Facebook)
Igreja de São Francisco (Igreja Velha) em Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
Entorno da cidade de Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
Igreja Matriz de Sant'Ana em Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
Pedreira no Entorno da cidade de Santana do Garambéu, MG (Prefeitura Municipal)
Pedreira em Santana do Garambéu, MG (Prefeitura Municipal)
Avenida Central de Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
Rua da cidade de Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
A cidade de Santana do Garambéu, MG encravada nas Montanhas de Minas (Nilza Ribeiro)
Vista parcial da cidade de Santana do Garambéu, MG (Facebook)
Chegando na cidade de Santana do Garambéu, MG (Facebook)
Rua central de Santana do Garambéu, MG (Facebook)
Vista Parcial da cidade de Santana do Garambéu, MG (Facebook)
Fundos da Matriz da cidade de Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
Rio de Santana do Garambéu, MG (Facebook)
Desfile em Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
Rua da cidade de Santana do Garambéu, MG (Nilza Ribeiro)
Código do Município - 3158706 
Gentílico - santanense 
Prefeito 2017 / ADAILTON FONSECA DA CUNHA 
População estimada [2017] - 2.436 pessoas 
População no último censo [2010] - 2.234 pessoas 
Densidade demográfica [2010] - 11 hab/km² 
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2015] - 1,9 salários mínimos 
Pessoal ocupado [2015] - 261 pessoas 
População ocupada [2015] - 10,9 % 
Área da unidade territorial [2016] - 203,074 km² 
Esgotamento sanitário adequado [2010] - 69,1 % 
Arborização de vias públicas [2010] - 80,9 % 
Urbanização de vias públicas [2010] - 18,2 % 
HISTÓRICO DA CIDADE DE SANTANA DO GARAMBÉU, MINAS GERAIS
Santana do Garambéu 
Minas Gerais - MG 
Histórico 
Durante quase todo o século XVIII, a mineração do ouro e pedras preciosas, foram as principais atividades da colônia. Esta exploração nos aluviões dos rios, fez surgir vários núcleos de povoamento que desenvolveram-se rapidamente, transformando-se em cidades e vilas. 
Como em vários municípios mineiros, Santana do Garambéu tem sua origem às margens de um grande rio, onde mineradores paulistas e portugueses, procedentes na maioria de Taubaté, transpondo a Mantiqueira pela garganta do Embaú (hoje Cruzeiro), desbravaram os sertões e estabeleceram-se no território e, com a força de escravos, exploravam o mineral. 
Já no final do século, os depósitos superficiais se esgotaram, levando a mineração a decadência, sendo substituída gradativamente pela lavoura e criação de gado. 
Nas investigações realizadas, não foi possível determinar com rigor a data em que se estabeleceu nessas paragens a primitiva comunidade, que deu origem ao povoado. Consta nos arquivos do Museu Cultural do Município, que a construção da Capela de Santana, ocorreu nos meados do século XVIII, assim como o registro do antigo povoador 'Capitão José Viçoso'. 
Garambéu é uma palavra de origem Tupi, onde seu significado teve aglutinação de duas expressões 'Caá' (mato) e 'Mbaé' (o que, que coisa). Segundo os tupinólogos a melhor tradução é 'que mato tão abrangente é esse'. 
Gentílico: santanense

VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE


Fonte / Fotos = IBGE / Becker Thymonthy / Governo de Santana do Garambéu, MG / Wikipédia / Facebook / 

O QUE FAZER NO PANTANAL BRASILEIRO - Em outras palavas: o Pantanal é imenso e merece planejamento para explorar a maior planície alagável do planeta, uma área de 210 mil km² e quase mil espécies de animais, segundo o ICMBio.




O QUE FAZER EM UM PASSEIO PELO PANTANAL BRASILEIRO

Localizada entre o noroeste do Mato Grosso do Sul e o sul do Mato Grosso, no Centro-Oeste brasileiro, a região é dividida em Pantanal Norte (MT), formada por destinos como Cáceres (220 km de Cuiabá), Poconé (102 km) e Barão de Melgaço (110 km); e Pantanal Sul (MS), com destaque para cidades como Miranda (198 km de Campo Grande), Aquidauana (130 km) e Corumbá (420 km). 
Em outras palavas: o Pantanal é imenso e merece planejamento para explorar a maior planície alagável do planeta, uma área de 210 mil km² e quase mil espécies de animais, segundo o ICMBio. 
CONFIRA ATRAÇÕES 
Pantanal Norte 
⇒ Transpantaneira 
A MT-060 tem 140 km de extensão, entre Poconé, portal do pantanal mato-grossense, e a localidade de Porto Jofre. 
Essa estrada de terra com trechos precários é melhor aproveitada a bordo de carros 4×4. Com 123 pontes – a maioria delas em madeira -, a Transpantaneira é conhecida pelas áreas alagadas que atraem animais em busca de alimentos e água. 
A obra em si já é um atrativo imperdível do Pantanal Norte. 
⇒ Parque Estadual Encontro das Águas 
Considerado o melhor local para observação de onças, no Pantanal Norte, esse atrativo tem mais de 100 mil hectares, recortados por rios, onde é possível ver animais como capivaras, jacarés, ariranhas, onças e aves. 
O parque, que deve ser explorado em passeios de barcos motorizados, fica nas regiões de Poconé e Barão de Melgaço, no Mato Grosso. 
Pantanal Sul 
⇒ Day use 
Agências de Bonito, no Mato Grosso do Sul, costumam oferecer passeios de um dia para o Pantanal Sul. Fuja dessa roubada. 
O Pantanal é uma região complexa e nem sempre se exibe fácil em tours apressados que começam cedo e terminam no final do mesmo dia. 
Embora não seja a melhor forma de conhecer de verdade uma região tão ampla como o Pantanal, ainda assim o destino conta com opção de day use para quem não tem tempo e embarca em tours de um dia. 
A cidade de Aquidauana serve como porta de entrada para a região e dá acesso a atrações naturais de Nhecolândia (distrito de Corumbá) e Miranda, onde estão os melhores hotéis da região. 
Final de tarde na região do Rio Claro, no Pantanal Norte, no Mato Grosso (foto: Eduardo Vessoni)
⇒ Estrada-parque Pantanal 
São quase 120 km de estrada de terra batida, em uma área de sete mil hectares, aproximadamente, entre os municípios de Miranda, Corumbá e Ladário. 
Com menos vida animal às margens, essa via vai da BR-262, na região do Buraco da Piranha, até Corumbá, incluindo travessia de balsa, no Rio Paraguai. 
Assim como a irmão mato-grossense, essa estrada é cortada por pontes de madeira e dá acesso aos hotéis-fazenda da região. 
⇒ Expedição fotográfica 
Entre os dias 25 e 30 de setembro de 2017, o Pantanal Sul recebe mais uma expedição com o fotógrafo Zig Koch. 
Voltado para fotógrafos amadores, o roteiro com hospedagem no hotel Refúgio da Ilha, em Miranda, inclui aulas com dicas de fotografia, tours no Pantanal com enfoque em fotografia de vida selvagem e passagem por Bonito, também no Mato Grosso do Sul. (Helder Brandão)
QUANDO IR AO PANTANAL? 
Dizem que por ali nenhuma temporada é igual à outra. Aliás, nenhum dia se parece a outro. 
Basta sair para um passeio bem cedo (às 5h30 da manhã para ser bem exato) para ter diante dos olhos uma fauna exibida de anfitriões como ariranha, capivara, jacaré, tuiuiú e onça-pintada. 
Maior planície alagável do planeta e menor bioma do Brasil, o Pantanal tem 210 mil km² e abriga quase mil espécies de animais (sem contar as 3,5 mil espécies de plantas), segundo o ICMBio. 
Mas o ciclo da vida ali tem data para acontecer e planejamento é fundamental para visitar a região. 
Para ver animais (aos montes), no Pantanal, a melhor vai de julho a setembro, quando o nível dos rios baixam e os bichos buscam água e alimento, nas margens de estradas, para delírio dos visitantes. Os dias podem ser quentes e abafados, mas com noites mais frescas, a 21° C, aproximadamente. 
De agosto a dezembro, entre o final do inverno e a primavera, a temporada pantaneira é marcada pelo céu claro, acasalamento de mamíferos e migração de aves como andorinhas e gaviões. Com sorte, ainda dá para ver animais nas estradas e durante os safáris em rios. Em 2016, por exemplo, a observação de animais se estendeu até o início de novembro e era possível encontrar felinos, ainda no final da temporada. 
As chuvas de verão, que costumam cair entre janeiro e março, começam a alagar a planície, com céus, alternadamente, claros e nublados. É nessa época que os animais buscam refúgio em áreas mais elevadas, répteis botam seus ovos e começa a migração de aves. As temperaturas são elevadas e chegam a 32°C aproximadamente. 
De abril a junho, encerra-se o período de precipitações, os céus do Pantanal ficam mais claros e os campos assumem tons mais verdes. 
(* fonte: Araras Eco Lodge)


VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE



Fonte / Fotos = msn.com / Becker Thymonthy / viagem em pauta / Trilhas e Aventuras / 


POSTAGENS CAMPEÃS DE VISUALIZAÇÕES