CONSOLAÇÃO, MINAS GERAIS - No caminho da fé, entre Morros e Montanhas, um povo simples, hospitaleiro, bons de prosa, contadores de causos




CONHEÇA A CIDADE DE "CONSOLAÇÃO", MINAS GERAIS, BRASIL
PEDRA MUDA EM CONSOLAÇÃO, MG
Pedra Muda... O mais acertado seria dizer pedra “dos mudos”. A coisa toda parece ser pelo fato dos colonizadores do município, lá por volta de 1700 e pouco, ao aportarem ali, terem topado com um povo já vivendo naquelas cercanias, no mato, sobrevivendo da caça e frutos silvestres. Os fazendeiros, imaginando que os bugres, (os chamavam assim, bugres) eram mudos, todos eles, e notando que curiosamente apreciavam ficar de preguiça numa tal pedra, ela, a pedra preta, apelidaram de Pedra dos Mudos. Na verdade parece que o povo era índio, bem possível que da linhagem caiapó ou cataguás. Segundo os historiadores, até o princípio do século XVIII, esses povos habitaram o sul de Minas. O fato de serem tidos mudos justificava-se por, não sabendo a linguagem dos brancos, com estes comunicarem-se apenas por meio de gestos, caretas e sons guturais... (Dion Kirk Pereira da Costa)
PEDRA DA INDEPENDÊNCIA EM CONSOLAÇÃO, MG 
Houve uma comemoração do centenário da independência do Brasil, com celebração de uma missa, nesta pedra da foto, de onde se tem vista deslumbrante da cidade e montanhas ao redor. Obviamente isso aconteceu em setembro de 1922. A foto mostra parte das pessoas na ocasião se encaminhando à pedra, que é chamada desde então de Pedra da Independência. A data da missa, bem como outros detalhes foram esculpidos naquela oportunidade na pedra e podem ser conferido pelos turistas.  (Dion Kirk Pereira da Costa)
Pedra da Independência em Consolação, MG (Dion Kirk Pereira da Costa)
Escalando a Pedra da Independência em Consolação, MG (Dion Kirk Pereira da Costa)
Turismo na Pedra da Independência em Consolação, MG (Dion Kirk Pereira da Costa)
A cidade de Consolação, MG vista da Pedra da Independência (Dion Kirk Pereira da Costa)
PICO DA PAZ EM CONSOLAÇÃO, MG
Pico da Paz. Fica na divisa entre os bairros da Fazenda da Paz e Rosas. É a maior altitude do município, cerca de 1500m no Google Earth. Se alguém quiser saber por que o nome Pico da Paz basta subir lá para ver. (Dion Kirk Pereira da Costa)
Pico da Paz em Consolação, MG (Dion Kirk Pereira da Costa)
HISTÓRIA DO CAMINHO DA FÉ EM CONSOLAÇÃO, MG
Um industrial de São Paulo passou pela Fazenda Retiro, no alto da serra e fez uma foto tendo ao fundo uma Igrejinha, que estava quase caindo; mais ou menos em pé apenas a fachada... Quando revelou a foto (isso foi lá por 2002), contudo a imagem que apareceu foi da Igreja reformada. Um milagre? O industrial entendeu como recado (chamado). Entrou em contato com o proprietário da fazenda e pediu autorização para restaurar a igreja. No entorno da igreja havia um charco que já foi drenado e a obra de restauro foi implementada. O resultado aí na foto. A Igrejinha de São Jorge, em Águas da Prata, onde originalmente se iniciava o Caminho da Fé. 
Isso acabou sensibilizando outro caminhante, que também reformou uma outra igreja e acabou sensibilizando outro caminhante, que também reformou uma igrejinha no município de Consolação 
A velha igrejinha da Fazenda retiro (Dion Kirk Pereira da Costa)
Atual igreja da Fazenda Retiro (Dion Kirk Pereira da Costa)
O Caminho da Fé percorrido pelos peregrinos em Consolação, MG (Augusto)
Caminho da Fé em Consolação, MG (Augusto)
A IGREJINHA VELHA (IGREJA DE SÃO JORGE) 
Esta igrejinha foi feita a mando e custas de Aurora Andrade, em homenagem ao amigo que bebeu muito e caiu no meio do mato (era chamado Mato da Cruz, muito assombrado e temido. Hoje dele tem só um capãozinho a uns 100 m da igrejinha, que na época ficava bem meio do mato). Lá o amigo, caído, teria sido atacado por lobos, que o arrastaram para o meio do mato, gerando muitas lendas. (Dion Kirk Pereira da Costa)
CHUU...CHUA...CHUU...CHUA EM CONSOLAÇÃO, MG
Por ali uns homens passaram; acharam a vista bonita. Um alteado na montanha toda cabeluda em matas; e bem próximo uma cachoeira, um pouco abaixo na verdade. Chuu... Chua... Chuu... Chua... Um som que lhes parecia capaz de limpar a mente. Falaram aqui pernoitamos, gostamos do lugar. Aqui parece não haver cobre, nem ouro; mas este céu... Sim, gostamos do lugar. Derrubaram vegetação e então uma clareira se fez; ótimo ponto para descansar. Uns bugres sondavam de longe, viram ainda cedo; mas dessa gente mansa não tiveram medo. Pela abundância de capivaras, ali era onça que receavam. Quando se foram falaram para muitos do lugar bonito, da ótima noite. Então outros aproveitaram da trilha já picada e da bela clareira para passar a noite próximo da tal cachoeira. Chuu... Chua... Chuu... Chua... Depois o governo disse que a terra era de um homem da família dos Borges de Castro, de Portugal, casado com uma dona de Campanha, MG. Um sujeito pediu permissão para morar ali na clareira, tão bonito que achou. Depois outros vieram. Foram melhorando os caminhos. Logo uma igreja. E o resto todo mundo já sabe. Foram se esquecendo da cachoeira; mas ela continua lá, Chuu... Chua... Chuu... Chua...  (Dion Kirk Pereira da Costa)
CONHEÇA UM POUCO MAIS DA CIDADE DE CONSOLAÇÃO, MG (Prefeitura Municipal)
A cidade de Consolação, MG encravada nas MONTANHAS DE MINAS (Prefeitura Municipal)
Por do Sol em Consolação, MG (Prefeitura Municipal)
Fazenda da Paz em Consolação, MG (Dion Kirk Pereira da Costa)
Igreja de Santa Teresinha na Fazenda da Paz em Consolação, MG (Dion Kirk Pereira da Costa)
Consolação, MG encoberta por neblina (Camilo G. Rocha)
Matriz de Nossa Senhora da Consolação em Consolação, MG (prefeitura Municipal)
Rua da Matriz em Consolação, MG (Marçal Carboneri)
 Vista aérea da cidade de Consolação, MG (Prefeitura Municipal)
Entorno da cidade de Consolação, MG (Dion Kirk Pereira da Costa)
Rua da Cidade de Consolação, MG (Dion Kirk Pereira da Costa)
Coreto da praça em Consolação, MG (José Carminatti)
Matriz de Nossa Senhora da Consolação em Consolação, MG (Prefeitura Municipal)
O povo é simples, hospitaleiro, bons de prosa, contadores de causos... em Consolação, MG (Dion Kirk Pereira da Costa)
Chegando na cidade de Consolação, MG (Sperandelli)
Vista parcial da cidade de Consolação, MG (Dion Kirk Pereira da Costa)
Consolação, MG (Barão Júnior)
Consolação, MG (Barão Júnior)
Praça em Consolação, MG (Barão Júnior)
Praça em Consolação, MG (Barão Júnior)
Rua em Consolação, MG (Barão Júnior)
Região central da cidade de Consolação, MG (Barão Júnior)
Caminho da fé da cidade de Consolação, MG (Prefeitura Municipal)
Vista parcial com a Matriz se destacando em Consolação, MG (SGT Dirceu)
Ribeirão dos Azevedos na cidade de Consolação, MG (Augusto)
POUSADAS EM CONSOLAÇÃO, MG
Pousada O Casarão (José Carminatti)
 (José Carminatti)
 (Barão Júnior)
Pousada Capivary (Dion Kirk Pereira da Costa)
Pousada Dona Elza (Dion Kirk Pereira da Costa)
 (Dion Kirk Pereira da Costa)
A gente se despede de Consolação, MG. Até um outro dia (Digo ABC)
Código do Município - 3118502 
Gentílico - Consolense 
Prefeito 2017 / MAURÍLIO ROBSON MARQUES 
População estimada [2016] - 1.807 pessoas 
População no último censo [2010] - 1.727 pessoas 
Densidade demográfica [2010] - 19,99 hab/km² 
O município tinha 1727 habitantes no último Censo. Isso coloca o município na posição 846 dentre 853 do mesmo estado. Em comparação com outros municípios do Brasil, fica na posição 5507 dentre 5570. 
Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2014] - 2,4 salários mínimos 
Pessoal ocupado [2014] - 167 pessoas 
População ocupada [2014] - 9,3 % 
Apresenta 55.1% de domicílios com esgotamento sanitário adequado, 18.7% de domicílios urbanos em vias públicas com arborização e 48.5% de domicílios urbanos em vias públicas com urbanização adequada (presença de bueiro, calçada, pavimentação e meio-fio). 
HISTÓRICO DO MUNICÍPIO DE CONSOLAÇÃO, MG 
Gentílico - Consolense 
Consolação 
Minas Gerais - MG 
Histórico 
Em 1813, Francisco Borges de Castro, natural de São Antônio de Parede, arcebispado de Braga Portugal, recebeu do governo português uma sesmaria. O local era mata fechada ainda não desbravada, correspondendo hoje ao Município de Consolação em sua totalidade, e parte dos municípios de Cachoeira de Minas, Estiva, Conceição do Ouros e Paraisópolis. A sede da Fazenda foi construída no Bairro Santo Antônio de Itaim. Começando assim o povoamento da região, desenvolveu-se a agricultura com o plantio de café e milho, entre outras culturas. Desenvolveu-se também o manejo de rebanho bovino, suíno e outros. 
Foi depois de 1750 que os moradores da Fazenda do Capivari - Freguesia de Pouso Alto - requereram provisão para construir uma capela da invocação de Santana. 
Dois anos mais tarde, o casal Antônio Rabelo e Maria Ribeiro Maia doaram uma sorte de terras para a edificação do templo. Dom Frei Manoel da Cruz concedeu o benefício, registrado no cartório de São João Del Rei. 
Em 1824, Dom Frei José da Santíssima Trindade registrou nos códices eclesiásticos de Mariana que havia em Santana do Capivari uma capela curada. Outros registros históricos provaram que Maria Gertrudes de Jesus também fez doação do terreno da atual Matriz, que no século XIX substituiu a primitiva capela. Em 1832, as principais figuras do povoado, pleitearam elevação da capela a curato, por provisão, criando o Curato de Nossa Senhora da Consolação do Capivari. 
O patrimônio foi acrescido, em 1849, com doações de terras, feitas por José Pinto de Oliveira e sua mulher, e por Flavio Antônio Simões e sua mulher. Mais tarde, outras doações de terras foram feitas para o patrimônio. 
Gentílico - Consolense
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE CONSOLAÇÃO, MINAS GERAIS

VALEU PELA VISITA - SEMPRE VOLTE



FONTE / FOTOS = IBGE / THYMONTHY BECKER / GOVERNO DE CONSOLAÇÃO, MG / WIKIPÉDIA / CONSOLACAOMG.BLOGSPOT.COM / 

POSTAGENS CAMPEÃS DE VISITAS