domingo, 5 de fevereiro de 2017

ATRAVESSANDO OS FILHOTES DE CACHORRO




ATRAVESSANDO OS FILHOTES DE CACHORRO
Estava dentro do carro da firma que trabalho juntamente com o Nathan. Ele ao volante e eu de carona. O carro ia muito velozmente. Pedi ao Nathan que pisasse no freio imediatamente porque o carro corria demais. Ele pisou no freio de uma vez e o carro foi derrapando até no ponto onde a estrada se dividia em duas, numa bifurcação em “y”. Disse ao Nathan que ele deveria ir pisando aos poucos no freio e não de uma vez. O carro parou junto a uma criança de uns 5 anos, que atravessava na faixa de pedestre. A criança não se assustou com o carro. Saímos do carro e então disse ao Nathan que por coincidência tinha parado em frente onde a gente iria trabalhar, pois eu estava reconhecendo o lugar. Havia uma escadaria rente ao passeio, que descia para uma espécie de porão. O Nathan foi na frente descendo as escadas. Fui atrás, descendo também, mas levando uma bicicleta. Chegamos lá em baixo e vimos que havia um portãozinho no final desta escada. Depois deste portão havia um pequeno corredor de 1 metro de largura onde estava um guarda e vários filhotes de cachorros. Depois do corredor havia outro portãozinho. Disse ao Nathan que tínhamos que atravessar o outro portãozinho, pois era ali que a gente trabalharia. Ao entrar neste pequeno corredor, todos os filhotes de cachorro que estavam ali, pularam em mim e ficaram grudados como se minha roupa fosse de velcro. Andei com dificuldade atravessei o outro portãozinho. Ao atravessar o outro portão, os cachorros se soltaram de mim. Então aquele vigia disse que os cachorros só queriam alguém para levá-los ao outro lado. Seguimos para nosso trabalho e o cachorrinhos seguiram seu caminho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os lugares por onde o Trem mais passou esta semana